05 de abril

o primeiro mês de guadalupe

por luíza diener

    

(escrito sexta-feira, no dia 1º de abril)

tem muito tempo que não escrevo post pro blog. mais tempo ainda que não escrevo sobre o desenvolvimento dos meus filhos.
sentei agora pra fazer o post de um mês da guadalupe porque “tem que” mas, na hora que abri a página e digitei o título do post – o primeiro mês de guadalupe – me deu uma pequena comoção e a lagriminha ameaçou aparecer por aqui.

um mês dessa filhota que acabou de chegar! dessa vidinha novinha em folha!
quando releio o post de um mês do benjoca e da sansa me dá aquela impressão de que faz taaaanto, mas taaaanto tempo! e acho que a lagriminha e o aperto no coração surgem justamente por isso: por saber que vai passar muito rápido, por mais que eu esteja fazendo de tudo pra aproveitar ao máximo e guardar todos esses momentos na memória.

sorrigueladorminda

tive o privilégio de contar com um super apoio neste primeiro mês.
hilan tirou 5 dias de licença e mais 15 dias corridos de férias. minha mãe tirou 5 dias úteis, mas conseguiu flexibilizar as coisas no trabalho dela de maneira que – além dessas pequenas férias – ela deu um jeito de esquematizar as coisas no trabalho e vir aqui em casa praticamente todos os dias deste mês de março. nos dias que ela não podia, adiantava alguma coisa lá no canto dela: lavou algumas roupas nossas, fez um almoço ou sopa e trouxe para cá, passava no mercado e trazia pão, frutas e o que faltasse aqui em casa.
minha irmã que mora aqui em brasília também deu uns pulos aqui e até conseguimos um dia de almoço só ela + marido e eu + marido (lupita dormia no quarto), enquanto as crianças ficaram com os avós.
isso sem falar nos nossos amigos e vizinhos, que estiveram presentes desde o dia do nascimento dela e assim continuam, mostrando que temos os amigos mais incríveis dos últimos tempos!

6822eed7-4274-4c93-8a6b-c7085df76518

daqui pra frente é realidade.
quando estava grávida, dizia que não fazia ideia do que estava me metendo. acontece que 1 mês se passou e eu continuo sem noção da encrenca em que me encontro, já que sempre têm mais adultos me ajudando com a comida, lavando louça, nos paparicando. marido voltou a trabalhar semana passada, minha mãe voltou ontem, hoje é sexta e somente segunda feira que a bagaceira vai comer solta.
ok que já passei uns dois dias dessa realidade dentro da rotina normal, sozinha com eles, e nem foi tão louco assim. mas conheço a vida e sei que ela prega peças.
só que agora eu não tô nervosa nem ansiosa nem nada. a vida segue, as coisas vão acontecer do jeito que têm que ser e eu tô esperando colher os frutos da minha escolha de cuidar em tempo integral da minha padaria.

7fbc960b-9692-4fe1-8cc0-104dbf7b8828 dorminda terina

tenho experimentado viver com uma leveza muito maior.
de não me prender tanto às rotinas (apesar de algumas serem inevitáveis), de deixar as coisas acontecerem com naturalidade sem me preocupar tanto com educar o tempo inteiro ou ter uma lição pra cada situação nem nada do tipo.

Lupita chevron [700]

mas vamos ao primeiro mês da pequena:

  • nasceu com 47 cm e 3,100 kg . perdeu uns 100 g no primeiro dia de vida. na consulta de 10 dias já media 51 cm e pesava 3,400 kg. ou seja, cresceu 4 cm e ganhou meio quilo em apenas 10 dias. dá-lhe tetas!
  • como a próxima consulta é só em maio, com 2 meses, eu não sei informar seu peso e tamanho atuais.
  • ainda assim, sei que já cresceu um bocado e perdeu a maioria das roupinhas RN. me dá um apertinho no coração, não porque eu tenha apego com as roupinhas em si, mas ver minha micro bebê crescendo e saber que essa fase não volta mais.
  • decidimos não colocar brinco nela. vamos esperá-la crescer e tomar essa decisão sozinha.
  • esta semana tentei dar a chupeta, ainda sem muito sucesso. mas confesso que quero que ela pegue. por mim, não por ela.
  • o coto do umbigo caiu com 9 dias. esse foi o umbiguinho que me deu mais trabalho! do joca e sansa caíram com 6 dias e foi bastante tranquilo. o dela foi ficando fedorendo, saindo secreção amarelada. acho que foi um vacilo nosso, porque eu deixei pro hilan ficar responsável pelos primeiros dias de fralda enquanto eu descansava e ele esqueceu como cuidava do umbigo (como limpava, com que frequência, etc). e eu esqueci de verificar por um ou dois dias. quando fui ver, tava aquela catinga horrorosa putrefata. continuei limpando muito bem com cotonete e água a cada troca, deixando bem sequinho no final. daí apelei pra cúrcuma em pó. aquele tempero de açafrão amarelo. é cicatrizante, antisséptico, antibacteriano, anti-inflamatório e ajuda a secar. foi o que salvou! em dois dias de cúrcuma e limpeza frequente o coto caiu e agora o umbigo tá ficando bonitinho.
  • teve uma icterícia leve com 2 ou 3 dias de vida. não chegou a ficar amarela, mas avermelhadinha, com o branco dos olhos amarelados. até hoje não passou direito. deu uma amenizada, mas ainda está com esse tom de pele alterado. confesso: não estou conseguindo dar banho de sol com frequência. o sol daqui é muito, muito quente, mesmo às 8h da manhã (e antes disso é frio pra ela ficar sem roupinha).
  • continua usando fraldinha RN, mas acredito que esse será o último pacote.
  • quando deixada em cima do trocador, da cama ou em alguma superfície onde ela fica solta, parece uma nadadora ou um peixinho desgovernado. fica batendo bracinhos e perninhas em movimentos aleatórios, abrindo e fechando as mãozinhas, ora agarrando o ar, ora arranhando a própria cara.
  • falando em mãozinhas agarrentas, às vezes, em momentos assim, ela agarra o próprio cabelo e puxa com força, desatando no maior chororô. nas primeiras vezes que isso aconteceu eu estava longe e de repente só ouvi um berreiro da menina e, quando cheguei, aparentava estar tudo bem. demorei um pouquinho pra saber do que se tratava, mas isso me trouxe um alívio maior. agora, pra evitar autopuxões de cabelo, eu coloco meinhas nas mãos dela (poderia colocar luvas, mas elas caem. então coloco meias mesmo).
  • na última semana e meia ela foi iniciada nos passeios. foi à casa dos avós algumas vezes, foi ao shopping duas, ao mercado duas e a uma festinha de aniversário.
  • frequentemente mama a cada 3 ou 4 horas. claro que cada mamada pode durar 30 minutos sem a menor cerimônia e às vezes ela mama os dois peitos numa boa. mas, feito isso, ela fica satisfeita por um bom tempo.
  • frequentemente dorme 3 ou 4 horas seguidas nesse intervalo entre as mamadas. seja de dia ou à noite.
  • já chegou a dormir 5 horas seguidas e eu que não me atrevi a acordá-la pra mamar. nunca fiz nem pretendo fazê-lo, já que ela mama suficiente, está ganhando peso e crescendo bem. se ela dorme esse tanto é porque precisa. e, adivinhem, às vezes a gente também precisa que eles durmam um pouco mais. a pena foi que nessa longa dormida eu não pude aproveitar pra dormir junto.
  • de qualquer maneira, é comum eu conseguir dormir 4 horas ininterruptas de sono. não canto vitória nem conto vantagem sobre isso porque sei que tudo muda e muda muito rápido. então eu apenas aproveito e mais nada.
  • ainda sobre o sono (porque esse é o top assunto das conversas maternas, junto com o tema cocô), ela tem acordado de uma a duas vezes à noite, considerando que minha noite acontece entre 0h e 7h da manhã. geralmente ela mama lá pras 9h da noite – que é quando consegue dormir sem interrupções – acorda perto de 2h da madrugada e novamente pouco antes das 6h.
  • chamem de gases, chamem de cólica, chamem do que quiserem. eu vou chamar de momento monstrinho: quando dá perto de umas 18h ela fica mais irritadiça. mama e sente dor, contrai a barriga, encolhe e estica as perninhas, chora de ficar vermelha. fica inconsolável e só melhora depois de umas 21h. tento o que sei: massagem, barriga com barriga quentinha (melhor que compressa morninha), dobrar e esticar perninhas, posições diferentes no colo, peito, enrolar no cueiro, banho quentinho antes do momento de tensão chegar. cada dia é um. às vezes o que funcionava perfeitamente bem num dia não serve pra nada no outro. e vice versa. não tem fórmula nenhuma. apenas tentativa e erro.
  • mas o que mais tem funcionado pra soneca, independente do horário, é enrolar bem num cueirinho antes de botar no moisés, na cama, onde quer que seja. ficar em formato pacotinho ajuda muito ela a dormir melhor. funcionou bem pros três. claro que se está muito quente eu prefiro deixá-la só de body e enrolar numa toalha fralda. se está mais friozinho, fica de macacão e cueiro de algodão ou flanela. mas a verdade é que ficar no pacotinho é um dos segredos do sucesso pra ela dormir por mais tempo.
  • à noite ela dorme no moisés, ao lado da minha cama. às vezes vai pra minha cama naquela mamada de 5h/6h da manhã e fica por lá até umas 7h, 7h30.
  • durante o dia ela pode dormir no moisés ou na cadeirinha supersônica barulhenta balançadeira. é um treco tipo bouncer tecnológico que eu herdei da minha irmã e que não botei fé que funcionaria. ela simula uns 5 tipos de movimentos (tipo movimento de carro, balanço, canguru, sei lá mais o quê), tem uma opção de diferentes sons (de água, de mar, de útero, de grilos) e pode se conectar ao celular e tocar música (esse último eu nunca tentei).
  • cara, no começo ela não ficava cinco segundos nessa bagaça dessa cadeirinha. agora ela fica lá por horas! coloco quando está quase adormecendo, ligo pra balançar um pouquinho e, quando o sono consolida, desligo e deixo só o barulhinho rolando. nisso ela tem tirado a maioria dos cochilos diários na sala, enquanto a bagaceira come solta em meio a crianças correndo, gritando, brigando, cachorro latindo, liquidificador funcionando. mais uma vez, não dá pra cantar vitória com bebês, mas ela dormir bem tem evitado brigas com os filhos e o chatíssimo e interminável “faz silêncio que sua irmã tá dormindo”. claro que eu peço uma calma maior deles, mas raro é ela acordar no meio da muvuca. deus conserve.
  • sobre aplv (alergia à proteína do leite da vaca), ainda não sabemos se ela tem. parei de comer leite, derivados e traços de leite quando estava com 37 semanas de gravidez e estou esperando ela passar dessa fase de desconforto intestinal pra tentar alguma introdução de derivados na minha alimentação pra testar. isso deve demorar mais uns meses. vou esperar ela completar 3 meses pra testar.
  • regurgita um bocado a cada mamada e reclama bastante toda vez que isso acontece. às vezes gasto uma fraldinha de pano cada vez que mama pra limpar a bagunça. também com frequência soluça após as mamadas, apesar de também soluçar de frio.
  • tem ficado mais tempo acordada. às vezes fica olhando pra longe, vidrada em algum quadro, persiana, objeto de cor forte e contrastante. às vezes dá umas encaradas na gente que chega gela a alma. daí ela atravessa o olhar e volta a olhar pra longe.
  • presta muita atenção à nossa voz. com pouquíssimos dias de vida (se brincar, nas primeiras 24 horas) ela já buscava a voz dos irmãos. especialmente da sansa, felícia conversadeira de barrigas e bebês. de virar o pescoço e buscar quem está falando, como quem diz ei, eu conheço essa voz! às vezes nem a mim ela responde tanto quanto à sansa e ao joca. mas se tem uma coisa que é tiro e queda deu dizer e ela olhar na.mes.ma.ho.ra é quando eu falo lupita! ela só falta girar a cabeça que nem coruja pra me ver.
  • tem tentado interagir mais. além de procurar nossa voz, às vezes ela presta atenção na nossa conversa. daí, nos últimos dias, ela tenta emitir sons junto comigo. quase morri na primeira vez que ela fez isso, porque ela soltou um barulhinho totalmente diferente dos que ela faz. foi tipo um gá. parecia muito que ela queria responder. me derreti totalmente!
  • também esboçou um sorrisinho esta semana. ela me olhou fixamente e foi abrindo um sorriso. na hora que eu vibrei com a pré-reação, me empolguei e falei alto, o que resultou num bico sem tamanho e cara de choro. por sorte não abriu o berreiro.
  • seu nome é guadalupe, mas aqui em casa também é chamada de lupita, lupe, lupinha, lobita, mas o melhor de todos é tiaminha. criação de constança. é te amo no diminutivo feminino.

foto juliana caribé, dupla exposição fotografia
(foto: dupla exposição fotografia)

6164e684-1b2b-4449-9ec1-fef7424bc938 79068c62-0625-45ea-9bde-ca7fa2758dee IMG_7332 db094f9e-1f99-445f-b265-3263f9146a28 ed576691-8ac3-4a01-9dc9-13e1d1ea23ff

 

sobre a mãe

amamentação, maternidade, foto juliana caribé, dupla exposição fotografia
(foto: dupla exposição fotografia)

por incrível que pareça, foi logo no terceiro pós parto que eu levei o resguardo mais a sério. esperei umas três semanas pra sair de casa, não tenho carregado nenhum peso maior que 3 ou 4 kg (o peso da lupita), tentado descansar quando possível.
noutras coisas estou mais sossegada. por exemplo, as tais “cólicas” (terminologia pra qualquer incômodo no bebê, desde gases até falta de sono): povo diz que tem comida que dá gases e influencia nas cólicas, tipo feijão, brócolis, cafeína, blá blá blá. eu tô comendo de tudo (exceto leite, mas por questão da tal aplv).  tô bebendo café de manhã (como sobreviver sem?), feijão no almoço, chocolate à noite. até fiz o teste e substituí tudo por chá de camomila, por exemplo, e não vi efeito algum. nem pra mais, nem pra menos. e mais uma outra pá de coisas que não cabem listar agora pro post não ficar (ainda mais) gigante.

  • estou perdidamente encantada, apaixonada, rendida por essa fofura, ternura, tranquilidade, fofureza, cheirosice, barulhância, tiaminha. sério. tô falecida de amor e não tem mais volta!
  • também estou muito apaixonada pelo joca e pela sansa. de querer agarrar, abraçar, pegar no colo (inda bem que agora eu posso, porque foram meses sem carregá-los). haja ocitocina!
  • ando com uma saudade enorme do joca e da sansa. menos de luto do que quando joca nasceu, mas ainda bastante. tive umas crises de choro escondida, especialmente pela constança. não sinto que ela perdeu o trono, como eu sentia pelo benjamin, mas é que eu acho ela muito bebezinha, caçulinha da mamãe. um dia desses ela dormiu e eu a peguei (finalmente, depois de meses) no colo pra botar na cama dela. aí, ao sentir seu tamanho e peso (enormes, se comparados à guadalupe), me deu um aperto no coração. abracei-a com força, ninei e embalei igual eu fazia quando ela era bebezinha. e chorei sem controle algum. de suspirar, de perder o ar. chorei a saudade dos meus dois bebês, chorei de saudade futura da minha bebê atual, de pensar que um dia todos vão crescer e nenhum caberá mais no meu colo – e nem vai querê-lo. coloquei ela na cama, suspirei de novo, enxuguei as lágrimas e aceitei, que dói menos.
  • por falar em aceitar, tenho abraçado o caos sem surtar (por enquanto). tudo desandou: a roupa, a louça, o almoço, o mercado, a rotina. e, realmente, dói bem menos.
  • quando vou amamentar me dá um sono absurdo. parece que a bateria, que estava uns 35%, repentinamente descarrega. durante o dia eu não tenho muita opção e fico sobrevivendo com 5% apenas, no modo de economia de energia. mas, no final do dia (enquanto hilan dá banho e bota os mais velhos na cama), eu descarrego de vez, desligo, apago. aí não consigo nem me mexer. só depois de pelo menos uma hora de carga (às vezes são três), eu acordo e volto ao normal. e daí não consigo mais dormir à noite, só lá pra 2h da manhã.

 

c0066a09-7d01-4f5a-82f4-7d107b3a033cbebê minion roxo, foto juliana caribé, dupla exposição fotografia
(foto: dupla exposição fotografia)

 

sobre o irmão mais velho

65339e2c-24b7-425a-a33a-77fda4704761

em relação a ela, ele é tranquilo e na dele. tem seus momentos de indiferença e seus momentos de zelo. vejo que ele tá lidando bem melhor com isso agora que quando sansa nasceu. mas ele é uma criança, então temos que estar prontos pras reações infantis dele.

  • às vezes ele vai onde lupita está, começa a conversar com ela e adora observar sua reação de prestar atenção à sua voz e tentar acompanhá-lo com os olhos. me derreto muito ao ver esse carinho dele. e dela.
  • fica de paitrulheiro da sansa, mandando ela falar baixo e não perturbar o sono da irmãbebê. mas ele mesmo fala alto pra caramba e já acordou lupe várias vezes. a diferença é que ele não vai intencionalmente futucar a bebê quando ela está dormindo, diferente de sansa.
  • se incomoda enormemente com o choro da baixinha. a sorte é que ela chora muito pouco perto dele. aliás, ela chora muito pouco de modo geral.
  • se delicia muito com a fofura e conversinha de bebê da irmãzinha. a gente vê claramente que ele também está apaixonado <3

IMG_7245 três irmãos

sobre a nova irmã mais velha

abraço das irmãs p b

a felícia da casa. já era stalker da minha barriga e perseguidora de bebês alheios, mas agora quase não dá trégua pra nova caçulinha. passou pelo menos uma semana conversando com minha barriga mole e vazia, mas ao mesmo tempo demonstrava entender que aquela bebezinha saiu de dentro da mamãe. agora o foco está todo no bebê.

  • não tem um dia sequer que ela não venha ao encontro da irmã. várias vezes por dia. in-can-sa-vel-men-te.
  • enche de beijo na testa, no olho, na bochecha, nas mãos, na boca. aliás, ela vai sempre direto no rosto, e depois na mão. como se não existisse nenhuma outra parte do corpo pra ser acariciada.
  • está clamando pela atenção do pai. de chorar por muito tempo e ficar paralisada, sem conseguir sair daquele estado. de pedir colo, falando para que o pai largue a irmã pra ficar com ela. de acordar toda santa noite (às vezes mais de uma ou duas vezes) e não servir se for outra pessoa senão hilan.
  • às vezes imita bebê e, na semana que ela nasceu, ficou um tempão engatinhando e fazendo sons de bebê, sem falar. aliás, essa falazinha de bebê ela já fazia quando queria dengo, mas tem sido mais frequente ultimamente.
  • passou esse mês inteiro sem pedir pra mamar, sem demonstrar nenhum tipo de interesse pelo meu peito, como fazia alguns meses atrás. eu cheguei a oferecer meu leite num copinho. ela provou e achou ruim. só ontem que ela foi fazer gracinha e fingir que ia mamar meu peito, mas não passou disso. e eu nem quero que passe.
  • também se mostra completamente apaixonada e encantada pelas fofuras da bebê. acho que no caso dela é tudo mais intenso. e nítido.

b1b9c8c8-c9ee-4540-ba21-d21989484012 4eff1326-9bdb-445c-b958-3699215be6e4

sobre o pai

paternidade, foto juliana caribé, dupla exposição fotografia
(foto: dupla exposição fotografia)

  • cansado, dormindo pelos cantos.
  • no começo, quando foi trocar as primeiras fraldas, parecia que nunca tinha trocado nenhuma na vida. um dia pegou uma bomba que era a transição do mecônio pro cocô de bebê. começou uma coisa preta e grudenta e, enquanto ele trocava a fralda, foi mais um e mais um, até virar um cocô pastoso amarelado. de brinde, uns xixis fora da fralda. foi meleca pra todo lado e as crianças e eu ficamos rindo enquanto toda a cena acontecia. deu até pra tirar foto da cara do sujeito:
    troca de fralda
  • passado esse momento inicial, tem tirado tudo de letra: o cuidado com os grandes, com a pequena, com o caos e glória da casa. dividimos bem as tarefas entre nós dois. aliás, desde os últimos meses de gravidez até esse primeiro mês de vida da lupita, ele tem feito muita coisa. geralmente mais que eu. só agora que eu estou retomando as atividades normais e voltaremos à divisão justa e igualitária.
  • mais um pirado pela bebezinha. é unanimidade: guadalupe é apaixonante!

paternidade, foto juliana caribé, dupla exposição fotografia
(foto: dupla exposição fotografia)

e eis a prova de que ela é um minion roxo:

bebê minion roxo, foto juliana caribé, dupla exposição fotografiabebê minion roxo, foto juliana caribé, dupla exposição fotografia     bebê minion roxo, foto juliana caribé, dupla exposição fotografia bebê minion roxo, foto juliana caribé, dupla exposição fotografia bebê minion roxo, foto juliana caribé, dupla exposição fotografia
bebê minion roxo, foto juliana caribé, dupla exposição fotografia
(fotos: juliana caribé, dupla exposição fotografia)

Related Posts with Thumbnails

categorias: Tags:, , , , , , desenvolvimento do bb, guadalupe, marcos importantes, mês 0-3

assine nosso feed ou receba por email


20 Comments »

  1. Como sempre vc arrasa no textão. Fico emocionada com seus relatos sempre, me identificando com as tantas emoções que envolvem a maternidade.

    Comentário by Márcia — abril 5, 2016 @ 1:30 pm

  2. Que família linda. Chorei de emoção com o tiaminha da Sansa! Ela é maravilhosa! Vcs são mara!!!

    Comentário by Angela — abril 5, 2016 @ 1:35 pm

  3. Nossa, que delícia! Eu chorei aqui de soluçar, lendo, e de saudade da minha bebeinha, que já está com 1 a3m, e a cada dia mais uma mocinha e menos um bebê, e de vontade de ter mais um * _ * O caos vicia, isso é um fato kkkk

    Comentário by Carla — abril 5, 2016 @ 1:40 pm

  4. Benjoca tá com carinha de irmão mais velho mesmo, chega a emocionar.

    Comentário by Juliana — abril 5, 2016 @ 2:16 pm

  5. Oi. Conheci seu blog no hospital pois minha filha nasceu dia 23 d março e teve q ficar na uti. A unica coisa q me distraia era ler seu blog. Agora tbm inteirei tres filhos. Dois rapazes e uma menina. Nossas filhas nasceram em março e se eu tivesse mais um homem se chamaria benjamim.. Q o Senhor continue te abençoando e sua familia linda e essa sensaçao de familia unida e companheira q nos passam. Bjos

    Comentário by Brenda Salustiano — abril 5, 2016 @ 2:54 pm

  6. Ahhhhh que linda!!! Amei o textão!!! Amei o tiaminha!
    E esse minion roxo!! <3
    Muita saúde a todos!!

    Comentário by Roberta — abril 5, 2016 @ 3:02 pm

  7. Que lindo tudo isso! Que sua família seja linda assim, cheia de defeitos e vitórias constantes. Você é uma super Mãe, Deus conserve. Exemplo de amor e superação diária. Seus filhos são lindos e sei que vão ser pessoas do Bem assim como vocês são! Parabéns.

    Comentário by Grasy — abril 5, 2016 @ 3:27 pm

  8. Eu adoro os seus textão.. adoro mesmo pq são neles que vc passa as maiores emoções…
    Não tem como ler e não se emocionar, não tem como não imaginar cada detalhe do que vc conta.
    Linda Luíza, lindo tbm a forma como vc descreve tudo isso, como vc encara a maternidade e vive isso.
    Que Deus abençoe muito vc e o Hilan e que traga bençãos maiores ainda aos babys,, Joca, Sansa e Lupita. As fotos estão lindas. Mais uma vez me emociono com seu texto.

    Comentário by Karen Sabrina — abril 5, 2016 @ 4:14 pm

  9. Não sei quem eu tenho vontade de amassar mais: o primogênito superfofo e protetor! A nova maninha mais velha estilo felícia delícia! Ou a recém e apaixonante chegada!
    Fotos lindas! Que Deus lhes dê sabedoria, paciência e paz no meio de todo esse trabalho! QUE é MUIIITO! Mas é MUITOOOOO MTO BÃO tb!!! Bj!

    Comentário by Larissa Schiavo — abril 5, 2016 @ 11:43 pm

  10. Eu gosto disso. Voce quando vem, vem quente e fervendo ! Post gigante com uma bebê de 1 mês?! Guerreira ! Adorei ler tudo…estava curiosa demais pra saber do Joca e da Sansa, como estão reagindo à fofura da Guadalupe. Lindos, todos voces. Deus abençoe grandemente essa família.

    Comentário by Luciene Asta — abril 6, 2016 @ 8:32 am

  11. esse negócio de crescer devia ser proibido…

    Comentário by lia — abril 6, 2016 @ 9:42 am

  12. haja amor.
    coisa linda!
    mais do mesmo, melhor que tem!
    e o caos deixando de sê-lo com aumento da margem de tolerância, que só a experiência proporciona.

    Comentário by Aline — abril 6, 2016 @ 1:21 pm

  13. Amo ler seus posts ! São emocionantes, tão verdadeiros ! Parabéns e saúde para essa família linda !

    Comentário by Luanda — abril 6, 2016 @ 4:29 pm

  14. Tenho um pedido a fazer…

    Tenham mais filhos, plaseeeee

    O mundo precisa deles!!

    Rsrs

    Beijooo

    Comentário by Monique — abril 7, 2016 @ 7:24 pm

  15. Pleasee*

    Comentário by Monique — abril 7, 2016 @ 7:25 pm

  16. Que delícia esse post bem detalhado sobre cada um da família. A Sansa tá uma caso à parte, simplesmente foférrima, lindas as fotos dela com a irmãzinha. Parabéns!

    Comentário by Aline — abril 8, 2016 @ 11:03 am

  17. Ain gente, muito amor em palavras. E eu aqui no trabalho chorando litros, toda catarrada. Porque passa tanta coisa na minha cabeça, as lembranças do meu bebezinho que já virou menino e uma saudade absurda que dá, aquela dúvida de "será que eu vou aguentar não ter mais um?" (sou enlouquecida por bebês, mas tem sido bem difícil ser mãe trabalhadeira e deixar o filhote com a avó, ou com a tia, ou com quem puder ficar, saca? Aí ter mais um pra sofrer pelos dois? oh dó), e tb pela emoção de poder acompanhar o crescimento dessa família que acho linda e que considero pacas. Feliz demais por vocês. Lupita é uma lindeza. Joca tá um rapaz espertíssimo. Mas o que que é a Sansa? Eu me derreto muito!!!. Saúde e muitas alegrias pra todos vocês!

    Comentário by Danielle Moreira — abril 8, 2016 @ 1:26 pm

  18. ai que legal, luíza! meu bebê tá com 25 dias e é tão maravilhoso acompanhar mães que tão passando pelas mesmas dores e delícias que nós. é um período tão solitário, né? que depois de um dia exaustivo como hoje, ler isso aqui aquece o coração, obrigada <3
    ah, sim, uma dúvida/curiosidade: pq vc tá doida que a pequena pegue a chupeta?

    Comentário by Tainá — abril 8, 2016 @ 10:11 pm

  19. Só consigo chorar.

    Comentário by Paula — abril 18, 2016 @ 10:27 pm

  20. Obrigado por dividir conosco sua experiência! Muito útil para os pais de primeira viagem.

    Comentário by Jonas Silveira — outubro 16, 2016 @ 11:30 am

RSS feed for comments on this post.

Leave a comment

*