14 de julho

13 meses de constança

por luíza diener

13-meses

1 ano e 1 mês! eu tinha planos de diminuir a frequência dos posts sobre o desenvolvimento da constança depois que ela completasse 1 ano, mas esse último mês foi tão incrível e tão intenso que não poderia passar batido. parece que a personalidade dela aflorou e agora mostra traços que muito provavelmente se manterão durante sua infância (quem sabe até quando for adulta). está muito interativa e antenada com o mundo. parece que finalmente ela está tomando consciência – dentro do seu nível de compreensão – de que é um indivíduo único. ela deu um salto de desenvolvimento enorme depois de completar 1 ano. essas são algumas das coisas:

  • tem 12 dentes. nasceram 4 molares praticamente de uma só vez: os dois de baixo ficaram inchados por pelo menos duas semanas, até que romperam quase simultaneamente. uma ou duas semanas depois, os dois de cima apareceram também. durante quase um mês foi um perrengue atrás do outro, porque ela perdeu o sono, ficou nervosa, não queria comer nada. meu consolo é que agora só faltam 4 dentes. ufa!
  • adora cachorro, imita cachorro, chama o cachorro, com o olhar persegue o cachorro, mas tem medo de cachorro. até do tov.
  • faz “não” com a cabeça quando não quer alguma coisa.
  • aponta até conseguir alguma coisa. se a gente pega a coisa errada, ela rejeita com a mão, faz não com a cabeça e continua apontando até que acertemos o que ela quer. parece imagem e ação baby da vida real.
  • começou a se irritar e frustrar em diversas situações (tá aí o vídeo do dia de fúria, que não me deixa mentir). se na minha primeira viagem de mãe eu ficava nervosa quando benjamin fazia isso, hoje me dá até uma pontinha de orgulho porque pra mim marca esse momento do desenvolvimento da sua individualidade, onde ela identifica o que não gosta e reage a isso.
  • um dia, em algum momento, hilan fez cara brava pra sansa e ela imitou. pronto. virou a coisa mais engraçada do mundo. ela de repente olha pra gente, fica brava e todo mundo cai na gargalhada. é o famoso evil look.
  • aprendeu a dar beijo, também com o papai. atacou de dar beijos nele e morrer de rir. aliás, tudo dela envolve muito carinho e sorriso.
  • ainda não fica em pé sem apoio mas, quando tem algo pra se segurar, faz isso com mais confiança, segurando com uma mão só. também treina agachamento e levantamento, que eu chamo carinhosamente de morto vivo.
  • também já anda apoiada nos móveis. cada dia experimenta uma distância maior
  • sobe apoiada na parede, mas ainda não sobe no teto.
  • aprendeu a subir e descer de superfícies baixas, como mesa de centro. do sofá ela também já sabe descer.
  • reconhece dente, nariz, olho, boca, língua. às vezes acerta o que é cílio e orelha.
  • prefere beber água no copo normal. ela quase não usa copo de transição (mais pra sair). mas quando rola aqui em casa de darmos água no copo de transição, ela rejeita e aponta pro nosso copo para, enfim, matar sua sede.
  • quando me quer e eu não estou em casa, aponta pro meu quarto, mais especificamente pra minha cama, que é onde ela mama.
  • aprendeu a cuspir. se você estiver andando pela minha casa e encontrar um mini pocinha no chão, não se preocupe. é só baba da sansa.
  • inventou uma musiquinha própria e volta e meia cantarola ela sozinha. faz tipo um “ã! ãamm.. ã! ãmmm…”, numa entonação meio uh-oh. parece um teletubbie. muito mesmo.
  • quando mama em lugares não convencionais (a minha cama), vai mudando de posição durante a mamada, indo prum lado, pro outro, escorregando pelas beiradas. também resolveu querer conversar muito durante o mamá. de uns dias pra cá fica cantando a tal musiquinha própria, olhando pra mim e rindo.
  • quando está no quarto e acorda, desce do colchão, engatinha até a porta e tenta abrir. caso esteja somente encostada, ela sai do quarto sem a menor cerimônia e procura pela gente (joca em primeiro lugar).
  • certo dia eu estava dormindo no meu quarto e ela acordada na sala, com o pai. aí ela foi pro meu quarto, ficou batendo na porta (que estava fechada) e me chamando “mamãe, mamãe!”. pelo menos é o que hilan conta, porque eu estava no milésimo sono e não escutei nada.
  • só quer comer sozinha, o que pode ser bom, mas às vezes é ruim porque ou ela come com as próprias mãos ou come com as próprias mãos. até tenta usar  a colher pra pegar a comida. muitas vezes acerta, se for algo mais pastoso, mas em algum momento vai colocar a mão na vasilha e fazer uma lambança. então melhor é dar umas comidas mais pedaçudas, que ela costuma comer bem. senão, é torcer ou pra que ela esteja num bom dia e aceite a comida na colher, ou pra que eu esteja num bom dia e aceite a sujeirada.
  • parece que fala de verdade. enrola a língua, faz umas entonações e expressões faciais variadas e às vezes ainda gesticula com a mão. na verdade ela com certeza fala palavras carregadas de conhecimento, sabedoria e até os segredos da origem do universo. a gente é que não entende nada.
  • adora botar e tirar coisas de dentro de outra, como tirar um objeto de uma caixa e botar de volta, tirar algo de uma bolsa e devolver.
  • também adora fio dental: abre a caixinha, puxa um tantão, coloca na boca, se embola toda. mas nada supera sua paixão por escovas de dentes.
  • aliás, de monstrinha da escovação, passou a deixar a gente escovar os dentes dela, bonitinho. até a língua ela dá pra gente escovar. mas tem que ser tudo muito rápido, senão ela perde a paciência. e a escova é dela no final.
  • percebo o quanto era mais fácil controlar a alimentação do benjamin quando ele era filho único. hoje em dia, sendo ele o irmão mais velho, sansa quer comer o que ele come. algumas coisas eu digo não e ponto final, mas outras ela começou a comer bem antes por causa dele, tipo pão e macarrão.
  • um dia, quando eu estava lanchando com os pequenos, sansa ficou apontando pro pão e pedindo com barulhos indistintos. eu falei pão algumas vezes para ensiná-la e daqui a pouco ela pediu, com todas as letras: “pão”. benjamin ficou extremamente impressionado, porque eu sempre brinco de fazer a voz da sansa e ele responde como se os dois mantivessem um diálogo de fato. ouvir da boca da própria irmã uma palavra tão nítida quanto aquela causou nele uma reação de espanto quase como se tivesse sido o tov quem tivesse falado alguma coisa.
  • acho que eu nunca vou me cansar de falar do tanto que eu amo a paixonite dela pelo irmão. ataca o benjamin com abraços e beijos, no maior amor do mundo. claro que em algum momento isso pode dar em choro, mas não necessariamente acaba assim. tá aí uma foto de um momento como esse <3

IMG_1315 pequeno

vocabulário sonserinês-português

  • arrrr – água. ela olha pra água e começa a fazer algo meio ahhhhh! meio arrrr! (como quem fala arranhando a garganta)
  • pá, báo, pão – pão
  • humm humm! – cachorro
  • humm humm! – qualquer bicho, incluindo cachorro
  • hummmmm! – vaca
  • oxe! – queria eu que fosse a abreviação de oxente, pra confirmar o sangue baiano de nossos ancestrais, mas na verdade é algo engraçado que ela fala aleatoriamente
  • oi – interjeição usada para chamar atenção usada em média trezentas e doze vezes por dia
  • bôu – eu não sei o que é. mas ela fala muito. diz o benjamin que é gol, mas acho que existe uma razão específica pra ela falar bôu  que eu ainda não prestei atenção qual era. quando descobrir conto a vocês.

sansacional

observação importante: todos os créditos da primeira fotografia (menina em verde amarelo) ao fotógrafo benjamin diener.

Related Posts with Thumbnails

categorias: constança, desenvolvimento do bb, mês 12-18

assine nosso feed ou receba por email


5 Comments »

  1. Linda de viver.! Dois liiiiiiindos <3

    Comentário by Fabrina Dutra — julho 14, 2014 @ 3:38 pm

  2. Que delícia esse amor de irmãos! E essa mãozinha! Ahhh, que mãozinha gostosa!
    Estou curiosa sobre a musiquinha. Tem que gravar e colocar de ringtone. kkkkk

    Comentário by Deborah Scheffer — julho 15, 2014 @ 8:15 pm

  3. Não aguento a fofura da Sansa, coisa mais linda de ai meu Deus!! Linda familia, Deus abençoe sempre!

    Comentário by Monique — julho 16, 2014 @ 9:10 pm

  4. Eu.quero.morder.essa.bochecha!!! Lindaaaaaa

    Comentário by Stephanie — julho 17, 2014 @ 10:37 am

  5. O "bou" aqui em casa (Marina, duas semanas mais nova que a Sansa) é de acabou. e às vezes vem acompanhado de mãozinhas abertas para cima. Usado em fins de comidas, bebidas, músicas e tb pra quando alguém vai embora… (primeira vez no seu blog, amando cada postagem. Tb fui mãe novinha, aos 22 (do Bruno), mas a Marina só chegou pra completar a família 15 anos depois). Seus filhos são lindos!

    Comentário by Ana — agosto 2, 2014 @ 11:47 pm

RSS feed for comments on this post.
TrackBack URL

Leave a comment

*