11 de setembro

15 meses de constança

por luíza diener

15messes

1 ano e 3 meses parecem uma vida. e são.
tento não fazer comparações, mas me lembro claramente do benjoca nessa idade e do quanto que, na minha cabeça, ele já era criança de tudo.
hoje eu vejo sansa e ainda acho ela tão bebê… mesmo assim nesse último mês ela cresceu tanto que às vezes me assusto. estou en-can-ta-da com a fofura dela e sua percepção de mundo e deliciada em vê-la crescer tão esperta.

  • jogar objetos longe (especialmente os que não quer mais) virou uma de suas brincadeiras prediletas.
  • essas duas eu postei no mês passado, mas ela só começou a fazer de verdade depois de ter completado 14 meses, então vou deixar aqui pra registro:
    • aprendeu a fazer uma pose ótima onde ela ajoelha sobre uma perna e coloca o outro pé no chão, apoiando as mãozinhas nas coxas.
    • formou sua primeira frase. ela acordou, mamou, ficou um pouco de dengo no meu colo e soltou:  “dedota! tadê u dedota?” que, em português, significa “benjoca! cadê o benjoca?” e desceu da cama para procurá-lo.
  • deu seus primeiros passinhos: 3 em direção ao papai. ele me chamou para ver, eu fui lá e ela deu de novo. aí me abraçou e começou a chorar. na verdade ela ficou assustada quando percebeu que fez isso sem querer e passou mais de uma semana só engatinhando, sem querer ficar em pé. aí comecei a exercitar sua confiança (e equilíbrio), dando objetos pra ela segurar em pé. ela ficou mais tranquila, jogava os objetos e se divertia com a brincadeira. desde então passou a andar apoiada com mais frequência. de chegar onde quer em pé, segurando nos móveis e objetos que vê pela frente. não tenho 100% de certeza de que ela vá andar agora, com 1 ano e 3 meses, mas acho que de 1 e 4 não passa não.
  • birras: gente, tá uma coisa impressionante! a gente tem que pisar em ovos porque qualquer movimento brusco ela surta. exemplo: nunca, jamais, tire um objeto da mão dela de supetão. é choro, gritaria e estresse na certa. se ela estiver em pé vai se jogar no chão, de barriga pra baixo e enfiar a cara no chão, em pose de drama. é capaz até de engatinhar de ré em forma de protesto. isso acontece várias vezes ao dia. eu, que já me considero uma mãe zen budista em relação aos chiliques dos bebês (que não são nada perto dos de um menino de 4 anos), não dou a mínima. sei que ela não faz de propósito. sei que não faz pra testar os limites ou pra me afrontar. e sinceramente fico feliz que ela expresse as coisas que gosta e não gosta. porque, vamos combinar, é uma lindeza a reação dela quando gosta das coisas.
  • quando gosta das coisas: dá gritinhos de alegria, faz caras e bocas, se agita toda. faz isso quando estamos no corredor do prédio (que faz eco ao som de sua voz), faz isso quando papai ou mamãe chegam em casa, faz isso quando encontra o irmão após uma soneca.
  • parece que conversa. parece muito que conversa. fala, fala, acena com a cabeça, gesticula. eu percebo que ela realmente acredita que está se comunicando. e, se você prestar muita atenção, vai perceber que existe um sentido enorme nas coisas que ela fala e faz. hoje mesmo estava no colo do hilan com uma caixa de fio dental. ela tinha acabado de abrir a caixa e tirar um pedaço grande de fio. hilan arrancou, deu pra ela e falou pra não arrancar de novo. ela pegava a caixa, mostrava pra ele e perguntava: pó? enquanto acenava que sim com a cabeça. hilan dizia “não pode” e ela tentava de novo: “pó?” fazendo que sim. ficamos impressionados como ela entendeu que não podia, pedia pra fazer e respeitava no não. acharia que era coincidência, mas ela tem feito coisas semelhantes repetidas vezes, em diversas situações.
  • chapéu de pano: é a louca do chapéu. adora botar coisas na cabeça, mas agora descobriu que muito mais legais que chapéus são as roupas, especialmente as cuecas e sungas do irmão. fica deveras feliz com uma cueca na cabeça.
  • faz pose pra foto. não pode ver a gente apontando a câmera pra ela que sorri e faz pose sem nenhuma vergonha. fica rindo como se aquilo fosse realmente engraçado (e deve ser mesmo).
  • ciúme: tem ciúme quando alguém está no meu colo ou no do pai. pode ser o irmão, o tov, outra criança ou bebê. ela não gosta e faz questão que saibamos disso, geralmente chorando quando é alguém menos íntimo ou agredindo quando é alguém com quem ela se sente à vontade.
  • bate, morde, empurra: pois é, ela aprendeu a agredir a gente. empurra o irmão quando está no meu colo, me morde e me bate quando não dou atenção para ela. bate um pouco no pai, mas é menos. sobra mais pra mim e pro joca. no mais, quando não é contrariada, é um poço de carinho e ternura sem fim.
  • musiqueira: que ela passa o dia a cantarolar suas musiquinhas não é novidade. mas agora tá aprendendo a cantar as nossas músicas. um dia eu fui botar ela pra dormir, cantei “nana nenéeeeemmm” e dei mamá pra ela. agora, quando quer mamar, aponta pro meu quarto (que é onde ela ainda dorme), canta nana nenéeem afinadinha, aponta pro meu peito, fala má, tenta levantar minha blusa. não necessariamente ela quer dormir, mas acha que essa música é pra mamar.
  • pede mamá pra chamar atenção: nem sempre ela está com fome. às vezes, depois de bater, morder e até mesmo comer, quando sente que está deixada de lado começa a pedir pra mamar. ela sabe que esse método é infalível e muito mais fofo que a agressão.
  • como fica a alimentação: ela não comia nada, aí passou a comer. aí parou de comer de novo. voltou. parou. como pode uma menina que se chama constança ser tão inconstante quando o assunto é alimentação? aí percebi que, para as comidas salgadas, ela come mal quando todo mundo está comendo junto. isso porque ela quer o que está no nosso prato. por mais que coloquemos a mesma coisa pra ela, ela quer o nosso e quer pegar sozinha. passa a maior parte da refeição lutando por um pedaço de carne e, quando consegue, não quer saber de nenhuma outra comida. a solução é dar a comida separada pra ela, antes de comermos, e depois – quando nos reunimos – dar uns pedacinhos do nosso prato. isso é impossível de ser feito na hora do almoço, que é uma correria sem fim. mas à noite ela come muito melhor uma papinha amassadinha, misturada (que é pra garantir todas as vitaminas), com poucos pedaços.
    já com frutas ela não tem muito problema não. come praticamente de tudo, pedaços inteiros, sozinha ou com todos juntos.
    do pão ela era fã incondicional. agora ela gosta mais de pedir que de comer.
  • descascando bananinhas: banana era uma das poucas frutas que ela não curtia. mas, provavelmente porque é a fruta que mais se come aqui em casa (por causa da praticidade), ela passou a gostar. um dia eu me toquei da autonomia dela: estávamos fazendo piquenique na varanda e eu conversava com o joca, quando vi ela segurando uma banana descascada e comendo. ué? onde ela arrumou isso? depois pegou outra, descascou direitinho, tirou o bumbunzinho da banana e comeu sem a menor cerimônia (isso já tem mais de um mês, mas só lembrei de registrar agora). agora, quando vê uma banana dando sopa – seja na fruteira ou quando chego da feira – ela vai lá e cata o que é dela por direito. *orgulho*
  • falar com a língua enrolada: aprendeu na semana passada que dá pra enrolar a língua. aí ela dobra a língua dentro da boca até encostar quase na goela e fica fazendo uns sons meio guturais. isso é tão divertido pra ela quanto pra gente, que vê.
  • sapatos: ama sapatos. os seus e os do irmão (pros nossos nem dá tanta bola). quando o armário dela está aberto, vai direto na parte onde guardamos os sapatos, ataca todos, tenta botar no pé. se até uns dois meses atrás ela não deixava a gente calçar nada, hoje pede pra botarmos e fica irritada se não consegue se calçar sozinha. claro que ela ainda tira alguns do pé, mas é fato que ela adora essa brincadeira.
  • entende certas fotos, imagens, gravuras: exemplo mais recente foi um livrinho que tinha uma foto de uma mãe beijando um neném. ela olhou pra mim e mandou beijo. depois olhou pra foto e “mencionou” beijar o bebê também.
  • aliás, adora livrinhos. gosta de passar as páginas, de olhar as figuras, de livros com texturas. ela olha e finge que lê.
  • adora escova de dentes: não necessariamente deixa a gente escovar os dentes dela com maestria, mas pede pra que escovemos com frequência. e adora ficar segurando uma escova de dente ou fio dental.
  • folgada: senta num sofá e vai toda se recostando, até parecer uma verdadeira rainha (preguiçosa) em seu trono.
  • o vocabulário tá crescendo aos poucos! confira:
    • pá – sapato
    • bó- bola
    • neném – qualquer neném
    • tau – tchau
    • náná/ ná-nnn – nariz
    • má/ mã – mãe (porque ela vê benjoca me chamar só de mãe e me chama assim tb). ela sempre me chama de uma coisa diferente.
    • papai – vocês sabem
    • dedota – também não é novidade, benjoca
    • caé – jacaré

e eu percebo que ela realmente está na fase da fofura quando vejo o tanto de foto e vídeos que fazemos dela e quando vejo que foi justamente nessa mesma fase que eu floodava nosso youtube com vídeos deliciosos do benjoca.

Related Posts with Thumbnails

categorias: constança, desenvolvimento do bb, marcos importantes, mês 12-18

assine nosso feed ou receba por email


5 Comments »

  1. Que graça, cada mês q passa mais fofa! Parabéns

    Comentário by Karen Silva — setembro 12, 2014 @ 7:23 am

  2. Luiza, flooda de novo o canal do YouTube!!!!! Please! Queria ver vc “constantemente” lá. Tipo: um dia em minha vida, A leitora quer saber, coisas engraçadas: igual da Lady Gaga que vc fez. Bjo

    Comentário by Thaís — setembro 12, 2014 @ 11:56 am

  3. Eu lia teu blog qndo tava grávida e me emocionava, hj o Gabi tem 4 meses, sou mãe e leio o blog com outros olhos, agora eu sinto na pele, me coloco no teu lugar e a emoção ao ler triplicou!
    É um amor animal que não cabe na gente!
    bjoss

    Comentário by Mah — setembro 16, 2014 @ 11:43 am

  4. L I N D A !

    Saudades de vocês.

    Comentário by Aristeu Pires — setembro 16, 2014 @ 3:46 pm

  5. Como se desenvolvem muito rápido os bebês. Linda.

    Comentário by ketina — setembro 17, 2014 @ 12:57 pm

RSS feed for comments on this post.
TrackBack URL

Leave a comment

*