18 de junho

2 anos de constança

por luíza diener

01_b

ah, sansa lee, minha menininha meiga, carinhosa, divertida!
já tem dois anos que você chegou em nossas vidas e tanto tem nos ensinado!

sou apaixonada pelo seu sorriso, pela sua alegria, pelos seus cabelos cacheados esvoaçantes, pela maneira como você consegue encontrar conforto no nosso colo, pelos seus beijinhos e abraços inusitados.
o tempo não passou voando. realmente é como se você fizesse parte da nossa história há muito, muito tempo. e assim será pra sempre: nossas vidas e caminhos sempre interligados, ainda que futuramente tomem rumos diferentes.

como não escrevi post sobre seu desenvolvimento nos últimos meses, vou contar pra todo mundo um pouco do que tem acontecido por aqui:

  • os últimos meses foram de grande adaptação para todos nós, desde que nos mudamos para a casa nova. tem apenas 2 meses e meio, mas nesse meio tempo, a vi crescer e se desenvolver, ainda que tenha retrocedido em algumas coisas:
    • medo: no começo ela ficou muito assustada com tanta novidade: o tov, que passou a latir loucamente, os gatos da vizinha miando, periquitos e outros passarinhos voando pra cá e pra lá, a escada no meio da casa, crianças novas, uma rotina diferente. ela, que já dormia a noite inteira, passou a acordar uma, duas, quatro vezes por noite cada vez que algum barulho surgia no meio do assustador silêncio que faz por aqui à noite. mas aos poucos foi se adaptando. às vezes tem suas recaídas mas, além de ter superado isso de modo geral, está muito mais segura que antes de nos mudarmos.
    • sono: ela passou a dormir a noite inteira com 1 ano e meio não por força do destino, mas por forçação de barra pra tirar o mamá da noite. confesso que – apesar de eu ter exagerado na determinação – deu certo e, em pouco tempo, ela parou de pedir pra mamar à noite e dormiu muito melhor. não apenas a dormir melhor, mas a passar o dia melhor, as sonecas do dia ficaram maiores e coisa e tal. o equilíbrio parecia finalmente ter sido atingido até nos mudarmos. ela acordou tanto, mas tanto, que mudamos o esquema: se estivesse escuro, o pai acudia. clareava o dia, passava pra mim. logo mudou e ela passou a ir pra minha cama umas 5h da manhã e dormir até umas 6h, depois umas 7h e pudemos desfrutar de algumas manhãs maravilhosas onde ela dormiu até 8h ou 9h da manhã. tão incrível que eu vi diferença no meu humor, na minha cútis e até no meu ciclo menstrual.  mas logo ela voltou a acordar à noite e chorar, chorar, chutar o pai e ficar desconsolada durante o dia. ela chateada, o marido um porre porque não dormiu à noite e eu irritada com tudo isso. até que numa noite ela acordou e eu fui lá acudir. na mesma hora ela parou de chorar, olhou pra mim, alisou meu rosto com o sorriso mais lindo do mundo na cara, disse: “mamãe! é a mamãe! oi, mamãe!”, deitou no meu ombro e se aconchegou no meu colo. meu coração se partiu em mil pedaços e decidi: fuedasse meu sono. vou acudir ela sempre que precisar. e assim tem sido. e assim eu voltei a acordar um milhão de vezes. e assim ela tem ficado grudada no meu peito até o sol raiar, meu mamilo virar uma borracha e eu acordar sempre com dor na coluna. e assim eu tenho pensado “pqp! eu preciso voltar a dormir!” e assim eu fiquei confusa sobre fazer o que ela quer versus fazer o que eu quero. e o que é a maternidade senão isso?
    • amigos: sansa em geral tem bastante medo de crianças, especialmente as que já andam, principalmente as que andam em direção a ela. vê os pequenininhos chegarem e já se pirulita, chora, pede colo. confesso que sinto uma certa dificuldade com isso. seria muito mais fácil pra mim se eu tivesse uma menina super sociável, tão animada com os outros quanto é com a gente. mas não posso, não vou e nem preciso me incomodar com isso. não acho que nessa idade esses projetinhos de criança ainda tenham que ter amigos, mas como ela é mais propensa a ter medo das coisas, tento mostrar pra ela que tudo bem, que crianças são legais. naturalmente ela tem percebido isso no nosso condomínio. se por aqui tem umas 13 ou 14 crianças, ela sabe o nome de 9 e brinca com essas natural e tranquilamente. mais que isso, tem aquelas que ela já acorda chamando, pede pra sair de casa pra encontrar, abraça e beija quando os vê. meu coração encontra uma alegria e uma paz enorme cada vez que a vejo amando essas pequenas crianças.
    • longe dos pais: coisa mais difícil é conseguir nos afastar dela. digo que cada criança tem um raio de segurança que consegue se distanciar dos pais sem olhar pra trás. o do benjamin é tipo 2 km, enquanto que o da sansa é de 2 ou 3 metros. mas tem sido cada vez mais frequente ela conseguir ir pra longe, a ponto de perder o contato visual sem se incomodar. não é sempre, está longe de ser regra – não exceção – mas só de estar acontecendo, já é mágico. ela passou quase 2 meses sem sequer pisar na grama daquele quintal todo. não consegui regar uma plantinha, recolher um cocô de cachorro, armar uma piscininha inflável ou fazer um piquenique sem que ela estivesse totalmente grudada no meu colo. do contrário, choro, lágrimas, ranger de dentes. e, enquanto eu escrevia este post, ela estava lá fora brincando com o irmão e mais dois ou três amiguinhos numa boa. no dia seguinte (porque raridade é eu escrever um post numa sentada) ela foi lá embaixo, rua afora, com o benjamin e eles ainda invadiram o quintal da vizinha, passando por debaixo do portão. não tem uma vez sequer que isso aconteça que eu não agradeça e sinta uma alegria enorme por ela e essa conquista.
      20150605_095605(1)
      (na foto, ao fundo, sansa e joca deitadinhos num colchonete, curtindo a sombra e o ventinho suave da manhã)
  • dentes: ufa! já nasceram todos! adeus fase chatíssima de incômodo! next level!
  • ama livros. não pode ver um que já vem “lê, mamãe, fofofô” (fofofô = por favor, em português). hoje de manhã mesmo ela leu um atrás do outro e ainda ficou brava quando disse que era hora de guardar.
  • ama nenéns. nenéns em foto, nenéns desenhados, nenéns de brinquedo, nenéns de verdade. se é neném, tá valendo. se é de verdade, então, ela não sossega enquanto não chegar perto e fizer um carinho.
  • desenvolvimento da fala: abrindo o coração com toda a sinceridade, eu tento tento tento não comparar, mas acho ela uma mudinha quando vejo vídeos e posts antigos do benjoca quando tinha a mesma idade ou ainda mais novo. shame on me, mamãe! mas não vejo isso com preocupação nem nada. aprendi a achar graça, porque a gente percebe que ela tá com o vocabulário todo ali, guardadinho. acontece que ela não costuma tomar nenhum passo adiante se não se sentir confiante em relação ao que faz. mas de repente, nas últimas semanas, ela decidiu que quer imitar o que a gente diz, tentar construir frases mais complexas usando “meu, mim, minha”, contar 1 ou 2 objetos (segura na mão e diz “dois” ou “duas”), identificar as coisas no seu tempo e espaço com “aqui, ali, agola” e esforçar-se para aprender as palavras conforme repetimos lentamente. às vezes dispara a conversar, explicar e muitas vezes diz coisas que entendemos no meio de um monte que ficamos totalmente perdidos. mas aos poucos tenho virado aquele tipo de mãe closed caption, com direito a tradução simultânea só pra checar se entendi direito.
  • neném não, mina! mina, mimina, minina. resolveu, pouco antes de completar 2 anos, que deveríamos referir-se a ela como menina. ela mesma ainda se confunde. vai falar alguma coisa dela e diz “é do neném”, no que corrige em seguida: “é da mina”.
  • não existe constança: pois é, ela atente como sansa ou constança, mas não se refere a ela mesma pelo nome. antes era neném, agora é mina ou o tal do mim/meu. mas já peguei ela falando o próprio nome também, como na vez que eu fui trocar a fralda dela e, enquanto buscava o lencinho no banheiro, ouvi ela dizer: a sãssa feie cocô (a sansa fez cocô). fiquei super feliz, pedi pra ela repetir o nome dela e ela disse “sãssa, sãssa” mas, percebendo o auê, começou a zuar com a nossa cara. “qual é seu nome?” no que ela repetia “loba” ou “cacá” ou simplesmente nada, só tirando onda com a gente. volta e meia ela fala o nome dela mas, quando saca que estamos prestando atenção, emudece novamente ou tira uma onda com a gente.
  • and the zuera… never ends! quando tentamos repetir pausadamente uma palavra pra que ela aprenda, muitas vezes baixa nela o espírito do hue e ela trola a gente sem a menor cerimônia.
    exemplo 1: “sansa, fala ca.. cho.. rro” “ca… cho… rro” “isso, filha! cachorro” “cocô” ou “hmm hmm” ou mesmo “tita”.
    exemplo 2: “sansa, fala pei… to.. de… pe… rú” “pei… to… mamá!!!”
  • e por falar em mamá, ela sempre escolhe o peito que quer mamar e não há quem a convença do contrário. depois ela troca pelo outro. ela sempre troca.
  • também tem adotado algumas posições não tão ortodoxas quando vem para o peito. às vezes quer mamar em pé, ajoelhada em cima de mim, atravessada e até de cabeça pra baixo.
  • uma coisa que eu não havia experimentado com joca porque, perto dos 2 anos, ele estava com o cabelo curtinho, é que essa cabeleira toda da sansa às vezes se emaranha no meu braço quando ela mama. se levanta de supetão, engarrancha e puxa. e quando ela mama nessas posições não ortodoxas, volta e meia vem parar cabelo na minha cara, nos olhos, dentro do nariz.
  • o primeiros sinais de desfralde estão claros e evidentes. pede pra tirar a fralda, pra sentar na privada, mas não faz nada. toda vez que pede, eu tiro e coloco. avisa quando quer fazer cocô e xixi, sendo o xixi um aviso tardio e o cocô um aviso prévio, mas que exige dela uma posição específica que não se encontra sentada num vaso ou penico. eu sei que, se insistir um pouco, consigo realizar um desfralde legal com ela, mas sinceramente não quero. eu vejo isso muito mais como ela criando consciência do próprio corpo que qualquer outra coisa. por exemplo: ela não aceita mais fralda de pano. pede pra tirar mesmo. já calcinha ela pede pra botar. a fralda descartável ela apenas tolera, mas se vê o irmão indo ao banheiro, pede pra tirar e imitá-lo. to com uma profunda e sincera preguiça de começar isso agora. mas conforme eu perceber que ela está realmente pronta, aí vamos nós, no mesmo estilo que foi com joca.
  • aliás, a imitação! tudo que vê outras crianças – especialmente joca – fazendo, quer fazer igual. se ele come alguma coisa, ela quer comer. se ele rejeita algum alimento, ela rejeita também. se ele tira a roupa, ela tira. se ele grita, ela grita. e por aí vai. nessas horas eu sinto um pouco de pena do benjamin, porque reprimimos ele de fazer certas coisas na frente dela, mas também tem momentos que ele faz de propósito, quase como quem brinca de mestre mandou versão espelhada. essa imitação é ótima e muito saudável pro desenvolvimento dela, mas tem horas que a gente tem que buscar sabedoria pra conseguir relevar algumas coisas e corrigir outras, tanto do lado dele quanto dela. de explicar pra ela o que não está certo, de deixar ela voar um pouco mais também, mesmo que isso tenha um certo custo (como tudo na vida).

e assim nosso dias continuam, um após o outro. e nós orando pra que os dias virem meses, os meses virem anos, os anos décadas e que nossa pequena continue sempre repleta e transbordante em amor, doçura e pureza.

feliz aniversário, mina loba!

 

sansaleeday 20150605_09560520150605_102523 hM6ht4

Related Posts with Thumbnails

categorias: 2 anos, amor, constança, desenvolvimento do bb, marcos importantes, mês 18-24, toddler

assine nosso feed ou receba por email


7 Comments »

  1. Oi Luiza, parabéns pela Sansa, ela é mesmo uma fofura amada! E ela gosta de ler, quanto amor! Vem conhecer meu blog, http://www.blogdolivrinho.com
    Bjs!

    Comentário by maria amélia — 18 de junho de 2015 @ 11:55 am

  2. Que coisa mais linda.! Feliz Aniversário Sansa.!!!! Muita, muita, muita saúde pra você, de coração :*

    Comentário by fabrinadutra — 18 de junho de 2015 @ 12:05 pm

  3. Oi Luiza, parabéns pela Sansa, ela é mesmo uma fofura amada! E ela gosta de ler, quanto amor! Vem conhecer meu blog, http://www.blogdolivrinho.com

    Comentário by maria amélia — 18 de junho de 2015 @ 12:06 pm

  4. Parabéns pelo 2 aninhos da Sansa linda que Deu continue abençoando sempre e sempre e cada vez mais!!!

    Comentário by Sabrina — 18 de junho de 2015 @ 2:42 pm

  5. Parabéns, Sansa!!!!! S2

    Comentário by Mariana — 18 de junho de 2015 @ 9:34 pm

  6. Apesar de não te conhecermos, eu e sua Bisa te desejamos tudo de bom, com esta carinha risonha, que de tão fofa, dá vontade de apertar.

    Deus te Abençoe Sempre!

    Abraços e Beijinhos, da tiavó e da Bisa Mainha.

    Comentário by Ines — 20 de junho de 2015 @ 1:31 pm

  7. Genteeee! Que linda! Quando descobri seu blog estava grávida do meu pequeno Caio,e entrava todos os dias, depois que ele nasceu as coisas ficaram um pouco corridas, principalmente depois que voltei a trabalhar, com um tempo acabei que não entrei mais, hoje quando fui indicar para uma amiga que está grávida e parei para ver algumas postagens e vi que o Ben está enoorme e vc tem outra filhota! linda sua Sansa! Bjs Lu, parabéns pela casa nova e pelos seu casal lindo!

    Comentário by Luciana Reis — 8 de julho de 2015 @ 1:12 pm

RSS feed for comments on this post.
TrackBack URL

Leave a comment