2 anos de guadalupe

 

que difícil foi começar a escrever este post! era como se, ao escrever publicamente a idade da minha caçula, eu estivesse declarando oficialmente: não há mais bebês nessa casa.

sim, claro, 2 anos ainda é muito bebê! sim, claro, todo filho sempre vai ser o bebê da sua mãe, quer tenha 2, 20 ou 200 anos. mas é que é como se eu visse uma era se encerrar aqui. este mês o blog potencial gestante completa 9 anos. 9 anos gritando aos quatro ventos o meu potencial de ser gestante. mas, agora com lupita maiorzinha, temos certeza de que não vamos planejar mais nenhum bebê (podem mandar as piadas! eu adoro! “onde têm 2, têm 3, têm 4! ahahahah).

mas confesso que estou respirando com um enorme alívio ao fim deste ciclo. logo mais ela estará desfraldada e desmamada (aguardemos os próximos meses!). e será a primeira vez em 8 anos que não estarei sob a influência de hormônios da gravidez e/ou amamentação. mas, bem! vamos à guadalupe!

ela tá numa fase muito, extremamente fofa, conversadeira, interativa e também tem suas horas que empaca, só quer fazer as coisas do jeito dela. enfim, uma peça única que a gente ama!

  • já tem todos os dentinhos! viva!!!
  • apesar de não termos começado o processo de desfralde, ela quase não faz mais cocô na fralda (pede pra tirar ou ela mesma tira, senta no penico e faz), passa boa parte do dia sem fralda e acorda com a fralda bem vazia. acho que vai ser bem tranquila essa parte.
  • dorme a noite toda e sem adormecer no peito!! (clica aqui pra ver o vídeo)
  • tá com mania de dar cambalhota e de pular de cima das coisas. a gente tem que cuidar, porque ela quer dar cambalhota no chão duro, pular de cima do sofá, essas coisas.
  • sempre amou e, pelo visto, sempre vai amar cachorros. e eu sempre vou amar isso nela! <3
  • tá super tagarela. conversa frases compridas, explica as coisas, se confunde e se corrige. um dia desses virou pra mim e falou assim: “mãe, eu to aqui, mexendo na sua gaveta” e eu: “o que você está fazendo aí, filha?” e ela: “pocurando umas moedas“. não aguento essa menina! quer dizer, aguento muito!
  • encrenca com as coisas do jeito dela, na hora dela. tipo, tem horas que ela só quer sentar pra comer na cadeira grande, não na dela. ou quer um copo de água específico. ou garfo, no lugar de colher.
  • também tem a encrenca do colo grande. ela vive pedindo colo pra mim e isso de novidade não há nada. mas agora ela chama de colo grande quando ela quer que eu a pegue em pé. não adianta ficar sentada com ela no meu colo enquanto eu faço outras coisas. acho que o colo grande é uma estratégia pra ela receber atenção exclusiva.
  • tende a escolher sua própria roupa em boa parte das vezes. como eu já tenho dois que escolhem suas próprias roupas (e isso sempre atrasa a gente na hora de sair), meio que dou uma forçada pra EU escolher a roupa dela. mas já sabem, né? se eu to com pressa e vejo que ela vai encrencar com aquela blusa ou vestido, já trato de dar outra opção, pra ela achar que tá escolhendo e eu, pra evitar a fadiga.
    (ainda vou fazer um post ou vídeo só sobre as peculiaridades dos 2 anos, porque esse assunto sempre dá muito caldo).
  • sempre quer escolher seus sapatos. e ela calça sozinha e direitinho. às vezes confunde os pés, sabe que trocou, mas não deixa a gente trocar. ela gosta de perceber sozinha e trocar sozinha.
  • gosta de contar as coisas: um, dois, cinco, nove, dez. um é só um. dois é plural: dois ou mais. “dois, cinco, nove, dez” é, tipo muita, MUITA COISA mesmo.
  • ama bonecas. a mãe feminista paga a língua com essa coisa de brinquedo de menina vs de menino. mas a verdade é que não tem nada de errado com isso. eu faço a minha parte ao oferecer de tudo, sem restringir o acesso a bolas, carrinhos, etc. mas é das bonecas que ela gosta. no mais, não é de brincar com praticamente brinquedo nenhum.
  • falando em bonecas, pode passar boa parte do tempo brincando de faz de conta. é muito bonitinho ver ela no mundinho dela, brincando, conversando, dando mamá pra boneca, cobrindo, brincando de dar banho, arrumando o cabelo. eu fico extremamente feliz de ver ela crescendo e desenvolvendo a imaginação dela e essa noção de faz de conta <3
  • e por falar em bonecas e faz de conta, adora bebês. mas adora também que eu a chame de bebê. que eu brinque de deitar ela e cantar “nana, neném” e fale que ela é o bebê da mamãe.
  • coisa mais engraçada é perguntar: qual é o seu nome? no que ela responde: alupe, galupe, ou somente lupe. tinha uma época que falava gadalupe e chegou até a falar dadalupe. gente, eu não imaginava que o nome dela poderia ficar ainda mais fofo!!
  • tá com mania de gritar. do nada ela começa a gritar e fica gritando. acho que ela gosta de experimentar a própria voz, de se ouvir. só pode.
  • seu adjetivo preferido é linda ou lindo. tudo que ela gosta ou quer, chama de lindo: cachoio lindo, carro lindo, macarrão lindo e o clássico: mamãe linda!
  • aliás, pra ela, meu nome é mamãe linda. quase nunca ela  me chama de mãe ou mamãe. só de mamãe linda. mas se perguntar qual é meu nome, ela fala: luíza.
  • é o grudinho da mamãe linda. os últimos meses foram difíceis, porque eu mal consigo ir ao banheiro sem convencê-la a não ir junto. e isso é quando ela está com o pai, não sozinha comigo! eu tenho que convencê-la o tempo todo que eu vou, mas volto. que o papai vai cuidar dela e depois a gente se encontra. quando estou só com ela, aí ela vai acoplada mesmo. às vezes chega a agarrar nas minhas duas pernas e eu tenho que ficar andando igual a um pinguim com ela grudada.
  • ela entendeu o que é bagunça. de coisa bagunçada mesmo. se ela chega na cama dela e tá cheia de travesseiro, lençol, tudo embolado, já solta um “tá muito bagunça!”.
  • quando tá no meu colo e ela quer falar comigo, mas eu to falando com outra pessoa, ela pega meu rosto e começa a falar o que deseja dentro da boca. e geralmente ela faz isso no colo grande. é o cúmulo do olha pra mim! eu morro de rir toda vez!
  • às vezes, quando quer falar uma coisa séria, brigar ou chamar nossa atenção, dá uma engrossada na voz. inclusive isso pode acontecer quando ela tá tentando falar comigo dentro da minha boca.
  • é a maluquinha da manteiga. ou melhor, malaguega. ama uma manteiguinha. quando servimos no pão, ela rói a parte da manteiga, dá o pão pra gente e, das duas, uma: diz “não quelo mais pão” porque, na verdade, a manteiga acabou; ou diz “quelo mais pão”, quando ainda tem pão. porque ela quer é mais manteiga.
  • tem essa mania de comparar as coisas, dizendo com o que elas se parecem. exemplo: vê um cachorro claro e já fala “parece a bagacinha!”.
  • interrompe sua própria fala quando percebe que o que ia dizer não procede. exemplo: vê um cachorro preto e começa a falar: “parece a bagacinh… não! não parece não!”
  • só mama um peito, o direito. de tanto escolher só mamar esse peito, a teta esquerda secou. absolutamente secou.
  • quando não gosta do gosto de alguma comida/bebida ou não quer mais comer aquilo, diz que tá podre. um dia desses tava mamando um peito. aí pediu pra mamar o outro (o seco) e, ao perceber que não tinha mais leite, soltou: “eca! tá pôdiri”
  • adora ir pra rua. se ela tá irritada, estressada, cansada mas ainda não é hora de dormir, se está muito grudada em mim e outra pessoa quer distraí-la, é só oferecer ir pra rua. “quer ir pra rua?” “quer ir lá fora?”. acho que essa técnica se estende para a maioria dos bebês grandes/crianças pequenas que eu conheço.
  • tudo parece a mãe. ela não pode ver uma foto de mulher loira, ou até mesmo um desenho (não necessariamente loira. um dia desses era uma mulher de cabelo roxo) que já fala que é a mamãe. um dia desses viu um cartaz da saga “50 tons” que tinha um homem e uma mulher se pegando e falou: “olha! o papai e a mamãe”. aham, filha, a gente anda nesse fogo todo aí mesmo. tá bom. ahahahha!
  • deu pra ter medinho de umas coisas. antes ela ouvia algo assustador, arregalava os olhos, junto com uma expressão de oh! com ahn! (afirmativo, não em forma de pergunta) e gritava “tô com medooo!”, numa vozinha meio aguda, meio arrastada. as coisas que agora mais assustam ela são: barulho de moto, palhaço (seguido de um pedido de “colo, mamãe linda!”) e agora, de cachorro latindo ao longe (de perto ela não se importa).
  • quando ouve o cachorro latir, já manda um shh! e, quando ele não para, ela reclama que tá com medo.

 

DICIONÁRIO DE PALAVRAS TORTAS QUE A GENTE AMA (e sempre repete)

  • labaxo – lá embaixo. ou lá em cima.
  • ca-shoyo – cachorro
  • lotinho – filhotinho. na verdade já tem pelo menos um mês que ela não chama mais assim (agora é fotinho), mas pegou aqui em casa e a gente só chama cashoyo de lotinho. hahahaha
  • carudo – canudo.
  • bagacinha linda – o jeito que ela chama a bagaça quando quer cuidar/brincar com ela.
  • malaguega – manteiga.
  • lapá – limpar
  • panquexo – pão de queijo

 

Related Posts with Thumbnails

3 comments

  1. Lupita é luz, raio, estrela e luar… Adoro essa menina! Conheci o blog quando eu fiquei grávida e ela ainda estava na barriga da mamãe linda… Agora já estou com meu moleque correndo por aí (1a8m) e não me canso de acompanhá-los. Vida longa à Guadalupe! Bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *