04 de outubro

3 filhos e mal sobra mãe pra contar história

por luíza diener

mulher desmaiada na bagunça de casa

sete meses se passaram desde o nascimento de guadalupe e eu sinceramente não sei como estou aqui pra contar história pra vocês. mas vou tentar.

os últimos meses têm sido de loucura completa. por um lado, estou aqui com uma bebezinha curiosíssima sobre o mundo, começando introdução alimentar, naquela fase que ainda não engatinha mas parece que não cabe mais no nosso colo (e não aceita ser deixada em qualquer lugar enquanto isso. tem que ser no colo).

constança tá uma fofura. sempre se virou muito bem sozinha ou na companhia do irmão, mas ultimamente tem demandado mais atenção, atividades mais elaboradas, ainda pede ajuda para ir ao banheiro (especificamente depois que vai ao banheiro, se é que me entendem), começou o desfralde noturno esta semana (deus nos ajude!) e está naquela maravilhosa fase dos por quês. por consequência, não aceita um simples não como resposta e também se chateia e deixa bem clara sua chateação quando fazemos com ela algo que ela não gosta (especialmente dar bronca): “eu não gosto disso!”, “não gostei que você falou assim comigo!”, “isso é chato”, “não quero”, “não faço”, “não vou”. claro, quando ela está de bom humor. quando não, é só chororô, imitando bebê, pedindo colo.

benjamin tem nos surpreendido muito. ele sempre foi muito intenso, de personalidade muito forte e decidida. além de nunca ter aceitado um simples não como resposta, ele sempre veio acompanhado de reações fortes e muitas vezes explosivas e até violentas, como gritar, jogar/quebrar as coisas, bater nos outros, bater porta. mas, de uns tempos para cá, temos conseguido conversar mais. não que não conversássemos (faço isso desde que ele é bebê), mas as explicações ultimamente parecem ter feito sentido pra ele e ele tem compreendido mais, respeitado mais, obedecido mais.
e ainda tem a escola. muitas atividades dentro e fora dela, deveres, coisas para preparar e levar em dias específicos.

tudo isso pareceria muito simples pra mim se eu precisasse fazer pra um filho só. mas, quando juntam três crianças com personalidades tão diferentes, necessidades diferentes em momentos de vida tão diferentes, tendo uma mãe só (e um pai, na metade do tempo), eu acho que vou pirar.

e olha que nem entrei em muitos detalhes sobre a casa! resumindo, não temos empregada (às vezes uma faxineira vem uma vez por mês, mas nenhuma anima de voltar, não sei por quê) e fazemos apenas o básico para sobreviver: lavar louça (às vezes dá bicho na louça), lavar o básico da roupa (às vezes hilan vai de pijama pro trabalho, ou benjamin vai sem uniforme pra escola), jogar o lixo fora (uma vez por semana. aqui não passa lixeiro perto de casa e tem que ser levado pela gente – pelo hilan – de carro pra fora do condomínio), limpar o banheiro (geralmente à noite limpo os banheiros superficialmente: uma buchinha com cloro nos vasos, na pia e, às vezes, no chuveiro). e fim.
de resto, tem coisa jogada pela casa inteira para todos os lados. a gente anda parecendo que está num campo de batalha, às vezes com algumas minas explosivas no caminho (são os legos).
a gente veste roupa repetida e usa a mesma toalha/lençol por praticamente um mês.
a gente elege um copo/prato/talher pra usar ao longo do dia e não é porque tem alguém com uma doença contaminante, mas pra não precisar lavar louça o tempo inteiro.
eu trabalho madrugada adentro e, quando isso acontece, geralmente só durmo umas 3 ou 4 horas à noite (com intervalo pra amamentar, claro).
quem me acompanha no snapchat (@potencialsnap)  sabe um pouquinho (só um pouquinho mesmo) do que eu estou falando.

eu precisei abrir mão de muito mais que tempo e dinheiro pra criar três filhos. precisei também abrir mão de alguns princípios como “só vai comer alimentos orgânicos e integrais” ou “nunca vai assistir tv antes dos 3 anos”, seguido de um “depois dos 3, tv e porcarias apenas uma vez, nos finais de semana”.
ok. não vemos tv. vemos netflix. a tv está quebrada há meses. mas essa dona constança assiste a tal netflix todos os dias por pelo menos 1 hora enquanto eu dou banho na guadalupe e tento botar ela pra dormir.
mas essa coisa da alimentação ultra saudável, do princípio de brincadeiras sempre lúdicas e não violentas, de ter um lar organizado e montessoriano pra que elas aprendam em casa, ah, gente! desse conto de fadas eu já desisti tem anos! claro que eu tento um basicão pra não jogar tudo pro alto (um dia eu escrevo só sobre esse basicão, também conhecido como pacote de sobrevivência), mas com certeza essas não são mais minhas lutas diárias.
café e janta são fruta seguida de pão. almoço é marmita.

minha luta diária se resume a: chegar ao final do dia com todo mundo vivo.
sempre vai terminar o dia com alguém dormindo sem tomar banho, sem comer ou sem resolver alguma pendência importante (como contas pra pagar ou um trabalho/dever de casa pra fazer). mas até hoje ninguém morreu (tov vivendo de pão e água desde que a ração acabou semana passada e não conseguimos comprar uma nova. mas tá vivão).

mas essa é a vida que eu escolhi e longe de mim reclamar dela. quando narro o que vivemos por aqui eu penso em duas coisas: 1) mostrar pra vocês que não é fácil, não é conto de fadas, não é comercial de margarina: é a realidade;
2) mostrar pra mim mesma no futuro como era a vida nessa época. porque tenho certeza de que – por mais que eu jure que não dou conta de nada hoje – vou virar pra mim mesma e perguntar “como foi que eu consegui?”.

sei que daqui a seis meses a realidade já vai ser outra. sei que muita coisa muda depois que o bebê começa a andar (especialmente quando se tem irmãos mais velhos, que às vezes fazem muito mais companhia que a própria mãe ou pai). e mais seis ou sete meses vão se passar. e de novo. e de novo. quando eu olhar pra trás, guadalupe já terá a idade de constança, constança já terá a idade de benjamin e benjamin já terá seus 8 pra 9 anos.
e tudo vai ser diferente. os desafios e dificuldades serão outros. as fases serão novas e velhas. os desgastes serão diferentes.
eu só espero continuar com minha sanidade mental (ahahahhaha! sonha!) pra conseguir reconhecer e aproveitar tudo isso porque, por enquanto, eu vivo apenas um dia por vez.

ps: essa foto foi tirada na sala exatamente como ela estava. a única coisa que foi acrescentada fui eu, deitada porque se for pra morrer na bagunça, que seja na zorra da minha cama mesmo.

ps2: acordei às 5h da manhã e estou escrevendo este post desde as 7h, aproveitando que tinha  uma filha acordada. aproveitem!

Related Posts with Thumbnails

categorias: Tags:, , , 3 anos, 6 anos, criança, desperate housewife, erros comuns, mães extraterrestres, mês 6-9

assine nosso feed ou receba por email


29 Comments »

  1. Querida! Força! Eu amo seu blog e acompanhar sua vida! Me identifico muito! Como disse, essa fase irá passar, e virão outras, com suas belezas e caos que devem ter. Um beijo. Tamo junta

    Comentário by Sophia — 4 de outubro de 2016 @ 9:55 am

  2. Oi moça linda! Bom dia. Adorei o seu texto! Apesar de ter apenas uma bebê de 1 ano e 2 meses, sinto que minha casa e minha vida se tornarão uma bagunça incontrolável. Tenho muita vontade de ter outro bebê mas tenho certeza de que ficaria à beira de um colapso. Boa sorte nessa fase tão louca e ao mesmo tempo tão linda.

    Comentário by Cacal Bass — 4 de outubro de 2016 @ 10:09 am

  3. Menina, vc é super heroína. E eu reclamando do trabalho que meu único de 1 ano me dá.. rsrsrs aiaiaiai

    Comentário by Ana — 4 de outubro de 2016 @ 10:26 am

  4. Menina de Deus, força na peruca kkkkk. Serviço de casa é uó, e com criança nem se fala, termina uma coisa tem que voltar e fazer de novo, um ciclo vicioso!!!

    Comentário by Roseane — 4 de outubro de 2016 @ 10:37 am

  5. Maternidade real e acessível né? Sem babá, faxineira, se virando nos 30..não consigo imaginar o cansaço que sentes, vontade de te abraçar!

    Comentário by Thaisy — 4 de outubro de 2016 @ 10:39 am

  6. Você não pode deixar os meninos com a
    Família no fim de semana pra arrumar a casa um dia ??

    Comentário by Maria — 4 de outubro de 2016 @ 10:42 am

  7. conseguir até consigo, mas ainda tô cavando esse dia pra conseguir fazer a compra de mês 🙂

    Comentário by luíza diener — 4 de outubro de 2016 @ 3:00 pm

  8. Luiza, não. Se vc conseguir essa folga, aproveita pra dormir!!

    Comentário by Mari Caroni — 5 de outubro de 2016 @ 7:45 pm

  9. Pelamordedeus… tô com a Mari e não abro! Se conseguir uma folga dorme, vê seriado, vai ao cinema com o marido, ou a um restaurante que vocês possam curtir… não me arrependo nem um pouco dos finais de semana que passo sem fazer nada na casa mas curto com a família. Toda fase passa, continue 'sem stress'!
    Às vezes quando a bagunça me incomoda faço uma mini gincana com minha menina de 7 anos e boto o pai no meio: vamos ver quem consegue catar mais coisas suas espalhadas pelos cômodos da casa em menos tempo!! rsrsrs

    Comentário by Bianca — 9 de novembro de 2016 @ 4:31 pm

  10. Partilho do texto com vc, exatamente em todas as palavras, também tenho três filhos todos menores de cinco anos e estou grávida do quarto! Não temos faxineira, nem baba, nem tia, nem Vo, nem nada!!! E vamos vivendo, ou melhor sobrevivendo em meio ao caos! Mais não me arrependo de nadinha! Mais também me pergunto como consigo! Pra ser sincera, me cobro muito pra conseguir….

    Comentário by Leticia Machado — 4 de outubro de 2016 @ 11:02 am

  11. Parabéns viu, que coragem. Eu tenho duas, uma de 1 ano e outra de 3. Já é uma bagunça, imaginem 3. Força na peruca!

    Comentário by Cinthia Molina — 4 de outubro de 2016 @ 11:18 am

  12. Por isso que você é minha personalidade da internet preferida…Eu só tenho 1 filho mas trabalho fora, não tenho secretaria nem diarista e minha casa nunca está igual à maioria das blogueiras (arrumadinha, limpinha). Aqui também não tem perfeição mas tem uma mãe muito amorosa e esforçada!

    Comentário by Angelica — 4 de outubro de 2016 @ 1:16 pm

  13. Que tenso ! Voce fez parecer meu expediente de 9h fora de casa trabalhando fichinha. E é mesmo hahahaha. Se cuida hein, voce precisa estar saudável pra dar conta disso tudo.

    Comentário by Luciene Asta — 4 de outubro de 2016 @ 1:32 pm

  14. Luíza parabéns por ser essa muher incrível não a conheço pessoalmente apenas acompanho o seu blog e admiro tudo por aqui… tenho 2 filhos e as vezes já acho que vou enlouquecer, ás vezes conversando com alguma amiga mãe tbm que só tem um elas me dizem que pensam em ter mais um mas acham que não dariam conta e eu sempre digo que realmente não é um mar de rosas tem dias que as vezes tenho vontade me internar rsrsrsr, mas nada nesse mundo é mais gratificante do que ao dormirem vc olhar naquele rostinho dão pequenino perto do da gente e ver tanta inocencia tanta beleza é o que Deus nos deu pra nos mostrar o que realmente é o amor..imagino q com 3 vc deve estar numa loucura total mas sei tbm e da pra ver pelo seu post que vc ama isso mais que tudo na sua vida por isso parabéns vc é linda tem uma família linda e obrigada por compartilhar tudo isso!!

    Comentário by Karen Sabrina — 4 de outubro de 2016 @ 3:27 pm

  15. Toda vez que vc posta essas coisas sobre sua casa eu tenho vontade de pegar um avião e ir te ajudar!

    Comentário by Paula — 4 de outubro de 2016 @ 4:00 pm

  16. PODE VIR! AHAHAHA

    Comentário by luíza diener — 4 de outubro de 2016 @ 9:50 pm

  17. Toda a solidariedade de quem tb tá cortando um dobrado…só que em holandês!
    bjs

    Comentário by Ártemis — 4 de outubro de 2016 @ 5:26 pm

  18. Luiza, o seu blog é único sobre maternidade que eu acompanho, pois o é único que não faz eu me sentir uma "péssima mãe". Você é muito sincera…é "gente como a gente" rsrsrs. Bjos

    Comentário by Letícia — 4 de outubro de 2016 @ 5:56 pm

  19. Como eu amo esse blog ♡

    Comentário by fabrinadutra — 4 de outubro de 2016 @ 6:23 pm

  20. <3 <3 <3

    Comentário by luíza diener — 5 de outubro de 2016 @ 12:51 am

  21. Luiza, uma pergunta: Pode ser diferente?

    Comentário by Patricia — 5 de outubro de 2016 @ 3:52 pm

  22. desculpa. não entendi a pergunta 😛

    Comentário by luíza diener — 18 de outubro de 2016 @ 11:01 pm

  23. Parece que vc vive aqui, do meu lado e a gente é amiga há um tempão.
    Também A-M-O esse blog!

    Comentário by Carol — 6 de outubro de 2016 @ 9:10 pm

  24. não sou mãe, nem tenho a intenção de ser mais. mas é inexplicável como seu blog me cativa há anos! minha casa é como a sua, mesmo que eu só tenha dois cachorros e dois gatos (e uma doença crônica que me impede de fazer diversas coisas, enfim). cresci num ambiente bagunçado, sem pai e com uma irmã mais nova, minha mãe tendo que trabalhar e cuidar de nós, nunca tivemos empregada, diarista ou babá. e o que aprendi com isso foi que a vida é muito curta pra fazer faxina. bora aproveitar os filhos (humanos ou não), descansar quando sobra um tempinho, e gastar o tempo com o que realmente importa. ao envelhecer, ninguém vai lembrar de como o chão da cozinha era branquinho 🙂

    Comentário by Tiffany — 10 de outubro de 2016 @ 5:10 pm

  25. ounn! obrigada <3

    Comentário by luíza diener — 13 de outubro de 2016 @ 7:48 pm

  26. Hahahaha pensei que vc tinha “montado” a sala para tirar a foto….
    Ai que bom ler isso. Calma, não é assim “hahaha a Luiza tá se matando de trabalhar” longe disso, sim pq aqui em casa a rotina é uma loucuraaaa
    Tenho um menino pré adolescente, 11 anos, uma menina que fará 3 anos em dezembro e uma bebezuca de 7 meses. Então é a fase das descobertas, sabores, mundão, a outra na fase das birras e o outro a fase também de descobertas: músicas, Youtubers, etc…Diarista uma vez por mês e eu optei por trabalhar fora, portanto eu e maridao vamos nos revezando nos afazeres, na loucura do dia a dia. Mas ao mesmo tempo é uma loucura por vezes doce, deliciosa, cheia de risadas e a vontade de aproveitar todos os momentos e também a ansiedade: “imagina quando o Kk estiver com 14 anos, a Lele com 6 e a Dora com 3 quase 4….” (Apresento os respectivos apelidos de Kaike, Helena e Isadora).
    Obrigada por compartilhar conosco suas experiências.
    Beijão
    Ah, eu conheço sua adorável sobrinha Aurora e os irmãos e sua irmã também. Já te seguia aqui, sem saber que é tia da Aurora!!

    Comentário by Natalia — 22 de outubro de 2016 @ 8:43 am

  27. Hahahaha pensei que vc tinha “montado” a sala para tirar a foto….
    Ai que bom ler isso. Calma, não é assim “hahaha a Luiza tá se matando de trabalhar” longe disso, sim pq aqui em casa a rotina é uma loucuraaaa
    Tenho um menino pré adolescente, 11 anos, uma menina que fará 3 anos em dezembro e uma bebezuca de 7 meses. Então é a fase das descobertas, sabores, mundão, a outra na fase das birras e o outro a fase também de descobertas: músicas, Youtubers, etc…Diarista uma vez por mês e eu optei por trabalhar fora, portanto eu e maridao vamos nos revezando nos afazeres, na loucura do dia a dia. Mas ao mesmo tempo é uma loucura por vezes doce, deliciosa, cheia de risadas e a vontade de aproveitar todos os momentos e também a ansiedade: “imagina quando o Kk estiver com 14 anos, a Lele com 6 e a Dora com 3 quase 4….” (Apresento os respectivos apelidos de Kaike, Helena e Isadora).
    Obrigada por compartilhar conosco suas experiências.
    Beijão
    Ah, eu conheço sua adorável sobrinha Aurora e os irmãos e sua irmã também. Já te seguia aqui, sem saber que é tia da Aurora!!

    Comentário by Natalia Machado — 22 de outubro de 2016 @ 8:44 am

  28. Nossa, tem dia que minha casa tb fica de pernas pro ar! E olha que tenho um filho só!

    Comentário by Vanessa — 26 de outubro de 2016 @ 12:40 pm

  29. Estamos juntas!!!!!!!!!!
    E olha que por aqui são apenas 2 filhos e 1 labrador!!
    Força na peruca e vamos tocando,
    pois a vida real é muito melhor que o conto de fadas!!!!!!!!!!!!!!

    Comentário by Ana — 14 de dezembro de 2016 @ 1:34 pm

RSS feed for comments on this post.

Leave a comment