23 de abril

31 semanas – contagem (não) regressiva

por luíza diener

setemeses

ontem completei 31 semanas. pra quem gosta de contar em meses, são sete.
lembro que, até a gravidez do benjamin, eu considerava uma grávida de 30 semanas uma gravidona.
na verdade minha perspectiva mudou um pouco. agora passei a achar que gravidona tem 35 semanas ou mais.
mas 35 tá na beira do gol e 31 já é mais de 30.

pra variar, to me sentindo mais grávida do que o considerado.
definitivamente já entrei naquela fase entocada do terceiro trimestre, de ficar cada vez mais antissocial, cansada, preguiçosa. só querendo curtir minha caverninha.
as tais contrações de treinamento – as indolores – às vezes são tão intensas que acho que minha barriga vai virar uma rocha.
quando percebo que elas estão intensas demais e paro, descanso um pouco e bebo muita água. fiquei sabendo que desidratação pode dar mais contrações. você sabia disso? nem eu. mas depois que descobri, água virou meu santo remédio. e funciona que é uma beleza.

estrias e meu momento monange

me aconteceu uma coisa engraçada. na gravidez do benjamin passei creme no corpo inteiro, desde o momento em que descobri o positivo. durante a gestação in-tei-ra devo ter negligenciado isso apenas umas 3 vezes, se muito.
até cheguei a fazer um post sobre os cuidados com a pele durante a gravidez mas, apesar de saber toda a teoria (e já ter vivido a prática por quase 9 meses), desta vez eu fiquei com uma preguiça monstra.
de tudo o que eu sabia, só me ficou o “estrias são genéticas”. me vali do argumento de que, mesmo após 3 gestações, minha mãe não teve estrias. o mesmo válido para a minha irmã.
e se eu sobrevivi à primeira gestação quase que incólume (com exceção de uma estria filha única que me apareceu no umbigo e sumiu assim que a pança encolheu), nesta segunda não seria diferente, até porque eu já estava com a pele toda malemolente sanfonada.
não que eu tenha aberto mão completamente dos creminhos. mas se, na primeira eu usei de 8 a 9 frascos de hidratante (pasmem), nesta eu mal consegui nem acabar com o primeiro.
mas, em minha defesa, já estou no terceiro frasco de óleo (preguiça) e além disto estou usando uma pomada concentrada de manteiga de cacau que é incrível. só que uso apenas nas áreas estratégicas: peitos, barriga, bumbum e uma parte das costas.

houve um dia – não tem muito tempo – que a espertalhona aqui acordou toda quebrada e resolveu se alongar. coloquei a perna lá pra trazão e aí eu vi: da bunda para baixo, justamente no limite do aqui o creme não é mais tão crucial, lá estavam elas: acompanhadas de suas fiéis amigas celulites (claro), as terríveis e temíveis estrias! discretas, mas em quantidade suficiente para incomodar uma mulher. um monte de risquinhos na parte de trás da coxa. e o pior: branquinhos!
conta a lenda que quando as estrias são avermelhadas ou arroxeadas, há uma grande chance de que elas sumam depois. mas contra as estrias branquinhas já não há mais muito o que fazer.
não sabia se ficava triste por saber que nunca mais me sentirei assim tão linda, magrela e confiante num shortinho curto ou desfilando na beira da piscina, ou se ficava feliz por saber que eu sou uma grávida normal, como a maioria deve ser.

é isso: magrela, com celulite e estrias. e daí?
fiquei reflexiva sobre como tentamos evitar algumas coisas que são completamente normais, tentando sempre seguir um padrão de beleza inatingível para a maioria de nós, mortais.
combatemos as celulites (que são tão fofas nas bundinhas dos bebês), as estrias, as rugas, as manchas, como se fossemos a única pessoa do universo a tê-las. fazemos a nossa parte até onde podemos (e nem estou falando que há algo de errado nisso), mas sabemos que esse dia vai chegar para a maioria.
e um que chega para todas as que estão vivas é a idade.
então acho que o melhor a fazer é aceitar que essas marcas são como pequenas lembranças da vida.
assim como meu peito mudou muito depois de amamentar o benjamin, meu umbigo ficou irreconhecível após a primeira gestação e onde encontrava-se um piercing virou uma coisa meio disforme, agora estou repleta de celulites (que dizem que passa um pouco) e as marquinhas de faquinha na perna, das estrias.
claro que desde esse dia eu to passando creme que nem uma louca pra evitar que apareçam mais. mas também não vou entrar em depressão e me jogar num pote de sorvete por causa disso.
(talvez eu até me jogue num pote de sorvete, mas farei isso com muita alegria.)

movimentos do bebê na barriga

em todas as consultas minha barriga é lá toda apalpada, medida e não há dúvidas: o bebê já está de ponta cabeça, na posição ideal pra um parto normal.
óbvio que ele se mexe pra cá e pra lá. um dia desses eu tive certeza que ele largou a posição ideal, se atravessou todo na minha barriga e assim ficou por quase 2 dias. mas depois voltou à posição anterior.
eu acho é que esse bebê é muito do esperto. sabe criança que tem uma opinião x, mas aprendeu a dar a resposta “certa” pra professora só para agradá-la? então, essa é a minha criança durante as consultas e ecografias.

mexe, mexe muito. de noite e de dia. sinto demais, mas à noite é o horário de pico, geralmente entre 23h e 00h30. um relógio, gente.

os tais soluços

sempre lia em sites, fóruns e blogs sobre os soluços do bebê na barriga. ouvia amigas dizendo “o fulaninho tá soluçando aqui dentro” e até escutei de uma recentemente que ela ouvia bem longe o barulho da filha soluçando lá dentro (oi?).
até já tive essas impressões nas minhas gravidezes (exceto a do som), mas nunca a certeza.
esta semana eu tive, mais que absoluta. os movimentos eram compassados. um pulo generalizado na barriga, não aquela coisa localizada de um chute ou um empurrão com a mão. e mais: sentia meu ânus uma coisa lá embaixo pulsando. pus a mão na barriga, na parte que provavelmente está o tronco do bebezinho e percebi os soluços nitidamente. ô, gente! eu sei que isso não faz mal para eles, mas me deu uma dó!
e daí em diante tive certeza de que já havia sentido não apenas este bebê, mas o benjamin soluçar. só não havia me dado conta.

o nome que ninguém sabe

a primeira pergunta que ouço quando me veem com esse barrigão é: “já sabe se é menino ou menina?” e a segunda – quando descobrem que não – é: “mas você pensou em nomes?”.
claro que pensei. pensei em vários nomes. pensei em nomes lindos e adequados, pensei em nomes absurdos e impróprios. falta de pensar não foi.
mas não me decidi por nenhum. nem eu e muito menos o marido.
não é aquela coisa “ah, a gente não sabe o sexo do bebê, mas se for menino será alfredo e se for menina, joaquina”.
e a cada dia que passa, acho os nomes da lista mais vagos e distantes do bebê que imagino que terei.
também não chega a ser aquela coisa “vou esperar pra ver a carinha e pensar que nome corresponde ao bebê”, porque seguindo essa lógica, chamar-se-á joelho, cabeça de cone, hemorroida e por aí vai.

planos para o parto

normal. humanizado. respeitoso para a mãe e para o bebê.
toda aquela coisa linda e natureba sem cortes, sem intervenções, sem agulhas, sem glúten e sem lactose.
bebê no colo da mãe ao nascer, a família toda junta, linda e feliz. se achar que devo gritar, vou gritar. se achar que preciso ficar calada, assim ficarei.
não tem posição ideal, não tem lugar ideal. mas vai nascer e vai ser da forma mais natural possível.
tomei uma bronca de uma amiga quando disse “vou tentar parto normal”. porque se precisar de cesárea, não quero me frustrar por isso. a bronca nada tem a ver com as vias de parto em si, mas com o “se você quer alguma coisa, tem que já dizer que vai consegui-la”. e é isso mesmo: vou ter parto natural!

enxoval

tá muito completo. tem roupa do irmão, do primo, do outro primo, da prima que nasceu há 6 anos (e já emprestou pra esses outros três citados anteriormente). tem uns 10 a 15 bodies tamanho RN ou P, 2 tamanho M e uns 8 do G que foi espichando com o uso até exceder o GG e o irmão mais velho só deixou de usar porque desfraldou e body ficava difícil pra menino de cueca.
tem roupa azul, mas tem muita roupa branca. tem cinza, marrom, vermelho, marinho. confesso que não tem muito amarelinho e verdinho porque acho tão óbvio pra enxoval neutro que acabei pegando um pouco de abuso.

mas ainda tenho alguns pequenos impulsos de comprar uma ou outra coisinha nova, acompanhados de pequenos mimos de amigas, avó e até ajuda de sites parceiros que quiseram colaborar com a desesculhambação do nosso baby, pra ficar bem bonitinho.

decoração do quartinho

ahahahahha! que decoração?

cadê minha vagina? – uma mata se instala

ela sumiu do meu campo de visão. só com espelhinho. às vezes até no espelho do banheiro ela se perde, por causa do ângulo do espelho. em casa eu ainda me arrisco a fazer depilação nas pernas, sobarco, bigodão. mas a vagi ficou de fora.
um dia pedi ajuda ao hilan para aparar uns pelinhos lá embaixo. ele tomou um susto. pedi um espelhinho pequeno pra ver. gente! mata atlântica é apelido, porque a original anda tão desmatada que a minha ficaria com inveja.
acho que o jeito é apelar para uma profissional. uma bem recomendada, mas que não me conheça. e depois eu nunca mais volto lá, porque a vergonha não me permitirá.

colchão: amigo ou inimigo?

quando o benjamin nasceu, ganhamos um colchão bem firme. achei a coisa mais deliciosa do mundo, apesar de todos os meus ossos pontiagudos.
mas com a gravidez evoluindo, minhas posições se restringiram a lado esquerdo e direito. esquece barriga pra cima, que me dá falta de ar. bruços, então, nem pensar. e com o enorme cansaço típico desta gestação, eu deito e apago. só lembro de mudar de posição ao acordar para fazer xixi. se acordar.
isso começou a me deixar extremamente dolorida. parecia que eu tinha tomado uma surra. até roxos comecei a apresentar, por ficar tanto tempo ossudo na mesma posição.
dava 5h da manhã eu não conseguia mais dormir, tamanho o desconforto.
passei a migrar pro sofá ou pra cama do benjoca no meio da noite. se ele acordava cedo, mandava ficar com o pai e me trancafiava sozinha no quarto dele, até chegar a hora do hilan se arrumar para o trabalho.

depois de tantas semanas mal dormidas, resolvi dar um basta.
acordei surtada e fui a uma loja de colchões perto da minha casa. comprei um colchão novo pra gente. pedi o mais macio que eles tinham (que, por sinal, era o mais barato também), de preferência da mesma densidade do colchão do filhote. aproveitei e comprei logo o do bebê, que não tem cama nem berço, mas agora tem colchão.
desde então durmo maravilhosamente bem. quero morar na minha cama.
já o marido, não sei não. acorda todo cansado, entrevado, moído pelo colchão macio.

contagem não muito regressiva

se por um lado eu não vejo a hora de ter logo esse bebezinho no colo, cheirá-lo, embalá-lo noite adentro, andar com ele amarradinho perto de mim ficar livre dos desconfortos do final da gestação, por outro quero que esse momento se arraste para sempre. muito mais pelo medo de nossas vidas – mais uma vez – mudarem para sempre e pela preguiça de começar tudo de novo.
por outro, quero lavar essas roupinhas, vestir meu bebê, arrumar um nome pra essa criaturinha, trocar e lavar suas fraldinhas (sim, sinto saudade das fraldas de pano). quero voltar a sentir cheiro de bebê na casa, a ouvir aquele choro inconfundível de recém nascido de noite e de dia, a escutar aquele barulhinho de bebê mamando e sentir que aquilo nunca mais vai ter fim – por mais que sempre tenha.

no fundo eu sei que não há por que ter medo. que essa mudança será uma coisa maravilhosa. que todos nós nos adaptaremos super bem, assim como foi com o benjamin.
e que, ao olharmos pra nossa nova vida e pro nosso bebezinho, nos perguntaremos: como conseguimos viver até hoje sem ele?

Related Posts with Thumbnails

categorias: Tags:, , , , , , , , , constança, desenvolvimento da gravidez, estou grávida, eu gestante, para gestantes, saúde e esportes

assine nosso feed ou receba por email


37 Comments »

  1. Cada vez que eu leio um texto assim me dá vontade de ter um bebê agora e ao mesmo tempo de comprar um estoque de anticoncepcional pra vida. Deve ser uma sensação indescritível.

    Comentário by Mariana Moura — abril 23, 2013 @ 10:56 am

  2. Eu estou de 27 semanas e também nao sei se quero ter o meu bebe pertinho ou se quero que ele fique na barriga por mais um tempo mais acho que é por medo afinal nunca passei por isso antes. Já decidi o nome assim que soube o sexo, mais bem legal isso de nao saber e só decidir quando o nenem nascer, da mais tempo de pensar e fazer mudanças. Engraçado a questão das estrias, porque mesmo sabendo que isso é normal na gestação isso me encomoda muito. Mais enfim, faz parte não é? Faltam poucas semanas para "NÓS" e o tempo passa voando realmente, foi ontem que descobri que estava gravida, rs. E o benjoca o que diz sobre o assunto? Ansioso? E o Hilan? Ainda dolorido com o colchão? Haha. Beijinhos.

    Comentário by Larissa — abril 23, 2013 @ 11:02 am

  3. Ai Luiza, sua naturalidade de encarar as coisas é tão reconfortante e linda. Agora fico leve com as minhas estrias aqui já que "Até a diva da Luisa tem", ahuahauhauhauhaua. Um beijo, sua linda!

    Comentário by anapaularodriguesmartins — abril 23, 2013 @ 11:57 am

  4. Estou de 29 semanas da Violeta, minha segunda filha (Alice tem 4). A barriga está gigante e ando me irritando com as pessoas comentando sobre o tamanho, se é um baby só…enfim essa conversa fiada que não leva a lugar nenhum, principalmente para uma gravida cansada e cheia de hormonios do mal humor!
    Minha primeira filha foi cesaria, pois ALice sentou com 36 semanas, e foi como sua amiga disse uma decepção só com muito chororo. Agora rezo pra essa menina se acomodar corretamente e eu poder assim vivenciar um parto normal.
    A angustia de quero e nõa quero que nasca tb estou vivendo isso. Sei que é minha ultima gestação, não vivenciarei isso novamente, e por isso quero eternizar tudo que sinto, mas ao mesmo tempo o cansaço, as dores pelvicas e a curiosidade de ver como Violeta é e de como será nossa nova vida em familia me fazem querer estar de 40 semanas agora.

    Parabéns pelo baby e pelo site que é tão delicioso.

    Bjs
    Debora Salles, Violeta e Alice!!

    Comentário by Debora — abril 23, 2013 @ 12:41 pm

  5. <3<3<3

    Comentário by tataufer — abril 23, 2013 @ 12:57 pm

  6. Os nomes, ahhh os nomes, rssssss!!!! Bjsss e saudade eterna. Será que nos vemos antes do baby nascer?

    Comentário by tathy — abril 23, 2013 @ 1:27 pm

  7. Estou me divertindo muito com seus postes kkk bem parecido comigo estou com 14 semaninhas e a beira da loucura kkkkk, beijos.

    Comentário by Claudia — abril 23, 2013 @ 1:49 pm

  8. quando tiver o contato da depiladora me avisa, hein? rsrsrs

    Comentário by Thais — abril 23, 2013 @ 3:02 pm

  9. pode deixar. mas não fala que fui eu que indiquei não. ahahahhaha

    Comentário by luíza diener — abril 23, 2013 @ 10:59 pm

  10. O seu blog é genial,transmite exatamente o que as mamães sentem durante nove meses.Já passei por isso duas vezes e vou para uma terceira rsss,tenho duas filhas,10 e 6 anos ( Ana Júlia e Maria Eduarda).Depois de duas cesárias quero tentar um parto normal,parece loucura mas sinto que preciso passar por isso.quanto a escolha do nome vou deixar para quando o bebê nascer.

    Parabéns pelo blog,pelo filho lindo e muita luz no seu parto.

    Elisangela Salati

    Comentário by Elisangela Salati — abril 23, 2013 @ 4:25 pm

  11. super apoiada na tentativa do parto normal. não acho loucura não. acho uma decisão muito bonita da sua parte, especialmente porque é um desejo seu viver essa experiência.
    te desejo muita sorte e que você encontre um profissional competente e querido para te acompanhar nessa empreitada.

    beijão

    Comentário by luíza diener — abril 23, 2013 @ 10:59 pm

  12. Sou leitora assídua do teu site e estou com 14 semanas. Sempre aprendo, me emociono ou dou risada com seus textos. Parabéns pela naturalidade ! Vc não sabe mas, é uma grande amiga e confidente minha, rs. Um bjo grande no Benjoca e um grande e fraterno abraço em vc! Ana Paula

    Comentário by Ana Paula — abril 23, 2013 @ 4:59 pm

  13. eita! confidente. ehehehe! gostei

    bjo

    Comentário by luíza diener — abril 23, 2013 @ 10:57 pm

  14. está valendo a pena ver de novo Luíza, parece que foi ontem que vi teu vídeo da Lady Gaga com o barrigão do Benjamin 🙂 e o que é o Benjoca meditando , todo concentradão no seu papel de irmão mais velho? Estão lindos 🙂 beijos

    Comentário by bia — abril 23, 2013 @ 6:30 pm

  15. ahahhaha! lady gaga!

    Comentário by luíza diener — abril 23, 2013 @ 10:56 pm

  16. Sua barriga é muito compacta! parece uma bolinha localizada! hehehe
    a minha parecia maior que eu!

    E aquela história de que o segundo bebê nasce mais rápido? Será que é verdade? Será que é em tempo de gestação ou tempo de trabalho de parto? rs

    Você reclama de ser magrela, mas ama sua magrelice! rs

    E as estrias, as minhas apareceram logo que o Linus nasceu! Vai entender… todas na bunda! hahaha
    O que eu sabia das estrias é que elas começam vermelhas e cicatrizam brancas… das mudanças físicas pós maternidade o que me incomoda são os mega mamilos nunca discretos, mesmo com sutiã de bojo, mano, não sei se é só comigo… mas num é discreto não hahaha

    Eu fui ficar em camera lenta uns 5 dias antes do Linus nascer, mas o pânico de ter tudo limpo e nas gavetas foi bem antes, com 7 meses! E imagina, com 7 meses Linus não tinha uma roupinha sequer! Ainda bem que nasceu de 37 semanas!

    E é isso aí, vc vai ter um parto natural!

    Comentário by carolina — abril 23, 2013 @ 7:53 pm

  17. ahahahaha! morrendo de rir do seu comentário.

    sim! os mamilos não são nada discretos, é verdade. pensei em assumir isso como uma "beleza" também, mas acho que muito homem vê beleza demais nisso. ahahah. mas como nunca vi sutiã de amamentação com bojo (nunca parei de usá-los), vai na beleza mesmo.

    magrelas de estrias. viva!

    Comentário by luíza diener — abril 23, 2013 @ 10:56 pm

  18. Sim, você terá um parto natural e lindo! Poder da palavra. Acredite!
    Sobre as tais marcas a Gisele tem um artigo lindo falando sobre elas. Marcas que a maternidade deixam em nossa vida segue o link
    http://vilamamifera.com/mulheresempoderadas/qual-

    Beijos

    Comentário by Noemi — abril 23, 2013 @ 10:00 pm

  19. lindo texto, noemi! obrigada por compartilhar.
    inspirada, escrevi o meu próprio resumo:

    beijos

    VOCÊ É LINDA! seu corpo é lindo!
    as estrias, celulites e marcas que seu corpo apresenta são carregadas de uma história só sua.
    VAMOS PARAR COM ESSA BESTEIRA DE BUSCAR A PERFEIÇÃO DO CORPO, de querer emagrecer logo após o parto.
    que possamos nos aceitar por sermos quem somos.

    VOCÊ É MÃE. não há nada mais belo que gerar uma vida, trazê-la ao mundo e apresentá-lo aos seus filhos.
    VOCÊ ACHA QUE SEU BEBÊ LIGA se seu peito mudou após a amamentação? acha que ele vai te amar menos se você for magra ou gorda?

    a vida é carregada de marcas. algumas externas, outras internas.
    que possamos aprender a ler a história que nosso corpo conta.
    que aprendamos a ver a beleza disso tudo.

    Comentário by luíza diener — abril 23, 2013 @ 10:51 pm

  20. Estou com o mesmo tempo de gravidez que vc,a diferença é q essa é minha primeira. E queria te pedir pra explicar melhor sobre as contrações sem dor,pois minha barriga anda mto dura tbm e nenhum site q acompanho explica bem isso e soube só agora que elas existiam.ahhh e adorei o texto me identifiquei com a marioria das situações q vc está passando, e é um alivio saber q são iguais as minhas 🙂 e eu tbm VOU ter parto natural

    Comentário by Renata Paschoalini — abril 24, 2013 @ 8:48 am

  21. Procura por "Contrações de Braxton Hicks" na internet.
    Nesse link explica algumas coisas: http://brasil.babycenter.com/a700415/contra%C3%A7

    Comentário by Juliana Matos — abril 25, 2013 @ 1:01 am

  22. Sem glúten e sem lactose foi a melhor parte! Rsrsrs.
    Apoiada!

    Comentário by Adriana — abril 24, 2013 @ 1:28 pm

  23. Luisa, leio o seu blog desde antes de vc engravidar do Benja. Acho a família de vcs muito linda.
    Eu sei, eu sei, pq eu não me manifestei antes, e tudo mais… Bem, eu tinha vergonha. :p
    É bobo, mas por alguns anos eu vim acompanhando a sua vida sem falar nada. Vi vc engravidar do Benja, vi ele nascer, crescer como um macaquinho.
    Até que… eu vejo que vc fez um "sidecut"! hahaha
    Mais bobo do que o motivo por eu nunca ter me manifestado é o motivo pra eu me manifestar agora. XD

    Ficou muito legal!
    Eu tb tinha feito, só que fiz dias antes de engravidar. E até hoje, minha filha já com 7 meses, não tive coragem de raspar de novo. Acho que as pessoas vão me achar mais esquisita do que já acham. Já me acham estranha por ter feito um parto domiciliar, com a cabeça raspada então… :~

    Beijos na barriga, na barriguda, no macaquinho e no maridão!

    Comentário by Juliana Matos — abril 25, 2013 @ 12:58 am

  24. Luízaaaa, acompanho seu blog tem muito tempo e comentei pouquíssimas vezes por pura falta de vergonha na cara. Amo isso daqui. Esses tempos fiquei sem muito tempo pra internet, fiquei ocupada e acabei deixando de acompanhar o Potencial Gestante (mas acabei de "tirar o atraso" e já li tudo que aconteceu desde o "Obrigado, galinha"). Então… antes de vir aqui, tava como quem não quer nada, vendo Salve Jorge e do nada pensei comigo "SERÁ QUE LUÍZA JÁ PARIU?". Menina, corri pra cá pra ver. Lembrei o porquê que eu gosto tanto daqui, dei gargalhadas com seu texto. Sou sua fã! Um beijo pro Benjoca e "uma boa hora" pra você (super brega falar "boa hora", mas eu acho brega e lindo dizer isso, acabei de realizar meu sonho de dizer isso pra uma grávida, hahaha). Um beijo!

    ps.: adorei o sidecut!

    Comentário by Brenda Rodrigues — maio 3, 2013 @ 12:29 am

  25. nossa! adorei seu blog mas tambem o jeito de se expressar com as palavras passa sinceridade e muito otimista! me identifiquei muito contigo… bjs

    Comentário by debora — maio 15, 2013 @ 12:27 pm

  26. Luíza, amei o seu blog e seus comentários!!! É tão bom se identificar!! Sou parecida com você, tenho tendência a encarar as coisas com bastante humor e achar o ó das perguntas e comentários óbvios e cheios de preconceito! Muito legal!! Seu blog contribui para divulgar uma "mulher de verdade" e uma vida mais natural e verdadeira!!! Parabéns! Ah, estou de 13 semaninhas!!!

    Comentário by Melissa — maio 29, 2013 @ 11:45 am

  27. Menina tambem to gravida de 31 semanas, quase nao tenho barriga, mas por favor, nao deixe sua piriquita ficar black..rs" é bom depilar de tres em tres dias..pois vc nunca sabe quando vai ter uma emergencia e tal..ou ate no sexo mesmo, égostoso deixar ele beijar uma piriquitinha sem pelinhus.. Não sei vc, mas eu ja era fanatica em sexo, depois da gestação aumentou..Fica com essa dica linda, deixe a bixinha respirar..rs!

    Comentário by bruna — outubro 10, 2013 @ 1:29 pm

  28. Adorei ri muito me emocionei e lindo e engraçado a maneira como vc ve e sente esse mundo louco da gestaçao estou gravida de 18 semanas ainda nao sei o sexo do bebe acho q e uma menina!!!!

    Comentário by Franciele — fevereiro 13, 2014 @ 10:57 am

  29. AMEI A MATÉRIA..SE IDENTIFICOU TANTO COMIGO!!!
    TÔ VIVENDO MINHA SEGUNDA GESTAÇÃO E ESSA MISTURA DE EMOÇÕES ME INVADEM O TEMPO TODO E É BOM SABER QUE NÃO SOU A ÚNICA A TANTAS INCERTEZAS E EMOÇÕES A FLOR DA PELE TEMPO TODO…

    Comentário by NISE DO NASCIMENTO — março 26, 2014 @ 11:40 am

  30. Fascinante a matéria. Estou com 31 semanas e é exatamente assim que me sinto… abraços

    Comentário by Rzilda — agosto 27, 2014 @ 3:33 pm

  31. Oi querida…
    Adoro ler teu blog, na verdade me identifico bastante. Tenho 27 anos e to com quase 31 semanas ou seja 7 lindos meses…
    É minha primeira filha, se chamará Sarah…
    Gosto da forma como vc trata a realidade de ser mãe, uma forma bem divertida e realista!
    Bjos e continue… Bjos

    Comentário by Francie Lee — outubro 23, 2014 @ 4:14 pm

  32. Muito boa essa materia!
    Estou gravida de 3 meses e ja tenho estrias na barriga da minha outra gravidez.
    sera que vou ter mais estrias ainda? poderia me indicar um creme porfavor?

    Comentário by estrias vermelhas — fevereiro 8, 2015 @ 1:11 pm

  33. Estou de 32 semanas e me sinto exatamente assim se eu pudesse e fosse saudável pra ele que nascesse agora mais ao mesmo tempo tenho medo da hora que ele vier não dar conta afinal essa é minha primeira gestação então fico confusa demais … Mais apesar desse medo eu posso afirma que sou a mulher mais feliz do mundo .
    . Elyh.ps

    Comentário by elyh.ps — março 30, 2015 @ 5:46 pm

  34. Que lindo Post! Cada mãe reage de uma forma, mas todas são meio parecidas. Minha diferença está apenas na escolha do nome "foi a 1º decisão" e na arrumação do enxoval, quarto etc…. Primeira gravidez fiquei assustada e corri para loja e comprei tudo.

    Comentário by Andréa — abril 8, 2015 @ 6:31 pm

  35. Fiz xixi de tanto rir! Estou com 31 semanas e eh isso msm!

    Comentário by gbpgv — julho 7, 2015 @ 10:28 pm

  36. Muito bom seu post, ri demais com algumas situações pois estou vivendo exatamente o mesmo …. com 30 semanas e 4 dias … Raul mexe demais eu não sei como ele não cansa rsrsrs que energia !!! Felicidades pra vcs

    Comentário by Samara — agosto 25, 2015 @ 10:46 am

  37. Adorei seu texto! bem verdadeiro! ri muito no cade minha vagina!!? me identifiquei com quase tudo menos o enxoval está pronto 🙂

    Comentário by Leila Everton Otomura — setembro 16, 2015 @ 3:46 pm

RSS feed for comments on this post.
TrackBack URL

Leave a comment

*