30 de maio

a razão dos nomes dos meus filhos

por luíza diener

3filhotes

com frequência alguém me pergunta a razão dos nomes dos meus filhos.
benjamin,
constança,
guadalupe.
especialmente depois que lupita nasceu, esse questionamento tem se intensificado da parte dos curiosos.
e desde então tenho enchido a boca com orgulho pra contar.
já escrevi detalhadamente sobre a escolha do nome de benjamin, de constança, e falei por alto sobre o de guadalupe no relato de parto.

pois bem, eu tenho um método bastante criterioso pra escolher nomes (como vocês bem podem constatar neste post e neste também). tão criterioso que nem eu mesma consegui atender a todas as minhas exigências. ahahahah!
mas no fim eu não abri mão de que os nomes dos meus filhos fossem marcantes, não muito comuns, que combinassem entre si, combinassem com o sobrenome, que tivessem apelidos fofos e um significado que fizesse algum sentido pra gente. tá bom, né?

benjamin se chamaria vicente se dependesse apenas de mim. aquele que vence. era o nome preferido do meu coração. imaginava vicente meio loirinho, meio castanho, olhos castanhos e cabelos lisos. benjamin era, na minha cabeça, um menino de pele branca e cabelos pretos. hilan não gostava do nome vicente. tentei convencê-lo de esperarmos nascer pra ver que cara teria. mas, no fim das contas, ele não gostava de nenhum nome da minha lista e não sugeria nenhum outro. minha ansiedade fez a gente escolher logo benjamin quando eu estava com 4 ou 5 meses de gravidez.
é um nome hebraico (amamos a língua), bíblico (faz referência à nossa crença) e significa filho da mão direita. na cultura hebraica da época, direito era considerado o lado do que era certo e bom. um significado romantizado pra benjamin hoje em dia é filho da felicidade. e é isso que ele traz pra gente todos os dias.
no fim, foi um nome que se tornou bastante popular e, em 2015, foi o 29º nome de menino mais registrado no brasil, deixando para trás nomes bastante comuns, como andré, josé, ricardo, bruno, fernando, rodrigo, antônio e até mesmo joão.
benjoca foi o único que ganhou o apelido depois de nascer. eu jurava que chamaria ele de benji, mas não colou de jeito nenhum. uma vez, só de zuera, chamamos ele de joca. continuamos chamando. misturamos benjamin com joca e virou benjoca. e agora temos esses dois apelidos que são – tantas vezes – chamados muito mais falados que seu nome próprio.
a título de curiosidade, caso fosse menina, benjamin seria olívia.

constança foi o nome mais difícil de escolher dentre os três.
a primeira vez que tive notícia de uma bebê chamada constança foi há mais de 15 anos, quando uma colega portuguesa do trabalho da minha mãe deu à luz um casal de gêmeos: constança e tomás. amei os dois nomes. sempre amei nomes portugueses (tenho um amorzinho por portugal) e até hoje vasculho um blog de nomes portugueses que adoro e acho super inspirador. fiquei meio ressabiada de colocar um nome com cedilha. por outro lado, não gosto muito do nome constância. mesmo porque não tem cedilha, mas tem acento circunflexo. pra mim, é trocar 6 por meia dúzia. ou pior, porque acho constança muito mais forte e emblemático.
enfim, ainda insegura quanto ao nome, o que me fez bater o martelo foi justamente o apelido: sansa. eu gosto muito de game of thrones. muito mesmo. estava no auge da leitura do terceiro livro durante minha gestação e pensei seriamente em dar o nome de algum personagem praquele bebê que eu ainda não sabia se era menina ou menino. mas não tive coragem de fazer isso assim, de forma tão escancarada. até porque, sei lá, nosso gosto muda, a gente se torna fã de outras coisas com o passar do tempo. mas filhos – e nomes – são pra sempre.
de qualquer maneira, o apelido sansa fez o nome constança saltar pro primeiro da minha lista automaticamente, a ponto de ganhar asterisco de predileção e coraçãozinho ao lado (era realmente uma lista escrita, num caderno onde tomei nota nas três gravidezes). mas quando ela nasceu, não tivemos coragem de bancar o nome.
apesar de querer algo fora do comum, fiquei com medo de arriscar demais. esperamos 9 dias depois dela nascer até decidirmos oficialmente pelo nome dela. e só tornamos a notícia oficial depois que ela já estava registrada. como quem diz “ah, você quer dar palpite? pois bem, o nome já está registrado em cartório. não há mais volta”.
o que te levou a bater o martelo então? bem, eu estava ali, dando mamá na minha cama, quando de repente tive toda a plena certeza de que aquele era o nome dela. não me aguentei e a chamei logo: “constança”. foi lindo e emocionante!
aí contei isso pro marido logo em seguida e ele respondeu algo como “e você ainda tinha dúvida?”. anotei o nome num papel e pedi pra ele levar ao cartório imediatamente antes que mudássemos de ideia. ahahhaha!
constança significa constante, perseverante, persistente, firme em suas convicções. quer mais ou tá bom?

guadalupe, na minha opinião, foi o nome mais apaixonante.
todos os nomes das minhas listas de menina anteriores já haviam sido descartados. tipo uns 15 nomes femininos jogados na sarjeta. e daí que hilan não curtia muito os novos que eu sugeria. ele me sugeriu dois: um que eu gostei (mas daria problemas) e outro que eu realmente torci o nariz. margô e iolanda, respectivamente.
pensamos, repensamos, quebramos a cabeça.
um belo dia, encontrei uma toalha que era da minha avó. nela estava bordado: lolita. lolita seria o nome dela, mas meu bisavô passou por cima da vontade da minha bisavó e registrou clotildes. só de birra ela disse “você pode ter registrado esse nome, mas vou chamá-la de lolita do mesmo jeito”. e assim foi.
minha avó mesmo se apresentava e gostava de ser chamada de lolita e permaneceu sendo lolita até o dia de sua morte.
daí veio toda essa história na minha mente quando encontrei sua toalhinha. mandei uma mensagem pro marido: “e lolita? o que acha?”. ele também gostava, mas havia dois problemas: 1) ser o nome de alguém da família. traz essa carga que nenhum de nós queria. e 2) o tal do romance de vladmir nabokov: uma história sobre pedofilia, incesto e estupro a partir do ponto de vista do estuprador incestuoso pedófilo, como se aquilo fosse a coisa mais linda e natural do mundo. deus.me.livre.
“e lupita?” – sugeri. na mesma hora os dois ficaram loucos, alucinados, apaixonados, achando lupita o nome mais maravilhoso do universo. mas não curtimos muito a história dele se parecer um apelido e também remeter ao meu nome de alguma forma.
existe uma mulher maravilhosa chamada lupita nyong’o que é atriz, produtora, diretora, modelo, ícone fashion, inspiração na luta contra o preconceito racial.
lupita, lobinha. sempre quis uma filha com nome de lobo. lupita, um nome de caçulinha. e se ela não for a caçula? e se vier um quarto filho (vai saber, né?)?
lupita é apelido de guadalupe. um nome tão bonito e forte quanto lupita. hilan não gostou de cara quando eu sugeri que fizéssemos desse o nome e chamássemos pelo apelido, como frequentemente fazemos com sansa.
mas eu não desisti e fui atrás do significado de guadalupe. sempre parecia uma coisa meio incerta, então cavei mais fundo e fiz quase um estudo etimológico sobre o nome (que um dia compartilho inteiro com vocês).
guadalupe é um grupo de ilhas no caribe, um rio na espanha, o nome de uma santa. mas eu nunca fui ao caribe, nem à espanha, muito menos sou católica.
o significado do nome – que vem do árabe – é um pouco incerto, mas pode ser algo como rio das pedras pretas, rio do amor ou rio dos lobos. quando li “rio dos lobos”, meu coração já bateu mais forte. que significado incrível pra um nome feminino! é forte, é imponente e ao mesmo tempo misterioso! passando bem longe da linha de nomes fofos, frágeis e indefesos, amei a possibilidade de associar a minha filha a um significado desses. adorei mais ainda quando vi que, na língua asteca nahuatl, guadalupe significa “aquela que esmaga a serpente”.
diz aí se guadalupe não é nome de mulher forte, misteriosa e que sabe se defender muito bem?
pois bem, me apaixonei por este e não quis saber de mais nenhum. minha lista ficou empacada depois disso, pois não conseguia sugerir outro nome pro marido, que não parecia muito convicto. conversei, argumentei e expliquei. ele disse que o problema não era o nome em si: era a encheção de saco dos outros. das pessoas não entenderem, fazerem piadas. que já não bastava constança, ainda tinha que ter mais uma. que a vida inteira ele teve que explicar o nome dele pras pessoas.
eu, que quase sempre preciso me identificar pelo sobrenome porque sempre existe outra luiza – ou luisa – na quebrada, sempre pensei o contrário e quis um nome que conferisse autenticidade e unicidade aos meus filhos.
e assim ficamos.
mas guadalupe nasceu e me pareceu totalmente certo dar aquele nome a ela assim que ela saiu de dentro de mim e soube que era uma menina. mas fiquei quietinha ali na minha cama enquanto amamentava minha filha que ainda permanecia conectada à sua placenta. lembro dessa cena quando veio primeiro minha irmã perguntar se ia ser guadalupe e eu dizia que tava esperando o pai querer também. depois ele veio ao quarto como quem nada quer e me perguntou “e aí? como está a guadalupe?”. meo, eu quis chorar, quis gritar, quis pular pendurada no pescoço dele. até hoje, quando lembro, me emociono. porque eu simplesmente amo esse nome desde a primeira vez que pensei nele.

* * *

“libera aí pra gente, luíza, a lista dos outros nomes descartados?”
prometo que libero num próximo post, gente. exceto por um nome de menino, que – vai que vem um quarto pãozinho e desta vez é outro menino – vai permanecer em segredo.

Related Posts with Thumbnails

categorias: Tags:, , , , , , amor, benjamin, constança, guadalupe

assine nosso feed ou receba por email


24 Comments »

  1. Amo o nome das suas crianças. E com a explicação, amei ainda mais. <3

    Comentário by TAMIRIS MARTINS — maio 30, 2016 @ 10:52 pm

  2. Também adoro os nomes dos seus filhos. Fiquei curiosa pra saber qual seria o apelido fofo de Vicente?

    Comentário by Bia — maio 30, 2016 @ 10:58 pm

  3. Então, essa história de apelidos só ficou forte mesmo DEPOIS que benjoca nasceu. mas eu pensava em chamá-lo de vic ou algo do tipo 😉

    Comentário by luíza diener — maio 30, 2016 @ 11:59 pm

  4. A princípio, torci o nariz para esses nomes, assim como boa parte dos curiosos, mas já acostumei tanto a ler seus posts que já me soam familiar e gosto deles 🙂

    Comentário by Priscila de Ponte — maio 31, 2016 @ 10:32 am

  5. Eu, que adoro nomes fortes, incomuns, diferentes e bonitos, amo os nomes dos filhos de vocês. Quando escolheram Constança eu fiquei apaixonada e esperei ansiosamente para saber o nome do terceirinho hehehe

    O meu filho se chama Rudá. Ouvimos muitas coisas contra esse nome e muita gente torceu o nariz. Mas não adianta, esse é o nome dele, sempre foi, ele é o Rudá e fim…

    Agora ficamos pensando na escolha do próximo…ai que dificil heheeh

    Comentário by Nicole Aquino — maio 31, 2016 @ 10:57 am

  6. Eu simplesmente sou apaixonada pelos nomes desses três lindos (e por eles também, claro). Eu sempre tive um critério muito parecido com o seu, Lu. Gosto de nomes pouco comuns e de apelidos fofos. Difícil é convencer o marido. Mas ele tem se acostumado e gostado cada vez mais. Eu também tinha um pouco de receio no começo, mas você me deu muita coragem e inspiração. Eu fiquei totalmente apaixonada por Constança e mais ainda pelo apelido. Deu até vontade de “roubar”, mas Sansa pra mim sempre será a sua Sansa, então não funcionaria haha Mas eu sou reeeeealmente muuuuito apaixonada desde bem pequena pelo nome da sua sobrinha, Aurora. Quase tive um troço quando vi que era o nome da sua sobrinha. Daí sim me viciei de vez no seu blog, parecia coisa de destino haha Você poderia me dizer que apelido usam com ela? Pois é a única coisa que me impede 100% de bater o martelo pra esse nome. Haha. Fico pensando em como nós chamaríamos ela. Também sou apaixonada por Felipa ou Felícia, mas todo mundo torce o nariz :c ah! E Vicente e Olívia também fazem parte da minha lista desde o começo, mas não estão no topo. Vicente era o segundo nome do meu padrinho, que foi como um segundo pai pra mim e faleceu há alguns anos. Mas acho que tem se tornado um nome um pouco comum. Só ano passado três conhecidos meus tiveram Vicentes e seus derivados (João Vicente, etc). Daí ele foi caindo na minha lista :/

    Comentário by Bianca — maio 31, 2016 @ 10:58 am

  7. Eu acho lindo todos os nomes ..amei… e parece que foram feitos pra vcs..Fiquei encantada quando soube do nome Guadalupe.

    Comentário by Karen Sabrina — maio 31, 2016 @ 2:23 pm

  8. Acho os nomes das meninas de gente velha. Acho que elas não vão gostar quando forem adolescentes e lhes perguntarem o nome. Mas gosto é gosto não é?!

    Comentário by Danielle — maio 31, 2016 @ 3:30 pm

  9. gente velha é tão legal. melhor que gente que adivinha o futuro.

    Comentário by hilan diener — junho 1, 2016 @ 9:21 am

  10. Huahiahuahhuahua

    Comentário by Daiane — junho 1, 2016 @ 3:44 pm

  11. Kkkkkkkkkkkkk…. Ótima resposta.

    Comentário by Raquel — junho 1, 2016 @ 8:43 pm

  12. booooa hilan!!!! hahahahahha

    Comentário by ligia latorre lobo — junho 2, 2016 @ 6:01 pm

  13. Queria somente comentar algo que me soa estranho, e talvez um pouco incoerente.
    Você nos explicou que é cheia de critérios para a escolha do nome dos seus filhos, contudo só os chama pelo apelido…
    Você quis colocar em seus filhos nomes marcantes e super diferentes, fortes mesmo, entretanto, só se refere a eles por apelido, e não pelo nome mesmo..
    Isso soa um pouco incoerente para mim…

    Comentário by Carol — maio 31, 2016 @ 3:46 pm

  14. É nada incoerente, mulé.
    Aqui em casa foi difícil escolher também e chamo de tudo que é apelido fofo e pouco pelo nome, mas nome é nome. Ela quis escolher bem ambos.
    Seria muito estranho ela ser criteriosa com o apelido e colocar um nome nada relacionado. Ex: O apelido é lupita, mas vou colocar o nome da vizinha para facilitar minha vida. :S

    Comentário by Raquel — junho 1, 2016 @ 8:54 pm

  15. As meninas já nascem com 80 anos rs! Mas são lindos seus filhos, parabéns!! beijos

    Comentário by Rita — maio 31, 2016 @ 6:25 pm

  16. obrigada! luiza fariello, bjs

    Comentário by hilan diener — junho 1, 2016 @ 9:20 am

  17. Oi Luiza, gosto do seu blog! Escrevi o comentário por impulso e mto rapidamente. Agora, repensando, achei a primeira frase ofensiva e desnecessária. Por isso voltei aqui para te pedir desculpas. (Ah, e justificando o uso de outro nome: é que eu tenho certo receio de me expor na internet, em qq coisa sempre mudo o nome, por segurança). bjs

    Comentário by Rita — junho 2, 2016 @ 1:27 pm

  18. Existem nomes diferentes horrorosos, mas existem nomes diferentes ou até comuns que são fortes.
    Acho lindos os nomes que você escolheu para seus filhos. São nomes fortes, cheios de personalidade. Farão deles únicos.
    Comentários sempre existirão. tem gente que nasce pra criticar os outros…

    Comentário by Monique Rabello — junho 1, 2016 @ 11:53 am

  19. São lindos demais os nomes dos seus filhos. Eu amo nomes fortes e diferentes.

    Comentário by Barriga Positiva — junho 1, 2016 @ 6:56 pm

  20. São nomes lindos. Fortes. Únicos!
    Eu também pensei muito no nome, no apelido, no significado. Embora seja um nome não tão raro, tem significado, tem apelido carinhoso e combina totalmente com nossa pequena.
    E isso que importa. O carinho com que pensamos, estudamos e escolhemos. Isso é AMOR.
    Bibi

    Comentário by Bibi — junho 2, 2016 @ 5:32 pm

  21. Eu adoro conhecer os motivos das escolhas de nomes <3 e eu adoro nomes mais antiguinhos, se eu tiver menina no futuro ela se chamará Matilde, que é nome da minha vó e eu e minha namorada amamos <3

    Comentário by Noris — junho 7, 2016 @ 10:24 pm

  22. Luíza, obrigada pela referência ao Nomes e mais Nomes, é um orgulho ser citada aqui! 🙂 Eu também adoro nomes fortes e acho que "nome de velha" é o maior dos elogios 😀 E claro, todo o nome forte tem de ter um diminutivo adorável! Parabéns pelas escolhas! Um beijinho, Filipa

    Comentário by Filipa — junho 10, 2016 @ 6:32 pm

  23. Eu acho lindos os nomes dos seus filhos 🙂 meu nome tbm é diferente e forte mas tenho apelidos fofos, Medy e Mell. Acho engraçado as pessoas acharem os nomes dos seus filhos “nomes de velhos” , como se a pessoa já nascesse velha e nunca fosse criança ahahaha

    Comentário by Medellynn — junho 29, 2016 @ 2:24 pm

  24. Olá, sou nova no blog e li bastantes post pra me atualizar!!
    Também tenho uma lista de critérios (não tão criteriosa rss) e por fim escolhemos pro nosso bebê que está a caminho, o nome Giuseppe! Gosto dele por N's motivos, dentre eles o significado, que possivelmente será muito parecido com a personalidade que ele terá (tendo em vista a mistura da mãe e do pai), combina com o sobrenome italiano (Vazon) e tem um apelido master fofo: Pépe!!!

    Parabéns pelos bebês!!! São lindos de viver!!

    Comentário by Debora Vazon — julho 12, 2016 @ 10:27 am

RSS feed for comments on this post.

Leave a comment

*