chora, mãezinha, e outros lapsos da gravidez

choramamae

to sensívi.
to sensivi demais.

fui reler um texto normal que tinha a.ca.ba.do de escrever. reli e chorei. chorei por quê? porque é muito emocionante.
ainda terminei o texto me auto elogiando: você escreve muito bem, luíza.
ué. se eu não me elogio e gosto de mim mesma, quem mais vai fazê-lo?

aí o benjamin perguntou: “papai hilan, você vai trabalhar?” e quando ele respondeu que “agora não”, o menino soltou um longo ebaaaaa! e começou a pular. os olhos meus todos cheios dágua. ai, pera, deve ter sido só um cisco.

na sequência, o tov sentou na minha frente e ficou só me olhando. olhando. olhando. com aqueles olhos esbugalhados dele que não te passam muito sentimento de dó ou piedade. com aquela cara esquisita que ele tem e os olhos cheios de remela de quem acordou há pouco. eu, o quê? me emociono, ué. olha que lindo esse cãozinho! eu tenho um cachorro! que coisa linda!

* * *

emoções à parte, semana passada estava na casa de uma amiga.
aí, claro, fui ao banheiro – meu lugar predileto em todos os lugares que visito ou frequento.
fiz lá meu xixizinho habitual e, quando me direciono à pia para lavar as mãos, uma surpresa ao me olhar no espelho: nossa! como minha blusa está espichada na barriga! como eu estou barriguda! eita! estou grávida!

gente, eu e.s.q.u.e.c.i que estava grávida. simples, ué. o que são 8 meses diante de 28 anos de existência?
primeiro eu estranhei, como quem dormiu por trocentas semanas e acordou em uma realidade de vida nova.
aí eu achei bonito e admirei aquela redondeza toda. por fim lembrei que, de fato, tem um bebê na minha barriga há um bom tempinho, já.
ufa!

* * *

a varanda aqui de casa é cercada com blindex. aquele vidrão que fecha tudo, sabe?
aí o benjamin – que anda fissurado por caminhões de lixo – queria ver um caminhão que passava lá fora.
expliquei que ele poderia ver, mas com a janela fechada, porque amanheceu frio e tava um vento muito forte na cara dele.
fechei o vidro e perguntei: “dá pra ver o caminhão assim?”
fui tentar ver o caminhão e paft! meti a testa com toda vontade no vidro que tinha a.c.a.b.a.d.o de fechar.
quem foi que colocou esse vidro aqui no meio se eu tinha acabado de olhar lá fora e ele não estava aqui?

o benjoca nem percebeu, mas o marido viu de longe e desatou a rir.
agir naturalmente, né? tem outro jeito?

* * *

dedico este post a mim mesma, que completo 38 semanas hoje.
nunca estive tão grávida na minha vida!

 

Related Posts with Thumbnails

6 comments

  1. Nossa 38 semanas? Já? Bom demais! Ebaaaaaaaaa logo conheceremos esse bebezinho lindo! Adorei o humor do texto rsrs…
    Luiza, como dizem lá interior: Desejo a você que tenha uma boa hora.

  2. Acho que esse lapso de chorar veio na gravidez e nunca foi embora. Todo dia olho pras meninas e dou um choradinha tão agradecida por ter elas aqui e por estar vivendo o que eu vivo. E por essas lágrimas a gente pode pedir mais. Sempre.

    Ah, sim, o banheiro é o meu! Ehhhhhhh!

  3. Pior q é assim mesmo… durante a minha gravidez eu me pegava pensando quando ia ficar menstruada, dai olhava para a barriga e me dava conta q ainda iria demorar. E chorar eu ainda choro, seja de emoção por ver a minha menina ou por ser 2hs da manhã e ela não querer dormir.

  4. Aqui 34 semanas, chorona desde o início e esquecida a vida toda! rsrsrsrsrsrsrsrs
    Choro porque chuta, pq não chuta, pq tenho sono, pq não tenho sono, pelos presentes,pelo berço….
    Outro dia jantei e fiquei mega sonolenta e pensei: "não posso esquecer de tomar o anticoncepcional", fui pegar e achei a vitamina… aí lembrei que estou grávida!!!
    Boa hora pra ti!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *