26 de novembro

ciclos

por luíza diener

quando o benjamin nasceu e eu lia textos sobre marcos de desenvolvimento, ficava a me questionar se as coisas aconteceriam realmente daquele jeito ou se cada bebê tinha seu ritmo.

hoje eu acredito que é um pouco de cada um, mas que há comportamentos padrões para certas idades.

por exemplo, os três primeiros meses de vida do benjamin foram de cólicas intensas.
mas foi só entrar no quarto mês que as cólicas cessaram.
aos 6 meses (como sonhei com essa data!) nasceu seu primeiro dente e daí em diante ele se desenvolveu muito rapidamente (não por causa do dente, mas creio que por causa da idade mesmo).

ele completou 9 meses. no dia seguinte teve convulsões e daí pra frente passou 3 meses doente. e foram 3 meses mesmo, com direito a febre toda semana.
dos 9 aos 12 meses ele ficou muito, mas muito chato! acho que foi a época mais difícil de lidar com ele, ganhando disparado do tempo de recém nascido.

completou 12 meses. ameaçou ter convulsões nesse exato dia (mas tudo correu bem). no dia seguinte ele começou a andar sozinho.
desde então, nunca mais adoeceu.
os meses 12 a 15 foram os mais doces e fantásticos de sua curta vida.

acontece que agora ele está com 15 meses e desde então está cada vez mais cheio de vontades.
antes ele dava um chiliquinho. agora ele se joga com força no chão e descobriu que dá pra puxar meu cabelo no auge da crise (quando o pego no colo).
eu sou muito firme e categórica ao dizer que não se bate em ninguém, muito menos nos pais dele. ele entende bem. e dá um chilique maior. se não funciona (depois dessas eu ignoro), ele desconversa, dá risada, faz charme.

confesso que estou um pouco apreensiva quanto aos próximos 3 meses, mas quando olho pra trás e vejo que certas fases passam, me inspiro e me animo novamente.

cheguem logo, 18 meses! te quiero!

Related Posts with Thumbnails

categorias: benjamin, desenvolvimento do bb

assine nosso feed ou receba por email


10 Comments »

  1. E passa!

    Comentário by Mariana Perri — novembro 26, 2011 @ 9:37 am

  2. É, tudo é fase! E to fase acaba! Pelo menos ele já entende que algumas vezes o chilique não funciona e já desconversa…

    Comentário by Malli — novembro 26, 2011 @ 10:39 am

  3. Não sei se é papo de quem não tem filhos, mas acho tão injusto dizer que essa delícia de bebê é, está ou esteve chato. hehehehe
    me parece impossível.
    mas desejo que a fase enjoadinha passe logo.
    um beijão.

    Comentário by Bia — novembro 26, 2011 @ 11:07 am

  4. Me abraça? Como eu te intendo minha fried, mas passa, tudo passa. Inclusive a parte tranquila #fezes!!!

    Comentário by Doceria da Tathy — novembro 26, 2011 @ 6:04 pm

  5. Outro dia me disseram que filho é como video game! Cada fase é mais difícil, mas também é mais bacana! Achei a definição perfeita!!! rsrsrs
    bjk
    Rê Senlle http://umavidamaisordinaria.blogspot.com

    Comentário by Renata — novembro 27, 2011 @ 4:03 pm

  6. Luiza, perfeita colocação. Eu tb costumo dizer que o tal "terrible two" tb se repete aos 3,4,5,6 e vamos aguardar os 7, que é aonde eu cheguei agora, rs! Fases, ciclos, mudanças… Eles, nós… e vamos nos adequando, não é?
    beijos
    Bianca
    PS: Gostaria de indicar os seus produtos incríveis no meu blog, posso??

    Comentário by Bianca — novembro 27, 2011 @ 5:15 pm

  7. por favor divulgue!! obrigado!!!

    Comentário by hilan diener — novembro 27, 2011 @ 8:26 pm

  8. Lú, como diz minha cunhada mãe de 3, " a pior fase é a atual" rs rs rs rs, e não é que é mesmo? rs rs, eu acho que cada fase a gente vai lidando com os desenvolvimentos e dificuldades deles em relação a vida e as coisas e temos que nos adaptar, aí quando estamos nos adaptando mudam de fase de novo… nem te conto o que te espera aos 2 anos…rs rs rs, mas acho que tudo tem sua beleza e seu perrengue, ser mãe é isso mesmo! Hoje vejo meus sobrinhos com 6, 7 anos e tudo melhora…rs rs, os chiliques acabam…. acho que essa fase chiliquenta que começa com 1 ano e pouco e vai até os 4 e pouco é a dificuldade deles em lidar com as frustrações, mesmo já tendo muita vontade própria, e como eles não são tão articulados emocionalmente, é tudo no grito e no choro…as ferramentas que eles tem nas mãos… mas vamos que vamos né Lú, aguardando a próxima fase e se deleitando com as maravilhas do desenvolvimento deles! beijo, tava com saudades de passar aqui, mas mãe de dois e com Baby pequeno em casa bloggar pra mim é muito difícil… aos poucos a vida retoma! beijoooooooooooooooooooooo

    Comentário by Fernanda — novembro 28, 2011 @ 9:32 am

  9. Lu,

    por aqui foi assim…

    até o 4º mês o Gui só dormia nas tetas, e eu ia toda delicada tirá-lo para colocá-lo no berço e buááááá… ficava sozinha com ele e foi meio que desesperador, mas fora isso tranquilo.
    do 4º ao 8º mês durante o dia só dormia nas tetas e a noite tipo… não dormia… nervoso do dente que o fez sofrer o catiço tadinho…

    quando nasceu sua primeira mentex, nossas vidas mudaram… ele passou a dormir mais…

    quando introduzi os alimentos, rolava umas sonecas sem teta uhuuuul, mas aí começaram o funga funga (nariz entupido)

    do 8º ao 14º mês semana sim semana também ficava com aquela coriza transparente de alérgico sabe…

    homeopatia nele que nem um doido! tadinho, mil vidrinhos hahahaha

    até o 15º mês que foi quando as birras sinistras começaram nunca me estressei com ele, mas mermão… o muleke fica flórida as vezes… mas eu disfarço e viro para o lado e ai ele fica boladão na pracinha… e para o escândalo.

    amanhã completará 19 meses e deu para me dar tapas quando contrariado… loiro folgado… eu seguro a mão dele e não deixo. e com a voz firme digo que não pode bater e explico o pq. Mas ele faz umas caras e bocas, como ainda não fala quase nada, resmunga umas coisas que na hora me dá uma vontade absurda de rir, mas respiro fundo e digo quem é que manda nessa porra hahahahahaaahahaahahahhahahaahha

    mas é flórida hahahaha

    beijocas

    Comentário by Rebeca Bricio — novembro 28, 2011 @ 7:03 pm

  10. I enjoy your wp style, exactly where would you down load this coming from?

    Comentário by Denisse Reddicks — dezembro 2, 2011 @ 5:30 pm

RSS feed for comments on this post.
TrackBack URL

Leave a comment