28 de fevereiro

5 coisas perigosas para um mundo arredondado

por hilan diener

quem lê o blog sabe que sou meio neurótico com quedas e machucados do pequeno e me vi sendo um pai helicópero por muitas e muitas vezes.

mas não sou um caso perdido, tanto que recentemente descobri e gostei muito da proposta de um cara chamado gever tulley, cientista da computação e fundador de uma colônia de férias nos EUA chamada tinkering school.
lá as crianças aprendem a brincar com “coisas de verdade”: recebem ferramentas, materiais e orientação para adquirirem confiança e lidar com soluções criativas para problemas reais como, por exemplo, construir seu próprio barco ou ponte.
gever critica o excesso de regras de segurança que existem para evitar que as crianças se metam em situações de risco e se machuquem.
“quando arredondamos todas as quinas e eliminamos todos os objetos afiados, ou cada pontinha do mundo, na primeira vez em que as crianças entrarem em contato com algo pontudo, elas vão se machucar.”

abaixo seguem algumas sugestões que ele dá para criar filhos mais indepentendes, seguros e conhecedores do ambiente em que vivem. vale lembrar que são válidas para crianças a partir de 8 anos:

1) brincar com fogo

a intenção não é incendiar a casa dos pais, mas perceber que o fogo é uma força da natureza sobre a qual pode-se ter algum controle. a proposta é cercar com pedras uma área que entrará em combustão, para que não aja risco do fogo se alastrar. e, antes de tudo, é bom ensinar a brincar com a mangueira, apagando “fogo imaginário”.

2) ter um canivete

canivetes estão desaparecendo da nossa cultura, o que é um coisa terrível. é um ferramenta poderosa e empoderante, onde a criança pode desenvolver habilidades motoras senso de praticidade e lógica. basta explicar a ela algumas regras: sempre cortar no sentido contrário ao do corpo e não forçar a lâmina, por exemplo. “eles vão se cortar, mas são jovens e cicatrizam rápido” – tulley argumenta.

3) arremessar uma lança

nossos cérebros são programados para arremessar coisas e, assim como músculos, se você não usa partes do seu cérebro, eles tendem a atrofiar com o tempo. ficou demonstrado que a prática do arremesso de objetos estimula os lóbulos frontal e parietal do cérebro relacionadas com a acuidade visual e percepção tridimensional. sendo assim, o arremesso é uma combinação de habilidades analíticas e físicas, ajudando as crianças a desenvolverem habilidades de atenção e concentração.

4) desmontar aparelhos

da próxima vez que tiver que se livrar de um aparelho, não jogue fora. desmonte com seu filho. é uma experiência muito valiosa para a criança tentar entender como se movem as engrenagens que fazem as máquinas que nos cercam.

5) dirigir um carro

dirigir um carro é um ato de empoderamento de uma jovem criança, e isso é o máximo!
calma, não é para deixar ela sentar só no banco, acelerar, passar marcha, fazer controle de embreagem tudo ao mesmo tempo!
ache um terreno grande e vazio, certifique-se que seja uma propriedade privada ou sem nada que possa destruir, sente-a no seu colo e deixe que ela pilote o volante.
isto é um grande passo para a criança. dá um certo controle para elas de um jeito que talvez nunca teriam e que frequentemente não têm a chance de ter.

dia desses eu e luiza vímos o filme conta comigo da foto acima, lembram?
e percebemos que o mundo era bem diferente.
não que era melhor, mas era bem menos chato, principalmente para as crianças.

não estou sendo saudosita – gosto muito da modernidade – mas não tem como negar que em poucos anos os pediatras, psicólogos e pedagogos parecem ter acumulado mais e mais conselhos, além das proibições e medidas de segurança para a criança.
não que isso seja de todo ruim, mas que existe um excesso ,existe. um mundo onde em cada plástico ou embalagem há um aviso de perigo ou cuidado. chegamos ao cúmulo de nos copos de café estar escrito: “CUIDADO! PODE ESTAR QUENTE”.

é muita privação de experiencia e um pouco de frescura pro meu gosto. eu duvido muito se um filme como conta comigo seria produzido nos dias de hoje. nele, as crianças infringem todo tipo de lei, cospem, falam palavrões, lidam com armas, pulam em um lago cheio de sanguesugas e, pasmem, até fumam!

conheça um pouco mais sobre a proposta da tinkering school no vídeo abaixo:

Related Posts with Thumbnails

categorias: educação, erros comuns, erros comuns, vídeos

assine nosso feed ou receba por email


11 Comments »

  1. "é muita privação de experiência e um pouco de frescura pro meu gosto"… taí, falou bonito! Hoje tudo é proibido, é errado, não se pode brincar, expressar opinião … Não pode por terra na boca, pois tem bactérias, não pode ajudar o pai a entregar uns panfletos de final de semana, pois criança não pode trabalhar, o professor não pode dar bronca, pois pode afetar psicologicamente a criança… e assim vai se criando pessoas frágeis e até bem inúteis pra sociedade …. O excesso de proibições e cuidados exagerados não tras equilibrio …e sim, bloqueia possíveis experiências enriquecedoras.

    PS: Lógico que não defendo entregar uma faca pra uma criança abaixo dos 7 anos rsrs… equilibrio, sempre!

    Comentário by Thais — 28 de fevereiro de 2012 @ 10:01 am

  2. benjamin comeu areia da praia… pense na quebra de paradigma! hahaha

    Comentário by HilanDiener — 28 de fevereiro de 2012 @ 6:59 pm

  3. Putz, tu já me ganhou na foto. Conta Comigo é O FILME da minha infância… River Phoenix molequinho de tudo, coisinha linda!
    Achei interessante a proposta desse cara, mas sei não… a coisa de arremessar uma lança me assustou um pouco, haha! Certeza que alguém iria parar no hospital se eu tentasse isso em casa. Mas, com alguns cuidados, acho bem bacana sim recuperar um jeito mais rústico de encarar o mundo.
    Beijo!

    Comentário by Mari BZ — 28 de fevereiro de 2012 @ 10:02 am

  4. mó triste o river phoenix ter morrido tão novinho né?

    Comentário by HilanDiener — 28 de fevereiro de 2012 @ 7:00 pm

  5. Concordo plenamente com você Hilan!
    Recebo vários comentários repreendendo quando deixo a Lara aprender por experiência própria.
    Depois que já queimou o pé na areia, e tomou choque (duas vezes), ela agora não vai onde tem sol sem sapato, além de falar "tenti", e toda vez que vê uma tomada fala "toqui" além de passar LONGE! Claro que antes eu falei, expliquei que machucaria… todos esses avisos possíveis para uma criança de 1 ano e alguns meses. Mas, ela só "aprendeu" mesmo depois que teve a experiência.
    Claro que tem seus limites… eu não vou deixá-la brincar com fogo nem com uma lança tão cedo! hehe

    Sabe que tem um livro que chama "o livro perigoso para garotos" ou algo do tipo, bem grosso, cheio de atividades e ensinamentos esquecidos… sou louca para dá-lo aos meus irmãozinhos e também, claro, à Lara! Com certeza tem coisas que deixarão a infância um tanto quanto mais interessante, divertida e aventureira! Recomendo!

    Comentário by Maria Thereza — 28 de fevereiro de 2012 @ 11:57 am

  6. tem o livro perigoso para as garotas tb! já viu!?

    Comentário by HilanDiener — 28 de fevereiro de 2012 @ 7:00 pm

  7. Já diz o velho ditado "Com grandes merdas vem grandes aprendizados". O Miguel vai ter que aprontar senão eu deserdo ele. Não conheço o filme, vou dar um jeito de assistir 🙂

    Abraços e obrigado por compartilhar esse manifesto com a gente 😀

    Comentário by Noris — 28 de fevereiro de 2012 @ 5:35 pm

  8. miguelito morando uma fazendo com certeza não vai ser desertado! né?

    Comentário by HilanDiener — 28 de fevereiro de 2012 @ 7:02 pm

  9. Caraca, Conta Comigo é fantástico! Concordo com você, Hilan. Às vezes precisamos vencer o medo e a ansiedade e deixar os pequenos enfrentarem os desafios de cada idade para serem independentes…mas que corta o coração e dá medo não resta dúvida.

    Gostei muito do post.

    Abraço

    Comentário by Casal Único — 29 de fevereiro de 2012 @ 2:57 pm

  10. obrigado! 🙂

    Comentário by HilanDiener — 29 de fevereiro de 2012 @ 3:06 pm

  11. […] solução para metade dos problemas do mundo: vamos criar um lugar completamente plano. vamos arredondar todos os cantos das coisas. vamos tornar os vidros inquebráveis, mas caso isso aconteça, que os cacos se tornem bolhas de […]

    Pingback by potencial gestante – a escada + a culpa é dos outros — 14 de junho de 2012 @ 9:28 am

RSS feed for comments on this post.
TrackBack URL

Leave a comment