04 de novembro

10 coisas que mudam na sua vida com um recém-nascido

por luíza diener

64702_10201994199203472_1872339634_n

que a vida muda quando um bebê chega, isso não é novidade pra ninguém. a gente ouve falar por alto coisas do tipo “nunca mais você vai dormir” ou “aproveita enquanto você não tem filhos, porque depois…”.
falam como se nossa vida fosse acabar pra sempre quando, de fato, ela apenas fica diferente.
a verdade é que parece que muda muito mais no começo mas, com o tempo, todo mundo se adapta e, ao tentar lembrar-se como era seu cotidiano sem os filhos, você mal consegue se recordar, porque isso já faz parte de quem você é.

  1. guiada pelo relógio solar – não é regra, mas desde que tive filhos minha vida passou a ter por base o astro rei: quando o sol nasce, o bebê acorda e lá vamos nós. na hora que ele se põe é a hora que bate o cansaço (deles e meu). um adendo: nunca fez tanto sentido evitar sol entre 10 e 16h. quem leva bebê pra tomar banho de sol sabe do que eu estou falando.
  2. vida social a mil – não sei aí, mas por aqui nascimento de bebê significa muita gente aqui em casa visitando, trazendo presente, comida, se oferecendo pra ajudar. as pessoas também falam muito mais com você na rua e uma completa desconhecida que tenha um bebê de idade semelhante ao seu bebê tem um potencial enorme para virar sua melhor amiga.
  3. o mundo é um lugar barulhento – é só comigo ou de repente parece que o mundo ficou mais barulhento? os carros passaram a buzinar mais, as pessoas conversam mais alto quando seu bebê dorme e até a tosse do vizinho ganhou proporções homéricas.
  4. silêncio absoluto – como consequência do tópico acima, você adquire a habilidade ninja do gato noturno de fazer todos os movimentos em silêncio absoluto: andar, escovar os dentes, fazer xixi, abrir e fechar a porta. qualquer barulho mínimo pode acordar o bebê e logo você aprende a fazer tudo na ponta dos pés, com a ponta dos dedos e de respiração presa.
  5. campeões de levantamento de bebê conforto – parecia lindo e inocente aquele bebê conforto quando você comprou com todo o carinho do mundo, leu o manual e treinou várias vezes como instalá-lo no carro. foi fofo a primeira vez que seu bebê saiu do hospital nele ou que você o levou pra consulta da pediatra. mas aí começa aquele coloca-e-tira do carro pra todo e qualquer passeio. se o bebê dorme, você tira tudo de novo, com medo de acordá-lo. se seu carrinho não for daqueles que acopla o bebê conforto, se você está com preguiça de montar o carrinho ou se mora em apartamento sem elevador (ou tudo isso ao mesmo tempo), então você sabe exatamente do que eu estou falando. a vantagem é que vira uma academia particular, coisa que costuma ser escassa nessa fase de vida. então o jeito é aproveitar: dá pra malhar bíceps, tríceps, trapézio, costas ou o que a sua imaginação permitir.
  6. roupas e fraldas são grandes demais – parecia minúsculo quando você comprou aquele macacãozinho ou lavou aquele body pela primeira vez, mas na prática sobra pano e falta neném. você tenta colocar o mini bracinho naquela roupa de manga comprida e vai puxando a manga, puxando, puxando, puxando… gente! cadê a mão? é pano que não acaba mais!
  7. conversar sobre cocô vira a coisa mais normal do mundo – quem aqui até ter filhos costumava conversar sobre cocô com naturalidade em rodas de amigos? “poxa, cara, tô preocupado! já tem uns três dias que minha esposa não vai ao banheiro. hoje ela fez tanta força que ficou até roxinha, mas só saiu uma bolotinha de nada” ou “nossa, fiz um cocô tão mole hoje que chega precisei tomar um banho depois, porque não tinha lencinho umedecido que desse jeito!”. mas é só ter filhos que automaticamente esse assunto entra nos top 3 dos mais conversados entre mães, pais e alguns desavisados que estiverem no meio do bate papo.
  8. você passa a dar valor aos pequenos passeios – se antes ir à padaria, mercado ou farmácia parecia um passeio enfadonho e até obrigatório, de repente isso se torna uma grande oportunidade para sair de casa, especialmente para as mães. o marido chega em casa:
    – oi amor! tudo bem? (…) ih! esqueci de pegar a correspondência com o porteiro.
    – deixa que eu vou!
    – mas eu já to pronto, vestido, de sapato. você ainda tá de camisola e…
    – DEIXA QUE EU VOU! – entrega o bebê no colo do marido e sai correndo vestindo a primeira coisa que vê pela frente só pra pisar um pouco fora de casa e respirar um ar fresco.
  9. você não dorme mais que 3 ou 4 horas seguidas – se antes dormir 8 horas de sono ininterruptas era a coisa mais normal do mundo (apesar de ter passado pelo estágio da gravidez), de repente não existe mais essa de dormir um sono “inteiro”. a boa notícia é: se você não se apegar a isso, logo se acostuma a dormir picado mesmo e descobre que dá pra dormir no meio do dia, no meio da tarde e uns pedacinhos à noite.
  10. frequentemente você é arrebatado por um sentimento de gratidão e plenitude que nunca imaginou que existia – depois de um exaustivo dia de trabalho ou cuidando do bebê, todo mundo cansado, neném chorando, você pega ele no colo, embala (ou amamenta) e… puf! ele dorme. você contempla aquele serzinho tão pequeno e tão dependente, num sono tão profundo e tão tranquilo por estar no seu colo… o que eu fiz pra merecer algo tão precioso? o que de tão maravilhoso eu fiz pra merecer algo tão perfeito, experimentar amor tão sublime?
    cuidado! nessas horas é inevitável que uma lágrima role dos seus olhos. mas tudo bem, essa é a parte mais gostosa, mais gratificante e que faz todo o resto valer a pena.

foi pensando nesses bebezucos fofos que Huggies Turma da Mônica desenvolveu uma linha especial para recém-nascidos. são todos feitos com ingredientes suaves e testados dermatologicamente para não agredir a pele sensível do bebê: lenços umedecidos macios, sem fragrância e fórmula feita com 98% à base d’água; fraldas pequeninas RN, com cobertura externa suave com toque de algodão e respirável e um sistema exclusivo de absorção para retenção do cocô líquido que minimiza vazamentos; além do sabonete em espuma que não irrita os olhos, pode ser aplicado diretamente no bebê da cabeça aos pés e vem numa prática embalagem pump e é ótimo para lavar essas criaturinhas minúsculas ou limpar aquele cocô memorável que eventualmente será assunto na roda de amigos.

conheça mais em

www.huggiesturmadamonica.com.br/linha-recem-nascido

selo matrioska

Related Posts with Thumbnails

categorias: para mães, para papais, publicidade

assine nosso feed ou receba por email


9 Comments »

  1. E o banho…. Ah o banho ; )

    Comentário by fabrinadutra — novembro 4, 2014 @ 8:50 am

  2. Ahhh… Esse sentimento de plenitude. Me sinto tão sortuda, choro mesmooo

    Comentário by Flávia — novembro 4, 2014 @ 9:06 am

  3. kkkkk super identificado!!!! Muito bom. A do passeio foi top! Luiza como sempre lendo os corações maternos.

    Comentário by Angélica Brückner — novembro 4, 2014 @ 12:21 pm

  4. Luíza como sempre arrasando nos seus posts

    Comentário by Valquíria Lucena de Francisco — novembro 4, 2014 @ 1:47 pm

  5. A parte do social é fogo, eu que sempre andei de óculos de sol e não fazia nenhuma questão de cumprimentar conhecidos, quanto mais desconhecidos me vejo tendo de ser simpática com meio mundo pois todo mundo quer saber o nome dos filos, a idade e falar, ai como ele é lindo!!!! Tenho vontade de responder, lógico que é né, olha para mim… Sqn, kkk Tem que dar um sorrisinho e ser simpática… aiai

    Comentário by Mão Consumista — novembro 4, 2014 @ 2:53 pm

  6. Bem isso mesmo! Quando estava grávida escutava tanta, mas tannnnnnta coisa que até falei pra uma amiga minha: "acho que a vida na cadeia deve ser melhor, pq pelo menos terei refeições e banho de sol".
    Serio eh cada coisa que se escuta… Afff

    Bjo em vcs

    Comentário by Grazi Fontanella — novembro 4, 2014 @ 7:16 pm

  7. Me identifiquei muito, ainda mais na parte de sair de casa, meu marido chega e pergunta se tem que ir no mercado, eu ja estou colocando a primeira roupa que vejo pra ir e sair de casa um pouco! HAHA
    Cansa, mas é tão gostoso!

    Comentário by Gabriela — novembro 4, 2014 @ 7:23 pm

  8. A matéria ficou tão engraçada e linda ao mesmo tempo que quando chegou ao final que falou da lágrima do meu ja estava escorrendo, estou grávida de 6 meses e estou morrendo de ansiedade pra ter logo em meus braços minha bonequinha.

    Comentário by Erica — novembro 5, 2014 @ 7:44 am

  9. […] post da semana passada eu falei sobre 10 coisas que mudam na sua vida com um recém nascido. de fato, parece que o primeiro mês é o mais caótico, especialmente para as mães e pais de […]

    Pingback by potencial gestante – feliz primeiros dias — fevereiro 24, 2015 @ 3:59 pm

RSS feed for comments on this post.
TrackBack URL

Leave a comment

*