11 de abril

10 coisas que não se dizem a uma mãe na hora do parto

por luíza diener

parto

perguntamos no facebook coisas que não se dizem a uma mãe na hora do parto
o resultado – com as piores melhores respostas – você encontra abaixo:

  1. “qualquer frase que comece com mãezinha
  2. “faz força de cocô” – meu filho não vai sair pelo lugar do cocô
  3. “já passaram muitas cabeças por aqui… essa vai ser só mais uma.”
  4. “acho que você nem vai conseguir…”
  5. “calma menina, é um bebê”
  6. “mãezinha, isso aí tá com cara que vai demorar 2 dias…vamos lá resolver isso em 20 minutos?”
  7. “não chora não que no ano que vem você está aqui de novo”
  8. “na hora de fazer não chorou nem chamou a mamãe. por que está chorando agora?”
  9. “se gritar, eu paro o que eu estou fazendo. não vou te atender”
  10. “se ficar gritando, vai fazer mal para o seu neném. seu neném vai nascer surdo”

conheça outros posts da série coisas que não se dizem:

e também:

Related Posts with Thumbnails

categorias: Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , coisas que não se dizem, estou grávida, para gestantes, para mães, parto, um pouco de humor

assine nosso feed ou receba por email


15 Comments »

  1. "fique calma"….
    a força de cocô é muita verdade. a força é de cocô! 🙂 essa frase me ajudou!

    Comentário by annerammi — abril 11, 2013 @ 3:25 pm

  2. né?

    Comentário by luíza diener — abril 11, 2013 @ 3:37 pm

  3. pena que não é piada… rola demais esses comentários, principalmente na rede pública. é um desrespeito e uma violência que muitas mulheres sofrem durante o parto http://www.cientistaqueviroumae.com.br/p/projeto-

    Comentário by bruna — abril 11, 2013 @ 4:13 pm

  4. Não só nas redes públicas, o desrespeito existe em todo os lugares
    outro dia assisti um documentário de 30 mulheres todas de hospitais particulares foram vitimas de desrespeito na hora do parto,olha foram redes de hospitais de nomes.

    Comentário by Eliane — setembro 27, 2013 @ 12:56 pm

  5. Sim! Tive parto normal no SUS e nao quero mais filhos. Um trauma sem fim.

    Comentário by Michele Morais — dezembro 30, 2013 @ 10:00 am

  6. Se falassem isso pra mim, mandava logo um chute na cara. Já sou estressada normalmente, imagina em trabalho de parto.

    kkkkkkkkkk

    Comentário by Mariana Moura — abril 11, 2013 @ 5:36 pm

  7. Trabalhei na Prefeitura de Curitiba como estagiaria, buscava as Declaracoes de nascido vivo nas maternidades da cidade, e levava para a minha reparticao, entao quando ia buscar , as vezes demorava ne, porque as enfermeiras estavam atendendo as pacientes, minha gente nessa minha espera eu escutava cada coisa, tudo isso que foi escrito eh a mais pura verdade, e tinha coisas ate piores, uma que nunca esqueco, eu nunca tive contato visual no centro cirurgico, apenas esperava pelos papeis, uma voz masculina: se vc me chutar de novo, eu vou te jogar la na rua pra vc ter teu filho, e a moca: mas moco esse toque doi demais…. Ainda bem que eu superei meu trauma e tive 2 partos naturais maravilhosos com equipes maravilhosas, mas infelizmente nem todas as mulheres tem essa chance que eu tive, torco que as coisas melhorem na area da saude no Brasil.

    Comentário by Bruna B — abril 11, 2013 @ 7:18 pm

  8. sempre bom lembrar que boa parte dessas aí não são piada… são é violência gratuita!!

    Comentário by Amandita Areias — abril 11, 2013 @ 8:09 pm

  9. obrigado por lembrar.

    Comentário by HilanDiener — abril 12, 2013 @ 12:58 am

  10. Me Deus, tem coisa escrita aí que eu não acreditava que existia…que horror!
    Eu graças a Deus tive um parto bem bacana, minha médica e eequipe dela me atenderam super bem, me senti segura e bem tratada!

    Comentário by Juliana — abril 12, 2013 @ 10:49 am

  11. Gente, meu segundo parto foi assim:

    Cheguei na maternidade com dilatação total, mas colo alto, e aquelas contrações finais que parecem te quebrar no meio.
    Na hora dessas contrações, que vinham de minuto em minuto, eu acocorava pois a posição deixava a dor mais suportável.
    Até que uma enfermeira mal-humorada disse: Olha acho melhor você não fazer isso não porque seu filho vai nascer aí neste chão sujo sem ninguém pra acudir! bruta hein…
    Detalhe, maternidade particular, porém eu tenho plano de saúde, o que significa ter o mesmo tratamento do SUS (que deveria ser digno e bom).

    Depois, enquanto o colo afinava e eu fazia força, sem sentir, fiz cocô. Comum em parto normal, porem 95% dos partos naquela maternidade eram cesáreas. Outra enfermeira falou: Meu Deeeus! Porque não fizeram a lavagem (intestinal) nessa daí? Ao que outra respondeu: Nao deu tempo, ela chegou tarde com dilatação completa (fazendo ares de quem me da uma bronca por não chegar na hora certa. hora certa?). Se eu não estivesse fazendo força e trancando a respiração diria: Alou gente, oi, estou aqui!

    No fim, a médica havia se ausentado da sala porque meu colo ainda estava alto e, segundo ela, o bebe demoraria a nascer… 2 minutos depois a anestesista que acompanhava o parto disse: olha, acho melhor você chamar a medica pois o bebe já está saindo…
    A médica chegou com a faquinha na mão pra fazer a episiotomia e a anestesista disse: Você nao está vendo que não precisa! Quando o bebe desce assim afinando o períneo é melhor fazer a compressa com pano quente e nao cortar. A medica respondeu: que-ri-da! eu também estudei isso. (eu pensando) Oi gente, tudo bem, é do meu períneo que estão falando?? corta nãao….

    Não levei o corte, e nenhum ponto depois. Foi bom, pois já tenho uma episio do primeiro parto.
    A última pérola do dia foi: essa é boa parideira!! (apesar da grossura e de a medica nunca ter me visto na vida para essas intimidades – pari com a plantonista, pois não tinha 2000 mirréis para pagar a disponibilidade da medica do pré-natal -, tomei como elogio!!)

    Cheguei no hospital 10h e 10h23 minha filhota nasceu! Pari praticamente sozinha, e aquele momento da maior fragilidade foi um dos mais felizes da minha vida!

    É gente, pode até parecer piegas esse papo de violência, mas não é. É como a amiga ali em cima falou, na hora do parto a "mãezinha" precisa de acolhimento e não de um tratamento escroto. A gente ri agora que passou, mas na hora dá uma raiva… Ser rude com uma mulher que está ali toda escangahada e vulnerável é um atentado contra a dignidade humana, um estupro emocional. Tem até dissertassões e movimentos contra essas violências na hora do parto… sei que vocês são super descolados e por dentro dos temas atuais acerca da maternidade e paternidade, por isso – falando como uma super fã e assídua leitora do blogue – eu adoraria ler mais posts sobre o tema!

    Abraços e tudo de bom pra essa família linda!

    Comentário by Laura — abril 19, 2013 @ 10:14 pm

  12. aquele ali do "pra que esperar? vamos resolver isso em 20 minutos…" foi dito pra mim já em TP, 41 semanas, 5 cm de dilatação, tudo ocorrendo normalmente, eu rindo e andando e brincando entre as contrações. o médico só queria usar o tempo livre dele. depois piorou. falou se eu achava que era especial, pra querer parir num lugar com 90% de cesáreas…..
    sem brincadeira!
    mandei ele dormir, passou o plantão e tive com outra médica.

    Comentário by @cdarcie — junho 10, 2013 @ 8:36 pm

  13. Gente, na boa.. tem frases aqui que eu acho que grudaria no cabelo da sujeita e dava umas porradas…srsrsrss

    Comentário by Angélica — março 21, 2014 @ 7:24 pm

  14. acho q vou levar um gravador na hora do parto

    Comentário by Patricia Rennee Davi — agosto 5, 2014 @ 11:12 pm

  15. É verdade.

    Comentário by ketina — setembro 19, 2014 @ 1:01 pm

RSS feed for comments on this post.
TrackBack URL

Leave a comment

*