17 de dezembro

como é difícil sair de casa!

por hilan diener

tumblr_msgs23MTHk1r0tvoso3_500

todas as coisas mais complicadas da paternidade/maternidade – eu disse todas! todas mesmo! – se encaixam num espaço pequeno entre sair e voltar para casa.

sério! como é difícil simplesmente sair de casa com crianças, não é mesmo?

digamos que temos um evento para ir no sábado à tarde. quando eu digo evento, logicamente estou falando de uma festinha de aniversário, né? porque onde mais os pais vão quando saem de casa?

então, se quisermos realmente chegar no horário da festinha, uma batalha começará a ser travada pelo menos com duas horas  de antecedência .

vai dando banho em todo mundo, depois secando, vestindo. “não! não quero essa camisa!” “quero ir com tal sapato!” mas onde está o tal sapato, meu deus? não esquecer das roupas, cuecas, fraldas reservas! guarda tudo numa bolsinha extra. vê se não esquece.

logicamente sempre some alguma coisa.  “cadê a carteira? e o meu óculos? tu viu aquele paninho da constança?”

não esquecer de levar umas frutas e petiscos reservas. para uma criança com alergia é ainda pior. será que esse biscoito tem leite? tem traço de leite? pega outro.

“vamos ir, papai? vamos ir? vamos? vamos?”

eu penso – sempre erramos em deixar o benjamin pronto primeiro que todo mundo – ele fica mais ansioso ainda.

demoramos tanto pra se arrumar que agora a constança quer mamar…

vou aproveitar e descer com o cachorro:
– ahhhhhh! papai, eu quero ir com você.
– fica aqui que eu vou rapidinho e já volto.
– nãooooooooo quero ir também.
– tá bom, então vamos.

aperto o botão do elevador e esqueço que devia ter deixado ele apertar antes de mim! e “buáaaaaa eu queria apertar primeiro pra chamar o elevador.”  cachorro passeia, faz coco, voltamos. constança mamou? podemos ir?

“vai chamando o elevador, esqueci a chave do carro.”

todo mundo pronto? vamos! finalmente. (logicamente já estamos atrasados.)

agora começa um novo nível de chatice que até algum tempo atrás não conhecíamos, pois não tínhamos carro: colocar crianças nas cadeirinhas de segurança é uma coisa extremamente chata e complicada.

cintos que dobram e redobram, crianças se retorcendo e chorando.

tira bebê conforto, coloca de novo, testa. não entra, tenta de novo. click. deu certo!

cadeirinha
crianças e pais felizes (sem dores nas costas) na hora de colocar a cadeirinha ????? só pode ser photoshop

abre o porta malas, desmonta carrinho. guarda. fecha, volta pro carro.

todo mundo com cinto, sentado e confortável!? sim. então vamos. liga o carro. liga o som. aquela música.

a constança começa a chorar, tá com sol na cara, deve ter feito cocô. não tem como parar o carro tem que deixar chorando e chora, chora.

o irmão reclama que tá doendo ouvido e começa a gritar também.

quer saber? vou gritar também! e todo mundo gritando dentro do carro: o pai a mãe o irmão e a irmã. parece um hospício. benjamin dá um sorriso e os ânimos acalmam.

no evento

chegando no evento a criança vai ficar com vontade de fazer xixi, então vou caçar um sanitário com a cria a tiracolo. se eu der sorte, ele não fazer nas calças.  vamos torcendo para que o banheiro esteja limpo. só shoppings possuem aqueles assentos para crianças. no geral o banheiro é sempre sujo, fedido e apertado.

se a festinha tiver palhaços, CUIDADO! eles são do mal e assustam crianças e pais também.

ps: conheci um casal que ama, adora festas de crianças. perguntei se eles tinham filhos e adivinha a resposta? obviamente que NÃO. hahah eu ri. para eles, nesses eventos é só sentar e comer salgadinhos, brigadeiros e outras porqueiras.  mal sabem que uma festinha de criança é na verdade uma batalha campal. é sangue, suor e lágrimas. uma dura realidade. casais sem filhos são iguais jovens de 20 anos: não fazem a menor noção do que os espera pela frente. é bonito ver a ingenuidade deles. aquele sorriso no rosto e a cabeça com liberdade para vaguear e simplesmente se permitir viver horas e horas de puro ócio. casais com filhos estão sempre com a mente focada (e ao mesmo dispersa, tamanha quantidade de informação e atenção necessária) e tentando anteceder qual é o próximo passo a ser dado. quase um enxadrista. afinal, num evento com um monte de crianças quase sempre tem uma piscina marota sem rede de proteção. não há como ficar odara numa situação dessas. nunca!

voltando pra casa

“papai, não quero voltar para casa! não quero! dá marcha ré! vamos voltar pra festa!”

mais muita gritaria e finalmente as duas crianças dormem.

yes! vamos chegar em casa e é só colocar na cama. vai ser lindo. chegamos no prédio e não há vagas. vamos parar aqui, depois eu estaciono. desce do carro com uma cria no colo, outra no carrinho. pronto. eu vou e você estaciona.

consigo entrar no elevador e BLAM! crianças acordam. um acordar como se tivessem dormido 10 horas seguidas. ligadonas. já era sonho. alegria de pai dura pouco.

vai dando banho em todo mundo, depois secando, vestindo. escovando os dentes… 

afinal como não ter mais problemas na hora de sair de casa com as crianças?

fácil. não saia de casa.

ps: e que sua casa seja grande e bem aconchegante.

The Shining
não vamos sair de casa hoje, tá? 

sei que este post vai soar meio anticoncepcional, mas calma. foi só um desabafo. não trocaria minha vida de pai por a de “solteiro” nunca! acho que só nos sábados. heheh

para não dizer que não falei das flores: no blog vida organizada tem uma dicas para você e para mim:

  1. sempre reserve tempo extra para a hora de sair. programe-se com espaço de pelo menos meia hora a mais do que espera.
  2. mantenha a bolsa de passeio sempre arrumada um dia antes, já dentro do carro ou ao lado da porta de entrada.
  3. organize-se diariamente e tenha uma rotina. isso garantirá que os sapatos estejam sempre no lugar, as fraldas sempre fora do pacote na hora de trocar e você já vestida.

um pedido: procuro alguém que tenha uma casa com um quintal bem grande para uma amizade sincera e duradoura.

 

Related Posts with Thumbnails

categorias: para mães, para papais, um pouco de humor

assine nosso feed ou receba por email


29 Comments »

  1. Eu tenho quintal! E adoraria conhecê-los. Meu filhote é um ótimo anfitrião! kkkk
    Gabriel já está com 4 anos e nem a gostosura da Sansa me deu coragem de ter outro ainda, por isso as coisas por casa são mais fáceis.
    Agora ela já não dá mais trabalho para sair, não tem mais fralda suja (daquelas até o pescoço) na hora de sair, não tem mais sacola com roupa para as quatro estações do ano (presentes em uma mesma tarde aqui em Brasília), vontade de mamar, nem briga com a cadeirinha do carro. Essa última é questão de hábito mesmo, no começo ele reclamava bastante, mas agora, como é algo diário ele vai numa boa.
    Continuo gostando de festas infantis, mas nunca mais consegui comer um salgadinho sentada e tranquila (normalmente a primeira mordida é na mesa (enquanto o pequeno ainda está sentado comendo) e o restante é correndo atrás). Fui em um aniversário em uma casa de festa na Asa Sul que é o sonho de todos os pais: os brinquedos são para crianças pequenas, em uma área fechada e com mesas estrategicamente posicionadas. Podemos ficar sentados e conseguir ver exatamente onde as ferinhas estão. Muito legal.

    Ps.: Vocês também gritam e choram para fazer as crianças pararem? kkkkkkkkkkk. Não sou a única. o/

    Beijos as quatro.

    Comentário by Vanessa — dezembro 17, 2013 @ 8:23 am

  2. kkkkkkkkkkkkk… é desse jeito mesmo!!!

    Comentário by Janete Domingues — dezembro 17, 2013 @ 9:10 am

  3. Muito assim! Só que aqui a criança que quase sempre se recusa a sair e muitas vezes temos que sair mesmo, tipo ir no supermercado ou algo assim.

    E claro, quer colo, colo e colo, só que ele é um chumbinho de 3 anos, eu não carrego mais, mas o pai ainda carrega e depois arrega e o chororo na rua é grande, pq ele que já não quis ir, agora tem que andar!

    As pessoas até hoje não se ligam que qq encontro depois das 16h é a mesma coisa que me chamar pra virar a noite, simplesmente não dá… Pra quem tem família por perto e que se sente a vontade pra deixar aos cuidados dos outros, ainda vai. Mas aqui como somos só nós 2, eu ainda não me sinto bem em sair sozinha e deixar a família em casa, deixar o Linus ir pra cama sem mim… sem contar que já faz taaanto tempo que não saio a noite que eu nem me sinto bem fora de casa depois que escurece! rs

    Comentário by Carol — dezembro 17, 2013 @ 9:41 am

  4. Chorando até agora…muito bom. identificação total.
    mas, de fato, não trocaria essa loucura por nada na vida.
    bjo na família linda!

    Comentário by luciane — dezembro 17, 2013 @ 9:48 am

  5. Obrigada pelo Post, eu sou normal!!! Rrrsss.
    Há e Família, eu descobri vcs quando estava grávida do meu neném e o Benja tinha uns 7/8 meses. Os acompanho desde lá! Parabens pela Family!!! e sempre que passo em Brasilia lembro que vcs são de Lá. Eu devia este agradecimento! Abraços 🙂 e umas Felizes Festas p/vcs. A gente sobrevive a elas!!!! Rrrrssss.

    Comentário by Daniela — dezembro 17, 2013 @ 10:20 am

  6. AHuhauauahau e eu achando que era a única a sofrer com as saídas de casa, é uma verdadeira maratona e pior sempre esqueço algo, tipo o outro brinco ou trocar o sapato velho por um apresentável ou pior o copo de água da cria!!!
    Excelente post!
    Beijinhos nas crianças.

    Comentário by Érica — dezembro 17, 2013 @ 10:23 am

  7. água. sempre a água!
    brinco? sapato? o que é isso? saio com o primeiro que vejo na frente. tenho um sapato que tá com um chiclete colado na sola há alguns meses e só lembro de tirar quando estou com ele no pé pra sair. além de chiclete, tem um monte de grama colada em cima. trocar? não dá tempo. vai esse mesmo que tá lindo

    Comentário by luíza diener — dezembro 17, 2013 @ 7:45 pm

  8. No meu caso é diferente, o problema todo está quando saímos. Ele está numa fase terrível, DIZEM q ela acomete todas as crianças na fase dos 2 anos (por favor me digam que é verdade), faz muita birra por nada…. Pq quer entrar num lugar, pq quer sair, pq não quer sair. Pq quer comer, pq não quer. Pq quer colo, pq não quer. E muito mais. TODA VEZ que saio, volto falando que nunca mais vou sair, mas num próximo dia eu penso: "Ah hj vai ser diferente, ele vai ficar bonitinho." Ledo engano. :/

    Comentário by Aline — dezembro 17, 2013 @ 10:23 am

  9. 2 anos aqui em casa foi fichinha.
    Benjamin com 3 anos é terrible two elevado à vigésima potência

    Comentário by luíza diener — dezembro 17, 2013 @ 7:43 pm

  10. Sou uma potencial gestante recém-chegada ao blog e já aprendi que a gravidez pode ser, além de glamourosa & trash, também muito engraçada! Estou adorando as dicas!

    Comentário by Juliana — dezembro 17, 2013 @ 11:37 am

  11. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk… reconfortante!

    Comentário by Paula — dezembro 17, 2013 @ 12:17 pm

  12. Haha camarada! Perfeitas observações.
    E o mais engraçado é o vazio que dá quando não passamos por isso. Minha casa tem quintal, se quiser pega o vôo para o Rio.
    Abracao!

    Comentário by Léo Vargas — dezembro 17, 2013 @ 12:19 pm

  13. Já estou me preparando psicologicamente com este post, minha mais nova nasce em março 2014 e meu menino tem 1 ano e 5 meses…já viu a dor né?

    Comentário by Luciana Lima — dezembro 17, 2013 @ 12:44 pm

  14. kkkkkkkkkkkkkkkkk parece q vc narrou o meu domingo passado! foi desse jeito, so q com muuuuuuuuuuuuuuuuito mais drama na hora de ir embora da festa, pois tinha um pula-pula rsrsrsr.
    bjss

    Comentário by Kellinha Poli — dezembro 17, 2013 @ 1:31 pm

  15. Somo a tudo isso a interminável vontade do meu filho de fazer cocô em qualquer/todo banheiro na rua. Desesperador!!!!!!!

    Comentário by Avassaladora — dezembro 17, 2013 @ 10:39 pm

  16. Muito….muito bom ….eu ri ,mas era pra chorar,finalmente encontrei alguem que me entende.

    Comentário by corina — dezembro 17, 2013 @ 11:02 pm

  17. Somando a tudo isso ainda conto com o fator – memória já era. Chegando na festa: Querido, pega o presente. Não, eu peguei as sacolas, sacolinhas, bolsas, barracas, farofa… O presente era com você. Mas eu peguei os filho tudo… Fuén fuén fuén…

    Comentário by Diana Demarchi — dezembro 18, 2013 @ 11:51 am

  18. muito bom!!!!!!!!!!!!!!!!
    hahahahahahhahahaha
    Adorei.

    Comentário by thais — dezembro 22, 2013 @ 2:13 pm

  19. Ah, mas aí ta fácil fácil…tiraria de letra, sabe como pode ser pior????
    EU TENHO TRÊS…hahahaha
    Isso mesmo, uma de 10 (com idade competitiva de 3 anos) um de três e outro de 1 e 10 meses..imaginam…as vezes penso que tenho trigêmeos…vcs naum tem noção, mas tivemos a brilhante ideia de vir morar a 50 metros da praia em uma casa super espaçosa…onde é possível gastar muita energia..mas parece que qto mais gastam mais têm…
    Férias agora??!!!!Afzão

    Comentário by Samanta Romano — dezembro 30, 2013 @ 1:09 pm

  20. Aqui igualzinho!!! Pietro com 3 e Luca com 4 meses…
    E o pietro quando fez 3 (agora dia 11/12) parece que virou terrorista
    De menino bonzinho , educado virou birrento e mais desobediente. Eu que passei ilesa dos terribles two tenho a sensação que vou enlouquecer a qualquer momento. Socorro!

    Comentário by Raquel — dezembro 31, 2013 @ 2:09 am

  21. É 100% desse jeito, adorei o texto e dei risada na hora do choro dentro do carro… É tão aconchegante saber que não estamos sozinhos nessa batalha! rs…
    Mas minha mãe sempre diz: não esquenta, quando crescerem isso passa e tu vai sentir saudades…
    Então, vamos lá!

    Comentário by Suh Riediger vittamina — janeiro 21, 2014 @ 3:52 pm

  22. […] Quem tem criança sabe como é difícil sair de casa. […]

    Pingback by Linkagem de domingo {75} | Vida Organizada — fevereiro 25, 2014 @ 9:05 pm

  23. hauhauhauahahahu eu super entendo vocês! Com um filho só a casa já tá um caos que estou com medo de encomendar outro, vou esperar mais para criar coragem ou ter uma amnésia! 😛

    Comentário by maylusouza — março 18, 2014 @ 6:03 pm

  24. Eu, que tenho 3 filhos (5 anos, 3 anos e 3 meses) fomos à um almoço na casa de um tio. Comecei a arrumar todo mundo às 10h achando que ao meio dia estariamos todos prontos, mas só conseguimos sair de casa às 12h40!!!!

    Comentário by Elen Rafael — março 18, 2014 @ 6:49 pm

  25. kkkkkkkkkkk que verdade isso… aqui em casa tem 4… e quintal grande. Tentamos uma rotina mas é quase impossível.
    Um dia conto com é tirar o foto com o papai noel com a galera toda, fazemos isso todo ano, é um evento arrumar todo mundo.
    Mas é como disse, jamais viveria de outro jeito e sem eles.

    Comentário by Janaina Leal — março 18, 2014 @ 6:50 pm

  26. Aqui é igualzinho!!! Eu sempre falo: " Sair de casa com duas crianças (no meu caso um de 5 anos e outro de 7 meses) é levantar um ACAMPAMENTO!". Mas é sempre reconfortante ver a carinha (principalmente do mais velho) se divertindo na festinha! Bjo.

    Comentário by Ligia Pesce — março 18, 2014 @ 8:35 pm

  27. Me vi parcialmente kkkkkkkk, só que meu marido só olha não me ajuda e ainda fica bravo porquê fica pronto e 5 minutos, enfim ele é muito folgado no quisito filhos .Quanto a deixar tudo no lugar kkkkkk, tenho um furacão em casa que se chama Fernanda e na hora de sair o menor bebê sempre, mas sempre da aquela "golfada" depois de limpinho, cheirosinho. Mas sei que isso passa mais rápido que a gente imagina e em breve sentiremos saudade kkkkkkkkkkkk.

    Comentário by Kelly Matheus — maio 8, 2014 @ 10:00 am

  28. E quando precisamos ir ao mercado??? Nunca tenho com quem deixar o Miguel e acabo levando ele… eh um Jesus nos acode! Ele ta na fase das birras, e tb quer correr no meio do mercado… aff

    Comentário by Renata — maio 8, 2014 @ 12:43 pm

  29. " Tamo junto" kkkkkk
    Simplesmente igual aqui em casa, só que nas festinhas, percebo que sou a única que não tira os olhos das crias, a maioria das mães comem e conversam tranquilamente, ou disfarçam muito bem!!! rsrsrsrs

    Comentário by grazieli — maio 8, 2014 @ 4:17 pm

RSS feed for comments on this post.
TrackBack URL

Leave a comment

*