13 de abril

como reinventar o casamento quando os filhos nascem

por luíza diener

“a criação de filhos é um empreendimento conjunto que exige comunicação, compreensão, amor e disposição de assumir um compromisso. casais que não desenvolvem essas atitudes e habilidades antes do nascimento dos filhos não podem acreditar que as assimilarão de uma hora para outra, assim que o primeiro bebê nascer.
como lidar com problemas comuns e como manter a solidez de seu casamento após a chegada das crianças?
os primeiros meses do casamento são necessários para adaptação de ambos. estilos de vida, gostos, manias e idiossincrasias precisam ser acomodados para que seja possível viver a dois. não é necessariamente um processo fácil, mas pelo menos é possível dedicar-se exclusivamente ao outro, afinando a sintonia da relação.

mas, ainda que o casamento já esteja razoavelmente consolidado, quando o primeiro filho chega, parece que o casal precisa começar do zero, novamente. novos papéis e novas prioridades são um duro teste para a solidez do relacionamento. compreensivelmente, a atenção de ambos passa a voltar-se para o bebê, e, aos poucos, um já não dá atenção ao outro.

como um serzinho tão especial é capaz de trazer tantos desafios à relação conjugal? veja algumas dicas que irão ajudá-lo a reinventar o casamento, para que todos desfrutem da alegria que é fazer parte de uma família.

  1. organize a sua agenda
    isso significa determinar que a pessoa certa realizará a tarefa certa na hora certa; eliminar todas as tarefas desnecessárias que você está realizando no momento; regular o horário de seus filhos de acordo com a rotina que combina com a sua e encontrar tempo para você e o cônjuge.
  2. dinheiro e prioridades
    falando em dinheiro, há um principio bem simples – quando colocado em prática – que ajuda a preservar o casamento vivo, seja qual for a renda do casal: invista seu dinheiro em suas prioridades, ou seja, em seu casamento! presentes, viagens, jantares e etc…
    não esqueça que as melhores coisas da vida são gratuitas, ou pelo menos não são caras, como ver o por-do-sol, colher uma flor para esposa, tomar um sorvete, alugar um vídeo etc
  3. reclamações frequentes
    olhe para trás, para os anos de convivência , e pergunte-se: “qual foi a reclamação recorrente do meu marido/esposa ao longo do tempo”? inverta o jogo. que tal tentar fazer essas reclamações sumirem?
  4. frase de ouro
    descubra as coisas que que fazem seu cônjuge se sentir amado. use a frase de ouro: “o que eu poderia fazer para te ajudar esta noite?” ou “o que eu poderia fazer para ser um marido/esposa melhor?”
    pode doer ouvir a resposta mas, se for humilde e atencioso com as queixas, isso pode mudar seu casamento de verdade.
  5. coerência nas regras
    quando o casal está trabalhando junto na criação dos filhos e está sendo coerente na aplicação das regras, vocês se sentem bem consigo e em relação aos filhos. essa atmosfera potencializa, e muito, o relacionamento conjugal. por isso, conversem e entre em acordo sobre como criar suas crias.

trecho extraído do livro “como reinventar o casamento quando os filhos nascem”, do autor gary chapman, editora mundo cristão.

para ler a introdução do livro, entre aqui e clique em “ler trecho do livro”.

Related Posts with Thumbnails

categorias: casamento, erros comuns, filmes e livros

assine nosso feed ou receba por email


10 Comments »

  1. O Gary deve ter empregada, babá e cozinheira….
    O diálogo mais frequente aqui é "segura ele pra eu tomar banho".
    E a única atividade que realizamos em conunto é ele trocar fralda enquanto eu amamento
    C´est la vie.

    Comentário by Daniela — abril 13, 2011 @ 9:41 am

  2. Meu marido é super parceiro. Ele me manda pro cabeleireiro mas eu que não vou….rss…gosto de ficar o máximo do tempo ao lado dele nos finais de semana…(dia de semana fico sozinha, mas tem dias que minha mãe vem me ajudar com comida e com meu bebe mesmo…ufa)
    Ele faz tudo, lava a louça, troca a fralda, brinca, interage, faz ele dormir, só não dá banho mas sempre tenta, ele participa muito!
    Aquela frase que filho segura marido é pura falácia. Se o casamento não for sólido o suficiente, ele se complica mais ainda depois da chegada do bebê. Ainda bem que meu filho veio com muito amor e esse é o combustível da nossa parceria.
    Adoro seu blog!!
    Bjss

    Comentário by Juliana — abril 13, 2011 @ 11:15 am

  3. Show de bola, Lú!!! Como sempre, trazendo coisas interessantes para o nosso dia a dia… Adoro Gary Chapman, considero que ele consegue ser razoável em suas colocações sem tirar os pés do chão. Se formos pensar bem, são sugestões simples e necessárias, relacionamento conjugal não é fácil mas pode se tornar menos complicado a partir do momento em que cada um resolve fazer a sua parte e assumir sua responsabilidade sobre as coisas que acontecem. Quando algo não vai bem, ficamos inclinados a responsabilizar o outro pelo problema ( e se tivermos um pouco de sorte, nos colocamos no último lugar da lista de culpados). Realmente quando o filho nasce há uma tendência à desorganização, é um serzinho que chega e por mais querido e amado que seja, traz um desequilíbrio para o casal, que agora precisa pensar em rotinas e estratégias para se adaptar à vida à três; esses tópicos que você trouxe são ótimos e tem tudo a ver. Bjos

    Comentário by Luciana — abril 13, 2011 @ 12:17 pm

  4. excelente!

    Comentário by mariana — abril 13, 2011 @ 5:13 pm

  5. Muito bom Lu!!! Acredito que se a gente esquece o cônjuge depois do nascimento dos filhos, há comprometimento da própria harmonia da família. Não dá pra esquecer o outro e abstrair a necessidade de valorizá-lo. É preciso vontade, ação e consciência da importância de manter a "magia" do casamento.

    Obrigada por comparilhar conosco tema tão interessante!

    Bjos!

    Comentário by Ivana — abril 13, 2011 @ 5:23 pm

  6. Pois é menina, antes mesmo de chegar ao mundo, os pequenos já nos transformam e a revolução pesoal/casal começa…durante a gestação acho que rolam os altos e baixos por conta dos hormônios (culpo todos eles) hahaha, ora estou alegre, sorrindente e saltitante, daqui a pouco …fogo pela ventas hahaha…mas a experiência é MA-RA-VI-LHO-SA, vejamos o próximo capitulo…Gael nos braços…

    Bjus

    Comentário by Augusta — abril 13, 2011 @ 7:19 pm

  7. Mto bom, Luiza! Não conhecia, boas dicas! Nada melhor do que investir no nosso casamento, afinal é a base de toda a família. Se não estiver legal, vai refletir nos filhos e em mtas outras coisas de nossas vidas.. Um tempinho atrás vi um outro livro sobre esse mesmo tema, mas acabei esquecendo o nome.. Vou dar uma pesquisada e qq coisa faço post sobre ele depois!
    Bjocas! http://cegonhatrends.blogspot.com

    Comentário by Cegonha Trends — abril 13, 2011 @ 9:12 pm

  8. O bebe eh tao “fruto” do casal que nao imagino me dando mal com o marido. E fenomenal dividir os primeiros sorrisos com ele, e de noite antes de deitar nos dois ficamos falando das novidade da nossa filha como dois apaixonados. O romance vira outro, mais completo, a 3.

    Comentário by Julia Bittencourt — abril 14, 2011 @ 10:21 pm

  9. Eu adoro o Gary Chapman, recomendo TODOS os livros dele (e a página no Facebook, também). Um beijo, Ivy

    Comentário by Ivy Farias — abril 19, 2011 @ 4:07 pm

  10. Sensacional seu artigo !!

    Comentário by curtidas instagram — junho 23, 2015 @ 10:43 pm

RSS feed for comments on this post.
TrackBack URL

Leave a comment