competitiva

 

eu já falei anteriormente sobre a competição paterna e materna. eu sempre tentei me esquivar dela porque criação de filhos não é uma disputa pra saber qual filho é melhor, quem ensina do jeito mais correto, qual parto é mais lindo e humano que o outro.
até porque cada um é de um jeito e o que é bom pra fulano não necessariamente vai funcionar com sicrano.

mas aí eu me meto em atividades realmente competitivas e mostro a cara.
quer me deixar disputandíssima? joga imagem e ação comigo. ou qualquer outro jogo em que alguém tenha que ganhar dos outros (e que eu saiba jogar, vai). é como se minha vida dependesse daquilo.

e daí que o marido me meteu num concurso.
eu não queria, bati o pé.
achei o concurso chato porque tem aquelas coisas que eu odeio: tem que divulgar no blog, botar um selinho, curtir no facebook, convidar os amigos pra votar.
mas ele nos inscreveu.
e eu comecei a ver outras pessoas compartilhando no facebook delas “vota em mim, vai lá”.
pra quê… naquele momento foi uma questão de honra. eu precisava participar daquela disputa.

quando fiquei sabendo do prêmio – uma viagem a new york, new york – eu mergulhei de cabeça.
confesso que ainda não apelei, mas de repente aquilo se tornou a coisa mais importante do meu dia.
adeus, sexta feira.

e agora to aqui, compartilhando com vocês toda a minha angústia e aflição de corroer a alma.
mas por que você deixa isso te consumir, luíza?
eu não sei. só sei que isso me deixou muito ansiosa.
não queria me sentir assim.
há pessoas muito queridas no meio do concurso e a minha intenção nunca foi de disputar com elas. mas é mais forte do que eu, sabe?

aí há duas noites seguidas eu venho sonhando que vou para nova iorque. na primeira eu estava lá, cantando junto com o pessoal do glee (oi?) e na segunda eu sonhei que nós três comprávamos uma camiseta igual escrito I <3 NY (aquela clássica, sabe?), tirávamos uma foto e colocávamos na nossa fan page.
e isso passou a fazer parte de mim.
conhecer a cidade que nunca dorme, passear para cima e para baixo com marido e filhote, andar de yellow cab e metrô, tirar fotos ridículas na frente da estátua da liberdade (já estou pensando num jeito de fazermos horsmanning com ela), fazer piquenique no gramadão do central perk park e visitar/reproduzir todos aqueles clichês que a gente vê em filmes e seriados.

se visitar nova iorque já era uma coisa que eu sempre quis fazer, de repente se tornou um grande sonho, agora que é possível que se torne realidade na minha vida.

por isso comecei a traçar os motivos pelo qual eu mereço ir a nova iorque e resolvi escrever aqui:

  • porque eu nunca fui;
  • porque o hilan nunca saiu do país (muito menos o benjamin);
  • porque a única vez que eu viajei para o exterior foi há 15 anos;
  • porque a única vez que tivemos uma viagem de férias de verdade em família – dessas que a gente passa uma semana, viaja de avião e se hospeda em hotel – foi na nossa lua de mel (o resto foi só em casa de parente e amigo ou viagem de fim de semana);
  • porque não sei quando teremos a oportunidade de bancar com nossa curta grana uma viagem tão pomposa;
  • porque talvez eu nem mereça tanto, mas eu gostaria muito de ir.

essa não foi uma história de comoção.
foi um desabafo.

mas é óbvio, muito óbvio, que eu adoraria se você pudesse me ajudar.
e aí eu explico rapidinho como é o concurso.

estamos concorrendo com esse último post que eu repostei na sexta feira (coisas que quero ensinar ao meu filho).
você pode nos ajudar da seguinte maneira:

  1. você precisa ter uma conta de facebook;
  2. acesse este link: http://bit.ly/Lsbnr4
  3. curta a página do Limetree;
  4. no meu post “coisas que eu quero ensinar ao meu filho” clique no botão azul, à direita, VOTE. 

pronto. tomou pouco tempo e você já me ajudou muito.

se você quiser ajudar mais ainda, pode pedir pro seu marido, irmã, mãe, amigos e parentes votarem em mim também.

e um beijo especial à lindas carol e paloma. o post das duas é lindo e é muito bom estar entre as 10 primeiras coladinha com vocês. vocês também merecem 😉

 

Related Posts with Thumbnails

20 comments

  1. Luíza, confesso: não tivesse entrado na concorrência desse trem (sem chances, diga-se de passagem, porque não tenho vida online, fiz o Face só para isso e mais mil coisas contra, só que meu marido não ouviu nada do que eu disse…rs…) votaria em vc! Bom, espero que esteja entre as 10, viu? Bjão!

  2. Confesso que não sou nem um pouco competitiva, Lu! Entrei no concurso, mais por brincadeira e para divulgar um pouco meus textos. Mas realmente, quando vi outras pessoas colocando "vota ni mim", comecei a fazer mais propaganda huahuahuahua. Não acho que a gente vai conseguir ir para NY, afinal existem outros textos melhores que o meu, como o seu! Se você for, traz uma lembracinha para as meninas (olha, a pessoa pidona e cara de pau, isso sim eu sou). boa sorte!
    beijos

    1. eu queria não ser. juro!
      se te ajuda, eu já votei no seu, tati!
      só não garanto a lembrancinha, porque não garanto nem se meu texto vai ser selecionado (assim como você, acredito que há textos muito melhores que o meu por lá).

      bjs

  3. Caramba Luíza (juro que vou escrever teu nome certo pra sempre hehe) fiquei com medo das coisas que tu escreveu la no blog sobre o benjoca, nossa nossa nossa
    o Tavinho já é um terror agora será que com a idade do Benji piora? jesuis

    simmmmmm herpes é pra sempre grrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *