25 de outubro

desrotina do bebê de 1 ano

por luíza diener

ontem me perguntaram como fica a rotina de amamentação do benjamin agora, que já tem mais de 1 ano.

a minha resposta foi que não fica.
assim, fica e não fica.

desde o meu desentendimento com a encantadora de bebês, quando o benjamin tinha por volta de 2 meses de idade, eu peguei birra de rotina.
não sou contra quem faz, mas sou contra horários inflexíveis.
acho importante as coisas terem uma sequência certa para acontecer e uns horários básicos para certas coisas, como comer e dormir.

mas outras (e até mesmo as principais) são alteradas de acordo com uma série de fatores.
por exemplo, se hoje chove, não tem parquinho.
se saímos, é capaz dele pular uma soneca.
se um dente nasce ele pode perder a fome.
e por aí vai.

antes dele completar seu primeiro ano, achava a rotina ainda mais difícil de ser seguida, especialmente porque é nessa época que eles crescem mais, passam por mudanças muito diversas, o sistema imunológico ainda é sensível e muita coisa no corpo deles é muito imatura.

a rotina serve pra auxiliar, não para escravizar.

o problema é que você dá de cara com o livro da tracy hogg que diz que a encantadora de bebês resolve todos os seus problemas.
então é isso? tudo que eu preciso está neste livro, sem falhas? se eu seguir à risca tudo vai dar certo, né? afinal são robôs pré programados que têm um manual que você compra nas livrarias por apenas R$ 49,90!

claro que não! quem ama a encantadora vai dizer que ela ensina a respeitar o bebê.
é verdade, eu li uns trechos  (e tentei botar em prática, lembra?) e até achei uma ou outra coisa legal.
mas o problema é que o livro te dá a falsa ilusão de que é só seguir as instruções à risca que tudo irá bem.
eu já ouvi e li inúmeras mães desesperadas porque tentaram de tudo e o bebê simplesmente não segue nenhum padrão: “ele dormia a noite inteira, mas agora deu pra acordar várias vezes à noite” ou “ele até comia bem, mas de repente só quer saber de mamar” ou então “essa menina passa o dia pendurada no peito. socorro!”
a impressão que fica é que se seu filho não se comportar de acordo com a lógica de causa-efeito de todos esses encantadores de bebê, quem está errado é você ou o bebê, não o autor do livro (que nunca te viu na vida e não faz a menor ideia de quem são seus filhos).

amiga, essas coisas vão acontecer mesmo.
não quer dizer que porque o bebê dormia a noite inteira com 4 meses de idade que vá repetir o padrão de sono aos 8 meses, por exemplo.
vale se aprofundar até um pouco mais na leitura (boa) e perceber que os bebês passam por fases variadas. vale a pena conhecê-las para ver que isso que tá acontecendo com seu bebê já aconteceu com vários outros da mesma idade.
recomendo fortemente o dr. carlos gonzáles, em especial seu livro bésame mucho.

 

e como fica depois de 1 ano?

é verdade o que dizem que muitas coisas melhoram depois que eles completam 1 ano. é quase uma mágica, assim como aconteceu quando ele fez 3, 6 e 9 meses.

de repente o benjamin aumentou o tempo da soneca e deu pra dormir 2 horas de manhã e mais 1 ou 2 horas à tarde (e quando era menor ele só dormia meia hora e olhe lá).

ele também passou a beber muito mais água (que antes odiava) e a comer mais que o dobro (quase o triplo) se comparado a quando tinha 10 ou 11 meses.

isso sem contar com a esperteza e a fofura, que estão no seu auge.

mas e o peito?

bem, há muitas mães que decidem desmamar seus filhos ao completarem 1 ano.
desde quando o bebê nasce, a questão da amamentação varia muito de acordo com as condições de saúde e emocionais da mãe.
depende do tanto que ela se sente à vontade para fazê-lo seja em casa ou em outro ambiente.
depende se ela pretende voltar a trabalhar ou não, do tempo da licença maternidade e se o trabalho permite que ela pare de trabalhar para amamentar em algum momento (o que é lei, mas nem todo mundo cumpre, né?).
às vezes depende do pediatra que o bebê frequenta e até mesmo da família e amizades dos pais – especialmente das mães – que muitas vezes têm influência muito grande.

eu só tenho a agradecer por estar inserida em um contexto muito favorável para que eu possa amamentar até que ele tenha pelo menos 2 anos (a não ser que ele decida largar antes por conta própria).

por isso continuamos em livre demanda, que significa dar o peito conforme ele solicitar.
hoje em dia é bem mais fácil, visto que ele já come super bem e bebe água razoavelmente.

no fim, as mamadas já não servem mais para matar a fome. pro benjamin elas não interferem no seu apetite. se ele estiver com fome e mamar, continuará a pedir por comida do mesmo jeito.

hoje o mamá serve pra matar a sede, pra matar a saudade, pra acalmar depois daquele tombo, pra pegar no sono. serve de remédio curativo e preventivo. de acalento nos dias de enfermidade. tem sido, mais que nunca, um momento mamãe e filhinho, completamente nosso.

às vezes ele passa o dia distraído na companhia de outros adultos e crianças e nem lembra de mamar. mas é só chegar em casa que ele gruda de volta.

à noite é que a história ainda continua.
quem põe pra dormir é o pai, lá pras 20h, mas depois de umas duas horas ele acorda pra mamar.
aí varia.
há vezes em que ele volta a acordar meia noite e depois às 6h.
em outras ele acorda nesse meio tempo, lá pra umas 2h.
eu parei de ver horários mas sim, meu filho tem mais de 1 ano e ainda acorda pra mamar.
confesso que já acostumei e não tenho planos de tirar a mamada noturna ainda.

eu nem detalhei os outros horários, como de comidas e  brincadeiras, porque não quero estabelecer aqui um padrão pra que outras pessoas sigam.
acho muito mais válido e importante observar o ritmo da criança que, como já disse, pode variar de um momento para o outro.

a hora de comer do benjamin é a hora em que ele sente fome e me pede (antes de aprender a pedir eu já sabia, porque o humor dele muda consideravelmente). o mesmo serve para as sonecas.
ele acaba repetindo isso dia após dia, quase sempre no mesmo horário, que foi ele quem estabeleceu.
o resto é hora de brincar. às vezes ele vai querer fazer isso sozinho. em outras só serve se eu estiver ali, do ladinho dele.

por enquanto eu posso dar-me ao luxo de viver assim.
tento manter em mente o meu objetivo inicial ao largar o emprego: criar meus filhos.
então se, de repente, eu estou atolada de coisas e isso está me roubando a hora de ficar com o benjamin, se vejo que estou criando substitutos pro meu filho em momentos que minha presença seria imprescindível, eu dou uma parada, analiso e vejo o que é real prioridade e o que dá pra esperar.

posso dizer que isso tem feito um bem muito grande tanto ao meu filho quanto a mim.
tenho aprendido a respeitar a individualidade de cada um, inclusive a minha.
a desacelerar deste mundo louco cheio de compromissos. a ouvir meu corpo.
a escutar meu filho além das palavras, que ele mal sabe pronunciar.

eu me esqueci do relógio.

Related Posts with Thumbnails

categorias: benjamin, educação, mês 12-18

assine nosso feed ou receba por email


40 Comments »

  1. Menina sabida…acredita q vc me fez chorar? nossa,que post mais sabido,cheio de amor,e cumplicidade,e nada mais além disso importa!
    E olha,que consigamos ouvir nossos filhos mesmo quando pronunciarem palavras e mais palavras,que consigamos ouvir suas almas,seus coraçõezinhos nos momentos mais aflitos,que sejamos mães e mais nada!!!
    Um beijo
    Kaka

    Comentário by Kaka Barcelos — outubro 25, 2011 @ 4:50 pm

  2. eu é que me emocionei com seu comentário. eheheheh!
    é um tempo que passa tão rápido.. vale a pena curtir cada minuto, né?

    Comentário by luíza diener — outubro 25, 2011 @ 8:27 pm

  3. Lindo o post luíza,concordo com vc.. Se é para seguir um roteiro *que acaba virando um padrão para todos os bebes*eles deveriam nascer com uma cartilha anexada na placenta..!! E esse história que bebê precisa dormir a noite toda e tal,tomar uma master mamadeira com farinhas e afins,que se der colo demais pode mimar,é tão antigo e ultrapassado que me dá raiva quando escuto esse povinho reclamando que o bebê é chorão e etc..afinal,vc botou no mundo uma pessoa,que sente frio,fome e tem tantos sentimentos quanto vc..quer enfeitar berço ??compre um boneco …desculpa o desabafo…beijos bia

    Comentário by Bianca Claudino — outubro 25, 2011 @ 5:03 pm

  4. tem que dar tempo ao tempo. que mania desse povo de querer bebê adestrado!
    se nem a gente, que é grande, às vezes dá conta de suportar tudo, imagina eles, que nascem zerados!
    dá mta raiva mesmo!

    Comentário by luíza diener — outubro 25, 2011 @ 8:30 pm

  5. o humor dele muda quando ele está com fome??? O meu tmb!!! Benjoca é meu parceiro.

    Bjssss

    Comentário by Doceria da Tathy — outubro 25, 2011 @ 5:16 pm

  6. e o meu. pense de manhã qdo os dois acordam com fome! uma loucura!

    Comentário by luíza diener — outubro 25, 2011 @ 8:23 pm

  7. Pois é… acho que terei a maior dificuldade com esta história de rotina. Minha mãe nunca impôs e eu nunca tive… queria dar um pouco para a minha filha… mas fiquei mais tranquila depois de ler o seu post.

    Comentário by Flavia — outubro 25, 2011 @ 5:29 pm

  8. olha, flavia, o conselho parece um clichezão, mas siga seu coração. de verdade!
    você vai ver que terá horas que será que ser mais firme mesmo, mas em outras não há necessidade de criá-lo num quartel general.
    fica tranquila!

    bjs

    Comentário by luíza diener — outubro 25, 2011 @ 8:35 pm

  9. E muito bom ter rotina, como vc disse, pra dormir e comer, e banho, mas nada de militarizar tudo, o bom e deichar as coisas rolarem, eu amamentei o Gabriel ate um ano e meio, e ele largou sozinho sem pressao, no tempo dele, acho que deve ser assim, eles vao passando as fazes, e vao mudando sem a gente perceber na hora, mas que amamentar e tudo de bom, magico, unico, ahhahha ate hoje ele de vez em quando quer mamar de brincadeira, esta com quaze 4 anos, e deicho ele mamar de faz de conta, afinal tudo passa bjosss

    Comentário by Daiane C. kruger — outubro 25, 2011 @ 5:48 pm

  10. pois é, tem que aproveitar cada fase mesmo.
    senão depois passa e a gente fica aí chorando, pq deveria ter curtido mais.

    Comentário by luíza diener — outubro 25, 2011 @ 8:36 pm

  11. Luiza, como fica a produção de leite? Meu filho tá com três meses e eu já não estou dando conta, meu peito fica super murcho, o bebe se irrita e acabo tendo que dar uma mamadeira. Quero amamentar o máximo possível, mas tenho medo de meu leite secar.

    Comentário by Joana Pacheco — outubro 25, 2011 @ 6:50 pm

  12. joana, na verdade é o que eu falei no post. a amamentação depende de vários fatores.
    mas eu tenho umas dicas que podem te ajudar:

    1) beba muita água
    2) deixe seu corpo regular sozinho a produção de leite (as mamadeiras são grandes vilãs nessas horas, porque seu corpo acha que seu filho só se alimenta do peito e acaba produzindo menos leite)
    3) tente ignorar os fatores externos e relaxar. eu sei que é difícil, mas não impossível. o estresse acaba com o nosso leite
    4) amamente toda vez que ele que ele pedir (pra estimular a produção) e por quanto tempo ele quiser.

    eu sei que não são conselhos muito fáceis de se seguir à risca, mas vale muito, muito à pena!

    depois me conta como ficou.

    beijos

    Comentário by luíza diener — outubro 25, 2011 @ 8:21 pm

  13. Maravilha, Lu!
    Quase tudo o que vc descreveu aí se aplica à Clarice, tirando a parte noturna, que ela já não mama mais à noite, salvo quando está doente e pede, daí meu coração amolece, óbvio, e eu dou. Mas ela não tem pedido. E passou de não beber água para beber razoavelmente bem (a ponto de roubar o copo do Benjoca, rá!). o mesmo com a comida, come que é uma beleza. Tudo isso foi logo após fazer 1 ano, com 11 meses e 29 dias, recusava tudo. Parece mágica. Aliás, vc me deu uma ideia: vamos escrever um livro sobre a mágica do 1 ano e, se não der certo para todas, a gente diz na cara que o problema é delas, das mães, e de seus filhos deprogramados? 😛
    Beijos

    Comentário by Paloma — outubro 25, 2011 @ 6:56 pm

  14. bora! a gente cria um padrão mágico: quando completar 1 ano tem que melhorar das coisas ruins, tem que dormir a noite inteira, tem que andar e falar pelo menos 3 palavras. e se nada disso acontecer é OBÓVIO que a culpa é das mães, optaram por uma desnecesária e que não amamentaram os filhos exclusivamente até os 6 meses em livre demanda.
    ahahahhahahahahha!

    Comentário by luíza diener — outubro 25, 2011 @ 8:40 pm

  15. tb fiquei mais tranquila de saber que eu e minha bebês não somos as únicas rebeldes da rotina

    Comentário by Dani — outubro 25, 2011 @ 7:08 pm

  16. bem vinda ao clube das mães rebeldes!

    Comentário by luíza diener — outubro 25, 2011 @ 8:40 pm

  17. luiza gostei muito de saber sobre sua opnião sobre rotina, ou a falta dela. vivemos num mundo onde se deve ter horário pra tudo e isso, muitas vezes, maioria, recai sobre os bebes, onde estipulam que o certo é o bebe dormir a noite inteira, não mamar no peito,entre outros. confesso que me sinto perdida as vezes, pois meu filho não come muito, isso quando come e isso me preocupa, mas sei que é fase. é muito bom saber que outras mães passam pelo q eu estou passando, já passaram e como vc disse tudo muda depois de 1 ano. poder conhecer outras experiêcias, ajuda a tirar um pouco a "culpa" que a mãe carrega. valeu.

    Comentário by ana — outubro 25, 2011 @ 9:12 pm

  18. O que eu descobri com a Alice é que, até quase 18 meses, quando conseguimos estabelecer uma rotina, a criança já cresceu e MUDA TUDO!hahahahaha Sou como você… a ordem sempre foi a mesma, o horário era parecido, mas não duro!
    Rotina mesmo eu só consegui estabelecer depois dos 2 anos e uns 2 ou 3 meses, quando ela parou de dormir de dia e tinha escola pela manhã. Aí o horário começou a pegar feio porque ela PRECISA dormir 12h, ou fica azeda, e PRECISA acordar as 6.30h/7h… então é cama as 18.30h!!!

    Comentário by Mariana Perri — outubro 25, 2011 @ 9:53 pm

  19. EU TENHO MEDO DA ENCANTADORA DE BEBES… Qdo engravidei uma amiga muito querida me presenteou com esse livro e disse que sua cunhada (a dela) tinha e adorava… Fiquei encantada com as possibilidades de soluções para todo e qualquer problema… Doce ilusão… Foi só meu bebe nascer pra eu não ler mais nem uma paginazinha sequer… Onde estão as respostas??? Bem na sua frente, ou melhor, bem nos seus braços… E é isso que eu digo pra todas as minhas amigas que engravidaram depois de mim: ESQUEÇA OS LIVROS, OS PADRÕES E PRINCIPALMENTE AS "CUMADI" DE PLANTÃO, SIGA SEU CORAÇÃO… e a amiga, que continua querida, morre de rir qdo eu falo que se ela tiver um filho vou fazê-la ler tudinho por em prática cada lição…

    Comentário by juliana pauli — outubro 25, 2011 @ 10:09 pm

  20. eu virei escrava da encantadora de bebês por uma semana e isso foi muito estressante pra mim, pro meu filho e pra todos que conviviam com a gente. a rigidez do livro me fazia acreditar que eu não estava sendo uma boa mãe se nao seguisse aquilo à risca até que entendi que meu filho não era um robô. Compreendi que ninguém entende mais do MEU filho do que eu mesma que convivo com ele desde que ele vivia na minha barriga e era só uma sementinha.
    Paramos de sofrer quando entendemos que não temos que viver de acordo com os modelos dos livros ou com as experiências de outras mães que vivem em outros contextos e tem filhos que são indivíduos totalmente diferentes dos nossos. meu marido tem um blog que fala do nosso dia a dia com o Antônio Bento (hoje com 2 meses e meio): http://www.paiciencia.blogspot.com

    beijos

    Comentário by Juliana Mattoni — outubro 25, 2011 @ 11:30 pm

  21. Luiza,

    que privilégio esse seu!!! Ainda bem que você tem consciência disso, porque muitas mães gostariam de estar na sua posição (myself included!!!).

    Na época da licença, eu também não tinha rotina para nada. O peito era praticamente toda hora e eu adorava. Agora que voltei a trabalhar os horários voltaram a fazer parte da minha vida (uéuéuéuéeeee). Então, Davi mama às 6h, na hora do almoço (quando eu dou uma fugidinha para a creche por volta de 11h30) e quando eu o pego de volta (às18h). Depois, mama a noite toda, iNgual Benjamin. Mama para dormir às 19h30-20h, acorda mais ou menos umas duas horas depois (às vezes para mamar, às vezes só para um colinho) e segue acordando de madrugada em horários diversos (às vezes de hora em hora – punk! – às vezes lá pelas 3h e só).

    E posso dizer que penso o mesmo que você? Não me incomoda nadica de nada essas mamadas noturnas. Óbvio que gostaria de dormir direto, mas acho muito melhor dar o peito do que tentar acostumá-lo a ficar sem enquanto ainda eu acho que não é a hora, que ele não está preparado. Vai fazer 8 meses na quinta e estou ansiosa para o marco dos 9 meses. 🙂

    E graças a essas mamadas da madrugada minha produção leiteira continua bombante!!! Rumo aos 2 anos de amamentação!!!

    bjim

    Comentário by Liza — outubro 26, 2011 @ 7:14 am

  22. Oi Luiza… Li A Encantadora ainda grávida. Confesso que coloquei muitas coisas em prática, outras deixei de lado. Creio que para esse tipo de leitura, temos que filtrar o que consideramos aplicável, e outras deletamos. O que mais me tocou na leitura (e o que mais coloquei em prática), foi respeitar a criança como individuo, observando os sinais, e seguindo as vontades do Dudu. Se ele tinha sono, dormia. Se tinha fome, mamava… tanto que teve uma época que eu nem me tocava a que horas mamou e quando era a próxima mamada… ele sabia. E era um reloginho. Aos poucos a rotina se instalou (automaticamente, no tempo dele), e a paz reinou. Quando ELE começou a dormir a noite toda foi porque ele estava preparado. As vezes (bem dificil) pede mamá à noite… e eu atendo. Se pediu é porque realmente teve fome.
    Acho rotina imprescindivel, mas eles colocam seus horários, e devemos respeitar. Afinal, eles são pequenos seres, e estamos aqui para ajudá-los, certo?
    Beijinhos, e adoro seu Blog!
    Fer

    Comentário by Fer — outubro 26, 2011 @ 8:33 am

  23. o Otávio nunca teve rotina, eu não tenho, nunca tive. como vou impor isso a ele? não existe. ~ pelo menos aqui.
    ele ja dormiu a noite toda, tipo umas 6h, ficou o dia inteiro sem dormir, ja acordou de uma em uma hora pra mamar, e hoje de exemplo essa noite… ele acordou a 1:30 e as 5:40; mamou e capotou. acordou pra valer as 7:30 e quando eram 9:30 dormiu novamente.
    sempre sempre sempre muda! nunca foi igual. e eu também não me importo.

    beijos

    Comentário by Mamãe do Otávio — outubro 26, 2011 @ 9:17 am

  24. oi luiza!

    realmente, vc tem o privilégio do tempo e o dia a seu favor. eu queria muito, muito, muito não precisar trabalhar (ou não depender tanto dele para pagar contas), mas preciso e tenho obrigação de ajudar o meu marido nas despesas da casa – que aumentaram consideravelmente com a chegada da Laura. Se eu não tivesse que trabalhar, teria parado, pq me questionei muito nesse período de transição da licença maternidade para a volta ao trabalho. eu amamentei mto pouco, por algumas questões, mas desde o início, qdo soube que não tinha leite e precisei complementar (com 1 semana de vida ela estava praticamente desnutrida e tinha emagrecido MUITO depois de sair da maternidade, precisei complementar as mamadas com mamadeira… ela nunca largou o peito, sempre gostou, mas não tinha leite mesmo… e com 3 meses, eu já não conseguia mantê-la bem mamando, pq ela sentia fome e ficava desesperada de não ter leite)…. de qlq forma, a Encantadora me ajudou muito, muito, muito qdo falamos de rotina, de dormir, de não acordar de madrugada. eu segui algumas dicas, nem todas…. não dá para aplicar tudo, eu acho. eu não consegui. mas apliquei muitas coisas boas e a Laura desde o terceiro mês dorme como um adulto cansado, das 20h às 7h. Nunca acorda para mamar, à exceção de dodói, em que ela acorda MESMO, uma vez por noite, toda noite em que está gripada. Eu acho rotina importante, mas não considero fundamental. Acredito, acima de tudo, que tem que vir para complementar a família, por que se tiver enlouquecendo a mãe ou o filho (ou o marido), então não está funcionando e é melhor abandonar qlq tentativa de rotina. Para mamães que podem ficar com seus bebês integralmente, deve ser muito bom viver sob os pedidos deles e uma hora eles entram nos eixos. Eu, como tive que voltar a trabalhar, precisava colocá-la em uma rotina para ir ao berçário, dormir e comer com os outros. De qlq forma, adoro pensar que um dia vou cuidar dela o dia inteiro, sem precisar trabalhar, nem nada, só curtir e cuidar dela (e dos que virão), então, vou me entregar de corpo, alma e coração ao meu dia com eles. Adorei o post, adorei! Vc escreve super bem! Adoro seus posts!
    Beijos,
    Dani http://viagensdeprimeiraviagem.blogspot.com

    Comentário by Daniela — outubro 26, 2011 @ 11:05 am

  25. oi Dani,
    Sei que isso foi publicado na muito tempo mas senti vontade de responder.
    Li todos os livros da encanta dora e gosto muito. Com a minha primeira filha so conseguimos ficar bem ( eu e ela) quando tivemos uma rotina. Também trabalho, as crianças tem que ir ao bercario e uma vida sem hora pra nada realmente e um luxo. Apesar de que aqui em casa todas precisam de rotina para ficarem bem, ainda mais com 2 de 1 aninho e uma de 4!
    Acho que as pessoas que acham que rotina significa escravidão e horários inflexíveis não leram com atenção ou não entenderam, ja que ela cita essa confusao varjas vezes. um beijo

    Comentário by Karina — maio 26, 2016 @ 1:01 am

  26. Luiza, estou grávida de quase oito meses e até agora não li nenhum livro… Acho importante buscar informações e orientações, mas achar que ali estarão todas as soluções para a vida materna não dá, né?!

    Eu confio muito na experiência e no que minha mãe diz, e uma das coisas que ela reforça é isso: que é importante ter uma rotina, mas que tem dias que a criança não vai querer comer, não vai dormir direito. Se a gente passa por perrengue, porque um bb não passaria?

    E outra, não dá para achar que a rotina será a mesma com um bb em casa, que ele vai dormir quando a gente quer, que ele vai chorar só o necessário e a vida vai continuar como era antes. É uma nova etapa, e acho que quem se aventura a entrar nela tem que ter consciência que abrirá mão de muita coisa e que as dificuldades existirão – assim como a recompensa.

    Admiro o caminho que esta trilhando. Pelo que mostrou, você primeiro procura entender as necessidades do Benjamin, e adaptar o ritmo dele com o seu.

    Comentário by Ana Paula — outubro 26, 2011 @ 11:49 am

  27. Ah que lindo o post adorei!!! ODEIO a Tracy e seus livros, logo no indice quanto ela categoriza os bebes, já começei a olhar torto, quando terminei o livro quis jogar no lixo (mas era emprestado). Mas algumas coisas eu concordo, bebe tem que ter rotina sim, é otimo para ele entender o que vai acontecer depois, mas rotina (pra mim) não segnifica que tal horario vai ter tal coisa, ainda mais que bebe não sabe que horas são neaum? Rotina (pra mim) é seguir as ordens das coisas, quando acorda mama, depois brinca, antes almoço eu mostro o cadeirao, antes de mamar eu dou umas batidinhas no peito (pra fazer milkshake) e pergunto se quer mamar, antes do banho aponto o banheiro e pergunto se ela quer, na hora de tirar a roupinha o mesmo reportorio de musicas etc… acho que isso é rotina, e alem disso tudo no inicio eu observei a rotina que ela estava criando, depois só ajudei a manter, mas mantendo a observação caso ela queira mudar e acho que é por ai que se respeita os filhotes como individuos e não robos!!! Lindo o post amei!

    Comentário by luana — outubro 26, 2011 @ 3:28 pm

  28. Eu acho que se vc ler mesmo os dois livros da Tracy vai ver que ela sugere a FLEXIBILIDADE sim e em muitos casos inclusive em TODOS esses que vc citou ai!
    Quando ela engessa o treinamento ou adestramento como vc chama eh APENAS (pra mim) para retirar o vicio da Paternidade acidental (como ela chama) Depois que o bebe foi REPROGRAMADO para a nova rotina pode flexibilizar a vontade (estou sem acento sorry) Mas enfim eu acho que vale super a pena a leitura ainda na gravidez, inclusive pra adotar a rotina e ver quais falhas podemos evitar pra nem ter que REPROGRAMAR nosso bebe! Eu resolvi escrever um BLOG a respeito das dicas dela justamente porque AMO A TRACY e seus conselhos (CLARO QUE nao da pra seguir a risca tudo porque ninguem eh igual) Mas ela eh uma otima conselheira e da otimas dicas em muitos aspectos. Na minha opiniao eh bem mais facil educar e ensinar as coisas ao nosso filho quando ele ja sabe oque vai acontecer no seu dia, principalmente quando eles ainda nao falam e nao podem se expressar!

    Comentário by Carol — outubro 26, 2011 @ 3:34 pm

  29. Ótimo post. As pessoas são escravas da rotina e as vezes acabam obrigando os filhos a seguirem, sem respeitar sua individualidade. Eu sou uma pessoa que precisa muito de uma rotina estabelecida para poder me organizar, o que não se aplica ao Fred. Confesso, que no começo eu até tentei, mas é como vc falou. Com bebês, não dá para tentar seguir um padrão, pois qualquer coisa interfere e eles já mudam o comportamento.
    Agora que começamos com as papinhas então, lá vou eu tentar seguir os horários que o pediatra passou, e nada dá certo, até que resolvo me guiar pela fome dele e as papinhas finalmente são aceitas…

    Beijos!!!

    Comentário by Fátima — outubro 26, 2011 @ 3:56 pm

  30. Oi Lu, seu post foi libertador!! Várias vezes me sinto péssima pois eu e meu pequeno José simplesmente não conseguimos uma rotina com horários fixos… Eu sempre paro e analiso e vejo que não foi por mal, nem por falta de planejamento, mas simplesmente porque não rolou de jeito nenhum!! Cada dia é um dia na vidinha dele, são tantas novidades!! E ainda por cima tem a nossa, que também não é compassada feito relógio! Obrigada por compartilhar!
    Beijos

    Comentário by Suzana — outubro 27, 2011 @ 12:42 pm

  31. Ai Luiza, esse seu post foi como um abraço apertado. Também fico com ele 24 horas por dia, também respeito rotina e também pratico a livre demanda ainda hoje e olha que ele tem 15 meses, E por ai vou até ele cansar. Bjo

    Comentário by Carolita — outubro 27, 2011 @ 7:44 pm

  32. Oi Luíza!
    Aqui a banda toca do mesmo jeito, tirando a mamada noturna que depois de um ano começei a negar, fazer aquele esquema da aguinha, sem tirar do berço, tem noites (raras) que ele não acorda, mas de qualquer forma a minha vida melhorou muito, porque se antes ele acordava 15 vezes (quase de hora em hora, mesmo aos 11 meses), hoje é só uma vez, daí chora, bebe agua, eu converso que não tem mama, e ele acaba se deitando e dormindo de novo!
    E agora com as andadas, as palavrinhas, graçinhas e muito charme, eu tenho me dado conta de que o tempo de bebezinho passou, e bate aquela saudade, do bebê quietinho, que só observava o mundo e pouco se expressava, aí me dei conta que não é bem assim, porque ainda tenho isso nas mamadas (não em todas, porque hoje é bem mais inquieto), mas ainda rola um olho no olho gostoso, e ele quietinho, como quando era uma minhoquinha… enfim, amamentar é uma delícia e também não pretendo perder isso, e nem colocar horários, tendo a vantagem de saber que quando eu não estou ele se vira com as comidinhas!
    Beijos, e apesar do silêncio, sempre que posso passo por aqui para saber do Benjamin e de tantas outras coisas que adoro!

    Comentário by Tainá — novembro 4, 2011 @ 10:01 pm

  33. Lindo blog de vcs.Parabens.Emocionante a transparencia e sensibilidade da familia.
    Meus olhos se encheram de lagrimas em varios posts,tamanha a identificaçao com o
    assunto e a delicadeza da abordagem.
    Parabens

    Comentário by Patricia — novembro 24, 2011 @ 2:28 pm

  34. Lindo Blog Lu, saiba que amamentei minha bebê até 2 anos e 7 meses e não me arrependo, ela nunca dormiu uma noite inteira, dorme super tarde e acorda na madrugada mesmo depois de não mamar mais no peito…mas nem ligo
    só de ver a saúde que ela tem..esqueço das noites mal dormidas e ela pendurada no meu peito…sinto até saudades!!!
    um abraço!!!

    Comentário by karina — novembro 25, 2011 @ 2:52 pm

  35. OLá, quando meu filho fez 1 ano ele ainda acordava pra mamar pelo menos 1 vez, com o tempo ele msmo parou…
    Hoje ele tem uma irmãzinha de 3 meses. Tive que deixar de amamentá-lo durante 1 mês e 1/2 +/-, por conta do rompimento da minha bolsa e das internações, mas hoje em dia amamento a menina exclusivamente com leite materno e o meu filho ainda mama quando quer dormir ou quando quer só um colinho mesmo. Fico feliz de poder tratar os 2 da msma forma e poder ajudar eles a crescerem de forma mais saudável.

    Comentário by Clazieli — fevereiro 3, 2012 @ 8:23 pm

  36. Incrível!! Que prazer ler esse post… lindo, sensato e emocionante… Não acho que mãe é tudo igual, mas se ver em outra mãe é uma sensação muio boa! Abração.

    Comentário by Simone — fevereiro 10, 2012 @ 9:35 pm

  37. ei luiza! qual o tamanho desse babo uabu do benjoca???? comprei um pro meu filhote que esta prestes a completar 1 ano no tamanho M (12 a 18 meses), mas ficou enooooorme. bjokas

    Comentário by enquantoeliasdorme — julho 18, 2012 @ 12:38 pm

  38. Eu tentei estabelecer a rotina da encantadora de bebes para meu bebe de 4 meses…resultado: ele ficou super irritado…e chorava sem parar…dai parei e ele voltou a ficar calminho…ele dorme a hora que ele quer, mama a hora que quer…dorme as vezes no carrinho..ás vezes no sofá…e isso nunca prejudicou seu sono a noite… ele dorme no berço tranquilamente e não fica chorando..ele acorda pra mamar de madrugada..mas faz parte..ele sente fome…e essa mamada dos sonhos…nunca deu certo ele acorda mesmo assim de madrugada…pq ele ta dormindo e como ele vai mamar bem? sei la fiz a experiencia e só me irriteei,

    Comentário by Jaqueline — abril 10, 2013 @ 2:22 pm

  39. Luíza, aqui em casa a rotina funcionou, mas, talvez pq eu não tenha aplicado como uma coisa estanque e tb pq, no meu caso, pra minha filha foi um fator tranquilizante para ela, e eu sempre tinha em mente a consciencia de que quando não mais funcionasse pra gente eu abandonaria. Não sei se num próximo filho vai funcionar, cada bebê tem suas peculiaridades. Mas acho q maternidade é bem isso, a gente tem achar o q funciona pra gente, pra nossa família e sempre respeitar nossos filhos como indivíduos! Um beijão

    Comentário by sabrinamori — novembro 20, 2013 @ 11:48 am

  40. Nossa lendo seu post parecia que estava falando de mim, me sinto tão insegura em tantas questões. Minha filha vai completar 01 ano este mês, ela mama no peito, mas meu marido quer que eu tire ela do peito. Eu não gostaria de fazer isso, como vc mesmo disse é uma coisa tão boa uma ligação direta de muito amor.

    Comentário by Léia — janeiro 21, 2014 @ 12:09 pm

RSS feed for comments on this post.
TrackBack URL

Leave a comment