pode entrar, mas não repara a bagunça

minha casa é uma bagunça, mas nem sempre foi assim. houve uma época em que eu me esmerava em faxinar a casa todo santo dia, mas isso foi no meu tempo de recém casada.
a euforia passou, os filhos vieram e hoje, se você chegar por aqui sem ter avisado antes (leia por antes um prazo de pelo menos 24 horas de antecedência), vai encontrar caos e devastação.
por várias vezes já recorremos a livros, sites e outras fontes de ajuda, mas sempre foi em vão.
por outras tantas até conseguimos manter a casa arrumada durante alguns dias ou semanas, mas nunca por um mês inteiro.
na minha segunda gestação, senti-me extremamente cansada. às vezes passava o dia inteiro deitada no sofá e mesmo assim, no fim do dia, parecia ter corrido uma maratona.
foi quando a bagunça degringolou de vez porque, além de não arrumar nada, eu ainda tinha meu próprio furacãozinho que se encarregava de tirar tudo do lugar.
o mais curioso é que o quarto dele sempre foi o cômodo mais organizado da casa. imagina o resto dela, então.
enquanto o cansaço da gravidez me consumia, meu marido tentava se desdobrar em mil para me ajudar como podia, mas isso acabou por gerar um desgaste enorme não apenas na dinâmica da casa, mas do casal.

por muitos meses a grana estava curta demais para pagar uma faxineira.
em outros, pareceu dar uma aliviada, mas não encontrávamos ninguém disposto a nos ajudar. acho que a zorra da minha casa espantava toda funcionária que pisava o pé aqui.
até que constança nasceu. pensei que aí sim tudo estaria perdido de vez.
mas contei com a boa vontade da minha mãe e de uma antiga faxineira que resolveu voltar a vir aqui em casa.
aos poucos a roupa suja acumulada de séculos foi sendo lavada e passada. ter alguém para lavar a louça uma vez por semana de alguma forma tirou o peso da responsabilidade dos outros dias (sim, já tivemos brigas homéricas por causa de louça).

mas nos deparamos com um novo problema: como guardar a bagunça limpa?
qual a melhor forma de organizar um guarda roupa, os armários da cozinha, do banheiro, a cômoda das crianças? parte da roupa limpa e passada foi se acumulando no andar de cima do beliche. outra parte, empilhada no criado mudo do quarto. as vasilhas e panelas, socadas de qualquer jeito dentro do armário.
concluí que o maior problema não é o tempo ou a falta dele em si, mas a desordem mental em que nos encontramos. é tanta coisa realmente importante para fazer e pensar, um desgaste tão grande de ter que cuidar e educar dois filhos durante o dia que, quando sobra um tempinho, tudo que queremos é descansar e nos divertir um pouco. não que isso seja ruim. é ótimo, é necessário. mas paramos de dar bola para qualquer tipo de organização, o que gerou um novo problema dentro de casa.

por achar que a coisa chegou ao ponto de ter fugido do meu (do nosso) controle, decidimos procurar a ajuda de alguém que realmente entenda do assunto.
por isso criamos esse plano brilhante de retomar o controle do nosso lar em 30 dias. começando aos poucos, sempre dentro do nosso limite, mas mantendo a constância (rá!) de sempre, todos os dias, fazer a tarefa que nos for proposta. sem deixar pra depois, gerando um novo acúmulo, já que é assim que o caos se instala por aqui.

a ideia do projeto, a princípio é contar com a ajuda de uma personal organizer + coach e ter esses momentos registrados de diversar formas:

  • através de textos: tanto hilan como eu escreveremos diariamente nossas impressões sobre a tarefa do dia. ainda será elaborada uma espécie de questionário, para dar mais direcionamento aos textos. eles serão exibidos em forma de posts diários.

  • através de fotos: algumas fotos que narrem um pouco como foi o dia. no início do projeto haveria uma sessão de fotos de como a casa se encontrava antes. a ideia é pegar um dia comum, sem disfarces nem exageros, para que os leitores tenham uma ideia realista da situação.

  • através de vídeos: pequenas pílulas de vídeo ao longo do dia (pode ser por celular mesmo), no estilo vídeo do instagram, contendo aproximadamente 30 segundos. também seria legal ter um vídeo semanal (4 vídeos no total) que fechem o saldo da semana e onde nós contamos nossa impressão sobre o projeto e como ele tem se desenvolvido e nos impactado.