paródia nova! – dez parquitos

Dez Parquitos paródia despacito

ter filhos é bom demais, mas vamos combinar que têm dias que parece que eles acordam virados no jiraiya e parece que não tem o que se faça pra manter eles entretidos dentro de casa (e nossa sanidade no lugar). nessas horas um parquinho parece a solução perfeita, até que a gente se depara com situações ainda mais esquisitas por lá.

não conhece o vídeo original? assista aqui (de preferência sem as crianças :P)

curiosidades sobre o vídeo

  • para este clipe, filmamos em 7 parquinhos diferentes, apesar da minha vontade de ter filmado em, literalmente, dez (brasilienses, vocês conseguem nomear todos esses parquitos?).
  • eu escrevi a letra da música em uma tarde.
  • eu passei essa tarde inteira rindo sozinha das minhas piadinhas infames.
  • eu queria ter feito a paródia em portunhol selvage, mas mantive em português com um toque e leve sotaque em portunhol pra não humilhar ninguém com meu vasto conhecimento em espanhol. ahahahahah!
  • e eu também ri muito sozinha enquanto editava esse vídeo e via as presepadas nossas e das crianças.
  • aliás, ainda que ninguém se divirta com essa paródia, já bastaram minhas próprias gargalhadas XD
  • a princípio a paródia chamaria-se dez pra cinco e falaria sobre as milhares de noites em claro que mulheres e homens passam depois que se tornam mães e pais, mas a coisa foi rumando pra dez parquitos e pegou com força.
  • desde o dia em que a letra da paródia foi escrita até o momento em que o vídeo finalizado subiu para o youtube, passaram-se 84 dias.
  • nesse meio tempo teve criança ficando doente, entrando e saindo de férias, teve vacina atrasada, dois filhos fazendo aniversário.
  • e, também, nesse meio tempo o clipe original, despacito, tornou-se o vídeo mais visto em toda a história do youtube. hoje já está com 3,5 bilhões de visualizações.
  • foram 3 dias de gravação de áudio + 24 horas de edição e mixagem (feitas pelo irmão do hilan), 5 dias de filmagens externas (parquitos), 3 dias de filmagens internas (casa) e mais de 2 semanas editando esse vídeo trancafiada dentro do home office com criança batendo na porta e chorando do lado de fora (hilan tava cuidando delas enquanto isso, viu?).
  • curiosamente, muitas das vezes em que eu estava trabalhando no vídeo, adivinha onde hilan levou as crianças? isso mesmo: a parquinhos diversos.
  • aproveito pra deixar a crítica: não sei na cidade de vocês, mas aqui em brasília é de se assustar a quantidade abusiva de vendedores ambulantes que se encontra quando vamos aos parques maiores no final de semana. é um bombardeio de gente vendendo algodão doce, balão, bolas, brinquedos infláveis, bugigangas que giram, acendem luzinha e embolam no cabelo das crianças. pra completar, temos que lidar com nossas crianças pedindo pra comprarmos esse tanto de quinquilharia. se eu quisesse fazer compras ia a um shopping, não a um parque.
  • perdemos nosso tempo e dinheiro comprando um cocô de mentira nesses quiosques de mágica no meio do shopping só pra não perder a piada “sabes que essa coisinha marrom não é um bombom”.
  • lupita aparece em boa parte das cenas mamando por uma simples questão de improviso. ela ia se cansando das filmagens ao longo do dia e essa era a forma de mantê-la tranquila sem precisar parar as gravações. uma cena dentro de casa (em que estou deitada no sofá com ela mamando em cima de mim) foi gravada na hora da soneca dela. ela acabou dormindo, graças a deus.
  • nenhuma criança rachou a cabeça durante a gravação deste vídeo.

ficha técnica

  • música original: despacito, de luis fonsi e daddy yankee
  • letra da paródia: luíza diener
  • roteiro adaptado: luíza diener
  • direção: luíza diener
  • edição: luíza diener
  • captação de cenas nos parquinhos do foguetão e 203 norte: anna beatriz e filipe brasileiro, agência mih (visite também o youtube da agência)
  • captação das demais cenas: hilan e luíza diener
  • captação de áudio, edição e mixagem: hebert diener
  • agradecimentos especiais: joca, sansa, lupe, agência mihhilan, hebert, tia gê, vovó mara, vovó daisy, tia lalá,  talyssa, anna clara, filipe, anna beatriz, joão, michele.
  • parquitos: piton farias (aka ana lidia, aka foguetão), 203 norte, jardim botânico, ccbb, 31o norte, parquito misterioso.
  • versão brasileira: hebert hilan

 

Related Posts with Thumbnails

12 comments

  1. Pense em clipe divertido! Só em ler esse post , vi o vídeo de novo e ri mais, trouxe uma leveza, principalmente por que eu estava muito tensa depois de ler um texto em um blog sobre como criar os filhos, com o detalhe, a pessoa não tem filhos. Mas, to tentando relevar, já fui essa pessoa. Já fui uma ótima mãe, mas ai tive filho.

  2. Lu, na verdade Brasília é ótima no quesito não-ter-vendedor-ambulante nos parquinhos. Eu só sei de camelô mesmo no Ana Lídia. Dentro das quadras isso não existe, nem no Jardim Botânico. Em outras cidades, é muito difícil achar parquinho sem ambulantes, porque são poucos e quase sempre ficam em praças movimentadas. Lá em Foz do Iguaçu, o melhor lugar pra levar crianças é cheio de ambulantes, e além das tranqueiras made in china tem aluguel de cama elástica e milhares de porcarias pra comer. Impossível ir sem gastar.

  3. Hahaha adorei, muito bom!
    Me vi! Fico louca para sair com meus 3 pequenos, aí fico um tempo no “parquito” e só penso em um lugar erudito hahaha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *