12 de junho

do que realmente precisa um bebê?

por luíza diener

tupso

quando se está grávida – especialmente do primeiro filho – parece que brotam “necessidades” que nunca antes pensamos que precisaríamos: babá eletrônica, kit de berço, trocador, cômoda… tudo isso é realmente imprescindível?
afinal, do que realmente precisa um bebê?

antes de mais nada, quero dizer aqui que adoro preparar as coisas para a chegada do bebê. idealizar o quartinho, pensar no que combina com o quê.
mas realmente há muita coisa sendo vendida como essencial que não passa de futilidade.
como sou sempre a favor da linha do equilíbrio, recomendo a leitura paralela deste texto, que escrevi há um tempinho.

cada um sabe da sua necessidade e até de seus sonhos de oferecer o melhor para o seu bebê.
por isso, decidi fazer uma lista bastante pessoal com itens necessários ou não no quartinho de um bebê:

– babá eletrônica: dispensável, especialmente se você mora em espaço pequeno.
apesar disso, ela pode ser bastante útil se você, por exemplo, mora em uma casa grande, com muitos cômodos e corre o risco de, por causa da distância, não ouvir o choro do bebê. mas aí também tem que ver, porque se a casa for grande demais, você vai precisar de uma boa babá eletrônica com um alcance sensacional. do contrário ela pode perder o sinal ou, pior, dar interferência e você captar barulhos estranhos de outros lugares (acredite. acontece).
mas se você vai dormir no quarto ao lado e faz uso da babá eletrônica por medo de não conseguir acordar ao bebê chorar, acredite: você vai acordar, mais cedo ou mais tarde. não se preocupe.
a babá eletrônica cumpre sua função, mas dá pra se virar sem. já aquelas com vídeo eu acho completamente dispensáveis.

– guarda roupa: você precisa de um lugar para guardar as roupas do seu bebê. fato. mas acho que muito melhor que um guarda roupas pequeno, pomposo e especializado para bebês é você já ir atrás de um normal, com muitas gavetas e lugares para pendurar as roupinhas, macacões e vestidinhos.
armário é armário. e, já que menino cresce, o ideal é ter um normal mesmo, um pra usar por um bommmm tempo.

– cômoda: é bom ter. não chega a ser indispensável mas, se você tiver espaço no quarto, é bem prática. a vantagem é que gavetas são ótimas para organizar e você também pode usar a parte superior da cômoda como espaço para trocar a fralda do bebê.
a desvantagem é que você tem que ficar agachando para pegar as coisas nas gavetas mais baixas, o que às vezes pode ser cansativo.
para evitar que, ao crescerem um pouco, os bebês abram as gavetas e façam aquela bagunça, você pode retirar os puxadores. funcionou aqui em casa.
minha dica é: se você tem espaço e um bom armário, de repente pode até dispensar a cômoda. já vi, inclusive, projetos onde o trocador fica dentro do guarda roupas. você abre a porta, tem um lugarzinho especial para fazer a troca, e depois fecha a porta, ficando tudo guardadinho ali.

– trocador: é bom ter. se você vai usá-lo em cima da cômoda ou num móvel mais alto. é uma mão na roda, especialmente se você deixar tudo que precisa à mão: fralda, algodão, lencinho, etc. facilita bastante na hora de trocar e você fica com aquele espaço reservado para tal. mas aqui em casa não tivemos e não morremos. trocávamos em cima da cama mesmo.

– kit de higiene: completamente dispensável. claro que você precisa do básico na hora da troca da fralda. mas gastar cem, duzentos ou sei lá quantos mil reais por um kit com cestinho de vime, potinhos temáticos de algodão, cotonete, garrafa térmica… peloamordedeus!
aliás, sejamos práticos: também acho garrafa térmica dispensável. você pode ter uma garrafinha qualquer e colocar água normal para molhar o algodão.
com o calor que se faz aqui no brasil na maior parte do ano, a água nem precisa estar quente para limpar o bebê, a não ser que ele nasça naquele inverno. aí você pode se valer da garrafa térmica, mas com certeza pode encontrar uma que valha menos que cem reais.
montei o kit do benjamin com potinhos de vidro (pote de mel, de geleia, etc): um para algodão, outro para cotonetes e deixava à mão o que mais achasse necessário (fraldas, lencinhos, cotonetes para limpeza do umbigo).
você pode decorar os potinhos com tecidos coloridos, papel contact estampado, adesivos ou o que mais sua imaginação permitir.
se quiser, também pode comprar aqueles kits básicos de banheiro, que vem porta algodões, cotonetes e dispenser de sabão e usar o dispenser para colocar a aguinha. sai bem mais em conta.

– quadrinhos e decorações: para o bebê é inútil, a não ser que você coloque à vista dele. entendo que alguns pais queiram colocar quadrinhos com a marca do pezinho, fotos de gestante, pulseirinha da maternidade, fotos do recém nascido e por aí vai.
lembranças sempre são válidas. mas não esqueça que o quarto é do bebê. o melhor seria deixar para decorar coisas que ele possa ter acesso visual, como quadrinhos seguros e bem fixos próximos ao chão, à altura da vista da criança.
as lembranças que você não quer deixar de ter podem ser espalhadas pela casa, criando uma memória bem mais interessante: no hall, no seu quarto ou até mesmo na sala, para compartilhar com as visitas.

– kit/protetor de berço: além de dispensável, pode ser perigoso para o bebê.
são aquelas almofadinhas que se amarram por dentro, às grades do berço, para que ele não bata na grade enquanto rola. ou, sei lá, pra que não prenda braços e pernas nas grades. nunca entendi direito.
nos estados unidos, há um movimento para que seja proibida a venda dos protetores.
no brasil, a sociedade brasileira de pediatria também desaconselha seu uso.
além de acumular poeira, ácaros, etc – o que pode prejudicar a saúde respiratória do bebê – há também o risco de morte por asfixia. o mesmo serve para travesseiros.
aqui não tivemos e não teremos. economize os 300 ou 500 reais que você gastaria com um desses em algo que valha realmente a pena.

– berço: facilita demais a vida dos pais. mas apesar de ser tido como item básico e primário na lista de enxoval da maiora dos brasileiros, também pode ser dispensado.
aqui em casa o segundinho não terá um berço propriamente dito. mas acho seu uso válido e muito prático.
apenas tome cuidado porque alguns bebês, ao crescer e aprenderem a ficar em pé, tentam pular a grade do berço. mesmo que ele seja regulável e você coloque o estrado lá embaixo, há alguns espertinhos que dão conta de fazer o prison break do mesmo jeito, especialmente se o berço tiver protetor, que acaba virando uma escadinha que ajuda na hora da fuga.

– poltrona de amamentação: no primeiro filho eu achava a coisa mais trambolhenta e inútil da vida. até que depois de um tempo usei uma dessas na casa de alguém, ou em algum fraldário. achei a coisa mais maravilhosa do planeta.
apesar de não ter tido grandes problemas na amamentação em si, minhas costas doíam bastante. e assim prosseguiu até os 2 anos e 3 meses do benjamin, quando ele desmamou.
nesse caso, uma poltrona teria sido bem vinda, principalmente porque logo terei mais um para amamentar e, se deus quiser, um terceiro. ou seja, uma poltrona pra ser usada por, sei lá, mais uns 5 ou 6 anos, vai ser bastante proveitosa.
mas se você pretende amamentar por pouco tempo, nem se dê ao trabalho.

– almofada de amamentação: útil, se você usar a almofada certa. no começo usei uma feita de espuma viscoelástica (essas da nasa) e super curtinha. não curti. na verdade mais atrapalhou que ajudou. depois ganhei uma de uma amiga, de espuma comum, naquele formato mais tradicional, que parece um U. a almofada “abraça” toda a sua cintura e dá apoio aos seus braços e ao bebê. especialmente quando ele é pequenininho e a postura certa influencia muito no modo como será feita a “pega” do bebê no peito.
ma boa postura, inclusive, pode definir a sua relação com a amamentação.
por isso, na minha opinião de defensora do aleitamento materno, vale muito a pena investir em acessórios para amamentação, se isso for te proporcionar conforto neste momento tão especial – principalmente pra quem teve um bebê tele sena como o meu, que mamava de hora em hora e ficava pendurado no peito por um bom tempo.

 

Barra_Posts_NOVA

 

Related Posts with Thumbnails

categorias: Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , bebelândia ou não, constança, enxoval do bebê, para bebês, para gestantes, publicidade, quer uma dica?, teste de produtos, tranqueiras de bebê

assine nosso feed ou receba por email


16 Comments »

  1. Adorei!!! Praticamente tudo que eu já tinha pensado intuitivamente! rsrsrsrs
    Lá em casa, pra parasita, vamos adaptar a ex-cama do meu marido, não vou montar quarto decorado e nem cômodas… Vamos pintar sim, deixar mais novinho e adaptar à realidade de um bebê que provavelmente usará o quarto por algum tempo, como criança…..
    Só não vou comrpar a poltrona de amamentação, simplesmente pq não cabe! :-S
    Mas tinha esquecido da almofada…. 😀
    bjoks
    Carol http://www.meuparasita.com

    Comentário by casoriocountdown — junho 12, 2013 @ 9:41 am

  2. A Ana usou a poltrona Beatriz como mamódromo. No começo ficou no quarto e hoje está na sala. Tem espaço para uma aí?

    Comentário by Aristeu Pires — junho 12, 2013 @ 10:02 am

  3. Para apartamentos eu realmente dispensaria a babá eletrônica, mas aqui em casa como são 2 andares eu usava muito pras sonecas durante o dia, enqt ela estava dormindo eu podia ficar na cozinha ou na sala adiantando outras coisas e se ela acordasse eu já estava ligada, mas dava muito chiado rs. dei graças a Deus quando parei de usar rs.

    Comentário by Raquel — junho 12, 2013 @ 10:28 am

  4. babá eletrônica com vídeo só é indispensável se você quiser gravar uma versão alternativa de Atividade Paranormal 😉

    Comentário by Ana — junho 12, 2013 @ 10:49 am

  5. Ando adorando essas postagens sobre o que é útil e o que não é.
    Estou bem prática e esse Kit berço, no começo eu estava achando lindo, mas comecei a desistir. Li aqui e imaginei a poeira, pq aqui onde moro é mto seco. Já tô pensando em desistir!

    Beijos!

    Comentário by Carol Marques — junho 12, 2013 @ 10:51 am

  6. Dos itens que você citou, os únicos que fiz questão de ter até o momento (devido as condições financeiras), foram a comoda, que resolvi reaproveitar a minha que tava servindo como sapateira, o trocador, que na verdade eu ganhei aquelas banheiras que você tampa e vira trocador (uma mão na roda esse negócio, só não sei se é seguro, mas semana que vem eu descubro). E do kit de higiene eu optei só pela garrafa térmica porque aqui o clima anda gelado e como semana que vem começa o inverno, coitado do neném com água gelada na bunda kkk
    Só os itens de amamentação que adoraria ter, mas não pude, mas acho que o bebê não precisa de mais nada além de amor, a mãe e muito leite!

    Comentário by Costurando Nuvens — junho 12, 2013 @ 11:44 am

  7. Eu só tenho um bebê mas muita coisa eu já sei que não faria questão pro segundo filho que se Deus quiser ainda vem. Eu usei e uso muito minha poltrona de amamentação, nos primeiros 15 dias eu fiquei na casa dos meus pais e lá não tinha a dita cuja, nossa, como eu sofri. Principalmente porque meu Bernardo ficava horas tentando até acertar a "pega", e quando ele acertava eu já estava moída. A babá eletrônica eu uso, porque dormimos todos em quartos fechados com ar condicionado (Belém do Pará, gente) e NUNCA que eu ouviria o bebê chorar nessas condições. Kit higiene eu mesma fiz, ainda uso pacas, e saiu beeeeem mais em conta. Kit de berço eu não tenho nem nunca quis nem nunca fez falta. Acho cafona, acmulador de ácaros, caro e perigoso.
    Enfim, 1º filho é fogo, você quer tudo e nem sabe se precisará!
    beijos
    Carol http://www.umnovotempo.net.br

    Comentário by Ana Carolina — junho 12, 2013 @ 2:29 pm

  8. Eu sempre penso nisso quando vejo, aquelas mamaes de primeira viagem que compram tanta coisa, e ficam desesperadas se esta faltando algo inutil e que ela acredita ser de vida ou morte…

    No meu primeiro filho, estava tao tranquila kkk eu sabia que estava gravida, mas nem parecia, nao me preocupei, so comprei um pouco de roupinhas , 2 pacotes de fraldas rn e produtos de higiene, nao tinha carrinho, nem berco, nem cadeirinha pro carro, nadinhaaaaa.. e ele nasceu! ganhei algumas coisinhas, com o tempo comprei o que achava necessario, que foi o carrinho de bebe e o berco mesmo so comprei quando ele comecou a engatinhar, sempre dormiu comigo na cama, mamadeira so dei qndo desmamei aos 10 meses de vida, entao acho que o necessario é o importante! e minha mentalidade continuou com o segundo e com o terceiro! todos usam o que foram do primeiro, e do segundo! claro que compro coisas novas pra eles, mas so o que precisam! e quanto a baba eletronica, nunca tive, mas morro de vontade de ter, so quando preciso tomar banho, porque tenho que tomar banho sempre que meu marido esta em casa… ja aconteceu de eu escutar o bebe chorando e era coisa da minha cabeca hauhauhahahaah… mas as dicas sao otimas!

    Comentário by bruna bulduk — junho 12, 2013 @ 5:28 pm

  9. […] *Fonte: Potencial Gestante […]

    Pingback by Do Que Realmente Precisa Um Bebê? | Bibliografia da Doula — junho 18, 2013 @ 1:39 pm

  10. Em primeiro lugar, a criança precisa de muito amor e carinho!
    Depois vem naturalmente!

    Comentário by Cha Verde — junho 23, 2013 @ 2:41 pm

  11. Com certeza primeiramente muito carinho, isso sem dúvidas, e o que uma mãe precisa? de um site como este rsrsrs

    Comentário by Roupa para Crianças — setembro 5, 2013 @ 8:50 am

  12. Adorei o site e essa postagem… se tivesse lido antes saberia, mas já comprei um kit berço (alias, lindinho demais!)… bom, mas como meu filho nascerá no inverno, creio que terá alguma serventia, como proteger do friozinho… mas juro q pensei q era essencial!
    Mas pelo menos ele já vem com mosquiteiro (aqui temos ataques de pernilongos toda noite), lençol, edredon e fronha. Assim já tenho um pouquinho de roupa de cama. Eu já comprei uma comoda e um roupeiro. Olhando tudo tem muito espaço, até demais, mas como pretendo ter um outro filho logo em seguida, eles dividirão todo esse espaço e no fim acho que fiz uma boa compra.
    Agora falta providenciar uma almofada de amamentação, concordo que deve ser uma mão na roda!

    Agora estou muito em dúvida sobre que tipo de carrinho comprar… considerando que vou usar já para o segundo filho, vale a pena comprar um com travel system? Sabe, que vem com bebe conforto junto? Ou é melhor comprar um mais simples, tipo pra passeio que não deita, pra usar qdo o bebe ja senta, e até lá carregar no sling? Aliás quando o bebe pode usar esse tipo de carrinho? Eu to super perdida nesse quesito!

    Parabens pelo ótimo site!

    Comentário by Luciana — fevereiro 28, 2014 @ 8:39 pm

  13. Oi, Luciana! Obrigada pelo comentário.
    Olha, eu acho que carrinhos Travel System ajudam, mas são dispensáveis também. Bebê conforto você vai precisar pra ter no carro, mas de resto eu acho aquilo meio trambolhento. Fora do carro ele só é útil nos primeiros meses e olhe lá, porque a maioria deles é extremamente quente.
    Eu apostaria num carrinho tipo guarda chuva, mas que recline. Não faça como eu e tenha um carrinho que não reclina porque vira um estorvo. No meio do passeio acontece vez ou outra (ou várias vezes) deles dormirem. Aí ficam sentados com o pescoço pendurado. Super desconfortável pra eles.

    Sling é ótimo. Excelente nos primeiros meses (o wrap sling é o melhor no começo) e também pra alguns passeios onde os carrinhos não chegam, como em trilhas ou ao andar de ônibus. Ah! como o sling já me salvou ao andar de ônibus (especialmente o pouch ou sling de bolso, que é uma peça única e não esquenta tanto quanto o wrap).

    Beijo

    Comentário by luíza diener — março 5, 2014 @ 8:52 pm

  14. É verdade.

    Comentário by ketina — setembro 22, 2014 @ 1:05 pm

  15. Muito bacana o post e comentários! Super úteis! Estou na minha primeira gravidez e sempre suspeitei das enormes listas de enxoval. Pretendo amamentar até uns 10 meses, vale a pena investir numa poltrona ou a almofada de amamentação já basta?

    Comentário by Priscila Ramos — abril 21, 2016 @ 4:32 pm

  16. Adorei essas dicas, sou mae de primeira viagem e estou com várias duvidas ainda sobre o que comprar e o que não comprar, vou morar em uma casa com um quarto só e o bebe ficara com a gente, e o espaço e pequeno já desisti da comoda pra economizar espaço, agora vou desistir do kits de berços , realmente só existe pra atrapalhar aquilo. Muito obrigada por ajudarem

    Comentário by Kryslley — julho 2, 2016 @ 5:57 am

RSS feed for comments on this post.
TrackBack URL

Leave a comment

*