28 de agosto

em busca da manga perdida

por luíza diener

mangas

mês passado comprei um monte de manga no mercado. manga rosa, aquela fibrosa, mas extremamente saborosa. minha favorita.

coloquei as mangas na fruteira, torcendo para que amadurecessem logo.
pouco a pouco elas passaram a se tornar comestíveis.
na época, o benjamin estava doente e passando por um surto de querer chamar atenção.
foi então que, num momento em que hilan e eu não podíamos focar nele, ele aprontou todas: colocou seus sapatos dentro do lixo, levou as vassouras para a sala, jogou algumas roupas no chão, espalhou as mangas pela cozinha.
havia quatro mangas na fruteira, mas só consegui recolher três.
procurei, procurei e nada achei. olhei desde os lugares mais óbvios até os mais improváveis: debaixo do fogão, da geladeira, atrás da máquina de lavar roupa. procurei no armário de temperos e no de panelas. olhei dentro de algumas vasilhas. depois de alguns dias, acabei por desisti. vai ver ele jogou no lixo, junto com os sapatos dele.

às vezes o benjamin se comporta como um duende ou um saci pererê. sai tirando tudo do lugar, some com um monte de coisa, faz barulhos atormentadores e deixa todo mundo enlouquecido.

aí hoje eu ouço o benjamin gritar distante: “vem ver, mamãe!”. chego na área de serviço e lá está ele com um pote na mão, abrindo a tampa: “olha, tá podre!”, como quem achou ouro dentro do pote. vou ver e lá está a manga. preta, podre, cheia de chorume. fecho o pote no mesmo instante e corro pra jogar no lixo lá fora.

até que a manga apareceu de um jeito sereno de ser. juro que achava que seria de um jeito mais dramático. a casa começaria a feder. um cheiro putrefato e insuportável. a princípio acharíamos que era algo na geladeira. revisaríamos tudo lá dentro e o fedor continuaria, cada dia mais forte, até se assemelhar mais ao cheiro de um cadáver. chamaríamos a polícia e, depois de muita investigação o pequeno corpo oval e podre surgiria.

mas abrir e fechar aquele pote rapidinho nem deu tempo de cheirar nada.
benzadeus!

Related Posts with Thumbnails

categorias: 3 anos, benjamin, criança

assine nosso feed ou receba por email


10 Comments »

  1. Nossaaaaaa encontrei ontem uma laranja no baú de brinquedos do Matheus, pensa o cheiro ruim que esta lá…ele pega elas pra brincar….pensaaaaa!!!!!

    Comentário by Nethy Lima — agosto 28, 2013 @ 10:21 am

  2. Hahahaha. Quando eu era criança fiz uma dessas. Escondi a couve-flor cozida que não queria comer num pote de madeira com tampa, forrado com isopor, que ficava no buffet da copa-cozinha. Depois de ter a casa fedendo por uns dias, limpar geladeira, armários, e nada resolver, encontraram a couve podre no pote… Espero que a Beatriz não siga esses meus passos rsrs.

    Comentário by Cris Nunes — agosto 28, 2013 @ 10:39 am

  3. hahaahhaah
    dalhe benjoca!
    adoro que ele tenha feito isso de maneira "consciente". Vem mamãe!

    Comentário by isa sperandio — agosto 28, 2013 @ 10:41 am

  4. joga o chorume na terra que é adubo, enterra na terra da pracinha que a terra agrade! rs

    Linus não costuma perder as coisas não, pq ele é muito apegado e fica triste pra sempre quando alguma coisa dele some!

    Mas ele curte brincar com sementes num geral… feijão de molho é certo que ele pede pra mexer!

    Comentário by carolina tsai — agosto 28, 2013 @ 11:11 am

  5. fiquei com tanto medo de sentir o fedor (de defunto) que joguei tudo no lixo.
    queria ter sido mais eco-poeta, mas vai ficar pra uma outra oportunidade

    Comentário by luíza diener — agosto 28, 2013 @ 1:12 pm

  6. Sabe o que eu acho o melhor de td?! A forma como a maternidade nos faz encarar as coisas: o velho, podia ser pior! Um bj no Benjoca que traz risadas pras minhas últimas, longas e extenuantes semanas de gravidez!

    Comentário by Manu bento — agosto 28, 2013 @ 11:25 am

  7. Muito boa! Meu menino também tem dessas artes… A gente sofre mas se diverte, não é? Abraço

    Comentário by Patricia — agosto 28, 2013 @ 2:50 pm

  8. E comigo que em uma viagem para Caldas deixei meu celular em cima da mesa de cabeceira e saimos para a piscina. Na volta procurei em todos os lugares e não encontrava. Rastreei pelo celular do meu marido pelo aplicativo e deu que ele estava numa rua próxima (e a gente nem tinha saido do hotel). Tive a certeza que ele roubaram e acionamos a gerência do hotel que por sua vez chamou a polícia. Parecia cena de filme (isso meu marido contando) que foi ele, com o policial e o segurança do hotel guiados pelo aplicativo e em busca do celular. Entraram em outro clube e foram mato a dentro… kkk
    Quando de repente meu marido atualiza e ele localiza o celular no hotel e liga nele. Eu no quarto, com as crianças dormindo, escuto um barulho do celular vibrando e saio olhando em tudo quanto é lugar. E onde estava o celular??? Onde??? No lugar mais obvio de todos: dentro do FRIGOBAR. Pense na vergonha do meu marido… rsrsrsrs Fizeram auditoria na porta pra saber quem tinha entrado lá no quarto.
    Pra terminar perguntamos as meninas se elas tinham pego no celular. Uma dizia que não tinha pego. Aí a outra com a cara mais lavada do mundo responde: Ué mamãe, guardei na geladeira!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Comentário by Mayara — agosto 28, 2013 @ 5:56 pm

  9. Muito bom! Aqui estamos a procura da lampada da luminária. Já vasculhamos todos os possíveis locais e esconderijos dela e nada. Ó céus, pior que não apodrece.
    Bjo

    Comentário by Noemi — agosto 29, 2013 @ 3:12 pm

  10. "às vezes o benjamin se comporta como um duende ou um saci pererê. sai tirando tudo do lugar, some com um monte de coisa, faz barulhos atormentadores e deixa todo mundo enlouquecido."
    ri alto aqui! descrição perfeita de muitos pequenos por aí! rs

    Comentário by Ana Paiva — setembro 5, 2013 @ 12:09 pm

RSS feed for comments on this post.
TrackBack URL

Leave a comment

*