07 de novembro

escolhas e consequências

por luíza diener

ontem eu li um texto que dizia basicamente que os filhos são estranhos que devemos conhecer. eles possuem jeito e ritmo próprios de pensar, crescer, viver. é preciso tempo e paciência para que os pais os conheçam e os pequenos sintam-se em casa.
parece duro, mas é verdade.
lembra das primeiras semanas e meses de vida dos seus filhos? diz aí se não foi difícil?
é uma adaptação muito esquisita que acontece.
o tempo ajuda este amor a crescer e amadurecer até o momento em que pais e filhos descubram-se como semelhantes.

(abre parêntese) lembro-me bem de quando meus pais separaram-se.
na época eu era a caçulinha do papai (mesmo que já tivesse 15 anos).
mas ele foi morar em outra cidade e passamos a nos ver com uma frequência bem menor.
basicamente um ano depois, fui passar as férias com ele e foi a coisa mais esquisita.
ele alugou vários filmes de criança para assistirmos. fez brincadeiras que eu gostava quando era pequena e uma série de outras coisas que achei bastante infantis.
eu estava namorando e ele (até então super ciumento) não deu a mínima e continuou a me tratar como uma menininha de 10 anos.
a imagem dele ao meu respeito parou no tempo e ainda retrocedeu.
tudo isso porque o nosso convívio havia diminuído, o que aumentou ainda mais nosso estranhamento de pai pra filha e vice versa (fecha parêntese).

se eu pudesse escolher meu futuro, nunca teria permitido essa ruptura nos relacionamento dos meus pais (e, consequentemente, meu e de minhas irmãs).
acredito também que eles fariam diferente.

de repente minha mãe se viu sozinha criando três adolescentes rumando para a vida universitária.
as finanças mudaram e a opção de fazer uma faculdade particular, por exemplo, foi riscada do papel.
a sorte é que no fim tudo se ajeitou e conseguimos entrar pra universidade pública.

pra não dizer que não ganhamos carro, dividimos um que havia sido da minha avó e minha mãe comprou a um preço mais que simbólico (não custou mais de 3 mil reais). mesmo assim, tudo muito apertado, contadinho na ponta do lápis.

a história do hilan não foi diferente. aliás, foi mais complicada.
pra poder fazer uma faculdade, a melhor oportunidade que ele teve foi financiá-la por 10 anos, pois não tinha ninguém pra ajudá-lo.
hoje estamos casados, com um filho, mas ainda falta 1 ano pra quitar a bendita.

e daí que nós decidimos que com nossos filhos será diferente.
claro, faremos de tudo para permanecermos unidos e darmos um lar estruturado a eles (e aos nossos netos).
mas não sabemos dos imprevistos que podem aparecer ao longo da vida.
por isso que, antes do benjoca nascer, decidimos fazer um plano de previdência para ele.

é um dinheiro que ficará intocado até que ele complete 18 ou 21 anos (ainda não decidimos. só o tempo dirá).
para o quê? pode ser pra pagar a faculdade ou comprar um carro. mas também pode ser pra bancar uma viagem ou intercâmbio (coisa que ficou só nos meus humildes sonhos adolescentes).
uma quantidade pequena, quase insignificante, mas que fará uma grande diferença no futuro.

e aqui começa o publieditorial:
o itaú está com um brandchannel no youtube chamado itaú invista.
lá você pode simular quanto gostaria de investir para seu filho por dia ou mês e qual o prazo para este investimento. aí ele dá uma média de quanto será poupado até que se complete esta data.
também da pra fazer o contrário.
por exemplo: você sabia que, juntando R$ 5,00 por dia, seu filho pode receber mais de 70 mil reais ao completar 21 anos?

e lá também tem um joguinho pra brincar junto com as crianças que mostra que, economizando R$ 2,00 por dia já dá pra realizar um sonho quando ele crescer.

olha a foto do futuro do papai com o filhote (porque eles que são os bonitos) aprontando altas confusões e se metendo em grandes aventuras:

porque uma escolha muda todo o futuro de quem você ama.

acesse e faça uma simulação do futuro: www.itau.com.br/invista

 

Related Posts with Thumbnails

categorias: filosofia de boteco, publicidade

assine nosso feed ou receba por email


8 Comments »

  1. Adorei o post! É essa a nossa realidade aqui em casa e faremos sim, um plano de previdência para a nossa Alice. Para nós foi muito díficil pois tive que estudar depois de muito tempo e até agora não terminei a faculdade, por falta de tempo, dinheiro, etc. Adoro todos os posts e acho que vcs são bem transparentes nessas questões de publicidade. Parabéns!

    Comentário by Diva de Morais — novembro 8, 2011 @ 11:23 am

  2. Concordo que tem que colocar a palavra publi ou parceria, muito bem colocado, Lu. E vc sempre coloca, o que eu acho louvavel. E, Sonia, nao da pra fazer um pedido desse, o blog eh diversao pra vcs, mas eh tbem ganha pao da Lu. Beijos!

    Comentário by Roberta — novembro 8, 2011 @ 11:38 am

  3. cada dia que passa mais admiro a roberta! tu é porreta!

    Comentário by HilanDiener — novembro 8, 2011 @ 11:41 am

  4. "esse publieditorial todo tá fazendo com que o blog […] perca sua essência".

    concordo e assino embaixo, sonia. quando rola um post publideditorial eles deixam de falar sobre maternidade & filhos para falar de construção de foguetes, crise na europa, a saúde do lula e coisas afins. é muito triste mesmo fugir do foco assim.

    vou zerar a redação deles, não se preocupe.

    Comentário by iulo — novembro 8, 2011 @ 6:16 pm

  5. tentando limpar o spam, sem querer deletei o coment da sonia… ouch!

    Luiza, acho que vcs poderiam parar/diminuir um pouco essa publicidade do blog de vocês! MINHA OPINIÃO!!!

    Acho (eu) que fica uma coisa chata de se ler, pois vemos apenas no fim que é publicidade… e é ruim, ninguém gosta!

    Os leitores do seu blog se tornaram "fiéis" a vcs pelos textos próprios seu e do Hilan, que são muito bons, mas esse publieditorial todo tá fazendo com que o blog deixe de ser o que era, ou seja, muito bom e perca sua essência.

    Bjus, não se magoem, apenas estou dando minha opinião como leitora.

    Comentário by HilanDiener — novembro 9, 2011 @ 8:53 am

  6. tentando limpar os spams acabei deletando o coment da roberta

    Concordo que tem que colocar a palavra publi ou parceria, muito bem colocado, Lu. E vc sempre coloca, o que eu acho louvavel. E, Sonia, nao da pra fazer um pedido desse, o blog eh diversao pra vcs, mas eh tbem ganha pao da Lu. Beijos!

    Comentário by HilanDiener — novembro 9, 2011 @ 9:14 am

  7. Eu amei o post. Isso também é utilidade pública para as mamãe e papais. Não vejo problema nenhum nos post publicitários, pelo contrário, é uma ótima maneira de conhecer novos produtos.

    Comentário by CRIS — novembro 9, 2011 @ 10:48 am

  8. Oláaaa!!!
    Eu e meu namorado chegamos recente do exterior para ganhar e criar o nosso bebezinho aqui no Brasil, perto de nossas famílias…e depois de tanto tempo fora, chegar aqui e bater de frente com uma realidade e padrão financeiro totalmente diferente do que tínhamos lá no Japão é assustador!!! Dá um medinho…Não por mim nem por ele, afinal somos maiores e vacinados, mas por nossa família que já inclui nosso picurruxo que ainda está na barriga…Podem ter certeza que para nós aqui, sendo post publicitário ou não foi excelente a dica, e se for para continuar sendo apresentadas novidades desta maneira super interessante que é feita continuaremos sendo seus fãs e tirando proveito também…Bjs e parabéns pela iniciativa….

    Comentário by Tamara Martinelli — novembro 9, 2011 @ 10:22 pm

RSS feed for comments on this post.
TrackBack URL

Leave a comment