Judiação

Eu filmei o parto da luíza. Me falaram: Como você conseguiu? Você é muito forte. Forte mesmo é a ela! Coragem ali não falta. Eu no lugar dela teria pedido para sair de casa dopado. “Pode fazer a ultra mega plus cesária, to dentro!” Sou homem demais para parto normal. Viva a cesárea!… not.

Nem sei de onde tirei força para agüentar ver a esposa gritando e ainda mais aquele tanto de sangue. Acho que a expectativa de ver o Benjamin era tão grande que não agüentei.

Anteontem fomos vacinar o baby, que dó! Isso eu não consigo ver. A vontade que dá é de bater na médica que ta aplicando a vacina, sobe até um calor! Sou só eu? Descobri que sou um fracote. Se tem uma coisa que me da calafrio e suores é ver o Benji levando agulhada.  Teste do pezinho, vacina BCG, hepatite, o escambau, geralmente o bixinho ta dormindo gostoso (coisa que ele mais faz) vem uma mulher de branco e tasca uma agulhada sem dó! Buaaaaaaaa! é um berro violento e cheio de careta! Mas nada é pior que coleta de sangue. Nem quis entrar na sala. A Luíza ficou segurando o bracinho.

Eis que adentro ao mundo tenebroso da pediatria:

Foi assim: Fomos na pediatra, que eu não gostei, a mulher só falava com a Luíza:

– Mãezinha quando for dar de mamar faz isso… Mãezinha cuidado com isso, não esqueça disso! Mãezinha. Mãezinha para cá e pra lá. Pô meu! vamos incluir o paizão aqui!? Afinal este garoto não foi feito invitro não, foi fifiti fifiti. Até a vovó reparou que eu estava sobrando naquela sala.

Engraçado que na hora de pagar eles lembram do paizinho. A boa noticia é que o Ben  está bem (hehehe) e que esta judiação é pro bem dele, se não fosse nem começava. (quantos bens eu usei nesta frase!)

Conclusões:

Vou mudar de pediatra.

Vou ter que me acostumar com a tortura, afinal durante um ano ele vai levar umas 15 agulhadas.

Ele não vai lembrar de nada depois de velho, não ficarão traumas, até onde sabemos.

Contra icterícia chá de picão (que coisa degradante para masculinidade do bixinho)  e banho de sol.

Para descontração geral dos papais, por favor, assistam veja o video abaixo:

bjs to indo dormir

Hilan

Related Posts with Thumbnails

33 comments

  1. Pois é Hilan, dizem que homem não aguenta essa história de parto mesmo não… coisa pra mulher mesmo… disse que fomos feitas pra isso (eu tenho minhas dúvidas!!!!)
    Quanto à vacina, lá em casa foi o contrário, era o marido que sempre levava, porque eu naõ tinha coragem, mas isso vai de cada um, é que meu marido adora uma agulha…hahaha
    Quanto ao pediatra, vocês tem que achar um que agrade aos dois, afinal o filho é dos dois e nada é tão terrível quanto ouvir os outros falando do seu filho e te ignorando… Se quiserem, indico o pediatra do Gui, amo ele de paixão, é novo, é tranquilo, não medica à toa e passa uma mega segurança pra nós dois…sempre!
    Abraços e parabéns por querer ser esse pai tão participativo!

  2. Hilan mulherzinha, Hilan mulherzinha!! Hihihih. Mas, falando sério: já ouviu falar da vacina hexavalente? Junta a tetra, a hepatite (que doi pacas) e a pólio, que não doi mas tem gosto ruim. Lá no Sabin da Asa Norte a moça que aplica é um doce, a Emília nem chora. E ainda tem a vantagem que ela é acelular e não dá as reações que a Tetra da rede pública dá, e que são uma merda. Super recomendo. Ah, claro: tem que pagar, né? Mas vale a pena, qualquer coisa pede de presente pros avozinhos 😉

  3. eita hilan é trash mesmo. fizeram exame de sangue nele por causa da icterícia? rafael tmb teve e tmou 10 dias de banho com chá de picão e eu tomei um poco tmb pra ir pro leite e banho de sol, muitooo. vende o chá na farmacotécnica na rua das farmácias. bjssss

  4. Paizinho, nós compreendemos. Eu sempre falo que a maternidade (e no caso a paternidade) é um grande paradoxo. A gente fica muito mais forte pra enfrentar o mundo. Tenho certeza que você faria qualquer coisa – a coisa mais heróica da história – para defender o seu filho. Mas por outro lado, a gente fica mais sensível, sofre mais… Depois que minha filha nasceu eu parei de assistir filmes de terror (o que inclui os jornais de tv), desgostei de parques de diversão e por aí vai. Na última tirada de sangue eu chorava tanto dentro do carro que meu marido quis segurá-la sozinha, pra me poupar de vê-la chorando. Mas quem disse que eu abandonaria minha filha num momento ruim destes? Aí neste momento, junto com a fraqueza, vem a coragem. A gente fica junto, fuzilando a enfermeira, segurando nosso pequeno e tentando – mesmo que desesperados – trazer um pouco de calma. É aí que vc vai entender tb essa história de pais comprarem presentes depois da injeção. E comprando o primeiro presente só de agrado mesmo vc vai entender o outro lado da palavra "mimar", que até então vc achava horrível. É meu caro… entendeu o que é "padecer no paraíso"?
    No meu blog escrevo sobre isso sempre. Tem um texto chamado "Paradoxo", que é curtinho. Vc pode ler aqui http://maesolteirarecemcasada.blogspot.com/2010/0
    Tb tem esse que fala de dia de vacinação http://maesolteirarecemcasada.blogspot.com/2010/0
    Leia para ver que vc não está sozinho neste mundo. You've just joined the club!

  5. Pois é Hilan, a tortura está só começando! E essas primeiras vacinas são as melhores, quando ele for tomar a tetra daí sim vc vai ver como é. O Chico ficou com um caroço na perninha que dava um sufoco de olhar. A sensação é essa mesma, dá vontade de socar o médico que tá aplicando a vacina. Eu chorei junto com ele! Sobre a pediatra, se não confiou troque mesmo! Eu troquei de pediatra quando o Chico estava com 40 dias e foi a melhor coisa que eu fiz! Estamos agora bem satisfeitos com o nosso pediatra que cuida do Chico e tem toda a vidinha dele no computador. Acho que nesse lance de pediatra a gente tem que confiar muito, tem que ficar tranquilo que o médico está sabendo o que fazer. E te prepara, pois ainda vem coisa por aí: a primeira febre alta de madrugada, a primeira diarreia, o dente nascendo… e vc ter segurança sobre o que o médico recomendou fazer é um sossego pra nós que somos mães e pais de primeira viagem.
    Ah! Acho totalmente injusto não incluirem o paizão nas recomendações. E já vimos que vc é um paizão suuuuper presente (coisa rara, infelizmente).
    Um beijão pra vcs 2!! E um cheirinho especial no cangote do Ben!

  6. Hilan, fica chateado com a ped não. É pq são poucos os papais participativos como vc. A maioria das coisas quem faz é a mãezinha mesmo! Pense q tudo é pro bem de Ben!

  7. hilan,
    maridex aqui é total e completamente sensível a filmes trash, noticias popualres e realidades sangrentas. pois bem, fiz ele assistir a séries de vídeos de partos normais e cesáreas pra ir se acostumando antes do isaac nascer.
    ele quase que amarelou na hora, mas como vc, disse que na hora só queria mesmo é saber do filhote.
    agulhadas? vai se acostumando e aceite que todo meninão suadável e de bem com a vida cai muitas vezes durante a infância (maridex tbm treme nas bases).
    e essa pediatra? que sem noção! muda mesmo.
    mas vai acostumando que papais participativos são espécie rara, o que faz geral não ser sensível.
    e o que é esse vídeo??????
    adorei.
    bjo na família

  8. Pediatras que falam tudo no diminutivo (como se as crianças fôssemos nós), e não dão importância ao pai, nunca me pareceram bons médicos. O meu Arthur já passou por dois pediatras assim, e eles só eram bons enquanto o Arthur estava bem, quando ele teve constipação e um probleminha de pele, nenhum deles soube o que fazer. Os melhores são os pediatras que dão aula em universidades, são mais prestativos e atentos a cada dúvida dos pais. E estão sempre atualizados, por causa das aulas e das pesquisas.
    Parabéns pela coragem no parto! Meu marido também participou do parto, até segurou as minhas pernas pra me ajudar a fazer força. Pode ter certeza que tu ganhaste um ponto extra com a Luíza. Momentos assim fazem nós admirarmos mais ainda o homem que amamos. Põe mais fotos do Ben! =)
    Abraços!

  9. HAHAHA. Hilan, você é uma moça… Mas quanto ao parto, acho que eu também não encarava um normal não. Ainda bem que nossas mulheres são mais fortes que nós,. né? E, cara, que irritância esse trem de mãezinha e paizinho! Ódio!!

  10. A vovoh tambem foi? Vai ver que tinha tanta gente que a pediatra resolveu se concentrar em uma pessoa soh! Rsrsrsrs…
    Brincadeiras à parte, essa historia eh velha, jah começa nas US que o papai acompanha…

  11. Hilan a primeira vez que levamos nosso filhote pra tomar vacina, assim pituco igual ao Ben, eu saí chorando do consultório e ganhei um pirulito…pensa….

    mas quando acabam as agulhadas começa o choro por entender que está indo na consulta mensal ou trimestral do pediatra, o meu filho chora no carro quando chega “aqui não mamãe, aqui não”… ou seja, a gente tem que fingir que é forte pra suportar a dor deles… tem provação maior? rs

    puxado… mas tudo para o bem deles… sempre.

    Um beijo e aguenta aí que é só o começo…rs mas como vc já sabe, é para o bem dele!

  12. Vacina nunca foi um problema pra Bia, ela ia, tomava as vacinas numa boa, chorava pouquinho e logo "mudava de assunto", mas o Leo, oh my, foi um chororô intenso, acho que ele nunca chorou tanto na vidinha dele toda! E o mais engraçado é que eu tenho ataque de riso quando meus filhos choram, eu rio de nervoso!
    Essa coisa de chamar a mãe de mãezinha ou qualquer outra coisa me irrita profundamente, eu não sou filha da pediatra pra ele me chamar de mãe pô, eu corto esse povo na hora!
    Marido é do seu tipo, super acompanhante quando pode. Eu adoro!
    Procura outro médico, até achar um que vocês gostem. Beijos e boa sorte nessa aventura paterna!

  13. hahah muito legal o vídeo!

    Realmente as agulhadas são uma tortura para os pais, mas o bb não lembrará de nadinha… e é o melhor para a saúde dele né?

    Agora, é sacanagem o pediatra ignorar totalmente o pai na consulta viu? Com tanto incentivo a humanização, ao apoio familiar nessa fase do bebê… a mãe que pariu, mas ela não cuida sozinha né? Acho que muitos profissionais de saúde (não só pediatra) precisam se reciclar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *