28 de abril

mamilos: um assunto muito polêmico

por luíza diener

estou aqui hoje para falar sobre um assunto muito polêmico: MAMILOS!

mamilos são muito polêmicos!

por que, eu confesso que não sei direito.
(confesso que às vezes eu queria ser índia. mas só às vezes, mesmo).

não sei qual é o grande problema e por que tanta gente sente-se tão incomodada em ver uma mulher amamentando em público.

eu não sou lá muito antenada em blogagem coletiva, mas ontem li o tal post da mulher que desce o pau em mães, filhos e mamilos.
não vou colocar o link aqui, 1º porque eu não lembro onde li e 2º porque eu não quero dar audiência pra essa vaca pessoa amargurada.

alguém pelo amor de deus me fala qual é o grande problema em amamentar em público?
uma vez eu li que aproximadamente 12 mil mulheres são presas anualmente nos estados unidos por amamentar em público (googla que você acha).
comoassim??

era pra ser uma coisa natural, e não esse escarcéu todo.
não estou falando em virar adepta do nudismo ou topless. tô falando de, em questão de segundos, botar a peita pra fora e deixar o bebê (ou criança) mamar. ué, nada mais natural!
e ainda tem quem venha dizer “bebê tudo bem, mas criança pera lá”. pera lá por quê? porque você acha esquisito? acha feio?

esquisito é ficar regulando peito pra recém nascido. esquisito é decidir pelo bebê que horas ele vai ou não mamar. é falar “pronto, você já tem x meses. a partir de hoje você não precisa mais mamar à noite”.
oi? por que mesmo, ein?

voltando aos mamilos, tudo começou na primeira ou segunda semana de vida do benjamin.
eu estava na casa do meu avô e sempre tinha gente por lá, além das eventuais visitas.
na hora que ele pedia pra mamar eu largava quem estivesse por perto, ia pra um quarto todo escondidinho, fechava a porta e amamentava.

só dava de mamar na frente da minha mãe, irmãs e marido.
até que várias coisas colaboraram pra eu perder a tal timidez mamária.

começou quando um amigo foi visitar-nos e eu saí pra dar de mamar. quando voltei, ele comentou com o meu marido “a luíza é toda timidinha. sai escondido pra amamentar”. aí eu comecei a perceber que não era assim tão caótico.

depois minha mãe me deu o tratamento de choque. sempre que eu ia dar de mamar, ela chamava alguém pra ver. até meu avô e meu tio ela convidou pra assistirem o tal evento. ok, foi constrangedor.

só sei que, aos poucos, eu fui desencanando, até porque nem sempre tem como prever que horas um bebê pequeno vai decidir mamar.
já amamentei no meio de cinema, restaurante, livraria, táxi, sala de espera, igreja, casamento, no mato e uma pá de lugares que perdi a conta.
às vezes eu cubro com uma fraldinha não por timidez, mas pra preservar as pessoas que se incomodam. a não ser, claro, que a pessoa esteja no meu território.

mas o mais engraçado aconteceu há umas duas semanas, quando eu estava do lado de fora de um estabelecimento com mais uma pá de gente com senha na mão esperando para entrar.
aí veio um menino de uns 5 anos e começou a puxar o maior papo. falamos sobre aranhas, homem aranha, ben 10 e essas coisas.
nisso o benjamin estava hiper irritado e começou a enlouquecer querendo mamar.
discretamente eu abri a camisa e dei o peito.
aí o guri chegou bem perto e ficou olhando por cima do meu peito. ele não se aguentou e falou bem alto, quase gritando: “seu peito tá vermelho! ele mordeu seu peito!”. eu falei que ele não mordia meu peito (na ocasião ele nunca tinha mordido) e que era assim mesmo.
“mas tá rosa! tá machucado” e eu tive que explicar pra ele (e, consequentemente, pra quem mais quisesse ouvir) que aquela era a cor do meu peito mesmo.
aí ele falou que lembrava de quando ele mamava, que ele gostava muito e tal. eu fiz aquela cara de “aham, cláudia, senta lá” e a mãe completou dizendo que não tinha um mês que ele tinha parado de mamar.

desde então eu venho pensando que tudo isso deveria ser tratado com a mesma naturalidade daquele menino e não como se fosse quase um tabu.
gente, é amamentação, não é séquisso selvagem, não!

tô até vendo. daqui a pouco vão começar a prender mulheres aqui no brasil também por amamentar em público.
vai ser proibido amamentar na frente de outras pessoas que não médicos ou o marido.
você vai ter que fazer que nem eu fazia: trancar-se num quartinho escondido pra que ninguém mais seja obrigado a ver seus mamilos polêmicos (e suas tetas de vaca leiteira).

o assunto vai ser tão, mas tão polêmico, que vão começar a inventar lendas de como os bebês se alimentam: “é assim, filho. tem uma plantinha que dá uma fruta que tem um liquído que a mamãe vai lá e dá pro bebê tomar” ou “ah, foi a vaquinha que trouxe pro neném”.
vai virar algo tão velado que vão querer tirar os humanos da classe dos mamíferos para enquadrá-los em uma classe à parte.
aí o menino vai pra escola, descobre que o leite sai do peito da mãe, fica espantado com isso tudo e os pais vão ficar envergonhados por seu filho finalmente saber a verdade.

ok, exagerei.

mas sério. pra mim gente, que acha amamentar em público esse absurdo todo com certeza tem algum problema sexual. #prontofalei


[imagem da campanha contra o cancer de mama do breast cancer foundation. ver mais aqui]

Related Posts with Thumbnails

categorias: amamentação

assine nosso feed ou receba por email


68 Comments »

  1. Uma fraldinha eu acho bom, as pessoas olham mesmo com discriminação, acho que toda mãe tem direito de amamentar o seu filho mas é um momento tão íntimo que não acho legal expor para todo mundo e já vi homens com olhar malicioso ao ver uma teta grandona cheia de leite, tem mulheres que só faltam ficar nuas tiram o peito e o resto do corpo para fora.
    Acho feio peiro para fora, fraldinha sim, sou a favor.

    Comentário by Tatiane — agosto 23, 2013 @ 11:35 am

  2. esses dias estava amamentando meu filho uma ''véia''…(não sei pq mas são sempre as ''véias'' a implicar) , olhou com uma cara de nojo e perguntou ,você nao quer dar chupeta ? respondi seca (mais tão seca que deu sede na ''véia'') um NÃO bem colocado aff

    Comentário by Débora Silva — agosto 23, 2013 @ 12:48 pm

  3. Luíza, eu particularmente não gosto de amamentar em público… Meu filho fará um mês segunda-feira então posso dizer que amamentar não é a coisa mais fácil do mundo pra nós. Ganhei o Felipe de cesária pelo sus, ou seja, todas as minhas vergonhas voaram porta a fora – hospital universitários, quinhentos mil estudantes te fazendo exame do toque… colocar o peito pra fora e amamentar na frente de estranhos deveria ser normal. Mas eu não me sinto bem, me escondo sempre que possível! Porém já dei de mamar na seção de calçados de uma loja de departamento (sem a fraldinha), nada que a experiencia não nos faça ver que está tudo bem. Apoio a tua "campanha", amamentar é normal, não deve ser motivo de vergonha, tão pouco proibido. Vergonha e viver esse machismo, onde qualquer homem pode mijar em qualquer esquina e a mulher não pode dar de mamar!!!

    Comentário by Natália Hax — agosto 23, 2013 @ 1:16 pm

RSS feed for comments on this post.
TrackBack URL

Leave a comment

*