04 de fevereiro

da ansiedade de não descobrir o sexo do bebê

por luíza diener

pe de bebe

começou com a ideia de fazermos poucas ecografias durante a gravidez. queria fazer apenas as duas morfológicas: a do primeiro trimestre, com 12 semanas (que inclui a translucência nucal) e a do segundo semestre, com 22 semanas.
não foi por nenhum princípio ideológico. foi fruto da pura preguiça de ter que atravessar a cidade para submeter-me a milhares de exames com um filho maior a tiracolo. a obstetra ficou ok com isso e eu achei o máximo: diminuir a quantidades de exames e consultas o máximo possível sem comprometer o pré natal de forma geral. legal!

acontece que entre a morfológica do 1º e 2º trimestre há uma ecografia importante para muitos pais: aquela em que se pode tentar descobrir o sexo do bebê, a partir da 16ª semana.
seguindo essa lógica, já poderíamos saber se um menino ou menina habita meu ventre há bem um mês, mas preferimos esperar mais 6 semanas e deixar pra ver tudo na tal morfológica do segundo trimestre.
e aí começou o conversê.

quando as pessoas descobrem que você está grávida é normal e até esperado que elas perguntem se você já sabe o sexo do bebê e, em caso negativo, quando você saberá.
então vou eu explicar que optei por esperar um pouco mais de um mês para saber e o porque de ter decidido assim.
aí um dia, por pura impaciência minha, cansei-me de responder sempre a mesma coisa decorada e resolvi dizer algo diferente “vamos deixar para descobrir quando o bebê nascer”.
em geral as perguntas costumam vir de gente de boa fé, mas nesse caso lembro me que era alguém um tanto intrometido. ver a reação exagerada da pessoa tipo “ai, meu deus! não acreditooooo!” me deu um certo prazer e comecei a dar essa resposta toda vez que não estava muito no clima de me justificar.
virou praticamente um campo de estudo antropológico e comecei a interessar-me pelo comportamento que cada um apresentava frente a tal argumento. alguns não se conformavam de maneira alguma e outros vinham com histórias – pessoais ou não – relacionadas ao tema.
mas a pergunta que eu ouço até hoje é “nossa! como você aguenta?”.

veja bem: essa minha resposta não saiu do nada. algumas vezes o hilan já tinha vindo com esse papo de descobrir se o bebê era menino ou menina só quando nascesse e de uns tempos para cá isso começou a soar bastante interessante.

além do mais, dizer isso em alta voz para pessoas randômicas começou a soar de uma maneira diferente para mim. quanto mais eu repetia “só quando nascer”, mais a frase fazia sentido, mais eu desejava que aquilo fosse realmente verdade. comecei a conversar muito com o marido sobre isso e a resposta que me vinha sempre à mente era “por que não?”.

uma vez comentei essa minha vontade com a uma amiga, não como quem pretende analisar alguma reação, mas em tom de confidência, e ela me disse o quanto achava aquilo legal. disse que era a sua intenção na primeira gravidez, mas acabou descobrindo antes mesmo, mas que desejava muito esperar na próxima.
aí eu fui atrás de pessoas com ideias semelhantes e algumas delas vieram até mim por pura coincidência. fiquei cada vez mais animada. ouvi e li relatos emocionantes e histórias animadoras. dali em diante a certeza foi plena.

não, não estou louca para saber se o que está dentro de mim é do gênero xx ou xy.
também não tô morrendo pra escolher logo um nome. ele também será escolhido só depois do bebê nascer, ter seu cordão cortado, sua cara contemplada, ser amamentado, limpo, cuidado, amado (não necessariamente nesta ordem).
não acho que meu filho primogênito tampouco tenha a necessidade de saber isso pra criar um vínculo com o irmão ou irmã que o aguarda. afinal, eles vão ser irmãos do mesmo jeito.
e mil vezes não! to cagando e andando pro enxoval ou pra decoração. vai usar as roupas do irmão e dos primos e o quartinho vai continuar a ser neutro de qualquer jeito, quer eu descubra amanhã ou daqui a 4 ou 5 meses.

como eu consigo? não sei, gente. não faço ideia.
mas estou sentindo uma paz muito grande com isso tudo.
não recomendo isso para pessoas ansiosas ou curiosas (curiosidade nunca foi meu forte. fica a dica). acho que se você precisa saber logo, vá lá e descubra, oxe! não reprovo de maneira alguma!
só que, pra mim, isso tem me ajudado a conectar-me ainda mais com esse bebezinho. a amá-lo independente do que ele é ou deixa de ser. a diminuir as expectativas em cima dele em tantos aspectos.
porque não tem jeito: as expectativas sempre estarão lá. mas acho que ainda existem muitas quando um gênero é colocado em questão. e longe de mim jogar um fardo tão grande sobre um feto que ainda mora dentro da própria mãe.
a vida é muito corrida, tudo tem que ser pra ontem, o enxoval tem que estar pronto antes do bebê nascer, junto com o enfeite de porta, as toalhinhas bordadas, a lembrancinha da maternidade. a menina tem que ter fita na cabeça e brinco na orelha e o menino tem que estar com carinha de rapaz desde os primeiros dias de vida. acho que o mundo tá girando mais depressa e esqueceram de me avisar.

no fim, meu pequeno bebê, esse foi mais um jeito extremamente pessoal que encontrei de mostrar para você que eu o respeito desde que soube de sua existência. não apenas cuidando da nossa alimentação, pensando no parto, na amamentação e tudo isso, mas deixando um pouco de lado a minha carga de expectativa sabendo que, antes de ser menino ou menina, você será meu bebê, tão amado e desejado por todos nós!

Related Posts with Thumbnails

categorias: Tags:, , , , , , , constança, eu gestante, para gestantes, questões

assine nosso feed ou receba por email


50 Comments »

  1. Gatíssima,
    Acho tão legal isso, não sei se conseguiria, acho que não, mas admiro e acho super especial!
    Imagino o quanto você deve ouvir disso, porque o povo é curioso, mais que você, né? Mas não me importaria com a opinião alheia também!
    Beijos em vcs,

    Comentário by Angi — fevereiro 4, 2013 @ 9:13 am

  2. desde o começo, não queremos saber o sexo do-a bebê q estamos esperando e realmente só ouvimos comentários surpresos.
    menos pressão para o feto, e para nós, mãe e pai. por um mundo das crianças menos polarizado entre o rosa e o azul!

    Comentário by Ana — fevereiro 4, 2013 @ 9:19 am

  3. Admiro, mas sou muito ansiosa…
    De tanta ansiedade me dei mal, com 15 semanas fiz um ultrassom só pra tentar descobrir o sexo, e a resposta: ta mais pra menina!
    Pra confirmar fui na semana seguinte, e a resposta: ah, tá mais pra menino!
    kkk Deu na mesma estou ainda na dúvida cruel, e esperando pra ecografia morfológica!!

    Vcs estão certíssimos, o amor que vc sente por esse serzinhoo independe do sexo ou de qualquer outra coisa…

    Comentário by Thais — fevereiro 4, 2013 @ 9:23 am

  4. Confesso que todos os dias, vinha aqui para saber o sexo do seu bebe (acompanho seu blog desde quando fiquei grávida a 2 anos….hoje tenho uma menininha incrível e esperta!)e te admiro um monte!!! Hoje com essa postagem MARAVILHOSA, assim como todas suas, percebi que a descoberta de esta grávida já é o bastante e o que mais importa!
    PARABENS (mesmo palpitando que vem outro menininho lindão rsrsr) em minhas orações só vou pedir que venha com MUITA saúde, porque beleza com certeza esse bb já vem , pq tem pais e um irmão perfeitos!

    Comentário by Luciana — fevereiro 4, 2013 @ 9:26 am

  5. Lu, até tava pensando se ia te contar isso, mas me deparo com esse post e… vou contar! Sonhei com vocês essa noite. Você do mesmo jeitinho. O Benjoca do mesmo tamanhinho, e com seu novo corte de cabelo super-ultra-cool. E o bebê já tava aqui fora, engatinhando e tudo! E sabe o que? Quando acordei fiquei tentando lembrar se sabia o sexo e não sabia!!! Mas as crianças estavam tão lindas brincando juntas. E a cereja do bolo: o terceirinho tava no forninho! hahaha
    (O Hilan ficou de fora, porque eu sou uma pessoa ética que não anda sonhando com os maridos alheios. hahaha)
    É isso, gatona! Vai ser lindo e emocionante quando o seu bebê nascer, e receber uma infinitude de amor, independente de qualquer coisa.
    Beijão!!

    Comentário by Nana(ALouca do Bebê) — fevereiro 4, 2013 @ 9:34 am

  6. uhul! muito bom seu sonho! adorei até o politicamente correto de não sonhar com marido alheio. ahuahauha!
    beijos!

    Comentário by luíza diener — fevereiro 5, 2013 @ 11:56 am

  7. Meninas caí pra trás agora com esta profeciaaa 😱😱😱 olha só exatamente! TEM MAIS PAO NO FORNO kkkkkk mt legaall vou esperar p ver se alguém sonha cmg tb😏

    Comentário by erica — outubro 8, 2015 @ 7:23 pm

  8. ahahahah! adorei o sonho profético da Nana!
    Erica, se sonhar com vc eu te aviso 😉 :*

    Comentário by luíza diener — outubro 8, 2015 @ 10:06 pm

  9. LINDO!!!!!

    Também não quero saber o sexo do meu bebê…. E quando me enchem muito com as perguntas e argumentos…. sou malcriada e digo, que não fara diferença alguma a informação na vida da pessoa, que hoje depois de grande a pessoa já pode até mudar de sexo, e hoje é tendência homem usar rosa.

    Amanhã tenho a ultra das 22semanas e ja vou entrar na sala repetido igual um papagaio….. "não quero saber…. não quero saber….. não quero…. conte os dedos das mãos e dos pés….. " kkkkkk

    Beijos!

    Comentário by Vânia Marques' — fevereiro 4, 2013 @ 10:10 am

  10. Outro dia, eu estava bem pensando que já devia estar na hora de a Luíza saber o sexo do #2. Acho que suas leitoras e seguidoras devem estar mais curiosas que vocês!

    BTW, ontem, num bloquinho de carnaval no Rio, vi um menino de pirata que era a cara do Benjamin!

    Beijos!
    http://www.osamoresdelulu.blogspot.com

    Comentário by Luciana — fevereiro 4, 2013 @ 10:32 am

  11. Olha, vou te desejar "boa sorte" na empreitada porque qdo eu fiz a ecografia morfológica foi impossível não descobrir o sexo do meu bebê.
    Na primeira vez que ela colocou o aparelho lá estava o meu menino!
    Já que vocês torcem pelo suspense da coisa, que pelo menos o seu bebê esteja de permas fechadas!! srsrsrsrrs
    Bjos.

    Comentário by Gleice — fevereiro 4, 2013 @ 10:40 am

  12. Tenho acompanhado tudo por aqui, meu bebê está com poucas semanas de diferença do de vocês. Me identifico com vários posts. Também queria muito ter a emoção de conhecer o sexo do meu bebê lá na hora H. Mas como sou a ansiedade em pessoa não deu certo. Por aqui é um menino! Curtam muito e vai ser uma delícia saber lá na hora em que olhar para ele (a) se é um menino ou uma menina!!! Curtam muito! Bjooooooo

    Comentário by Laiz — fevereiro 4, 2013 @ 10:41 am

  13. Acho que eu não aguentaria (rsrsrs) mas acho uma delícia de decisão!
    Fiquei muito mais curiosa no segundo que no primeiro. Queria logo saber se teria outro menino ou se seria uma menina. Na primeira ultra (na primeira!!!) o médico me disse que achava que era menino (o cara mega experiente, me disse que tinha 97,3% de certeza que era menino – quis brincar com o percentual pra não garantir) e acertou! Tenho 2 meninos e agora a pergunta que me fazem o tempo todo é qdo vou tentar a menininha, como se uma família de 2 meninos fosse incompleta. Minha resposta? Nossa família já está completa, temos 2 meninos lindos e queridos…não precisamos de mais nada 🙂 Bjs

    Comentário by Monica — fevereiro 4, 2013 @ 10:43 am

  14. Para mim, como é a primeira gravidez eu preciso destas pequenas afirmações pra acreditar que ele existe, pois não o sinto, e só saber que existe pelo ultrassom é meio surreal… Acaba me ajudando a criar vínculo 🙂

    Mas acho legal essa forma de perceber a gravidez, que por si só é pura expectativa!

    Comentário by Yara Teles Kociuba — fevereiro 4, 2013 @ 11:18 am

  15. Parabéns pela decisão!!!
    eu compartilho a mesma opinião, tanto que consegui manter o mistério da descoberta com meus 2 pequenos. Já tinha idéia do nome, se fosse menino ou menina, mas preferi esperar pra ver a carinha na hora! E que emoção!! È lindo descobrir na hora do parto!!

    Comentário by Suelen — fevereiro 4, 2013 @ 1:19 pm

  16. Sabe que eu também penso em não tentar saber o sexo do meu próximo rebento (mas ainda nem estou grávida…)?! Na minha primeira gravidez só soube que era menina na ecografia morfológica mesmo e passei por estas mesmas perguntas: como você aguenta? mas e o quartinho? e o enxoval? Pois bem, o quartinho já seria verde, e o enxoval ficou cheio de cor: azul, vermelho, laranja, amarelo, verde… Depois de saber que era menina nem adicionei tanto rosa. Incrível era as pessoas me perguntando depois porque eu a vestia de azul se era menina?! rsrsrs…
    Mas acho o máximo essa espera e imagino como deve ser mágico saber só na hora em que o bebê sair de dentro da gente, e escolher o nome só depois… maravilha :))

    Comentário by Angela — fevereiro 4, 2013 @ 1:19 pm

  17. Simplesmente A D O R E I , seu post. Afinal fica a cobrança e comentários do tipo: Tomara que seja uma menina, já que vc já tem um menino… afsssss viu!!! Eu passei por isso 3 vezes – tenho 3 meninas – e adoroooo ser mãe de meninas e claro se fosse meninos tb, afinal são nossos filhos e não importa o sexo, e só a 3 que tive curiosidade já tendo uma intuição que seria menininha, mas NUNCA me decepcionei por isso, o importante é que seja o nosso bebê mais amado e saudável.
    E sempre quis ter 4 filhos, estou com 35 anos e quem sabe este ano venha o 4 pra fechar a família e com certeza terá comentários do tipo : " tomara que agora seja MENINO"….. =(
    Pra mim tanto faz juroooo, só sei que será amado (a) e esperado (a).
    Ai , ai ai … pessoas viu!!!

    Comentário by Selma — fevereiro 4, 2013 @ 1:25 pm

  18. Luíza, vc está certa!!! Tá certa em fazer a sua vontade… penso muito sobre momentos de vida, sabe? Momentos de vida…. seu momento de vida é esse… seu momento de vida é de conectar com o new-baby . E, quer saber? Adoooro essa decisões inusitadas, vai dar o que falar nas vizinhanças da vida… e, outra? Vai ser muito legal quando o new-baby nascer e assim virá com muitas surpresas e desprovido de cargas emocionais pré estabelecidas! Vai fundo! (Morrendo de curiosidade tambéém!)

    Comentário by Larissa — fevereiro 4, 2013 @ 1:27 pm

  19. Luíza, tenho lido seu blog há algumas semanas (li vários posts antigos também) e adorei. Também sou de fora (SP), mas já moro em Brasília há 5 anos e agora estou esperando minha primeira filha. Estamos com quase o mesmo tempo de gravidez (fiz 21 semanas sábado) e gosto muito de saber como é sua vida com o Benjamin aqui em Brasília, porque agora passarei por tudo isso.
    Achei muito legal você decidir não saber o sexo do próximo baby, mas eu, particularmente, não conseguiria. Na verdade, não consegui, já que paguei o tal exame de sangue (sexagem) com 9 semanas, pra não ter que esperar mais – rsrs.
    Não que faça muita diferença prática em termos de roupinhas, quarto, etc (o quartinho da Beatriz vai ser azul, como seria se fosse um menino, comprei roupas de todas as cores e tipos, muito azul, verde, amarelo, vermelho e um pouco de rosa também, motivos de carrinhos, esportes, bichinhos, com e sem lacinhos… A grande diferença mesmo foi poder comprar vestidinhos… hehehe). Mas fez diferença pra mim por eu poder imaginá-la melhor, chamá-la de filhA, escolher o nome (eu não fazia questão de escolher tão rápido, até pensei em esperar o nascimento, mas acabei gostando mesmo do nome e então decidimos).
    Enfim, admiro quem consegue esperar, mas sou muito ansiosa e curiosa pra isso.
    Aproveitando o comentário, queria saber quem é sua GO. Estou num dilema pensando se troco de médico, pra um mais humanizado, mas tá difícil escolher e decidir.
    Beijos e parabéns pelo blog e pelos filhotes!

    Comentário by Cris Nunes — fevereiro 4, 2013 @ 1:45 pm

  20. Putis, que legal! Meu marido quis fazer isso com nosso filhote que recém-nasceu. Mas já no morfológico do 1º trimestre antes que o médico perguntasse se eu queria ver o sexo, eu consegui ver o pintinho! Mas já penso em fazer isso no próximo.
    Vou ficar aqui morrendo de curiosidade para saber se o Benjoca vai ter um irmão ou uma irma!

    Comentário by bemquesequis — fevereiro 4, 2013 @ 3:14 pm

  21. Lindo! Eu não aguentaria, fico super ansiosa pra descobrir. To esperando minha segunda menina. Mas aqui nos EUA é bem mais comum deixar pra descobrir só quando nascer, muita gente espera. Os médicos perguntam logo se você quer saber e muitas pessoas ao invés de perguntar se você já sabe o que é, perguntam se você vai descobrir antes de nascer. Faço parte do time dos "não sei como você consegue", mas acho linda a idéia, imagino a delícia que deve ser a surpresa ao nascer. Que seu bebê venha com muita saúde! Beijos

    Comentário by Dayane — fevereiro 4, 2013 @ 4:04 pm

  22. Fico muitíssimo feliz ao constatar que criei filhas tão fora dos padrões da classe média brasileira, que, aliás, cada dia anda inventando mais modas a seguir… e pra gastar mais dinheiro.
    Parabéns, filhota.
    E que venha o nosso bebê surpresa, certamente fofíssimo (a). Pai do Céu já sabe tudinho sobre esta criaturinha que mora dentro de você.
    Não existe o ditado "Mal de família"?
    Eu inventei um: "Bem de família".
    Parabéns e beijinhos

    Comentário by Daisy — fevereiro 4, 2013 @ 4:43 pm

  23. Incrível Luisa…..que lindo sua decisão!!! eu não conseguiria esperar, apesar de também ter um pouco de vontade, quando trabalhava em uma clínica de diagnóstico por imagem, me lembro de um casal que esperava o segundo filho e no US optou em não saber o sexo, achei lindo….respeitamos a opinião deles, mas quando eles sairam da sala, perguntei bem baixinho "Dra, é menino ou menina? morre aqui nesta sala"…….kkkkkk….é claro que morreu ali, eu nem conhecia o casal, mas eu sou ansiosa, fico ansiosa pra descobrir o bebê das outras imagina do meu!!!

    Comentário by Alessandra — fevereiro 4, 2013 @ 5:28 pm

  24. Luiza,na gravidez da Lara ja estava com uma viagem marcada para fora pra qd estava com 14 semanas e decidi fazer o exame de sangue pra descobri p sexo. Hj acho que nao faria. Me faltou tempo pra conectar com o bebe sem que o genero definisse minha relacao e a relacao de todos eles. Lembro,que me senti triste na epoca, mas naomtinha a clareza do motivo. Era esse, queria sentir meu filho sem nenhum preconceito. Se engravidar de novo, nao farei o de sangue, a ecografia eu ja nao sei. Bjs.

    Comentário by Lorenna — fevereiro 4, 2013 @ 6:32 pm

  25. pois é. como a lia mesmo falou ali abaixo, a gente não precisa dessas coisas. elas podem ajudar e eu nem condeno quem o faça. mas às vezes a gente perde a oportunidade de se conectar um pouquinho mais, né?
    beijos

    Comentário by luíza diener — fevereiro 4, 2013 @ 11:32 pm

  26. Lu, não sei como você aguenta… HAHAHHAH!
    Olha, saber o sexo do bb antes de nascer só tem uma finalidade: comprar. E daí quando você não sabe você economiza horrores, porque toda vez que você vê aquela roupinha liiiinda, cara, mas linda, aí você pensa: "não dá. e se não for menino(a)?"
    Outra coisa muito bacana é que a gente entra mais em contato com a nossa intuição.
    Essa história de que a gente tem de ver o bebê pra se conectar com ele é uma necessidade criada pelo mercado médico. Não precisa. A gente não precisa de teste de farmácia, exame de sangue ou US pra saber que está grávida. Não precisa de eco 3D pra amar o bebê. A gente precisa viver a gestação, sem ser consumida por essa parafernália de acessórios para grávida.
    Eu só fiz teste de gravidez com 3 meses de grávida e me sinto muito bem conectada com meu bb, obrigada. Ele muda meu corpo. Ele muda meu coração. Ele está aqui, e não preciso de tecnologia para provar nada. E, obviamene, repetirei a experiência maravilhosa de descobrir (confirmar) o sexo com minhas próprias mãos.

    Comentário by lia — fevereiro 4, 2013 @ 8:04 pm

  27. lia, pra mim a sua experiência com a margarida é uma das mais emocionantes. sempre me traz lágrimas aos olhos (reli ela agora e fiquei toda derretida).
    acho que o maior desespero pra descobrir logo com certeza envolve o consumismo.
    mas você disse bem. a gente não precisa. a gente sabe que está grávida, mas nem sempre se permite ouvir as mudanças que o corpo acusa e aquela coisinha que se chama intuição.
    acho a gravidez o momento mais fantástico para a mulher se reconectar e aprender a ser mais "primitiva". infelizmente a "indústria médica" tenta nos fazer acreditar de forma diferente.

    imagino agora pra você que deve ouvir "será que agora vem um menino?" e eu já me coço por você pra não responder "será que vai fazer diferença?".

    beijos

    Comentário by luíza diener — fevereiro 4, 2013 @ 11:31 pm

  28. Aqui em casa também optamos pelo fator surpresa, deixar a vida nos levar, sem estresse. Nos divertimos muito com as apostas e simpatias. Era muito bom pensar, amar e me conectar com meu BB independentemente do sexo. Na primeira vez em 2010 minha intuição materna acertou, embora todos apostassem o contrário, veio uma linda menina. Na segunda em 2012 eu e toda torcida do flamengo erramos….nascia outra menina.

    Na primeira ouvi da médica "parabéns é uma menina" já tínhamos os possíveis nomes disponíveis.
    Na segunda ao receber a bb junto com minha parteira eu gritei "é uma menina, eu pari outra menina". Não tínhamos nenhum nome definido, levamos vários dias para escolher.

    Foram escolhas felizes, eu recomendo! Claro, que cada um deve seguir seu coração.

    O porre disso tudo é a cobrança abusiva, descabida e desprovida da sociedade. As pessoas não entende e condenam se vocês não querem saber o sexo, se não escolheram o nome, se o enxoval não vai ser personalizado e blá blá blá. Quando se trata dos filhos "dosotros" todo mundo tem a receita na ponta língua.

    Outra coisa quando forem fazer as us necessárias deixem bem claro (sejam categóricos) para o médico que não querem saber, pois conheço caso de médicos que tem a língua maior que a boca ou que durante o exame mostram "as partes" , ou acabam escrevendo no laudo.

    Boa espera para vocês, que seja plena e feliz

    Comentário by Noemi — fevereiro 4, 2013 @ 8:32 pm

  29. que legal sua história, noemi!
    realmente, eu sei de um caso em que o casal optou por não saber, mas esqueceu de contar na hora da US. resultado? mancada na hora da ecografia. ehehehe!

    bem, essa médica que faz a US pergunta isso como primeira coisa, mas acho que de qq jeito temos que lembrá-la. afinal, ela não tem bola de cristal, né?

    sim, a gente tem que ouvir cobranças, mas iremos ouvir palpites independente das nossas opiniões, não é verdade? pq se eu já soubesse o sexo do bebê, me cobrariam por nomes e isso a gente ainda não sabe.
    e se descobríssemos que era outro menino, cobrariam um casalzinho. se descobríssemos uma menina, já viria a cobrança da "princesa" da casa. ou seja…

    beijão pra vc

    Comentário by luíza diener — fevereiro 4, 2013 @ 11:25 pm

  30. Descobri seu blog na minha gestação em 2010, acompanho desde então, leio sempre, comento pouco. Sempre curti muito sua opinião e idéias, o modo lindo da sua família de ser. Parabéns! (precisava dizer isso – porque é curioso como as pessoas que nem conhecemos passam a fazer parte da nossa vida, mesmo sem ela saber).

    Depois que te mandei a mensagem estava eu no chuveiro dando banho na pequitinha e pensava em vocês. Sabe que me veio a cabeça que este novo parto de vocês será domiciliar na banheira com o Hilan e Benjamin recebendo o BB em primeiro plano? Não me passa outra coisa na cabeça. Não sei pq….beijos e ótima noite

    Comentário by Noemi — fevereiro 4, 2013 @ 11:45 pm

  31. Lindo! Parabéns!!!

    Comentário by Julia Abrantes — fevereiro 4, 2013 @ 8:45 pm

  32. Adorei a iniciativa. Sabe que ainda esta semana estive conversando com o marido sobre isso, de só descobrir o sexo do próximo filho na hora do parto,e também reduzir o numero de ecografias, segundo a pediatra só a da translucência e a morfologia é que são importantes mesmo, o resto é exagero!

    Comentário by Nenê Crescendo — fevereiro 4, 2013 @ 8:48 pm

  33. Perfeita a sua posição!
    Ainda estou na fase de treinamento mas já estou me preparando psicologicamente pra todas as expectativas que vão gerar em cima do bebê, especialmente os machismos básicos do dia a dia… Menina não ter que vestir rosa e menino não tem que ser "hominho" desde que nasce! O serzinho que está no ventre e o que acaba de nascer não tem a mínima noção do significado desses estereótipos, classes, enquadramentos gerais que (infelizmente) criamos no nosso mundinho adulto… e certamente vão cagar e dormir pro que as pessoas pensam sobre a decoração do quarto e sobre as cores das roupas que estão usando.
    Resumindo: é uma gente chata, né?
    Não sei se aguentaria de curiosidade, mas acho uma decisão muito bacana!

    Comentário by Crys — fevereiro 4, 2013 @ 10:34 pm

  34. Apoiada!!!! Eu não iria aguentar, mas acho lindo assim!

    ;*

    Comentário by Pri Araujo — fevereiro 5, 2013 @ 10:31 am

  35. Oi Luíza, tudo bom?
    Primeiro queria te parabenizar pela família linda que tu formou e faz crescer! Também pelo blog, pela sinceridade transmitida através de um excelente português que enriquece ainda mais as histórias da vida real que tu compartilha com todas nós!
    Acho demais a tua decisão de saber só na hora do parto, mas confesso que vinha todos os dias aqui pra ver se tu já tinha postado o sexo do irmãozinho(a) do "Joca" (perdoe a intimidade!)… estava mais curiosa que tu! Quando li o teu post achei tudo de bom, como todos os outros, mas 'egoistamente" pensei: "nãaaaaaaaaooo! agora vou ter que esperar mais alguns meses…."
    Como eu faço parte do grupo que "compartilha histórias pessoais (que tu não pediu pra ouvir)" da tua experiência antropológica, vou te contar a minha história. A vantagem é que, como isto é uma mensagem virtual e não uma conversa física, tu não precisa ler se não estiver in the mood!
    Acompanho o teu blog desde que fiquei grávida do Samuel em 2011. Hoje ele tem 1 ano e 4 meses. Na gestação optei por não fazer o pré-natal, por motivos parecidos com este seu de não descobrir o sexo. Seria um filho muito amado e adorado, independente de ser menino ou menina ou de ter alguma característica única que a sociedade considera um defeito, "doença" ou "deficiência". Porém, minha família me pressionou tanto dizendo que eu era maluca e irresponsável que iniciei o pré-natal às 36 semanas. Fiz o tal do morfológico e pedi para a médica não me dizer o sexo, mas foi impossível não saber, pois saltou na telinha aquele pintão grudado naquele sacão… E veio o meu menino lindo esbanjando saúde. O Samuel, como eu chamava desde que senti os primeiros enjôos, sem imaginar o sexo.
    Então, quando o Samuel fez 4 meses de vida, lá estava eu grávida novamente… grande surpresa, visto que eu tomava o anticoncepcional apropriado para a amamentação (a meia-pílula, ou pílula-nenhuma, como costumo chamar agora) e amamentava de hora em hora o meu pequeno bezerro. Eu tinha certeza de que viria outro menino. Desta vez fiz o pré-natal, mas também não queria saber o sexo. Até que no morfológico das 24 semanas, a médica me perguntou se eu queria saber e eu disse rápido que sim – antes que eu desistisse desse ato de loucura que contrariava a minha vontade! E era a minha menina! O nome dela fomos escolher em plena 41 semanas (ela nasceu com 41 semanas e 5 dias, e isso foi porque eu lutei muito contra uma cesária), e ela usa as roupas que herdou do irmão e da vizinha que é um ano mais velha que ela. Nessa gestação fiz 8 ultrassons, a muito contra-gosto, porque a placenta envelheceu precocemente (grau III na 30° semana). Foram momentos de tensão, já que a cada ultrasson que mostrava que estava tudo ótimo, a médica marcava outro para a próxima semana "porque se não estivesse tudo bem teríamos que TIRAR o bebê antes". Tirar é o termo chulo médico para cesariana… Minha gatinha nasceu também cheia de saúde, e todos aqueles ultrassons só serviram para atrapalhar a nossa paz. Quanto arrependimento!
    Bom mesmo era na época da minha biza, que teve 13 filhos. Ela trabalhava na roça junto ao meu bizo, e quando sentia que estava na hora de nascer, tirava o lenço da cabeça, ajeitava-o no chão, acocorava e pluft! fazia nascer o seu bebê! Sem frescura, sem medos, sem expectativas. Gerar e parir era normal, natural… e criar os filhos também, a questão era o amor e a sobrevivência, mas aí já é outro papo!
    Desculpa o livro, é que tu é uma grande amiga minha (com quem sempre rio e choro compartilhando confidências aqui do blog), só que tu não sabe!

    Muitas felicidades pra ti e para a tua família!

    Comentário by Laura — fevereiro 5, 2013 @ 11:20 am

  36. adorei o livro, laura! li com muito gosto! ehehehhehe!
    mas é verdade. acho que às vezes nós nos esquecemos do essencial e nos apegamos a tantas outras coisas que nossa gestação acaba atrapalhada por isso né?

    bjos

    Comentário by luíza diener — fevereiro 5, 2013 @ 11:49 am

  37. Oi, deixa eu acrescentar ao livro um causo que tem tudo a ver com essa coisa de sexo do bebe!
    Quando o Muca (Samucael, Samuquito) fez um aninho, lá fui eu, grávida de 35 semanas, com ele a tira colo, ao posto de saúde, para ele tomar aquela bendita vacina de um ano. Pois bem, chego lá e uma enfermeira diferente da habitual e simpática Gorete que fez todas as outras vacinas do pituco nos atendeu. Ela era loira (falsa, tá) e devia ter uns 35 anos, toooda maquilada e de unhas vermelhas (para vacinar bebês…). Eu não costumo reparar nas pessoas ou ser assim tão crítica, mas ela me tirou do sério!
    Depois de uns cinco minutos na salinha (cadastro e agendamento das próximas vacinas) ela me olhou e disse:
    – "Mas você já está gravida de novo??"
    e eu, com o sangue ainda doce, apesar de ter vontade de responder (o que cargas d'água tu tem a ver com isso?),na maior leveza e bom-humor, respondi:
    -"é… isso aqui não é uma melancia não, hehe, é uma menininha!"
    -"Mas engravidou rápido hein? Tão novinha (tenho 25)… Você queria??" (com uma expressão de ranso, com as narinas arregaladas, sabe?)
    -" Olha, eu não PLANEJEI, sabe, mas veio de surpresa e eu a QUERO muito!" (Quem, meu deus, não quererá um filho? O que raios ela esperava que eu respondesse: Não queria não, aliás, quer pra ti?)
    -" Vai dar um trabalhão hein… mas pelo menos veio uma menina, assim você fica com um casal"
    – ah mizungunzdb… (resmungo com sorriso amarelo)
    – "Vai querer mais? Dois já tá bom né?" (meio irônica, meio dando uma ordem)
    Com vontade de mandar ela pra casa do carvalho, resolvi que seria melhor chocá-la ainda mais.
    -" Nada, quero ter mais alguns ainda! Filhos são a maior alegria que pode acontecer na vida de alguém!"
    -"Você trabalha?"
    -"Não, sou mãe em tempo integral…"
    -Ah (com cara de inconformada), mas você teve sorte que agora é uma menina!
    Daí saí de mim! Fula, falei:
    -Sorte porque? Se fosse menino seria um azar?

    eu hein, rosa!

    E saí enraivecida daquele estabelecimento de saúde! Onde já se viu! Cruzes! eita caramba!

    Olha, desde que eu soube que era menina todos ficaram felizes por mim, por ficar com um casal, mas gente! Quando eu ainda não sabia, pensava assim: se for menino vai ser bom, porque ele e o Samuca vão ser inseparáveis super-companheiros! E se for menina vai ser bom curtir a novidade, aprender a ser mãe de menina. Mas independente das especificidades, seria bom! Eu estava feliz!
    E quero ter mais filhos, e todos me repreendem! Dizem que eu já tenho um casal, não preciso de mais! Opa! Então se eu tivesse outro menino tudo bem engravidar mais uma vez pra tentar uma menina? Ou teria que "me conformar" com o "azar" de ter dois meninos pra sempre? Eu sei que as pessoas muitas vezes não falam por mal quando me dizem que tive sorte, mas parece que todas tem o mesmo discurso pronto e impensado pra essas questões da maternidade… E isso não faz sentido! Sorte é ser mãe, é conhecer o amor maior do mundo…
    Hoje, ela com 80 dias e ele com 16 meses, posso dizer que nunca vi coisa mais linda do que os dois juntos!
    Se deixo ela no bebe conforto no chão, ele logo vem, oferece brinquedos pra ela, faz carinho no cabelinho (ela é bem cabeluda!) e deita a cabecinha na barriga dela! Quando eles se olham nos olhos é inexplicável! É uma intimidade, uma linguagem telepática da maior sintonia, uma emoção muito grande! Se ela chora, ele sai correndo pra ver o que é.
    Se dou mamá pra ela, ele logo vem, sobe no sofá e senta ao meu lado. Ele ainda não fala em português, mas em bebezês sai lá um neneném, mamamama,,, e ele acaricia a maninha e a mamãe!
    Claro que as vezes tem um ciúme, porque ele ainda é um bebê também e quer colinho, quer mamãe! E me rasga o coração não poder dar absolutamente toda a atenção que ele quer… Por outro lado, não está sendo nada daquela trabalheira infernal que todos me pragejavam. Temos dias mais difíceis, outros mais fáceis e estes fazem tudo valer a pena!
    Agora, por exemplo, Deus me abençoou e fez os dois dormirem ao mesmo tempo, e isso já faz 1h, então posso ter aquele tempinho de comer algo, me largar no sofá e relaxar a cabeça na internet!

    Divaguei e fui longe… mas queria dizer com tudo isso que ler os teus posts faz-me sentir menos louca no meio desse mundo capitalista-moderno. Me sinto menos culpada por ser mãe em tempo integral e por querer uma família grande! Ufa! há companheiras de luta por aí!!

    Tudo de bão procês! Grande abraço!

    Comentário by Laura — fevereiro 8, 2013 @ 3:41 pm

  38. Puxa!
    Leio seu blog ha bastante tempo, mas nunca havia comentado… até hoje, quando li esse post!
    Entao… aqui estamos gravidos de 38 semanas e desde sempre foi uma decisao natural nao saber o sexo do bebê. Nao moro no Brasil, moro na Alemanha, meu marido é alemao e aqui é bem mais comum as pessoas aguardarem a surpresa da hora do parto.
    Minha conexao com essa pequena grande pessoa (PGP) que cresce dentro de mim foi se desenvolvendo aos poucos e nao saber o sexo foi uma parte natural do processo de boas vindas a esse ser humano que se juntou a nós. Nao vou dizer que tenho uma intuicao acerca da PGP está por chegar em breve. Tanto eu e marido temos ideias baseadas em supersticao: ele acha que é um menino, por causa do formato da barriga, eu desconfio brevemente ser uma menina, por conta do teste da agulha. Mas isso para nós em nada tem de definitivo! Por mais que tenhamos esses achômetros, estamos empolgadíssimos com a surpresa que nos brindará!
    O mais interessante – até sob uma perspectiva antropológica, como vc mencionou – é ver as reacoes que nossa "falta de curiosidade" desperta.
    Aqui na Alemanha as pessoas curtem e acham legal a gente aguardar a surpresa na hora do parto. Teve um amigo do marido que nos encontrou no mercado, conversamos, parabenizou pela gravidez e fez a pergunta se sabiamos "quem" é o bebê, dissemos que nao sabíamos e que queriámos surpresa! A reacao dele foi um pulo, acompanhado de um sorriso enorme dizendo "QUE TESAOOOOOO!".
    Já no Brasil… as pessoas nao entendem como nao quis saber o sexo, como eu aguento, blablablabla. Minha mae foi em varias lojas comprar umas roupinhas pra mandar de presente e a uma situcao beirando o grosteco aconteceu em praticamente TODAS AS LOJAS. As vendedoras perguntavam "Ah, vc quer roupinha pra recem nascido. É menino ou menina", minha mae respondia "minha filha nao sabe, decidiu nao saber", a resposta das vendedoras "AH! ENTAO NAO TEMOS!". Assim, "nao temos roupinhas neutras". Minha mae ouviu isso praticamente em todos os lugares que foi. Em um deles a venderora foi quase agressiva "MAS COMOOOOOO ela nao sabe o sexo do bebê? É o segundo filho? É O PRIMEIRO FILHO e ELA NAO QUIS SABER??? ISSO É IMPOSSÍVEL! TODA A MULHER quer saber o sexo do bebê!", desse jeito mesmo, quase gritando.
    E vou confessar, eu e marido rimos muito dessas reacoes extremas!
    Li para meu marido o último paragrafo do seu texto, que resume bem nossa filosofia:
    "no fim, meu pequeno bebê, esse foi mais um jeito extremamente pessoal que encontrei de mostrar para você que eu o respeito desde que soube de sua existência. não apenas cuidando da nossa alimentação, pensando no parto, na amamentação e tudo isso, mas deixando um pouco de lado a minha carga de expectativa sabendo que, antes de ser menino ou menina, você será meu bebê, tão amado e desejado por todos nós!"

    Choramos os dois aqui! A essência é bem essa!
    Beijos e saúde pra vc e sua familia fofa!

    Comentário by Jux — fevereiro 5, 2013 @ 12:20 pm

  39. Hi, acho que não conseguiria não. Não pela ansiedade em saber, pela curiosidade. Mas sim pelo fato de saber o sexo me ajudar na formação do vínculo. Só que deve ser uma emoção enorme saber na hora.

    bju

    Comentário by Liza — fevereiro 5, 2013 @ 12:43 pm

  40. Luiza, há tempos que não passava por aqui. Minha mãe lê seu blog e me disse que você estava grávida novamente. Vim aqui, li alguns posts, mas não consegui comentar.
    Agora, simplesmente não pude deixar: tive que parar e escrever. É incrível como quando decidimos trilhar por um caminho, acabamos encontrando pessoas que estão fazendo o mesmo.

    Descobrir o sexo do bebê só no nascimento era uma vontade minha enquanto ainda tentava ficar grávida. E agora, estou com sete semanas, tenho certeza disso: não tenho a menor curiosidade, porque não faz diferença!
    Assim como você, também quero evitar grandes quantidades de exames. Por preguiça, por saber que não são necessários e por ideologia também, porque não, já que nosso sistema obstétrico é totalmente mercenário e frio.

    É uma coisa que me incomoda. A pressão por uma menina. Quem tem menino, obrigatoriamente tem que ter menina e vice versa. O casal. O ideal da classe média. (mal sabem eles que não paro no segundo não). Dez entre dez pessoas que conversam comigo sobre a gravidez falam a mesma coisa.
    E isso me dá ainda mais vontade de não saber, de não contar. Até meu marido que era contra, que queria saber, de tanto ouvir que "agora é uma menininha" se juntou a mim e agora, também não quer saber.

    Os nomes até já escolhemos, mas porque estavam escolhidos há muito e não mudamos de ideia. Mas pra quem pergunta, digo que ainda não sei. E é cedo, tão cedo… Mas já me bombardeiam com esse tipo de pergunta.

    Um ótimo post. E, antes tarde do que nunca, parabéns pela nova gravidez!
    Muita felicidade para vocês!

    Comentário by Débora — fevereiro 5, 2013 @ 1:11 pm

  41. Muito legal seu relato! Eu tb decidi isso há alguns dias, antes mesmo de ler este post. Concordo com tudo em número, gênero e grau. Bjos e parabens pela escolha 🙂

    Comentário by Lila — fevereiro 5, 2013 @ 5:34 pm

  42. Super aprovo! Sempre achei bem legal essa ideia! Aqui em casa também independe o sexo, já fui buscar na casa da minha mãe tudo que deu pra trazer de avião da época do Gabe! Vai ser tudo verde, de ovelha e reaproveitado do irmão, me perdoem os que gostam de enriquecer essas lojas de decorações para bebês com trilhões de coisas desnecessárias! Vou no máximo comprar roupa de inverno que o outro Filhote nasceu no Nordeste e não precisou dessas firulas de casacos, mantas e afins.
    Do Gabe tb só fiz as morfológicas, deste baby não tenho palpites nem a ansiedade pra saber o sexo. Acho que é até uma aversão às pressões que venho sofrendo neste quesito. Engravidei na mesma época que mais algumas pessoas da família (do marido). Já tive que aturar comentários sorrateiros de que foi inveja (sabendo eu que esse baby #2 foi um milagre de Deus na minha vida que não contava mais que conseguiria engravidar!) e agora "sofro" uma disputada velada pelo sexo. A pessoa-mor dessa movimentação já tem 2 meninos, um deles adolescente, e "encomendou" uma menina desta vez, fez todas as mandingas que encontrou na internet e sentia embrulho ao ver os comentários no FB sobre isso, como se um menino fosse uma maldição na vida dela ou algo do tipo! Sinceramente torcia pra q fosse menina, pq temia de verdade pelo tratamento q um menino teria. Finalmente ela obteve a resposta q tanto desejava, mas agora me enche o saco para saber se o meu é menina – tipo, como se for menina tb eu vou "roubar" o brilho dela, que saco!!!!!
    Pensando em adiar o máximo possível essa informação…

    Comentário by Reinações de Gabezinho — fevereiro 6, 2013 @ 4:10 pm

  43. EU TE ENTENDO PERFEITAMENTE….FOI ASSIM COMIGO NA PRIMEIRA GESTAÇAO ATE QUERIA VER"TINHA UM POUQUINHO DE CUROSIDADE' MAS FIZ SOMENTE DUAS ECOGRAFIAS A CONTRA GOSTO ,NAO FIQUEI SABENDO …DAÍ …FOI ÓTIMO…NO FUNDO ATE PENSAVAA Q FOSSE MENINO,MAS,TORCIA Q FOSSE MENINA ….VC ESTA GRAVIDA DEVE ENTENDER O MEU PENSAMENTO GRAVÍDICO KKKKKKK….PENSAVA TANTA COISA JUNTA AS VEZES QWERIA SABER AS VEZES NAO …EAS PESSOAS PERGUNTAVAM TANTO Q AS VEZES QUERIA SABER SO PRA RESPONDER….MAS NO 7 MES DDECIDI QUE IRIA ESPERAR NASCER AÍ FALAVA A PLENOS PULMOES "SO VOU SABER QUANDO NASCER" E AS PESSOAS FALAVAM" TA DOIDA" OU COMO VC DISSE "COMO VC AGUENTA",MAS O QUE MAIS INTERESSAVA É Q VIESSE COM SAUDE NÃO É? E FOI TAO MARAVILHOSO A SURPRESA DA HORA Q ELA VEIO A MINHA GEOVANA GABRIELA,QUANDO GRAVIDA SERIA GABRIELA ,MAS AO NASCER SE TORNOU GEOVANA AÍ ADCIONEI GABRIELA COM O PASSAR DOS PRIMEIROS DIAS OLHEI ELA E AQUELES LINDOS OLHOS AZUIS( Q AGORA SAO VERDES)E PENSEI Q ELA MERECIA OS DOIS NOMES LINDOS,NA VERDADE MEUS DOIS NOME FAVORITOS.. AQUELA SURPRESA FOI DEMAIS PRA MIM..,FICO IMPRESSIONADA COM O QUANTO ESSE NEGOCIO DE GRAVIDEZ MEXE COM A NOSSA MENTE E NOS DEIXA PRATICAMENTE LOUCAS,MUITO MAIS INDECISAS CHEIAS DE IDEIAS ,IMAGINAÇAO ETC..
    ..EMFIMM COMPREI TUDO DA MINHA COR FAVORITA QUANDO GRAVIDA AZUL MARINHO ,EU ACHAVA ESSA COR TAO LINDA E FORTE E PENSAVA Q MEU BB SE INSPIRARIA NESSA COR E O QUARTINHO FICOU TAO LINDO ,PERFEITO E EU SONHAVA COM MEU BB….FOI UMA GRAVIDEZ MUITO MARCANTE,JA A SEGUNDA NAO QUERIA SABER O SEXO MAS MEU MARIDO INSISTIA E EU CEDI,EU INVENTAVA DESCULPAS P NAO FAZER AS ECOGRAFIAS,GASTAVA O DINHEIRO ETC,KKKKKKKKKK….TANTO Q SO FIZ 2 ECOGRAFIAS DURANTE A GESTAÇAO…..NA PRIMEIRA NAO DEU ,MAS NA SEGUNDA FIQUEI SABENDO,OK FOI LEGAL MAS NADA SE COMPARA A GRANDE SURPRESA,DA HORA "P" DE PARTO AFFFF PREFERIRIA TER ESPERADAO ATE NASCER,NAO SOU CURIOSA,´E INCRIVEL COMO AS PESSOAS AS VEZES SAO MAIS CURIOSAS Q AGENTE Q ESTA GRAVIDA ….DA PROXIMA VEZ ….(SIM SOU LOUCA ,VOU TER OUTRO FILHO….:) ,AMO SER MAE ,CONFESSO E COMO VCS FALAM TER FILHOS É DIVERTIDO…KKKKKKKK)# NAOVOUQUERERSABER "SO QUANDO NASCER" KKKKKKKKBJS

    Comentário by SUELI NASCIMENTO — fevereiro 8, 2013 @ 5:05 pm

  44. Adorei a iniciativa e a maneira como você descreveu toda essa experiência. Parabéns!

    Comentário by Flavia — fevereiro 16, 2013 @ 1:30 am

  45. […] falta de ar quando deito de barriga para cima e dores de cabeça. apesar de só querermos saber o sexo do bebê quando nascer, nossa lista de nomes está cada vez mais tomando uma forma mais concreta. mas ela é […]

    Pingback by potencial gestante – 5 meses de barriga — fevereiro 18, 2013 @ 6:32 pm

  46. Concordo super. Tanto que estou grávida do meu primeiro filho, a quem carinhosamente chamamos de belezinho, e nem eu nem o papai queremos saber a que gênero o bebê pertence, só quando nascer. Zero expectativas em relação a isso, talvez mesmo por não termos nenhuma preferência, já que é o primeiro filho.

    Comentário by Juliana Bravin — julho 10, 2014 @ 10:17 am

  47. Mto dez seu texto!! Estou grávida pela 2 vez… minha primeira é uma menina linda de 2 anos e meio. Na primeira gestação já tinha comigo a vontade de não saber o sexo, de deixar ser uma surpresa, mas como era o primeiro filho e tals e eu sonhava em montar um quartinho bem decorado acabei querendo saber o sexo embora eu já achava um máximo não saber. E agora com a segunda gestação, por experiência, sei qntas coisas são desnecessárias e que dá tempo muito bem de comprar as coisas depois q o bebe nascer… então conversei com o maridão e decidimos colocar em prática essa ideia de deixar pra descobrir o sexo na hora do nascimento, afinal ser menina ou menino não nos importa, ele ou ela será nosso bebe muito amado! Porém qndo fiz meu segundo ultrassom de 11,5 semanas da Translucencia Nucal, tive uma suspeita q eu não queria ter… falei pro dr. q nós NÃO queriamos saber o sexo, blz… e ele não vai e me mostra a criança com as pernas arreganhadas pra mostrar os ” pés”! E ainda tira foto pra mostrar no exame da ultra… eu suspeito q ele tenha feito isso de propósito…na hora q eu vi pareceu um pipizinho, mas não tem como ter certeza pois ainda é muito cedo né.. o duro é q agora eu fiquei encucada! :/ mas qro continuar não sabendo, da proxima vez vou fechar os olhos pra não ver!!! Rsrsrs

    Comentário by Gabriela — agosto 23, 2014 @ 10:59 am

  48. ola sou Camila estou gravida de 6 semanas e tb nao quero saber o sexo. Ai vem as perguntas "estamos no seculo 21", " como vc aguenta" " mas porque" e por ai vai. Ate a medica me questionou. Gente nao quero saber e pronto estou recebendo uma benção divina por poder gerar um bebe, entao deixa eu curtir essa fase. Pesquisando vi que tem mamãs q assim como eu quer saber na hora do parto a surpresa. Obrigado.

    Comentário by Camila — setembro 4, 2014 @ 10:12 am

  49. Olá! Acho que encontrei seu blog por causa deste post. Estava procurando histórias de mães que fizeram a mesma opção que eu: aguardar o parto para saber o sexo do bebê. Seu post foi encorajador e eu segui em frente. Sofri muita pressão porque meu sogro foi diagnosticado com câncer durante minha gestação e a família de meu esposo queria que ele tivesse a chance de saber o sexo do primeiro netinho. Chegamos a pedir ao ultrassonografista para escrever num papel, que entregamos ao meu sogro quando ele já estava muito mal, mas ele não quis abrir o envelope. Ele faleceu seis dias antes do meu bebê nascer e não chegou a saber que é um menino o seu neto. Mas a emoção de receber o bebê nos braços e a voz do meu marido anunciando “é o Francisco” eu vou lembrar para sempre!

    Comentário by Mariana — janeiro 13, 2015 @ 4:29 pm

  50. Que lindo e emocionante, Mariana!
    Com certeza descobrir o sexo do bebê na hora que ele nasce é uma das coisas mais incríveis da gestação/parto.
    A história do seu sogro também foi comovente. Minha avó faleceu de câncer na minha primeira gestação e não chegou a conhecer o primeiro bisneto, apesar de ter sabido que eu esperava um menino, o Benjamin, e ainda ter implicado com o nome. Ehehehehehe!

    Beijos :*

    Comentário by luíza diener — janeiro 20, 2015 @ 10:52 am

RSS feed for comments on this post.
TrackBack URL

Leave a comment

*