28 de janeiro

ninguém é perfeito

por luíza diener

caos

sempre tem alguém pra dar opinião nas nossas vidas, especialmente quando o assunto é criação de filhos.
desde o jeito como se leva a gravidez, passando pela forma como o bebê vai nascer, como se alimentar, dormir, a maneira de educar.. nunca, absolutamente nunca estará bom pra quem vê de fora.
se você opta por agendar uma cesárea, podem dizer que está cometendo um grande erro; se diz que vai tentar o parto normal, está correndo um grande risco.
se amamenta sempre que o bebê pede, independente da hora e local, alguém talvez dirá que está acostumando ele mal. se opta por dar leite artificial, realizar o desmame ou fazer a introdução alimentar antes dos 6 meses, vai danificar a saúde do bebê pra sempre.
se estabelece horários e rotinas, está sendo cruel. se dá liberdade para que as coisas aconteçam conforme o desenrolar do dia ou as necessidades momentâneas, está criando um indivíduo sem limites, que só faz o que quer.
se volta a trabalhar, te chamarão de egoísta. se fica em casa com o bebê, vai ser uma dona de casa frustrada quando ele crescer.

não tem jeito: toda mãe será criticada em algum momento, por mais que faça exatamente aquilo que acredita ser o melhor para si e para o seu bebê.
claro que não uso isso como argumento para fazer o que me der na telha e depois me apoiar nisso como desculpa para tudo.
é direito e dever de toda mãe ir atrás de informação, ler, estudar, conversar com profissionais da área, mas também com amigas, parentes e pessoas de confiança.
mas tão importante quanto consultar médicos e pessoas que se ama, a mãe deve sempre consultar seu coração. é o maior dos clichês, eu sei, mas eu continuo batendo na tecla de que a nossa consciência é nosso melhor guia.

muitas coisas são lindas na teoria, mas parece que na prática geram caos e destruição na sua casa. e é sempre na nossa casa, nunca na dos outros, já percebeu? porque pode ser que funcione mesmo pra outras pessoas, mas elas são diferentes de você, do seu filho, da sua família. portanto, se aquele método lindo não se adapta para vocês, é bem provável que ele não seja pra vocês.
cada mãe precisa conhecer seus filhos e precisa conhecer a si mesma. livros, opiniões e conselhos podem muitas vezes ser inspiradores, mas não são eles que embalarão seu filho 3h da manhã, trocarão aquela fralda de rabo de esquilo que enche as costas e a nuca do seu bebê de cocô, que pagarão suas contas ou que terão que lidar com as birras e chiliques quando eles acontecerem.

vou além: conforme os filhos crescem, descobrimos que o que funcionava antes não necessariamente dará certo hoje. o que era uma beleza com um filho, com o outro pode ser um verdadeiro desastre.
conheça seus filhos. conheça a si mesma. analise as motivações do seu coração e procure entender o coração dos seus pequenos também.
não tenha medo de errar, mas aprenda com cada erro e celebre cada acerto com humildade.
analise tudo, retenha o que é bom, respeite as decisões alheias e faça as pazes com suas escolhas.

***

este post foi inspirado na nova campanha de Baby Dove. a marca que entende de mulheres reais – cada uma com sua própria beleza – também vê beleza no jeito como cada mãe expressa seu cuidado e carinho com seus bebês.
os novos produtos Baby Dove te dão mais cuidado pra você fazer do seu jeito. #ConfieNoSeuJeito #BabyDoveBrasil

foto: daniele guenther 

selo matrioska

Related Posts with Thumbnails

categorias: erros comuns, para mães, publicidade

assine nosso feed ou receba por email


15 Comments »

  1. Sempre te leio e gosto da maneira engraçada como vocês encaram a criação dos filhos, mas tenho percebido ultimamente uma tentativa de não perder seguidores. Assim, ó: num assunto polêmico, você nunca se posiciona e sempre dá um jeito de escapar de dar opiniões. Sempre fica fazendo o papel de amiga de todos, sabe? Com isso, textos rasos surgem, o que é uma pena. Você tem tanto a dizer, com certeza. Infelizmente, este blog tornou-se comercial (cheio de publicidade). Então, é difícil mesmo se posicionar, dar opinião e defender algumas causas.

    Comentário by Rafa — janeiro 28, 2015 @ 8:39 am

  2. Caramba, Rafa, quanto julgamento num texto só!
    Como você por acaso tem o poder de dizer o que está no meu coração e qual é a minha intenção ao falar ou deixar de falar sobre certo assunto?
    Quem disse que eu não quero perder seguidores?
    Se você ler meus últimos textos rasos, como você diz, tudo que eu quero é mostrar que eu não sou melhor ou sei mais que ninguém.
    Meus textos mais antigos eram cheios de uma arrogância e uma prepotência velada. Atrás de cada linha vinha escondido um “o meu jeito é melhor que o seu” e é isso que eu vejo em muitos textos “posicionados” que leio por aí. Com isso as pessoas se ofendem e acabam, inclusive, pegando birra de coisas e até de pessoas, porque foram abordadas da forma errada.
    Eu não tenho intenção nenhuma de ser amiga de todo mundo. Isso é julgamento seu ao meu respeito.
    Meu blog é meu trabalho, mas eu não deixei de emitir minha opinião por causa disso. Sei lá o que você considera um blog comercial, mas se você quer dizer algo do tipo “você parou de emitir sua opinião pra agradar a todos e ganhar mais dinheiro” eu lamento sinceramente que você pense isso sobre mim. Você não me conhece.
    Se você gosta de leituras mais empoderadas, existem blogs ótimos sobre o aassunto e, inclusive, posso te indicar alguns que eu gosto muito.
    Mas, como você bem pode ver, eu não agrado a todos. Te agradei com o meu comentário e por me posicionar sobre o julgamento errôneo que você fez sobre mim?

    Comentário by luíza diener — janeiro 28, 2015 @ 8:59 am

  3. Rafa, acho que vc não lê blog com atenção. O posicionamento da Luiza é bem claro. Digo isso como leitora do blog, nao a conheço pessoalmente.Respeitar as opiniões diferentes não é ficar em cima do muro.

    Comentário by Aline — janeiro 28, 2015 @ 9:12 am

  4. Vc falou tudo,

    Estou rodeada de opiniões que respeito muito, porém algumas vezes tenho que me impor para que opiniões não virem ordens.

    Não só do meus parentes mas tbm de grupos maternos que participo onde se vc não faz método X,Y vc é menos mãe que as outras que seguem a risca…

    Simplesmente faço que meu coração manda, e venho acertando! Minha filha ta aqui linda e mega saudável.

    Ps: Seus textos são ótimos e longe de serem “rasos”, uma das poucas blogueiras mães que assumem seus defeitos e dificuldades.

    Sou sua fã bjo

    Comentário by Joana — janeiro 28, 2015 @ 9:23 am

  5. Luíza, quero te encontrar quando chegar em Brasília, mas não consigo te contactar! Me manda um e-mail com seu celular! Bjãooo

    Comentário by Rodrigo Babaloo — janeiro 28, 2015 @ 11:38 am

  6. vc tá com face, irmão?

    Comentário by luíza diener — janeiro 28, 2015 @ 12:16 pm

  7. Poucas vezes li um texto com o qual me identificasse tanto. Acompanho seu blog desde o início, muito antes de cogitar a idéia de ser mãe e foi através de você que busquei me informar antes de qualquer coisa. De fato sua opinião é extremamente clara, sempre vi isso. O que ocorre é que você não julga o que os outros pensam e isso confunde a cabeça de algumas pessoas que acham que criticar faz parte de nós rs

    Continue assim , seu trabalho é incrível!!!

    Bjim

    Comentário by Kaueli — janeiro 28, 2015 @ 1:50 pm

  8. Falou TUDO, Kaueli!!!
    Luíza é a TOP-TOP-TOP! <3

    Comentário by Simone Borges — janeiro 28, 2015 @ 1:58 pm

  9. Obrigada, querida! Julgamento não é uma coisa que me compete de maneira alguma. Eu não conheço o coração de ninguém pra sair apontando o dedo e dizer o que ela sente ou deixa de sentir, o que deve ou não fazer.
    Agradeço de coração pelo carinho!
    Beijos

    Comentário by luíza diener — janeiro 28, 2015 @ 2:03 pm

  10. Cara, estouimpressionada! Sempre acompanhei o blog e acho que é a primeira vez que comento e sabe porque? Antes eu me sentia meio que muito longe do teu mundo, suas posições eram muito certas e definidas e isso estava muito distante da minha realidade, passei por três cesareas, me sentia nada emponderada ao ler seus textos mas hoje, cara, hoje você me fez chorar, você mudou e mudou pra melhor, na minha opinião! Obrigada por ter me mostrado que é possível estar perto do seu mundo…espero, de todo coração que me entenda!!!

    Ps: posso compartilhar o texto no meu blog? Com as devidas citações, é claro!

    Comentário by vanessa — janeiro 29, 2015 @ 9:03 am

  11. Entenda, suas posições continuam claras só que, na minha opinião, hoje você se mostrou mais leve e aberta quanto as posições de outras mãvocêE eu já te admirava horrores desde sempre, apenas me sentia distante do teu jeito de maternar!

    Beijos de uma pessoa que sempre faz um comentário a mais pra se explicar…hahahahahahahahaha

    Comentário by vanessa — janeiro 29, 2015 @ 9:08 am

  12. Concordo, cada mãe sabe como educar o seu filho. Logicamente, Mãe não sabe tudo e tem de ter humildade de saber quando está perante uma questão em que tem dúvidas. Temos de nos lembrar que estamos a educar um ser humano e que o objectivo é que ele seja a melhor pessoa possível!

    Comentário by Irina Pimenta — janeiro 29, 2015 @ 2:23 pm

  13. Muito reconfortante seu texto…estou grávida já tenho ouvido de tudo, mas sei que quando a Sofia nascer a cobrança, comentários e conselhos virão como um tsunami rs. Parabéns e obrigada!!!

    Comentário by Chris — janeiro 29, 2015 @ 9:34 pm

  14. Luiza, seus textos são sempre acolhedores!! Amo lê-los! E fico mais feliz ainda se vc ganhar dinheiro com eles, pq o bem que vc faz dividindo sua vivência comigo e com outras milhares de mães não tem preço! Beijo

    Comentário by Tici — janeiro 31, 2015 @ 9:21 am

  15. bom texto, gostei! tenho uma colega que saiu de casa com filho de 2 meses e muitos perguntavam: mas ele não mama ainda? muitos em tom de crítica. Moral do texto: seja autônoma e faça suas próprias escolhas e deixe cada um viver a sua vida a sua maneira, não interfira na escolha dos outros e não permita que interfiram nas suas.

    Comentário by Igor Leão — março 17, 2015 @ 2:01 am

RSS feed for comments on this post.
TrackBack URL

Leave a comment

*