01 de outubro

o êxtase de cada conquista

por luíza diener

todo blog de maternidade que conheço, independente do ponto de vista, em algum momento fala sobre gravidez, parto, amamentação, papinhas, dentes, sono, as primeiras vezes (do dente, que dorme a noite toda, que come uma papinha, que rola, senta, engatinha, anda, etc) e as últimas vezes (que usa chupeta, que mama, que usa fralda).
às vezes sobre alguns dos temas listados acima, às vezes sobre todos eles (e mais um pouco).

pois bem, as primeiras vezes já passaram e algumas das últimas estão chegando.
confesso que sempre adorei blogs de maternidade mas, até me tornar mãe, sempre passei batido por alguns posts, como os de amamentação, por exemplo. e mesmo depois do benjamin nascer, sempre tive uma preguiça extrema de ler sobre desfralde.
isso porque alguns assuntos que não me interessavam muito e eu preferia focar em outro tema.

mas eu engravidei e comecei a prestar atenção em alguns detalhes. comecei a valorizar quando, numa ecografia, eu descobria que meu pequeno estava com x semanas, medindo centímetros e pensando gramas, coberto por uma camada de lanugo ou com todos os dedos da mão e do pé. ouvir seu coração galopar pela primeira vez me deu a certeza de que minha vida nunca mais seria só minha e naquele momento eu soube que não um, mas dois corações bateriam dentro de mim para sempre (e depois três, quatro, vai saber).
ele sentou sem apoio pela primeira vez e a vontade que deu foi de contar para todo mundo: meu filho já sabe sentar!!! (com muitas exclamações).

toda vez que meu bebê dava uma gargalhada eu sentia meu coração se encher de uma alegria tão plena que a impressão que eu tinha era de que eu iria explodir de felicidade a qualquer instante.

que vê os videozinhos que eu faço com o benjamin pode dizer: ai, que bontinho!
os mais chatos críticos podem pensar: grande coisa! ou nossa, que exibida.

mas quando eu o vejo fazer aquilo e corro para pegar a câmera e filmar eu só penso: maravilhoso esse meu filho! tá crescendo! tá esperto! cada dia que passa ele surpreende a ele e a nós também.
filmo porque não quero perder nada. porque sei que ele vai crescer e só vão me restar as memórias.
e fico assim, meio aerosmith:

(desculpa o armageddon feelings, gente. foi mais forte do que eu)

na quinta-feira passada estávamos no shopping joca e eu, passeando por uma loja de departamentos. aí eu vi umas micro cuequinhas muito fofas e perguntei:

– benjoca, o que é isso?
– tueca!
– quem usa cueca?
– o papai.
– e a mamãe usa o quê?
– tacinha!
– e o mindoca, usa o quê?
– talda!
– você sabe que um dia você vai usar cueca, igual ao papai, não sabe? e você sabe também que pra usar cueca tem que parar de usar fralda e fazer xixi na privada ou no penico, né?
– sim.
– quer usar cueca igual a do papai, só que pequenininha?
– quelo.

na verdade eu já havia tido essa conversa com ele algumas vezes.

ele deu sinal de desfralde meses antes. um deles era que ele percebia toda vez que fazia xixi e cocô, ficava incomodado e pedia pra tirar a fralda na sequência.
então, na época, corri na casa da minha mãe e peguei um troninho antigo, que fora da minha sobrinha, e levei pra casa.
foi um fracasso. ele empolgou-se com a ideia, mas foi só sentar no troninho que desistiu. era muito grande para ele e, se não sentasse lá no fundo, ele tombava pra frente.
uma ou duas vezes foram o suficiente para que ele retrocedesse.
o troninho virou brinquedo.
e ele parou de pedir pra tirar a fralda. pelo contrário, queria ficar com ela o máximo de tempo possível, mesmo que cheia de cocô.
então entendi e respeitei. deixei mais pra frente, quando percebesse que ele estava pronto para começar.

e não sei por quê. mas dentro daquela grande loja, de frente para um pacote de cuequinhas minúsculas e aquela criança com três chapéus empilhados na cabeça, eu tive a certeza de que o momento havia chegado.

comprei um kit com sete.

fomos a outra loja e achei um peniquinho bem simples, deste daqui.
pedi pra ele sentar sem a minha ajuda. ele me olhou de cara feia e desconversou. coloquei perto dele, insisti e ele sentou.
sentou com facilidade. o penico era bastante estável. e achei ele simpático. levei.

passei numa livraria (nessas horas eu agradeço a deus por existirem shoppings centers) e achei um livrinho bom, bonito e barato para ele ler quando estivesse sentadinho no penico.
a princípio procurei um que falasse sobre desfralde, mas a livraria em que fui não tinha uma opção muito vasta. até teve um livro que o tema era legal mas, além de feio, era muito grande e caro.
então fiquei com nosso pequeno bbb.

era fim de dia e chegamos em casa já na hora da janta. ele comeu e eu perguntei se ele queria estrear a cueca e o penico. quando ele sentou no peniquinho, fez xixi quase que imediatamente.
não sabia se achava aquilo mágico ou pura coincidência, mas fiz aquela festa e chamei o papai para ver.
jogamos o xixi na privada e demos tchau.
em parte aquilo já era rotineiro para ele, visto que sempre despejamos seu cocô na privada e nos despedimos dele.

como as cuequinhas estavam lacradas no pacote, deixei ele estrear uma sem lavar mesmo. só para sassaricar pela casa até que chegasse a hora de tomar banho e dormir.

no dia seguinte, assim que acordou, ele pediu pra tirar a fralda e ir ao penico. achei o máximo e lá estávamos nós, às seis e pouca da manhã, no banheiro. eu mal conseguia abrir o olho, mas acho que ele conseguiu fazer um xixi. não lembro.
colocou a cueca e quis ir brincar. de tueca igual o papai ini, como ele fazia questão de lembrar.

de tempos em tempos (creio que num espaço de 10 ou 20 minutos) eu lembrava ele de ir ao penico. mas ele sempre se adiantava e fazia xixi casa afora. de repente eu só ouvia um mamãaae, já sabia o que era e chegava com um pano de chão para secarmos juntos.
e algumas vezes eu propunha a ida ao banheiro, mas ele se recusava. não quis forçar muita a barra logo no primeiro dia.

meses atrás, quando parecia querer desfraldar, ele passava a manhã inteira sem fralda mijando casa afora. a diferença é que ele só fazia xixi no chão e passava longe do banheiro.

à tarde, depois da soneca, ele acordou e eu o levei para o penico. ficamos conversando e, quando eu fui pegar o seu livrinho novo, ele me chamou pra dizer que tinha feito cocô.
o livrinho ainda estava embrulhado, mas o cocô já estava pronto para o consumo, resplandecente e quentinho, recém saído do forno, lá no fundo daquele belo receptáculo azul escuro.
ele levantou porque queria ver o fruto do seu penoso trabalho.
era uma coisiquinha marrom de nem 4 centímetros, do tamanho da caca de um yorkshire.
mas eu vibrei, fiz festa, bati palma. devo ter cantado alguma música e feito algum tipo de dança. não me lembro. entrei em êxtase por ele ter conseguido aquilo. e ele também.
ficamos os dois parados, contemplando estupefatos sua obra prima.

recobrei a consciência e fiz uma nova festa: vamos dar tchau pro cocô? (naquele ânimo de “quem quer jogar o jogo da letra?“)
como ele já sabia do que se tratava, prontamente quis jogar o cocô no vaso. jogamos, lavamos o penico (igual lavávamos a fralda de pano) e demos descarga.
xaaau, cocô do mindoca! – ele mesmo disse.

e quis sentar novamente. ele desembrulhou o livrinho, ficou lendo e conseguiu fazer mais umas duas ou três bolotinhas, pouco maiores que um grão de bico. depois eu perguntei: consegue fazer xixi? e ele fez mesmo, em seguida.
ligamos pro papai, ligamos pra vovó. pessoas que eu tinha certeza que compartilhariam da nossa alegria.

fiquei tão feliz quanto ele. ou seria ele que estava tão contente quanto eu?

vibrei e meu coração quase explodiu, igual quando ele deu suas primeiras gargalhadas.

encontramos minha mãe e fomos passear com ela. no carro, no banco do passageiro, eu só conseguia olhar distante e pensar no quão eufórica eu estava por ele.

sim, eu penso que meu bebê está crescendo.
terei saudades? terei. mas fico extasiada por ver que cada coisinha dessas é também um passo para sua maturidade infantil.

uma alegria singela, mas que parece não caber dentro de mim.

não acho meu filho o máximo, não acho ele melhor do que ninguém e nem pretendo que seja.
mas suas conquistas são únicas.

um dia ele aprendeu a rolar, a sentar, a engatinhar. deu seus primeiros passos.
se for comparar, hoje não é nada, visto que ele corre, pula, dá cambalhotas, escala coisas, abre portas.
e amanhã ele já saberá a hora de fazer cocô e xixi, irá sozinho ao banheiro para fazer suas necessidades não no penico, mas na privada. saberá se limpar sozinho, tomar banho, amarrar o cadarço. irá dormir na casa de um amiguinho ou fará sua primeira viagem de escola sem pai, mãe ou parente para olhar.

e lá estarei eu radiante, vibrando, contente com seu crescimento.
porque cada passo que ele dá para a independência não é apenas uma conquista dele.
é minha.
é nossa.

Related Posts with Thumbnails

categorias: Tags:, , , , , , 2 anos, amor, benjamin, criança, desfralde, marcos importantes, toddler

assine nosso feed ou receba por email


14 Comments »

  1. que legal! Também comprei um penico pro Linus, livrinho do tema e tudo, mas nada de interesse pela coisa….
    eu me empolgo muito também… mas diferente de vc, eu acho meu filho o máximo sim!!!!! Acho ele tudo de alegria, tudo de bom, mesmo ele sendo lerdinho pra um montão de coisas, de ele estar quase saindo do peso minimo da curva de crescimento/ peso, mesmo ele não sabendo nem falar o próprio nome!

    Sei lá, ele pra mim é o máximo mesmo! rs Sou muito apaixonada pelo meu filhote e sem pudores de falar que ele é demais… (claro que um monte de gente deve discordar e comparar! Mas acho que isso nem tem comparação! )

    Que alegria que é o desfralde!

    Comentário by carolina — outubro 1, 2012 @ 3:59 pm

  2. Lu, é bem isso mesmo! Só quem é mãe vai entender o que é essa fase. Eles crescem tão rápido né? Dá uma saudade imensa. Mas é isso mesmo, o desfralde é uma alegria imensa. Só vou te dar um conselho, tente tirar a noturna o quanto antes, junto com a diurna. Pq se deixar pra depois pode dar problema no desfralde. Sei por experiência própria, atrasei o desfralde noturno do Chico e foi um problemão tirar a noturna. Até hoje ainda é.

    Bjão querida.

    Comentário by Alessandra Pilar — outubro 1, 2012 @ 4:12 pm

  3. Adorei o post, assim como todos os outros que já li. Compreendo você na questão de querer mostrar ao mundo a evolução do seu pequeno, para os outros pode parecer nada, mas para nós é muito importante e queremos mesmo deixar tudo bem registrado. Sinto a mesma coisa, sempre saio de casa com a máquina fotográfica na bolsa, meu baby tem apenas 3 meses e 10 dias, então o caminho é longo, mas a cada nova conquista eu vibro MUITO e saio ligando para o papai e para a vovó, só não publico no facebook para não parecer chata demais, mas to montando um blog para deixar tudo registrado para ele.

    Comentário by Nenê Crescendo — outubro 1, 2012 @ 5:29 pm

  4. Fofooo!!!! Acho que vc escreve tão bem!!!! =)
    E os nossos babys são o maximo mesmo! Não tem como não amar e não esperar ansiosamente por cada nova conquista…
    Chorei de emoção quando o Pepe gargalhou a primeira vez! E agora quero que ele role.. hahahaha

    Beijão!

    Comentário by Mafe Furquim — outubro 1, 2012 @ 5:55 pm

  5. Parabéns, Benjoca querido ! Parabéns Lu e Hilan. Muito bom ver nosso querido crescendo.
    Beijinhos da vovó Daisy

    Comentário by Daisy — outubro 1, 2012 @ 7:00 pm

  6. Oi Luiza! Que gostoso, parabéns pro Benja! O Fred tb começou o desfralde há uns 10 dias! A gte vibra jtos aqui a cada passo! O sentimento é esse mesmo que vc descreveu. Deixa eu contar como tem sido aqui… O primeiro dia foi catastrófico rsrs… O 2o, 3o e 4o foram até bem, com só um ou dois xixis vazados por dia + os cocôs… à partir do quinto não teve acidente de xixi, mas 100% dos cocôs foram na cueca… Ontem ficamos muito felizes que fez o primeiro cocô no vaso!!! 🙂 Depois fez mais um a noite! Nossa, é muita alegria!! Aí qdo tudo parecia lindo, hj o saldo foram 2 xixis na cueca e simplesmente não teve cocô (o desfralde deu uma desregulada boa)… E vamos que vamos! 🙂
    Boa sorte aí pra vcs! Vamos trocando figurinhas!
    Bjs, Le

    Comentário by Eleonora — outubro 1, 2012 @ 8:50 pm

  7. ok, imaginei vcs dando tchau pro coco. hahaha

    Comentário by imbadnews — outubro 1, 2012 @ 8:51 pm

  8. que amor Luiza! fico tão feliz com as conquistas do benjoca quando as do Otávio, vcs já são tão íntimos que o Benjamin é assunto aqui em casa! hehehe

    ele ainda vai amadurecer a ideia do penico mas já se deu super bem, que bom! aqui em casa vejo que vai demorar…. Otávio fala quase nada, mas de vagarinho vamos caminhando para as primeiras palavras e outras tantas primeiras vezes que estão pela frente! inevitável o clichê (é mais clichê dizer clichê do que a palavra em si, mas enfim) "passa tão rápido", inevitável ver como eles estão crescendo e cada vez mais o cordão sendo cortado.

    ai ai… a música é linda, e nunca tinha percebido como ela cai tão bem pra nós mamães

    beijooos

    Comentário by Mamãe do Otávio — outubro 2, 2012 @ 2:27 pm

  9. Que legal!! Eu tentei iniciar o desfralde quando Dan estava com 18 meses, mas, ele não se mostrou pronto e eu respeitei. Vejo que ele ainda não está preparado e como só completará 2 anos em novembro, acho que darei mais um tempo para falar de novo em desfralde e colocar novamente o peniquinho no banheiro. Espero que seja natural como foi com o seu Benjoca!!

    Comentário by Myriam — outubro 3, 2012 @ 12:29 pm

  10. Bom demais ler teu texto e saber que o que estou sentindo com meu bebê é "normal"… fico me achando meio boba por tanta felicidade a cada coisinha nova que ele faz, mas é isso mesmo uma conquista. Uma felicidade sem tamanho. Meu filho tem só 4 meses e meio, cada dia eu me surpreendo com algum gesto novo, como é emocionante, que vontade de contar para todo mundo… Não vejo a hora dele sentar, engatinhar, contar história (como a Arca de Noé que assistimos o Benjoca contar)… fico só esperando cada momento desse com a máquina fotográfica sempre por perto…. Também não quero perder nada… nadica! Todo mundo sempre me diz: vc vai sentir saudade dessa fase, mas é tanta vontade de viver as próximas fases que ainda não deu tempo de sentir saudade de nada… Acho que isso só vai acontecer quando ele estiver adulto e totalmente independente de mim… ai sim vou ter saudade de tudo isso.
    Parabéns pelo blog… amo!

    Comentário by Ana Claudia — outubro 3, 2012 @ 3:45 pm

  11. Mais uma vez estou aqui emocionada ao terminar a leitura de um post seu, imaginando que vai chegar minha hora de vivenciar essas conquistas da minha pequena que só cresce!

    Comentário by Thaise — outubro 4, 2012 @ 12:43 am

  12. Olá Luiza, acompanho seu blog já há um tempinho, minha pequena tb começou a demonstrar que está preparada para o desfralde. Vou te mandar um e-mail gente tricotar um pouquinho sobre o assunto, to louca por umas dicas. bjos

    Comentário by Maria Paula — outubro 4, 2012 @ 10:18 pm

  13. Que maravilha!!! É uma delícia mesmo acompanhar cada fase dos nossos pequenos. Os meus mais velhos farão 7 e 6 anos em breve, mas o meu pitoquinho, o Francisco, está com 1 ano e 4 meses e irei passar por todas as fases novamente. Cada nova fase, cada descoberta, cada vitória, nos faz vibrar e crescer com eles também. E é assim mesmo, as fases mudam, mas a alegria de ver o crescimento de quem um dia era um serzinho totalmente de você é como aquele famoso slogan: "NÃO TEM PREÇO!!" Bjos pra vocês, que são pais incríveis e um super bjo no pequeno herói dessa história.

    Comentário by Tani — outubro 6, 2012 @ 9:10 am

  14. Ei Luiza, sei exatamente como se sente. Cada conquista dos nossos filhos, por menor que possa parecer, para nós é uma grande conquista que merece comemoração. Eles vão crescendo, se desenvolvendo, descobrindo o mundo e é muito bom fazer parte disso tudo com eles.
    Estava meio desatualizada, mas adorei voltar aqui e ver as novidades. Principalmente essa!
    Parabéns!
    Super beijo

    Comentário by Gabi Miranda — outubro 7, 2012 @ 12:26 am

RSS feed for comments on this post.
TrackBack URL

Leave a comment