31 de outubro

o renascimento do parto

por hilan diener

o filme “O Renascimento do Parto” retrata a grave realidade obstétrica mundial e sobretudo brasileira, que se caracteriza por um número alarmante de cesarianas ou de partos com intervenções traumáticas e desnecessárias, em contraponto com o que é sabido e recomendado hoje pela ciência. tal situação apresenta sérias conseqüências perinatais, psicológicas, sociais, antropológicas e financeiras. através dos relatos de alguns dos maiores especialistas na área e das mais recentes descobertas científicas, questiona-se o modelo obstétrico atual, promove-se uma reflexão acerca do novo paradigma do século XXI e sobre o futuro de uma civilização nascida sem os chamados “hormônios do amor”, liberados apenas em condições específicas de trabalho de parto.

 

Related Posts with Thumbnails

categorias: estou grávida, parto, vídeos

assine nosso feed ou receba por email


9 Comments »

  1. Ótima reportagem, eu penso que o parto tem que ser normal MAS se a mulher poder ter NORMAL, algumas complicações como pressão alta, falta de dilatação, bebe que não está na posição, cordão umbilical enrolado no pescoço não tem como fazer parto normal, e só trará sofrimento fetal e sofrimento para a mãe. E outra questão que existe no mundo é que nos países de 1 ° mundo todas tem parto normal mas são poucas que amamentam seus bebes, a maioria dá mamadeira, existem um um contra-senso no mundo, no Brasil a maioria faz cesárea, e em muitos países são partos normais mas não amamentam seus bebes o que é bastante triste também!

    Comentário by Ani — 31 de outubro de 2011 @ 3:58 pm

  2. Coisa mais linda esse vídeo. Tô doida pra ver o longa! 🙂

    Comentário by Casal Único — 31 de outubro de 2011 @ 6:16 pm

  3. O pediatra que faz a minha sala de parto e fica como pediatra dos meus filhos até os 4 meses, depois como pediatra de apoio pro resto da vida, é o Ricardo Chaves, que aparece aí, por volta do 2:20! Ele é parceiro do meu Obstetra tem MUITO tempo… isso me dá ainda mais tranquilidade em relação aos meus partos e as escolhas feitas por ele e pelo meu GO. Sei que acreditam no parto normal e que ninguém tentou me ludibriar, como tantas pessoas já vieram tentar me convencer… rs

    Comentário by Mariana Perri — 31 de outubro de 2011 @ 10:22 pm

  4. Obrigada por me proporcionar esse momento de ver esse lindo curta!
    Ainda mais nesse momento que estou passando com 20 semanas de gravidez e o mundo gritando para eu fazer cesária, mas vou até o fim reunindo minhas forças para dar a chance para minha bb escolher o momento dela.
    bjs

    Comentário by Ana Carolina — 1 de novembro de 2011 @ 9:52 am

  5. Me emocionei muito! Estou com 35 semanas e durante toda a gravidez estou lutando para convencer as pessoas de que o parto natural e em casa, se tudo estiver bem, é o melhor para mim e para minha filha. As vezes me sinto sozinha nessa "luta" pois conheço outras mulheres grávidas que não querem nem saber de parto normal. Infelizmente, foi criado no imaginário popular um estigma de que parto é algo perigoso que só pode ser feito por médicos. Estou certa da minha decisão e esse video me deixa ainda mais tranquila. Graças a Deus meu marido e minha obstetra estão de acordo também, e com certeza teremos o momento mais lindo de nossas vidas!!!

    Beijos

    Comentário by Débora Daltro — 4 de novembro de 2011 @ 10:03 am

  6. Tive todo um trabalho da última vez em comentar esse vídeo. Falei da minha experiência com o parto normal e quis incentivar as mulheres a cuidarem e conhecerem melhor seu assoalho pélvico, algo tão pouco cultivado e tão importante para uma mulher. Não só pelo parto. Acompanho e divulgo o trabalho de vcs a quem posso com carinho e não só não recebi uma resposta, como meu comentário foi censurado. Achava q vcs estavam mais abertos a discussões. Perdi um pouco do gosto pelo blog. Achava q podia participar realmente dele…

    Comentário by Dani — 6 de novembro de 2011 @ 3:03 am

  7. Oi, Dani, tudo bem?

    Olha só, estamos com problemas no nosso sistema de comentários, que anda uma bosta com muitos furos na parte dos spams. Diariamente recebemos mais de 500 spams e, por conta disso, ativamos um filtro eletrônico que os bloqueia automaticamente.
    Este filtro deve ter barrado sua mensagem acidentalmente, sem meu consentimento, por isso que não está aparecendo por aqui.

    Vou já procurar na caixa de spams e torcer pra que consiga recuperá-lo, ok?
    Feito isso eu te respondo.

    Não leve para o lado pessoal. Eu não censuro mensagem alguma. Deixo os elogios e as críticas para qualquer um ler.
    Os comentários que já deletei foram pouquíssimos, pois continham palavras ofensivas, de baixo calão e que feriam a moral dos leitores do blog.
    Inclusive algumas pessoa já me sugeriram que eu pusesse todos os comentários para moderação, mas não é do meu feitio moderar a opinião alheia.

    Agradeço pela compreensão e peço desculpas pelo inconveniente.

    Beijos,

    Luíza

    Comentário by luíza diener — 6 de novembro de 2011 @ 5:45 pm

  8. dito e feito. olha o que eu achei na caixa de spams:

    Dani commented on o renascimento do parto – potencial gestante:

    Muito alentador pensar que estão se comovendo finalmente. Minha avó teve 4 filhos em uma rede, no sertão nordestino, com uma parteira. Nunca teve problema com a bexiga, nem com a musculatura vaginal. Os médicos até se admiram dela. Pq claro, os mesmos estão acostumados a inúmeras intervenções o q leva muitas vezes à problemas no assoalho pélvico feminino. É fundamental apoiar as mulheres que possuem boa condição na gravidez a terem parto normal, de preferência natural e onde se sentem mais seguras. Infelizmente adquiri incontinência de esforço depois do parto, parto normal com o uso de occitocina no final e o anestesista empurrando minha barriga. Nada em favor da nossa anatomia. Estou fazendo os tais exercícios de Kegel, sinto melhoras e ainda tenho a esperança de isso se corrigir. Mas, aproveito esse espaço para incentivar as mulhe res a conhecerem melhor a sua anatomia, a cuidar do assoalho pélvico mesmo antes de engravidar e por favor, quem puder, parir como Deus manda! Sei q meu comentário tá parecendo uma novela, mas, tb gostaria muito de pedir ao Hilan e Luiza para relatarem como foi a participação do Hilan na decisão do parto. Se ele foi apenas passivo, apoiou as decisões e só, ou se tb procurou se informar, ver consequencias possíveis a anatomia da Luiza em funçao das possíveis variações na condução do parto. Se ele fez questao de estar presente… Essas coisas. Acho q esse relato pode inspirar muitos homens. É só… Estarei torcendo para uma resposta. Bjs! Vcs sao demais!

    eu marquei a mensagem como aprovada e ainda respondi na mesma hora:

    dani, obrigada pelo comentário-novela 😉
    graças a deus o hilan participou muito e continua participativo inclusive no planejamento para os próximos gravidezes/partos.
    eu tenho uma raiva desse povo que manda empurrar. affe!

    eu confesso que ele não atentou muito pra essa parte de anatomia e eu não fiz muitos exercícios e nem questão. pra falar a verdade eu fui meio relapsa com meu assoalho e períneo. ehehehheheheheh!

    que orgulho da sua avó, ein?

    vamos pensar num relato parte b, mas o problema é lembrar de algumas coisas a essa altura do campeonato.

    beijos

    * * *

    pra você ver que todo mundo pode se enganar de vez em quando 😉

    bjs

    Comentário by luíza diener — 6 de novembro de 2011 @ 5:52 pm

  9. dito e feito. olha o que eu achei na caixa de spams:

    Dani commented on o renascimento do parto – potencial gestante:

    Muito alentador pensar que estão se comovendo finalmente. Minha avó teve 4 filhos em uma rede, no sertão nordestino, com uma parteira. Nunca teve problema com a bexiga, nem com a musculatura vaginal. Os médicos até se admiram dela. Pq claro, os mesmos estão acostumados a inúmeras intervenções o q leva muitas vezes à problemas no assoalho pélvico feminino. É fundamental apoiar as mulheres que possuem boa condição na gravidez a terem parto normal, de preferência natural e onde se sentem mais seguras. Infelizmente adquiri incontinência de esforço depois do parto, parto normal com o uso de occitocina no final e o anestesista empurrando minha barriga. Nada em favor da nossa anatomia. Estou fazendo os tais exercícios de Kegel, sinto melhoras e ainda tenho a esperança de isso se corrigir. Mas, aproveito esse espaço para incentivar as mulhe res a conhecerem melhor a sua anatomia, a cuidar do assoalho pélvico mesmo antes de engravidar e por favor, quem puder, parir como Deus manda! Sei q meu comentário tá parecendo uma novela, mas, tb gostaria muito de pedir ao Hilan e Luiza para relatarem como foi a participação do Hilan na decisão do parto. Se ele foi apenas passivo, apoiou as decisões e só, ou se tb procurou se informar, ver consequencias possíveis a anatomia da Luiza em funçao das possíveis variações na condução do parto. Se ele fez questao de estar presente… Essas coisas. Acho q esse relato pode inspirar muitos homens. É só… Estarei torcendo para uma resposta. Bjs! Vcs sao demais!

    eu marquei a mensagem como aprovada e ainda respondi na mesma hora:

    dani, obrigada pelo comentário-novela 😉
    graças a deus o hilan participou muito e continua participativo inclusive no planejamento para os próximos gravidezes/partos.
    eu tenho uma raiva desse povo que manda empurrar. affe!

    eu confesso que ele não atentou muito pra essa parte de anatomia e eu não fiz muitos exercícios e nem questão. pra falar a verdade eu fui meio relapsa com meu assoalho e períneo. ehehehheheheheh!

    que orgulho da sua avó, ein?

    vamos pensar num relato parte b, mas o problema é lembrar de algumas coisas a essa altura do campeonato.

    beijos

    * * *

    pra você ver que todo mundo pode se enganar de vez em quando 😉

    bjs

    Comentário by luíza diener — 6 de novembro de 2011 @ 5:54 pm

RSS feed for comments on this post.
TrackBack URL

Leave a comment