25 de janeiro

padecendo no inferno

por luíza diener

tov & stitch

se ser mãe é padecer no paraíso, mãe de cachorro filhote padece no inferno.
também pudera, estou cuidando de um cão.

trocadilhos à parte, essa mini-experiência maternal mostra o tanto que eu não sei bulhufas de nada.

antes eu achava que sabia o que era criar cachorro, mas só tinha o ringo, que era idoso, peguei com 6 anos de idade e se foi com 15 (que o mato o tenha).
até que surge o honorável tov para virar nossas vidas de pernas pro ar: late na hora de dormir, chora quando acorda (por mais que isso seja 2h da manhã), demanda atenção o tempo inteiro, faz cocô e xixi o tempo inteiro (até embaixo da nossa cama), arrasta nossos chinelos/meias/tênis/almofadas/oqueencontrarnochão casa afora, rasga todos os jornais, aliás, mastiga tudo o que vê pela frente. parece um gremlin molhado esse tov

mas o mais difícil pra mim nisso tudo não é simplesmente lidar com a bagunça. já sabíamos que isso aconteceria com a chegada de um filhote e que logo passa (espero). o complicado mesmo é se manter firme na educação do monstrinho. afinal, o que você ensina pra ele hoje vai definir o adulto que ele virá a ser.
ultimamente,não” tem sido a palavra mais pronunciada dentro desta casa.

não sei se mencionei anteriormente, mas já fui adestradora de cachorros. e adestrar seu próprio cachorro é sempre mais difícil, porque você sabe o que deve ser feito e sabe que o que é proibido num dia não pode ser simplesmente ignorado noutro só porque você está cansado ou sem paciência.

e o stress da bagunça que ele faz às vezes me faz esquecer do filhote fofo que ele é. de que toda vez que eu vou fazer carinho, ele já vira aquela barriguinha rosada com pintinhas pra eu coçar. de que as bagunças dele são muito engraçadas. de que o latido dele é a coisa mais cômica que eu já ouvi (especialmente quando ele late pro nada). do tanto que é gostoso educá-lo e saber que estou  no caminho certo.

e enquanto eu escrevo este post ele tá deitadinho no meu colo, cochilando. ok, agora acordou. epa, ele desceu. mas ele tava, juro.

mas o que eu quero mesmo é um bebê que eu vou amar incondicionalmente, só pra padecer no paraíso.

Related Posts with Thumbnails

categorias: Tags:, , , , , , enquanto o bebê não vem

assine nosso feed ou receba por email


11 Comentários »

  1. Não é nada facil cuidar de cachorro, agora que sou mãe tenho certeza q cuidar de flho é mais facil. la em casa temos uma dog alemão e ela pariu 9 filhotes mas ainda restam 4 la em casa e minha mae acabou de ganhar uma basse (salshisha como diz minha mãe) entao contabilizando são 5 filhotes e 1 cachorra adulta de qse 2 metros q vale pelos 5 filhotes juntos, a baguça la em casa é multipla por 5!!!!
    Pelo menos a Duda não entra em casa e os filhtes dela passam a maior parte do tempo presos, pq se icarem soltos não sobre pedra sobre pedra, e a basse é aunica foilgada q esta entrando em casa, mas nao tivemos como evitar, no primeiro dia a Duda qse comeu a Babi!! rsrs mas agora elas estao amigas.
    Mas fica a dica, façam um filho logo é bem mais facil criar eles..
    rsrs

    beijos

    Comentário by tenikey — janeiro 25, 2010 @ 2:14 pm

  2. seu comentário renovou um pouco meu ânimo, tenikey. juro.
    mas dog alemão e mais 5 filhotes devem o terror em pânico mesmo!

    fico mesmo com a dica final. ahahahha!

    Comentário by luíza diener — janeiro 25, 2010 @ 2:21 pm

  3. Olha assim por Schtit o tov parece até mais bonitinho! hahaha
    Realmente esse cachorrinho veio aprontar mil e umas confusões!

    Comentário by Hilan — janeiro 25, 2010 @ 2:24 pm

  4. Também acho bebê mais fácil. Eu gosto de cachorro, mas não penso em ter um tão cedo. Porque criança vai com vc a qualquer lugar e cachorro não, entre outras mil coisinhas.
    Beijos

    Comentário by Paloma — janeiro 25, 2010 @ 3:26 pm

  5. ai, me identifico fortemente com esse post! Sempre faco paralelos com a maternidade, pq educar um caozinho é mto dificil e requer muita paciencia e determinacao. Mas vale a pena. E se nós conseguimos com um baby dog, pq nao com um baby de verdade, né?

    vamos que podemos e que venham logo os nossos babytchos!

    beijos

    Comentário by Carol — janeiro 26, 2010 @ 5:34 pm

  6. Which was type of inspiring! Totally unpredicted. Now I know what I am heading to complete tomorrow :)

    Comentário by Long Cerrillo — setembro 17, 2011 @ 4:26 pm

  7. Thank you for taking the time to write down this post. It’s been very useful. It could not have arrive at a greater time for me!

    Comentário by Minh Steverson — setembro 23, 2011 @ 6:06 am

  8. Which was kind of inspiring! Totally unforeseen. Now I realize what I am heading to perform tomorrow :)

    Comentário by Shameka Neathery — setembro 24, 2011 @ 12:51 am

  9. Which was kind of inspiring! Totally unexpected. Now I do know what I am going to complete tomorrow :)

    Comentário by Gilbert Welman — setembro 25, 2011 @ 7:21 pm

  10. Which was type of inspiring! Completely unforeseen. Now I’m sure what I’m going to do tomorrow :) http://www.blurty.com/talkpost.bml?journal=derceto229&itemid=901

    Comentário by Velda Wageman — outubro 1, 2011 @ 8:15 pm

  11. Do you mind if I quote a couple of your articles as long as I provide credit and sources back to your site? My blog is in the very same area of interest as yours and my visitors would certainly benefit from a lot of the information you present here. Please let me know if this alright with you. Thank you!

    Comentário by Odell Kienast — outubro 13, 2011 @ 2:03 am

Feed RSS para comentários sobre este post.
TrackBack URL

Deixe um comentário

*