11 de dezembro

planos para 2013. que planos?

por hilan diener

fim de ano está aí. em menos de um mês… puf! 2012 vai bater nas nossas costas que nem porta levada por uma súbita corrente de ar. e aí já era. começou 2013.
essa época me deixa tão reflexiva, esquisita, esperançosa, nem sei dizer.
acho mágico isso de calendário. nossos dias poderiam ser somente um atrás de outro, lua atrás de lua e tudo se resumiria a uma monótona cadência infindável de eventos.
mas acontece essa mágica que se chama ano (meses, semanas, dias) e marca a contagem não somente do tempo, mas de nossas vidas.

um ano novo é uma esperança que se renova, como uma segunda chance de endireitar aquilo que não deu certo e rever o que deu. um momento para botar na balança o que funcionou ou não naquele ano, o que pode ser feito pra melhorar a vida que já se tem.

é verdade que às vezes nos propomos algo que sabemos que nem sempre irá adiante, como novos hábitos alimentares, um novo esporte ou outras coisas que não gostamos de fazer, mas sabemos que seria melhor se fizessem parte da nossa rotina.

se sempre foi impossível não ficar reflexiva nesta época do ano, agora é mais ainda.
logo mais minha vida passará por uma reviravolta. novamente.
quando tudo estava voltando a entrar nos eixos, temos essa brilhante ideia de ter outro bebê e deixá-lo que deliciosamente bagunce (figurativa e literalmente) nosso lar.

bem, a previsão é de que o bebê nasça em junho. ou seja, ainda tenho quase metade de um ano tomar algumas decisões. por outro lado, certos hábitos precisam ser mudados ou adotados desde já, especialmente para a adaptação do benjamin à nova situação.
no primeiro filho a gente vai meio que na louca. no segundo, há toda uma cautela para que a vinda do novo irmão ou irmã aconteça de uma maneira natural e pouco traumática para o mais velho.

a princípio, pensei em resoluções práticas – como sempre – de coisas que facilitariam minha vida, como: “janeiro, viajar; fevereiro, comprar isso e aquilo pro enxoval; março, começar a pensar na nova decoração do quartinho” e blá, blá, blá, blá.
mas, como já disse, é tempo não somente de idealizar como um bom ano seria, mas de olhar pra trás e pesar também nossas atitudes neste ano que se encerra.
e isso é muito mais difícil, porque deixa de ser um objetivo-imaginário-quase-perfeito pra ser algo mais realista e que pode ser iniciado a qualquer momento.

percebi que por muitas vezes me irritei com o benjamin sem necessidade e acabei por perder a paciência em momentos em que tudo ia bem. também fui me apegando tanto à minha rotina de mãe-em-casa-com-filho que acabei deixando algumas amizades passarem porque não, hoje eu não posso. o benjamin tá cansado. ou qualquer outra desculpa. deixei a bagunça tomar conta da minha casa e de mim, o que acabou fechando as minhas portas pra muita gente e momentos que poderiam ter sido tão bons. e mais tantas outras situações e besteiras que me fariam acabar numa pocilga de desgosto.
mas também aprendi com meu filho a ver como a vida é tão simples e maravilhosa.
quantas vezes, caminhando com pressa e cabeça erguida, deixei detalhes tão belos passarem despercebidos! hoje, por causa do benjamin, aprendi a olhar ao meu redor e também para baixo. a observar as formiguinhas que carregam as folhas, o grilo que pula na grama, os besouros que aparecem nas árvores e os cogumelos que surgem na chão assim, de um dia pro outro. a falar mais com quem é estranho para nós. a toda vez que algo novo surge, me questionar: o que é isso? e a entender que às vezes o lugar para o qual caminhamos é apenas o destino, mas que o verdadeiro passeio ocorreu mesmo durante o percurso.

e neste ano de 2012 tudo isso aconteceu de maneira muito intensa. o benjoca está vivendo o auge de sua curiosidade, experimentação das coisas e fofura baby-infantil, o que me fez ficar mais antenada ainda em tudo o que ele faz ou deixa de fazer.

no final das contas, minhas resoluções para 2013 são mais simples e mais complicadas que as de todos os outros anos: quero reaprender a ser mãe. com o filho que eu tenho e com o bebê que ainda virá. quero me deixar entrar na onda deles, entregar-me mais e mais intensamente a essa maternidade que já faz parte de mim.
quero amadurecer sendo criança e a cada dia me reinventar na companhia desses pequenos.

e isso precisa ser feito logo. afinal, por mais que o papel “mãe” e “filho” seja algo que fará parte de nossas vidas para sempre, o deles – de “criança” – passará voando.
e isso eu preciso aproveitar antes que seja tarde demais.

confira também os outros blogs patrocinados pela natura mamãe e bebêcoisa de mãeit mãemãe de gurimamatracamamíferas,mundo ovo e vida de gestante.

Related Posts with Thumbnails

categorias: amor, eu gestante, publicidade

assine nosso feed ou receba por email


6 Comments »

  1. Que lindo! E realmente, ter um filho/filha nos faz notar as menores coisas mesmo.
    Pra mim, que sempre acordei com um humor super negro de manha, agora acordo com o sorriso mais lindo, sincero e especial do mundo. Impossivel ter dias ruins com um 'Bom Dia' da minha filha que acorda e diz: "mamã" e da aquele sorriso lindo de 4 dentes!! rsrs. Dá vontade de parar naquele momentinho e ficar ali abraçadinha com ela sempre!

    Comentário by Vick — dezembro 11, 2012 @ 2:20 pm

  2. tem coisa mais gostosa? não, não tem! essas são as coisas que realmente valem a pena

    Comentário by luíza diener — dezembro 12, 2012 @ 10:56 pm

  3. "às vezes o lugar para o qual caminhamos é apenas o destino, mas o verdadeiro passeio ocorreu mesmo durante o percurso"

    q lindo luiza! é isso mesmo!

    Comentário by Renata — dezembro 11, 2012 @ 10:42 pm

  4. Luiza, eu desejo tudo de melhor pra vcs nesse ano que logo logo se inicia! E acho que a melhor reflexão mesmo é olhar pra dentro, e taí uma coisa que preciso fazer! Tb acho que ficar em casa com filho acomoda um pouco a gente, mas Deus, como é cansativo e trabalhoso fazer as coisas sem respeitar esse timing deles, pra mim nunca deu muito certo sabe! Eu bem tentei, mas na idade que o meu está (16 m), ele ainda toma certas coisas na mamadeira, não come a comida da gente pq tem poucos dentinhos e é setivo, dificilmente ele dorme em qq lugar e tem horas que ele uqer mesmo a casa dele, não te jeito. Isso de deixar as amizades passarem, não acho bacana mas aconteceu comigo. Tenho poucas amigas mães, cada uma com uma rotina diferente e o meu fds sempre priorizo para o marido e a família. Preciso encontrar brechas para viver outras coisas, mas isso a gente consegue com o tempo! E lindeza, estamso muito felizes por esse tico que vc carrega na barriga! Se 2010 mudou tudo, 2013 entrará para a história dos Diener! Feliz Natal e ano novo, Deus abençõe vcs!

    Comentário by Aline Fukabori — dezembro 12, 2012 @ 10:04 am

  5. você é uma fofa e vc sabe disso, né?

    bem, algumas coisas melhoram um pouco com o tempo, mas a gente acaba se valendo das velhas desculpas pra ir na inercia, sabe?
    então eu preciso aproveitar pra ressocializar, porque depois que meu tico nascer, vou ter que dar uma freada no ritmo outra vez 😉

    feliz natal, feliz 2013, feliz vida pra vcs 3!
    bjo bjo bjo

    Comentário by luíza diener — dezembro 12, 2012 @ 10:58 pm

  6. : D

    Comentário by luíza diener — dezembro 12, 2012 @ 10:56 pm

RSS feed for comments on this post.
TrackBack URL

Leave a comment

*