22 de maio

que venha logo

por luíza diener

Magneto Elenco - Luíza Diener - Book Gestante - 22_700

tá acabando… passou rápido demais!
e parece que conforme a data se aproxima, a curiosidade aumenta.

umas semanas atrás me perguntaram se eu tenho expectativas em relação a este bebê.
e como não teria? estaria mentindo se dissesse o contrário.
claro que a gente tenta não deixar que elas tomem conta da gente, mas é impossível não criá-las.

por exemplo, benjamin é extremamente guloso, conversador, curioso. não pára quieto nem silencia por um segundo sequer. nem dormindo. acho ótimo. adoro criança assim. não reclamo, porque é lindo ver o quanto meu filho curte cada momento de sua vida intensamente.

mas, claro, já me peguei pensando: “e se esse próximo bebê fosse só um pouco mais calminho? e se ele tivesse um apetite um pouco mais moderado, fosse menos ansioso, dormisse com mais facilidade, tipo no carro ou no meio da rua? será que existe mesmo bebê anjinho? não daria pro próximo ser um pouquinho assim?”
óbvio que isso não mudaria nada o que sinto pelo meu bebê, assim como o jeitão do joca não afeta no tamanho do amor e cuidado que eu tenho por ele.
é só que bate uma curiosidade monstra de ter filhos diferentes.

essa coisa dos filhos diferentes, eu penso muito sobre isso. numa ecografia, o bebê de agora parecia ter um narizinho mais protuberante que o do irmão. aí já me peguei pensando num bebê narigudo, com cabelos lisos e escuros. impossível? não. mas que lá no fundo pinta essa curiosidade de ter duas crianças bem diferentes uma da outra, isso eu confesso que dá mesmo.

a escolha de não saber o sexo do bebê de certa forma ajuda a gente a aliviar algumas dessas expectativas. pelo menos a intenção é essa.
mas, assim que optamos por não saber, passei algumas semanas numa quase-angústia imaginando constantemente “e se for menino?” “e se for menina?” “qual nome escolher?” “como montar o enxoval?”. não passava um dia sequer sem que pensasse nisso tudo e mais um pouco.
aí não vale. a expectativa continua. as projeções continuam. ok. elas são normais, mas em excesso podem ser muito aflitivas.
então relaxei de vez.
consegui estabelecer um vínculo muito bacana com meu filho ou filha dentro da barriga. e é engraçado, porque nem um nomezinho fictício eu atribuí a este bebê desta vez.
talvez alguns achem estranho, mas adoro chamá-lo somente de bebê.

outra coisa que vejo é o tipo de expectativa que o benjamin gera em relação ao irmão/irmã. essa parece muito mais concreta.
costumo dizer que ele é a pessoa que mais conversa com o bebê.
fala o dia inteirinho: “bebê, olha o que eu estou fazendo!” “bebê, eu machuquei o pé” “bebê, quando você sair da barriga da mamãe você vai crescer, crescer, crescer e a gente vai brincar junto! eu vou emprestar minhas coisas para você e você vai mamar no peito da mamãe”.
vê-se que, para ele, não faz a mínima diferença se vai ser menina ou menino. ele parece não se importar de maneira alguma.
e, quando questionado sobre o que ele acha que é, já responde na lata pra quem pergunta: “a gente só vai saber quando nascer”. e desconversa se a pessoa insistir demais.

pra mim, conforme o momento da chegada se aproxima, tudo que eu consigo pensar é na hora do parto.
não estou com medo dele
. não tenho medo de dar errado, não ando com medo de sentir dor. estou, na verdade, doida para começar a sentir os chamados pródromos. a sentir as contrações, anotar a hora em que elas acontecem e ver a frequência e intensidade delas aumentarem.
não que eu seja masoquista ou algo do tipo, mas lembro intensamente do sentimento que me tomou quando vivi esses momentos no dia do nascimento do benjamin. conforme o trabalho de parto evoluía, o médico fazia o toque e constatava o colo dilatando cada vez mais, era como se eu ouvisse, a cada contração, as trombetas que anunciam a vinda de um rei: “ele tá chegando! meu filho está chegando!”
era um sentimento tão palpável que parecia que eu poderia cortá-lo com uma faca e comer, como um doce bolo de fubá com sementinhas de erva doce.
e só de pensar nisso, tudo acontecendo outra vez comigo, sinto um arrepio, um gelado nas costas e na barriga, um calor no coração e muitas lágrimas nos olhos.
penso intensamente em toda a força que meu corpo fará para que meu bebê deixe sua antiga casa no útero e venha a este mundo, totalmente novo para ele. penso nele saindo de mim e vindo para mim. vou pegá-lo no colo, abraçá-lo, beijá-lo. quero tocar sua pele, seus cabelos. quero colar meu rosto junto ao dele, ouvir seu primeiro choro e chorar junto com ele. e já faço um ensaio disso enquanto escrevo esse texto, com os olhos marejados.
passada a emoção, talvez eu queira, então, saber se gerei uma menina ou um menino. talvez eu queira pensar um nome para ela ou ele. e tudo isso vai ser muito lindo e emocionante também.

nessas horas, a última coisa que me preocupa é que roupa ele/ela vai vestir, se vai usar rosa, azul, amarelo ou vermelho. se vai ser bombeiro, médico, bailarina, professora. se vai se casar ou não, se vai querer ter filhos ou não.
só consigo pensar que, desse momento em diante em diante, tudo será totalmente novo e diferente e nossa família será muito mais completa e feliz.

venha logo, meu bebê querido!

 

Related Posts with Thumbnails

categorias: amor, constança, estou grávida, eu gestante, para gestantes, publicidade

assine nosso feed ou receba por email


17 Comments »

  1. Boa hora, que tudo ocorra bem como desejado.

    Comentário by Noemi — maio 22, 2013 @ 9:21 am

  2. Que post lindoooo!! Sabe que você vem me encorajando a não desvender o sexo do bebê antes do nascimento né?! Para alguém ansiosa como eu o negócio vai ser tenso, mas acho que bem mais interessante. Parabéns pelo post lindoo! Que tudo aconteça como vocês desejam!

    Comentário by Raphaela — maio 22, 2013 @ 10:29 am

  3. Que lindo Luiza! Tudo o que vc sente eu senti na minha última gravidez! Essa expectativa em relação ao bb. como ele será! Em relação à aparência: eu tbm sempre quis ter filhos bem diferentes. Acabei que tenho 5 filhos muito diferentes! Tenho filho loiro e Rebeca é RUIVA!!!! Depois a vontade louca de sentir dores, de ter o bb nos braços… Lendo o que vc escreveu me deu vontade de passar por tudo isso de novo kkkkk
    E deixa eu contar uma coisa: é muito louco não saber o sexo do bb. Até hoje (rebeca está com quase 7 meses) eu olho para ela e fico lembrando do bb surpresa que estava na minha barriga!
    bjs

    Comentário by Larissa Moris Hernandes — maio 22, 2013 @ 10:52 am

  4. querida, muito legal a paz e sensatez que transmite em tuas palavras. deve ser incrível a sensação de uma segunda espera, talvez mais madura e tranquila. um grande beijo 🙂

    Comentário by Patricia Boudakian — maio 22, 2013 @ 10:57 am

  5. lindo e emocionante post!
    _Baseada na minha experiencia digo q os bbs sao diferentes. Pelo menos o temperamento… Tenho 2 meninos: o mais velho de 2 anos eh extremamente agitado, jah o caçula de 9 meses eh muito calmo e bonzinho de cuidar… Foi bom ser assim, imagino se fossem iguais… eu enlouquecia! rsrs
    Jah na aparencia sao muito parecidos mesmo, as vezes ateh me pego chamando o caçula pelo nome do outro!
    Adoro esse bblog e venho acompanhando desde que o meu mais velho nasceu. Tenho aprendido muito aqui.
    Felicidade em dose dupla pra vcs!

    Comentário by Yasmin Domingues — maio 22, 2013 @ 10:59 am

  6. Impossível não se emocionar com seu post… Parabéns!!!
    Que tudo ocorra bem no seu parto… uma ótima hora pra vcs…
    Ah!!! E não se esqueça de (assim que possível) matar a nossa curiosidade tbem…
    Bj

    Comentário by Priscila — maio 22, 2013 @ 11:09 am

  7. É de " chorar largado" com seus posts, rs.
    Você tem me inspirado muito a ter logo uma cria, acompanho vocês há 1ano e meio, e desde então não sei pesquisar sobre outra coisa que não seja " maternagem", rs. Me livrei de todos preconceitos em relação a parto normal/natural, pesquiso tudo sobre o método montessori, alimentação consciente, etecétera e tal, rs.
    Acho que quem acompanha o blog, o Fcbk… sente um pouco " dinda" do Benjoca…hahahahahaha.

    Obrigada, viu? Por toda inspiração, ensinamento e alegria que nos dá a cada post.

    Te cuida, que seu bebêzinho venha transbordando saúde.
    Um beijo, querida.

    Comentário by Carla — maio 22, 2013 @ 12:03 pm

  8. Ixi Lu, que emoção… tá perto. emoção dobrada… vamos conhecer essa pessoinha, o irmão vai conhecê-la… e tomo mundo já ama, seja ela uma Luizinha ou um mini-Hilan 🙂

    Comentário by fabiolamaiadoemery — maio 22, 2013 @ 1:42 pm

  9. Ansiedade pre parto é invevitável!
    Ainda mais pra quem gosta de parto! rs
    Eu no seu lugar ia pensar nisso todo todo dia

    Eu chamei o Linus de nenê por muitos meses… depois de nascido mesmo, sei lá eu quanto tempo demorei pra chama-lo pelo nome… acho que só quando eu comecei a ter que chamar a atenção dele pra dar bronca, coitado! hahaha

    Comentário by carolina — maio 22, 2013 @ 2:44 pm

  10. Sensacional….. estamos quase lá…. e não saber o sx do BB é sim sensacional. Me sinto exatamente igual a vc….. a unica diferente, foi que apelidei o morador da Barriga de Môbb…… porque chamo o marido de MôamÔ rsrs

    Comentário by Vân — maio 22, 2013 @ 3:09 pm

  11. Que post mais lindo, Luíza.

    Desejo que seu parto seja um momento de muita renovação e amor e que o bebê venha cheio de saúde e alegria.

    Estou com 37 semanas, não tenho o menor medo da dor. E estou buscando uma reconexão cada vez mais intensa com meu corpo, pra mandar embora as inseguranças do desconhecido.

    Beijos

    Comentário by Camila — maio 22, 2013 @ 4:18 pm

  12. Lindoooooooooooooooooo… ameiiiii, como é bom compartilhar sentimentos!!! obrigada e obrigada!!!

    Comentário by Joyce Kamo — maio 22, 2013 @ 7:43 pm

  13. Assim… sério… não tem o que falar… mas não dá pra ficar calada! Afff… que emoção só de ler! Venha logo bebê!

    Comentário by Mariana Perri — maio 22, 2013 @ 9:02 pm

  14. Lindo lindo!!!!

    luíza, e na hora do ultra, eh facil nao ver o sexo??
    curiosidade minha, pq as vezes so de passar o aparelhinho ja vejo o pintinho dos meus meninos hahaha

    os medicos cuidam?!
    como eles sao em relação a isso, pelo menos nas que tu fez..

    beijooo

    Comentário by Juh Guimaraes — maio 23, 2013 @ 9:57 pm

  15. Lu, entendo perfeitamente esse sentimento, eu pensava muito como seria quando iniciassem os prodomos, fiz dancinha doida na frente do espelho quando começou, fui pro banheiro e ria sozinha, sabia que tinha começado mas nao queria enlouquecer todo mundo (pq imaginei que seria rapido e td mundo ia querer sair cmg correndo) . E foi bem assim, foi fantastico, quero viver tudo novamente mais umas 17 vezes pode ser? Qria muito um nene surpresa, mas marido é taxativo, diz que nao aguentaria a surpresa…. Buaaa eu amo surpresas! Haha um beijo enorme, queridona!

    Comentário by Tchella — maio 24, 2013 @ 11:15 pm

  16. […] conseguir curtir mais um pouquinho. é um sentimento contraditório. quando escrevi que queria que chegasse logo, estava deixando minha ansiedade de mãe falar mais alto. aquela, de querer ver, pegar, cheirar o […]

    Pingback by potencial gestante – que passe devagar — maio 29, 2013 @ 9:01 am

  17. excelente post!

    Comentário by curtidas no facebook — fevereiro 26, 2014 @ 5:53 pm

RSS feed for comments on this post.
TrackBack URL

Leave a comment

*