ricardão

ricardao

oi gente tudo bem? como vão as crias?

o post de hoje é sobre um assunto muito sério que aconteceu com um amigo de um amigo meu.

num manhã de um dia qualquer, esse amigo de um amigo meu, desceu com seu filho para o parquinho. afinal, tem coisa mais normal e cotidiana que levar o filho no parquinho? porém esse simples evento acabou se transformando num roteiro de novela das oito (que estranhamente passa às nove), daquelas da glória perez.

pois bem, lá estava esse amigo de um amigo meu entre um e outro empurrão no balancinho do parquinho – vamos chamar o filhinho dele de serafim – quando aparece uma moça (vizinha de prédio dele) e seu filhote, vamos chamá-lo de juan. amiguinho do serafim. 

– oi, como vai?
– tudo bem… e você?
– serafim, não vai pra longe, fala com o juan.
– nossa como ele cresceu…
– já tá na escola?
– ainda não…
– e a luciana como tá?
– tudo bem.
– e conceição? já deve estar enorme..
– pois é. mama pra caramba, tá uma bolinha.

tenho que fazer uma pausa aqui –  porque esse amigo de um amigo meu não conseguiu me explicar direito-  como, MAS COMO, POR QUE RAZÃO E CIRCUNSTÂNCIA ele foi parar no apartamento dela eu não sei. só os quatro: ele, serafim, juan e essa moça – casada por sinal.

meu amigo me disse que essa distinta senhora é do tipo muito hospitaleira. sabe mineiro? de minas gerais? que te leva na conversa e você não consegue negar um pedido, e de repente você já está com um pão de queijo socado na boca e preso numa conversa interminável? pois é.

lá estava ele, até agora somente desconfortável com a situação. as crianças brincavam sem parar, tirando todos os brinquedos de um enorme chiqueirinho de bebê, enquanto a moça falava sobre o preço da carne e do feijão.

que mal tem, né? estavam só conversando num quarto de brinquedos, com duas crianças barulhentas. se o marido dela chegar, óbvio que não vai passar nada de estranho pela cabeça dele, afinal tem coisa mais broxante que um quarto de criança com mickeys e carrinhos espalhados por todo lado? quem em sã consciência trairia sua mulher ou seu marido no mesmo recinto onde estão seu filhos, fazendo barulho e cantando músicas do discovery kids?

parecia ter um certa lógica, então ele estava seguro.

até a moça começar a falar que não compra carne em super mercado, pois ela tem uma fazenda e sempre pega a carne de lá. ele começou a ficar nervoso e logo ligou os pontos: o marido dela só poderia ser um fazendeiro, daqueles que matam boi na faca. uma coisa meio mezenga e berdinazzi.

até que o telefone toca e é o marido. dizendo que está chegando em cinco minutos.

quase suando de nervoso, ele pensou na machete do jornal: pai de família é espancado por marido traído. filhos de ambos casais presenciaram tudo.

então o marido chega. a vontade desse amigo de um amigo meu é de:

mas a realidade foi essa aqui:

eles apertaram a mão e rapidamente ele inventou uma conversa que a esposa estava o esperando e que precisava ir.

mas o serafim, insistia em permanecer. ficou aquela coisa, vamos serafim, chega, vamos logo.

a sorte é que ele não parecia nada com um fazendeiro mal encarado.

++++

mais tarde a vizinha do prédio encontrou a esposa desse amigo de um amigo meu e disse que o marido dela ficou extremamente enciumado com um HOMEM desconhecido, dentro de casa. na verdade marido dela é médico e pelo jeito esse amigo de um amigo meu vai acabar precisando de um.

Related Posts with Thumbnails

29 comments

  1. olha, lá da terra de eu onde eu venho issaê dava morte matada fingida de morte morrida. pela mao da esposa do amigo do seu amigo.

    inda mais se essa esposa está em pleno e franco (e descontrolado) puerpério.

    te cuida amigo do amigo do amigo. tamos de oooolho.

    😛

  2. Gente. MUITO BOM o post, mas estou me coçando pra saber o que a esposa, D. Luciana, achou de tudo isso. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    (O gif do Caco e Christian Bale foi de matar)

  3. Por que sempre causa estranheza a mulher confiar no marido, mesmo nessas situações meio embaraçosas? Imaginei o meu na mesma situação e só consegui achar graça. Não sei mas me passou a impressão que esse desespero do coitado do marido foi só por conta de saber que maioria das pessoas vê coisa aonde não tem. E desconfio muito que a D. luciana também só tenha achado muita graça da situação. To certa ou to errada? rsrsrsrs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *