09 de junho

sou o tio malvado que não leva presentes nas festas de aniversários

por hilan diener

robert-downey-jr-crianca-chorando1head_paterno

se você me convidar pra festa de aniversário do seu filho, vai notar que chegarei com as minhas mãos abanando.
sim! eu não vou levar presentes! e não é pão-durice. mentira, é um pouco sim mas, na boa, que diferença faz eu comprar um presente pro seu filho? com certeza ele já possui um milhão e duzentos mil brinquedos guardados e empoeirados em algum lugar, não é mesmo? e só nessa festinha que você me chamou vai faturar mais uns trezentos e outros mil cacarecos!

não me leve a mal e nem fique chateado mas, se você for numa festinha do meu filho, pode me dar o troco. não precisa levar nada mesmo. ele já tem tralhas demais. sérião. tô doando, jogando de aleluia pra cima! jesus! por que tanto brinquedo?! pra queeeê??

toda festinha de aniversário que eu vou, acabo me deparando com uma caixa ou outro receptáculo onde os pais colocam os presentes recebidos e… MEU! parece a árvore de natal do shopping eldorado! daria pra eu mergulhar naquele oceano de plástico e sumir por 7 horas (mais ou menos o tempo que duram essa festas. hahahaha).

tumblr_m7abf59Hvv1r4tp8ho5_500

eu me pergunto: por quantas gerações esses brinquedos vão durar? imagine o tataraneto do seu filho abrindo um pacote lá no ano 2075 de um hotweels novinho em folha e falando:

“um tal de benjamin, amigão do meu tataravô, comprou esse carrinho pra ele. ganhei de herança só agora.”

estou sendo muito cruel? opressor? alguns vão dizer: “cadê a magia infantil?” “ser criança hoje em dia deve ser muito chato” ou”no meu tempo que era legal! eu fumava e tomava cerveja nas minhas festas de criança. vou privar meu filho disso? blá, blá, blá”. acorda, zezé! criança feliz é criança ociosa. sim! quanto mais ócio, mais criatividade. crianças precisam inventar brinquedos e brincadeiras e nada melhor que um cadim de tédio para fazer elas se virarem e brincarem com o que têm. pode ser uma caixa de papelão ou um cabo de vassoura e não necessariamente o último lançamento da apple, que de desafiador não tem nada. só isola e deixa as crias tudo com cara de zumbi com fome.

antes que você pense que sou contra brinquedos, benjoca e sansa – como eu disse – têm um monte deles. alguns não fazem o menor sentido e acabam sendo vendidos ou doados. já outros são bem bacanas, estimulam a criatividade e não subestimam a inteligência deles. mas posso contar nos dedos os brinquedos que eles realmente aproveitam. na maior parte do tempo estão desenhando, correndo, pulando, gritando, cantando, correndo, voando, gritando, desenhando, berrando ou futucando alguma coisa. não que isso faça deles melhores que ninguém, mas prefiro meus filhos assim do que sempre dependendo de algum pedaço de plástico para se divertirem. então podemos concluir que brinquedo é muito legal, mas não é uma coisa totalmente imprescindível e que grande parte fica em algum lugar escondido e empoeirado, no melhor estilo toy story de ser.

tumblr_mgy1xo1vZm1qljif4o1_500
este sou eu, numa festa de aniversário, escrevendo mentalmente este post.

tá, talvez você ache deselegante eu não levar presente pra aniversários, mas pare pra pensar um pouco: você mandou o convite pra mim e pra minha família, então deduzo que sua intenção era nossa presença, não é mesmo? com certeza a oportunidade do encontro das crianças entre si para celebrar este dia tão especial é muito mais importante que o presente, né? tenho certeza que você respondeu: SIM! (eu espero)

sabe o que é o mais legal? na maioria das festas que vou, o aniversariante nem dá bola pros presentes… são tantas crianças e coisas pra fazerem que passam todas aquelas 7 horas correndo, pulando, bagunçando, rolando no chão e babando que, no fim das contas, elas não dão a menor bola pros pacotes de enfeites coloridos.
mas, pra não dizer que a data passa desapercebida, joca sempre quer fazer um presente pros amiguinhos. leva um desenho (que a maioria dos amigos não entende e manda pra mesma caixa de presentes movediços) ou alguma coisa feita com as próprias mãos. isso geralmente envolve muito papelão, cola, giz de cera/lápis de cor ou qualquer coisa que tenha escapado do lixo reciclável.

mas suponhamos que tu resolve comprar um presente. ok! e leva pra festinha todo pimpão! sentindo que fez sua obrigação como cidadão, ganhador do prêmio nobel da paz! óóóó ~ palmas~ quando você entrega o presente pro pai ou pra mãe, o que ele(a) diz? hein? hein? “ahh… não precisava” isso mesmo! NÃO PRECISAVA… qual a lógica? nossa cultura é muito engraçada.

tenho certeza que alguém vai comentar que eu não tive infância e blá, blá, bla, mas me lembro bem de quando eu era criança e ganhava um presente. logo pelo tato dava pra saber se era uma coisa legal ou se era algo broxante. se o presente era fofo… macio… já dava pra deduzir que era uma roupa ou coisa assim. e cara! como era chato ganhar roupa! mal sabia eu que num futuro distante roupas seriam os presentes mais legais (para os pais) que um criança pode ganhar. hahaha

olha só… eu ganhando roupa de presente – quando eu era criança:

anigif_enhanced-buzz-1537-1377621562-19

eu ganhando roupa (pra mim ou pras crias) de presente – depois que virei pai:

tumblr_m7d74d2K5a1r8rtom

só porque a minha infância foi assim ou foi assado não quer dizer que eu não posso revê-la ou desconstruí-la. não é só porque eu vivi algo super legal quando criança que eu precise necessariamente repetir quase como um déjà vu forçado na vida do meu filho. a minha infância e nem sua é sagrada e nunca foi.  então, não é só porque eu tive trocentas festinhas cheias de brinquedos e comidas com açucares a níveis estratosféricos que eu ache que meu filho precise ter a mesma experiência. é sempre bom lembrar que ele é outro indivíduo, com gostos diferentes do meu e que vive num mundo diferente – bem diferente – do que era o meu, a 30 anos atrás (meu deus! 30 anos atrás).

presentes são legais! o complicado é o exagero. assim como tudo na vida. depois que eu publicar esse texto no blog espero que ninguém exagere e continuem me chamando pra festinhas de aniversários. tá. não precisa chamar também se não quiser.

1.jpeg
prevejo tretas!

ps: quem disse que livro nunca é demais? tudo demais é ruim. livro não tá isento só por que é livro. além de caro, papel é feito de árvore. roupa é algo bem legal, mas não me arrisco. é muito pessoal e nunca me entendo com a lógica absurda das numerações da moda infantil.

acho que muita gente não entendeu a pegada anti consumista desse texto ou melhor do blog inteiro.  menos é mais. ócio é vida. amo vocês <3

Related Posts with Thumbnails

categorias: erros comuns, erros comuns, para papais

assine nosso feed ou receba por email


78 Comments »

  1. Rsrsr concordo em partes. Hoje em dia a criançada realmente ganha mta tranqueira. Sou a favor dos presentes em datas especias, aniversario, natal, dia das crianças, mas não gosto da ideia de dar presente o tempo todo, perde a graça. Acho importante uma vez no ano pegar a criança e separar brinquedos para doação, pq com a quantidade de briquedos que ganham em 2 anos provavelmente teriamos que mudar de casa rsrsr

    Comentário by Gisele — junho 19, 2015 @ 1:08 pm

  2. Claro que faz diferença ganhar um presente sim. Todos gostam de ganhar presentes, inclusive os adultos. Não precisa ser um brinquedo de plastico, pode ser algo que perguntamos antes se a criança gosta. Meu filho vai fazer 6 anos e ama tudo de futrbol, desde um meião ate um copo do time, gosta de ganhar perfume, itens de desenho,ingressos…. Ele não est mais na fase de brinquedos de plástico, mas continua gostando de ganhar presentes. Não faco festa por presentes, ensino valores, o mais importante é a presença das pessoas, obvio!!! Mas sem hipocrisia, para o meu, o deu e todos os filhos, seria uma decepção terminar uma festa sem presentes na caixa!!!! Jamais chegaria sem um presente na festa, levar presentes como forma de agrado existe quase desde que o mundo é mundo. Amo presentear e me preocupo sempre em dar algo útil, jamais compto algo por comprar!!!! Mas levar algo faz parte da boa educação.

    Comentário by marianne — junho 22, 2015 @ 8:26 am

  3. Bom saber que eu e marido não estamos sós. De um ano, fiz uma festa linda, chamei todo o mundo e teve gente (muita) que faltou. Num apurado rápido, faltou porque? Não tinha dinheiro pra comprar presente. Como assim? Ela tava fazendo um ano! Nem sabe o que é presente! E a sua presença? Tenho certeza que isso, ah, isso sim, ela ia adorar! Cadê valores, Brasil? Cadê festinha feita na hora ganhando caixa de bombom garoto enrolada no papel pardo do supermercado? (e olha que moro no interior do interior do MT, teoricamente, outra dimensão).

    Comentário by Thalita — junho 24, 2015 @ 10:33 am

  4. Legal é usar uma idéia boa pra implantar algo que você realmente não quer fazer por pura murrinhagem e descortesia.

    Sua presença um presente?

    Acho que subiu na mente o estrelato do blogueiro, que sua presença é um presente, não é mesmo?

    Condições financeiras?

    Vcs são bancados por quem então, se não por nós que acessamos sua página cheia de conteúdo merchan?

    Dar o troco? Como, se vcs não fazem festas grandes pros seus filhos?

    Existem vários conflitos em seu discurso…

    Que isso, não apele foi só pra jogar uma pulga na discussão!!! 😂😂😂😂

    Comentário by Marcio Silva — junho 28, 2015 @ 4:48 pm

  5. Muito bom!

    Comentário by sm curtidas — agosto 15, 2015 @ 3:47 pm

  6. parabéns adorei 🙂

    Comentário by fernanda — setembro 25, 2015 @ 12:23 pm

  7. Discordo profundamente…. As crianças esperam por presentes e vc como mãe deve saber que os gostos por brinquedos mudam rapidamente, lá em casa não abrimos tudo de uma vez só, deixamos guardado e abrimos aos poucos e cada brinquedo que entra sai outro, que doamos a quem não tem, tem um orfanato perto de casa e tenho alguns amigos que precisam de ajuda…doar e ensinar os filhos a doar é um exercício de cidadania!!!!

    Comentário by Andressa — outubro 26, 2015 @ 10:28 am

  8. Acredito que estar presente a maior parte do tempo e de forma positiva seja o melhor presente que se pode dar. No final lembramos somente dos presentes que foram dados por pessoas especiais e recordamos deles não pelo que são, mas sim pelo que significam.

    Comentário by pulseirasdeneon — novembro 16, 2015 @ 4:35 pm

  9. Concordo demaaaaais! gente, como é possível acumular tanto brinquedo em uma casa só? aliás, na sua casa e na casa da avó também? é tralha se reproduzindo no armário que nem coelho… só pode!
    já fiz um grande destralha, várias vezes.. e ainda assim carrinhos e pecinhas de quebra cabeça vivem surgindo do fundo do guarda roupa ou de dentro do sofá…. go figure!?

    Comentário by danyellecatini — abril 28, 2016 @ 10:22 am

  10. Pão duro! Vai comer e beber de graça na festa do outro sem levar nada ? Sabia que criança adora ganhar presente?! Inclusive a sua

    Comentário by Cintia — maio 27, 2016 @ 11:14 pm

  11. Este lance de presentes é complicado! Pois tem a parte que realmente não queremos mais brinquedos que ficarão espalhados pela casa, pois já tem um monte. E tem o lado da criança que pode estar esperando o presente, principalmente se você for tia!

    Comentário by Vanessa — outubro 26, 2016 @ 12:31 pm

RSS feed for comments on this post.
TrackBack URL

Leave a comment

*