04 de setembro

sobre o sono

por luíza diener

eu penso e repenso isso desde o dia em que benjamin nasceu. às vezes cansa, esgota, deixa a gente um caco durante o dia, ou durante semanas.

hoje em dia é muito raro quando ele acorda à noite. mas quando acontece, eu vou acudi-lo. se estou cansada, mando o marido.
já cheguei a chorar de emoção uma vez em que a única coisa que o confortou foi dormir abraçadinho comigo. parecia que o mundo podia acabar e ele não se importaria, desde que eu continuasse ali.

lembrei da minha infância e de como não existia nada mais gostoso do que dormir com meus pais.
nem dia de natal, nem dia de aniversário, dia das crianças, dormir na casa dos avós ou de uma amiga.
nada superava a felicidade de quando, esporadicamente, minha mãe ou meu pai me botavam para dormir e acabavam adormecendo (geralmente antes de mim) ao meu lado.

e passa tão rápido.. a nossa infância, a infância deles.
e o que resta? as lembranças. as boas e as ruins.
e é claro que, no que depender de mim, eu quero que meu filho tenha a melhor das lembranças. que ele cresça seguro, confiante e, acima de tudo, que ele sinta-se amado.

e começa daí. dessa segurança no choro.
claro que não é apenas isso. mas é uma das coisas.

não estou preocupada em criar um filho poliglota, com muitas formações acadêmicas, conhecimentos múltiplos, uma carreira de sucesso.
se vier, bem. se não ver, tudo bem também.

quero que meu filho seja um homem de verdade, que sabe enfrentar seus problemas de frente.
quero um homem com valores justos. que saiba respeitar ao próximo e a si mesmo.
que saiba que sua palavra tem valor e que seus atos têm consequências.

e o que estiver ao meu alcance para que ele seja assim, eu o farei.
claro que nós, pais, apenas damos a base. quem molda eles é o mundo, eles mesmos e suas próprias decisões.

então, se precisar acordar à noite seja pra acudir o bebê que chora ou pra buscar o filho adolescente na balada, lá estarei.
porque eu sou responsável por essa vida que eu pus no mundo.

Related Posts with Thumbnails

categorias: 2 anos, amor, benjamin, rotina e desrotina

assine nosso feed ou receba por email


8 Comments »

  1. Assino em baixo. Desculpem se vou ofender alguém com o comentário, mas não tem nada que me irrita mais do que chegar um intrometido palpitando: "Deixa chorando uma noite pra você ver e ela nunca mais acorda de madrugada!"

    Essa frase eu normalmente escutava de pessoas-que-não-tem-filhos ou que tiveram filhos um milhão de anos atrás e nem se lembram de como corta o coração ouvir um bebê chorando inconsolável.

    Hoje a Clarissa dorme melhor, mas (ainda) não chega a ser raro ela acordar de madrugada. Já passei por fases muuuuuuito difíceis nesse aspecto, mas jamais cheguei nem a testar deixá-la chorando.

    "Ah, foi o que a minha mãe fez comigo e com meus irmãos e nós dormimos a noite toda desde o primeiro dia de vida"

    Alguns comentários a respeito dessa frase tão comum:

    1) Não tenho culpa se a mãe dessa pessoa tinha um coração de gelo;
    2) Duvido que nunca mais acordaram de madrugada;
    3) SE surtisse efeito, o que passaria na cabeça da minha filha enquanto eu estivesse fazendo o teste? "Minha mãe foi embora?" "Por que minha mãe não vem me ajudar?" "Eu quero minha mããããeeeeee!"

    Ser mãe é ser mãe, oras. É assumir o combo olheiras-sono-cansaço e tudo mais que precisar desde que se empenhe em fazer o melhor pelos filhos. Mas, ao mesmo tempo, é trabalhar a consciência dia a dia para saber que é impossível ser perfeita e a culpa que você sente por qualquer coisa o tempo todo muitas vezes não tem a menor razão de ser.

    É difícil, mas é bom. 🙂

    Comentário by Helen — 4 de setembro de 2012 @ 3:21 pm

  2. Concordo plenamente luiza! Minha pequena passou uma fase critica, dos 7 as 12 meses acordava 10 a 15 vezes por noite e eu nunca neguei peito. Foi qd ela passou pra minha cama, onde hj com 15 meses ainda dorme, mas agora sem dar um pio. Sinceramente acho ela ainda esta na cama por mim, que sou solteira e gosto da companhia quentinha heheh mas qd saio e ela fica com alguem ou tenho visita em casa ela dorme tranquilamente no seu berço. Sou aquela nao acredita em crianca “estragada”. Claro q a minha filha ouve muito nao e tento educa-la para a vida mas nao acho q carinho de mais estrague um filho, e eh assim que vejo colo e seio!

    Comentário by Lari — 4 de setembro de 2012 @ 3:26 pm

  3. é EXATAMENTE ISSO que penso tb: meu filho não está pedindo nada além de carinho, amor, contato físico. Como isso pode ser ruim? Antes dava intervalos de até 5 horas de sono seguido, mas desde q entrou na creche, com 6 meses, tem ficado gripado e acordado umas 4, 5 vezes por noite…vou lá na hora, em todas elas. Como vou deixar desassistido, chorando? antes era a tosse, o nariz entupido, agora acho q a seca dá muuuuita sede. Eu mesma acordo com sede. Vou negar? Não mesmo. Tb acho q faz parte do pacote, e vai passar naturalmente, como todo o resto. Terceirzar é muito fácil. Claro q fico cansada, mas ele PRECISA. Poderia forçar a barra e tirar? Sim. Mas não quero, e acho que ninguem tem nada a ver com isso. ncrível como o povo se encomoda a acha que sabe o que é certo pra você.

    Comentário by Val — 4 de setembro de 2012 @ 5:36 pm

  4. Lindo! E me trouxe também lembranças das (raras) noites em que dormi com minha mãe (que morava em outra cidade). Lembro que sempre deixava a minha mão ou o pé em cima dela, porque se levantasse da cama eu saberia.

    Faz muito bem! Tenho certeza que Benjoca continuará sendo essa pessoa incrível!!

    Comentário by A louca do bebê — 4 de setembro de 2012 @ 3:41 pm

  5. IDEM!
    "porque eu sou responsável por essa vida que eu pus no mundo." – E EU AMO ESSA VIDA MAIS DO QUE TUDO NO MUNDO!

    Comentário by Mamãe do Otávio — 4 de setembro de 2012 @ 6:27 pm

  6. Lindo texto, Luíza! Eu não sei como alguém consegue colocar em prática essa ideia de "deixar chorar". Somos todos responsáveis pelas vidas que colocamos no mundo mesmo e acho que as pessoas precisam assumir essa responsabilidade. As meninas dormem bem, não tenho do que reclamar. Mas elas ainda acordam de madrugada com um chorinho, quase todos os dias, a gente vai lá coloca a chupeta, faz um carinho e elas voltam a dormir seguras de que estamos ali. No nosso caso, levantamos mais vezes porque cada hora é uma 🙂 Então, a gente reveza, faz parte da jornada toda.

    Comentário by Tati Sabadini — 4 de setembro de 2012 @ 9:10 pm

  7. E que assim seja!!!!!
    http://www.pedroemafe.blogspot.com.br

    Comentário by Mafe Furquim — 5 de setembro de 2012 @ 11:42 am

  8. que honra comentario seu por la, Luiza!! adorei!!! Qto aos livros, hoje o Pedro dorme super bem e eu nao preciso mais ser hitler aqui em casa com os horarios dele…. E nao sei te dizer ate q ponto eles ajudaram o pedro ou se foi apenas o amadurecimento dele que me devolveram minhas noites de sono….
    looogico, nossas noites de sono ainda nao sao uma "brastemp cereja" mas ja da pra descansar!

    bjs!!

    Comentário by Mafe Furquim — 5 de setembro de 2012 @ 1:43 pm

RSS feed for comments on this post.
TrackBack URL

Leave a comment