tijolinho de giz de cera

quando eu era criança, tinha uma caixinha de giz de cera que eram pequenos tijolinhos. se não me engano, era da faber castell e se chamava tijolinho, ou tijolão.
enfim, o mais legal nisso era que o giz era muito mais fácil de segurar e manusear que esses gizes que encontramos por aí.
se você for ver, independente da marca, a idade recomendada pra qualquer giz de cera – até mesmo o chamado “gizão” – é a partir de 3 anos.
gente, e aí como fica? as crianças mais novas que isso vão desenhar como? aham, tá bom que eu não vou deixar meu filho desenhar só porque a caixa diz o contrário.

benjoca é do tipo destruidor. sempre foi. e aí que ele quebra todos os gizes de cera, independente da marca. daqueles fininhos, que a gente ganha em festa infantil, então, nem se fala!
nem os mais grossos escapam. ele coloca muita força na parada e mais cedo ou mais tarde acaba partindo em duas ou três partes.

foi aí que me lembrei de quando era pequena. meus pais derretiam as sobras de giz e faziam gizes novos, desses tijolinhos, em caixinha de fósforo.
boa ideia! vou fazer a mesma coisa.
mas onde vou arrumar tanta caixinha vazia? ah! vou esvaziar umas cheias e guardar os palitos, para não desperdiçar.

coloquei em um vidrinho pequeno de alcaparras (os de papinha nestlé também são ótimos) e colei do lado de fora aquela lixa de acender o fósforo com fita dupla face:

1

cortei com faca os toquinhos de giz. quando via que não tinha quantidade suficiente de uma cor só, fazia metade de um tom, metade de outro. pode encher bastante a caixinha, porque quando derrete, o giz compacta:

giz de cera quebrado, reaproveitamento de giz de cera, giz na caixa de fósforo

levei ao forninho elétrico. aqueci ele a 200º C e deixei uns 3 minutos. gente, o treco derreteu completamente e quase queimou o papelão da caixinha.
aí fui mudando a técnica: não esperei que o giz derretesse completamente. quando vi que estava em estado pastoso, misturava e alisava o giz, pra incorporar a parte líquida com a pastosa.

giz de cera quebrado, reaproveitamento de giz de cera, giz na caixa de fósforo, derreter giz de cera

o giz dá uma vazada pela lateral das caixinhas. por isso coloquei o papel alumínio embaixo, pra evitar um peteco maior:

giz de cera quebrado, reaproveitamento de giz de cera, giz na caixa de fósforo, giz de cera derretido

na foto acima está apenas a primeira etapa da produção. como o giz derreteu muito e vazou um outro tanto, acrescentei mais toquinhos de giz e levei ao forno novamente. desta vez vazou bem menos, porque a caixa já estava “selada” com a cera.

pra desenformar, soltei com cuidado as laterais da caixa. o giz em si já é gorduroso, então não gruda nada. aí desfiz a caixinha, pra garantir que nenhuma parte iria se quebrar

e olha só o resultado:

giz de cera quebrado, reaproveitamento de giz de cera, giz na caixa de fósforo, giz de cera, tijolão, tijolinho, fazer giz em casa

pra completar tudo e me sentir uma craft mom completa, fiz uma caixinha com um papel grossinho que já tinha aqui em casa:

giz de cera quebrado, reaproveitamento de giz de cera, giz na caixa de fósforo, giz de cera, tijolão, tijolinho, fazer giz em casa

o rapazinho a-do-rou o giz!
adorou ter sido incluído no processo do feitio, adorou o fato do da mamãe ter feito um giz novo pra ele e, claro, amou o resultado final.

giz de cera, tijolão, tijolinho

aí você me pergunta: luíza, não dava pra facilitar? já vi gente que faz em forma de gelo e tal.
ué, dá pra fazer sim. mas eu nunca achei uma forma de gelo grandona o suficiente pra fazer esse tijolões. se for fazer nessas formas de tamanho convencional, o giz fica pequeno demais para as mãozinhas deles. o legal do tijolão é que é altamente manuseável e até agora ter resistido com bravura à força do nosso pequeno troglodita (que, além de aplicar enorme força durante os desenhos, eventualmente atira alguns objetos durante acessos de raiva. gizes figuram os preferidos).

e também porque teve aquela coisa nostálgica, de poder reviver um pouco a minha infância com o filhote.

Related Posts with Thumbnails

22 comments

  1. Fiz isso há umas duas semanas… Hehe… Mas em forminha de empada.
    Só não dá pra dizer que a culpa é do Benjoca. Os gizes de hoje, mesmo o gizão, são bastante frageis nessa maoszinhas que não tem controle sobre sua força.
    O meu rapazinho é bem cuidadoso com brinquedo, mas é pegar um giz e pronto, já vira em dois ou três pedaços.
    Gostei foi da caixinha para guardá-los.

  2. nossa, e eu já joguei tantos fora, vou começar a guardar os restos pra fazer tambem… nunca havia pensado ou escutado falar em derrete-los!! adorei!!
    e acho que as caixinhas de fosforos são ideais, pelo tamanho e por ficar quadradinho!!

  3. que fofo, que simples, que sustentável! eu tava morrendo de amores até ver o tanto que os bichinhos vazam das caixinhas, hahahaha… agora deu um medinho. Vou na sugestão da amiga lá em cima: forminhas de empada (não sei fazer empadas mesmo, as forminhas estão implorando por um uso). não vai ficar tão bonitinho quanto os tijolinhos, mas meu forno há de ficar mais contente!
    Besos, barrigudita!

  4. Posso so dar uma esclarecida no lance da idade na caixinha de giz de cera? Aquilo eh para o fabricante tirar o dele da reta caso a mae de o brinquedo para uma crianca pequena – por exemplo 1 ano – e a crianca colocar na boca, engasgar ou passar mal. Teoricamente, aos 3 anos de idade, a crianca nao esgasga tao facilmente, eh mais facil fazer uma lavagem estomacal, etc.

  5. Que maravilha de dica!! As minhas gêmeas vão amar quando tiverem na idade de brincar com giz!! Vou compartilhar a matéria lá no meu blog, depois posto o link aqui!!!

  6. Adorei a ideia, por que as crianças aqui sempre descartam os gizes de cera quando estão muito quebrados ou já pequenos por muito uso. E com essa dica dá pra reciclar todos os toquinhos do giz para eles utilizarem, de uma forma bem divertida, diferente e econômica. rsrs

  7. Adorei a ideia. Mas não uso fósforo em casa. O que pensei: usar cartolina e dobrar no tamanho das caixinhas de fósforo. É fácil achar pela internet alguma diga de dobradura. Quando fizer, conto o resultado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *