18 comments

  1. Gosto da visão de vida do Watterson. Ajudou o cara a cometer coisas lindas e incríveis enquanto pessoa e profissional. Mas gosto também da visão de vida que levo – que, por acaso, tem me ajudado a cometer coisas lindas e incríveis enquanto pessoa e profissional.

    O próprio Watterson tem em sua narrativa de vida os percalços para lidar com, por exemplo, o sindicato que distribuía suas tiras. Por aqui temos os nossos: a escolha de uma profissão em um mercado que, vá lá, valoriza mais a profissão (e o talento individual) do que o próprio mercado em si. Se formos enxergar as coisas pelos Mistérios da Palavra, usar o termo "mercado" já distorce o que não precisa ser distorcido. Tudo é desafio.

    Alguém muito querido – que provavelmente é a mulher da minha vida – me disse um dia que a vida não é feita de degraus, mas de caminhos paralelos que você pode optar por seguir quando bem entender. Voltar atrás não é retroceder, mas aprumar o passo pra seguir na dança. Essa frase é de outra pessoa querida, que sem sombra de dúvida é o homem da minha vida – Palavras de quem a gente ama, seja a namorada ou o pai da gente, valem mil horas de reflexão.

    O post é leve. Meu comentário é que pareceu denso. Mas como sou amigo de longa data (e de barquinhos de papel no lago!), me permito. 🙂 Pelo que te conheço, Wilhem, você persegue tranquilamente seus objetivos sem se amarrar a dogmas de gesso. É o Bem que vem de dentro. E tudo o que você faz tem beleza. Beijo do amigo!

  2. Isso era exatamente o que eu estava precisando! Tenho pensando muito sobre as decisões que preciso tomar e cada vez mais vejo que meu propósito de vida é a minha família! Sou farmacêutica com mestrado e me mudei para os EUA acompanhando meu marido, tive inclusive que largar o doutorado para vir pra cá e tive que ouvir que eu estava "abrindo mão da minha carreira para correr atrás do meu marido". Aqui nos EUA o farmacêutico é um dos profissionais mais bem pagos do país, mas não sei se quero "fazer minha carreira". Tenho pensado cada vez mais em ficar em casa, criar meus filhos e viver pra minha família. No entanto, às vezes é difícil abrir mão de "viver todo meu potencial", sem contar os comentários alheios que enchem ainda mais a minha cabeça.
    É bom saber que não estou sozinha nessa hehe e que provavelmente a minha decisão será a melhor escolha da minha vida. Pode ser que eu não tenha tanto dinheiro, mas tem certas coisas que não tem preço!

  3. Saí de um bom emprego para engravidar. Após dois abortos veio o meu querido André – já com quase 3 anos! – às vezes olho para trás e tento imaginar como teria sido se ainda estivesse em meu emprego. Mas tantas portas se abrem depois disso…acabei colocando meu plano B em prática e está tudo bem!! Recomendo imensamente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *