10 de agosto

um paizão da p*$&@ é uma mãe normal

por hilan diener

a internet geralmente surta quando um pai faz alguma coisa fofa para seus filhos. as manchetes são mais ou menos assim: “O.H M.Y G.O.D!! esse pai fez um bolo lindo para sua filha” ou “papai nota 1000! ator é flagrado “amassado” e dormindo com os filhos no avião”, coisas que a maioria das mães fazem o tempo todo.

para os meios de comunicação/sociedade/industria cultural é muito fácil ser um paizão: basta fazer qualquer coisa para o seu filho que tá lindo. já para as mães, é só elas darem um pequeno vacilo que se tornam uma mãe ruim. quer ver? vamos fazer um exercício de imaginação:  segundo essa matéria, chris hemsworth (vulgo thor) foi o melhor pai do mundo! e se…? e se invertemos para uma mãe fazendo a mesma coisa? será que a reação seria a mesma? ou se todas as vezes que anunciassem os feitos de rodrigo hilbert a gente imaginasse a cabeça da fernanda lima colada no corpo do rapaz. tipo isso aqui:

a internet quebraria? CLARO QUE NÃO

basicamente um paizão da p#$% é uma mãe normal

outro dia li uma matéria que um pai deixou a filha no carro trancado e os comentários (obs: nunca leia os comentários) eram: “CADÊ A MÃE DESSA CRIANÇA?” ou seja, as pessoas, a sociedade, a galera toda e a geral enxerga as crianças como responsabilidade primária da mãe! 

PAPAIS ENGRAÇADÕES

além do papai herói, temos outra categoria o “papai cômico” não raro nos deparamos nas redes sociais com matérias “bem-humoradas” que mostram como pais não sabem cuidar de crianças. já viram? “pai manda criança com a roupa ao contrário e internet não sabe lidar com isso” ou “pai comédia tira fotos com a filha e vira hit na internet”  sempre fico com um misto de sentimentos, é engraçado e fofo, ok, porém ao meu ver esses clichês só reforçam a falsa ideia de que – homens não cuidam de crianças direito – melhor deixar o trabalho sujo pra mãe.

vou falar uma verdade que não vemos muito por aí: mães também são divertidas até quando o fardo sobra todo pra elas.

não é atoa que dizem que meninas amadurecem mais cedo. a verdade é que as meninas desde muito cedo brincam de coisas que geralmente e exclusivamente são ligadas a tarefas domesticas e cuidados com crianças. em gerações passadas as meninas desde cedo já eram colocadas pra aprendem a cozinhar, passar e arrumar a casa para os irmãos e o pai. claro que as meninas vão amadurecer mais rápido, né? um amadurecimento guela baixo.

a luíza muitas vezes é muito mais cômica e lúdica com as crianças do que eu. eu sinto que pais que cuidam menos das crianças tem uma tendencia de compensar suas ausências com presentes e passeios divertidos. pode desconfiar de crianças que não te achem chato. pais que educam e criam crianças, não só os divertem, são tidos como chatos ou um pouco cri-cri. faz parte do zelo.

por isso que eu não me vejo nas matérias e nem me sinto representado. nem sempre eu sou esse pai super divertidão que faz tudo de um jeito cool e diferente da mãe. a paternidade nem sempre é cool. é compromisso, é privação e muito trabalho.

TODO MUNDO JULGA TODO MUNDO

as mães são julgadas desde do começo que engravidam. a sociedade fica de olho e julga sem dó se a mulher é muito nova e engravidou, se é muito velha e engravidou, se devia ou não devia ter engravidado, depois as pessoas julgam se a mãe decide transcender o seu papel de mãe.

já para os pais a sociedade está sempre desconfiada se damos conta do recado.
uma vez fui na consulta do dentista com meus filhos e o pessoal do hospital pergunta “onde está a mãe?” não tiro a razão, afinal por anos, homens não levavam crianças em pediatras, nem iam em reuniões escolares e nem trocavam fraldas. então é um pre-conceito que precisa começar a ser quebrado com atitudes de pais presentes e participativos que compartilhem espaços que antes eram apenas para as mães.

E AGORA JOSÉ? O QUE FAZER?

que tarefa difícil! mas se começarmos a criar nossas crianças de uma forma igualitária e sem esteriótipos, principalmente os meninos, quem sabe no futuro teremos homens que lidam com a paternidade de uma forma natural sem ter que ser empurrados para uma coisa que deveria ser a obrigação. no futuro a paternidade “ativa” será apenas P A T E R N I D A D E  e nada mais. sim! sou um otimista.

você como pai pode argumentar que não sabe fazer um monte dessas coisas aí: trocar fralda, cozinhar, estudar com o filho, etc, etc… realmente, parece ser muito mais interessante ensinar a jogar bola, andar de bicicleta, soltar pipa. isso é muito divertido, mas você também pode encontrar prazer nas pequenas coisas do dia a dia. 

pense que para que você tenha um tempo de diversão tem sempre alguém fazendo o trabalho sujo, a parte administrativa e estratégica das coisas. e geralmente é a mãe.

ninguém nasce sabendo fazer tudo: nem você, nem sua esposa, nem seu bebê. mas vocês podem aprender e, assim, crescer juntos. você ganha como pai e também como ser humano e os seus filhos ganham ao sentir que vivem em uma sociedade mais justa e com mais gente que cuida.

COM LICENÇA, POR FAVOR 

as mulheres saíram de casa e foram pra luta ganhar seu próprio dinheiro, mas os homens não fizeram o movimento de volta. são poucos homens que eu conheço ou nenhum que estão em casa cuidando dos filhos e dos afazeres domésticos.

uma licença parental equânime poderia dar um pontapé inicial nesse caminho de volta que precisamos fazer.

as mulheres querem e precisam voar e nós: aterrissar, ficar. sentir um pouco na pele e ver o privilégio agridoce que é estar com as crianças e lidando com o novo e revolucionário caminho de volta ao lar.

chegou a hora de guardar a espada, queimar algumas convicções machistas e se permitir perder e rever alguns privilégios.

o caminho é árduo e a adesão é pouca, mas estamos aí na luta. quer vir com a gente? curte aqui ▶️ Com Licença, Por Favor e vamos que a mudança é pra ontem.

Related Posts with Thumbnails

categorias: erros comuns, pai feito, pai grávido, para papais

assine nosso feed ou receba por email


3 Comments »

  1. Lindo texto!!! Ainda essa semana estava conversando com meu esposo exatamente sobre isso. É preciso lembrar que, muitas vezes, a sociedade ainda critica a atitude do pai ficar em casa com as crianças para a mulher trabalhar, mas não podemos desistir..

    Comentário by Kelly — 14 de agosto de 2017 @ 9:32 am

  2. <3

    Comentário by hilandiener — 22 de agosto de 2017 @ 12:57 pm

  3. Brilhante! Não sou mãe, mas acho que mais mulheres conscientes optariam por sê-lo se contassem com esta igualdade e a sociedade como um todo só teria a ganhar com papais mais envolvidos na criação das crianças.

    Comentário by Thais — 21 de agosto de 2017 @ 4:40 pm

RSS feed for comments on this post.

Leave a comment