vida nova, roupa nova

gravidez é o tal negócio: por uns meses você adquire um corpo que – queira deus – você nunca mais terá, ao menos que planeje outro filho. por conta do novo corpo, novas roupas são necessárias. mas, queira deus, esse é um corpo provisório, o que torna tais roupas provisórias também.

nessa época, passear em certas lojas pode tornar-se quase um masoquismo, a não ser que você se contente com roupas que duram tão pouco.
eu via algumas roupas e pensava: “queria tê-las por um longo tempo no meu armário, mas agora não dá. vou ter que deixar pra depois”.

então, o depois chegou. o bebê nasceu, eu emagreci um bocado e minhas antigas roupas já cabem praticamente todas, exceto aquelas que marcam a barriguinha ainda flácida. de resto, até a tal calça jeans que perdi com menos de três meses de gravidez já voltou à ativa.
acontece que enjoei forte do guarda roupa antigo. até parece bobagem. só que quando eu digo antigo é antigo mesmo, o que inclui roupas de dez anos pra trás.
tenho uma sandália de 98 que deixou de ser moda, voltou e já tá saindo de moda outra vez.

vestir tais roupas fazem-me lembrar de uma velha luíza. não que eu não goste dela, mas é que não tem mais a ver. algumas delas eu usava ainda adolescente. outras estão furadas, encardidas, sem botão ou são simplesmente ultrapassadas e eu só fui me tocar mesmo quando, depois de uns meses sem uso, tirei-as da mala e fiquei me perguntando como eu tinha coragem de usar alguns daqueles trapos velhos.

entendam: não sou daquelas pessoas extremamente consumistas. não compro por impulso só porque estava na promoção ou porque a facilidade de pagamento era irrecusável. não parcelo e raramente uso cartão de crédito. compra mesmo só à vista, porque só gasto o que tenho e quando realmente é necessário. podem perguntar ao marido. quem controla os gastos desenfreados sempre sou eu.

mas agora estou decidida a juntar uma boa grana e reverter parte do meu dinheiro em um guarda roupa novo. tenho dito.

Related Posts with Thumbnails

21 comments

  1. Ai Lu, como te entendo. A minha única diferença é que o corpo ainda não voltou e na verdade tenho que emagrecer bem mais do que engordei durante a gravidez. Queria mesmo era participar daqueles programas de canal a cabo tipo: "mude o meu look" e de quebra ganhar um guarda roupa novinho.

    Ps: vc está magérrima e lindaaaa.

  2. Quando você completar sua missão, por favor venha aqui dar as dicas! Minha filha já tem 9 meses e até agora estou em crise com o guarda-roupa. Explico: não consigo comprar tops!! Blusas, regatas e até vestidos são um problema pra quem amamenta. Blusa que não dá pra abrir, não dá pra baixar, não dá pra levantar e, pra piorar: não dá pra usar com o big sutiã de amamentação, fora!! Complicado, eu amava regatinhas justinhas. Até cardigãs eu uso com moderação, só no trabalho, e tenho de tirar assim que chego na creche para deixar as tetas mais acessíveis.

  3. Eu sei bem como é isso… é assustador como o corpo da gente muda de repente!!! mas até que tem umas modas gestante como zazou, megadose que deixam a gente com um look legal… beijs

  4. Oi Luíza, é bem isso mesmo, parece que a gente não combina mais com as roupas né? Quero roupas de mãe!! hahah Mas o que mais tá pegando é o que a Lia falou lá em cima: blusas pra amamentar! Percebi que praticamente nenhuma das minhas dão conta do que recado! Aff!

  5. Lú total, a gente muda mesmo, “o corpo também” ás vezes pra melhor rs rs rs

    enfim, acho que isso é super necessário, eu também troquei o armário aos poucos quando tive o David, e não posso nem verrrrrrrrrrrrrrrrrr as roupas que eu usava antes dele e quando estava grávida dele aaaaaaaaaaaaaaaaaaaah dá pavor….rs

    Mas diferente de vc, eu consumo bastante, trabalhar com moda é uma merrrrrrrrrrr!

    bjs querida! APOIADA!

  6. Éeee lú, acho que você realmente precisa ir às compras, rsss!!! Meu baby nem nasceu e eu já olho pras minhas roupas e penso: "não tem mais nada a ver comigo"! Ainda mais aquelas super "tuntz tuntz" que a gente usa só pra ir em trance ou pra balada… kkkkkkkkk…. jamais….rsss… benjinhos!

  7. Realmente quando o bebê nasce, a gente se sente tão diferente da pesoa que era antes que parece que as roupas já não combinam mais, tb me senti assim, só não consegui renovar todo o roupeiro ainda! haha

    beijos

  8. É incrível como isso acontece. Quando eu tirei minhas roupas do maleiro, eu fiz uma primeira limpa e doei uma porção de roupas. Agora já preciso fazer isso de novo. Mas eu sinto que ficarei sem uma peça de roupa sequer no meu armário. Acho que a mudança que acontece com a gente é muita profunda. Tudo muda! =)

    Beijos para vc e para o Benji

  9. Renovar o guarda roupa faz um bem danado, mas seja esperta, guarde o dinheiro e gaste qdo todas as lojas entrarem em liquida. Eu comecei a fazer isso esse ano e eh impressionante como o dinheiro rende. Agora lendo seu post, me vi na situação inversa, estou gravida e final de semana passado fiz um rapa no armario pq quase nada me serve (e eu so estou de 3 meses), guardei td numa sacola..agora preciso ir atras de uma calça jeans e um shorts, pelo menos.Bjs

  10. Sabe que aconteceu a mesma coisa comigo? Quando, finalmente, consegui voltar ao corpo anterior e as roupas voltaram a caber, nenhuma delas me satisfazia.

    Foi tãããããããõ bom juntar uns troquinhos e comprar umas roupinhas novas!

    Se joga!

    Agora tô grávida de novo (34s) e sonhando com um vestidinho ou uma saia acinturada…

  11. Oi Lu! Gente, eu tô passando pela mesma coisa… não tô podendo olhar para minhas roupas… rs… Nenhuma delas me serve, mas mesmo que servissem eu não ia querer colocá-las. Espero ficar com alguns quilinhos que ganhei na gravidez, pois eu estava muuuiiito magra, vamos ver… De qualquer forma, preciso de roupa nova urgente!
    Beijos

  12. Noooooossa, identifiquei total, hohoho. Mesmo as roupas voltando a servir, parece que eu não tenho nada bom! Cadê meu guarda-roupa fashion de outrora??? Estou esperando só a barriguinha terminar de voltar pro lugar (qt ar) pra comprar coisas novas!!! Ah, mas não tem nada melhor do que voltar a caber nas suas calças jeans, né, hohoho

  13. Oi Luiza, adoro seu blog e venho sempre aqui, mas esta é a primeira vez que comento… de fato, qdo nos tornamosmães, nos tornamos outra… aí parece que nada mais do que éramos, nos representa. Eu também tive essa vontade qdo nasceu meu primeiro filho, trocar o guarda-roupa, mudar o cabelo, fazer outra tatuagem… e no meu caso muita coisa não cabia mais e se coubesse não me "serviria" entende? agora, nasceu meu segundo filho e eu passei por outra trasnformação, estou mais madura mesmo e acho que meu guarda-roupas precisa refletir isso, vontade de trocar tuuuuudo de novo, cortei o cabelo bem curtinho, comprei umas maquiagens novas, doei roupas, separei umas para vender. Na real além das trasformações internas, que realmente são muitas, e precisam ser refletidas numa transformação externa, acho que o distanciamento das roupas antigas, nos faz vê-las com mais discernimento… e perceber que tem muita coisa que não serve, não orna ou não condiz!definitivamente… bj em vc e no benji!
    carol, do Tom e do Leon

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *