Benji e papai no Jornal Hoje


“A licença paternidade pode ficar três vezes maior. A proposta que está no Congresso amplia de cinco para 15 dias o período de folga dos pais.
Há quarto dias, desde que Benjamin nasceu, o publicitário Hilan Diener participa de tudo na vida do filho. “Se eu tivesse peito até dava também”, diz.
Mas como vai ficar a vida quando ele voltar ao trabalho? “Vai ser dose sair de perto dele. Vou estar no trabalho perdendo os momentos mais importantes”, fala.

A pediatra Gloria Maria Andrade fala que quanto maior a licença melhor para o bebê. E lembra que para o homem não é um período de férias. “Ele tem que assumir seu papel de pai não só junto ao bebê recém-nascido como se ele tiver outros filhos, ele deve assumir inteiramente as atividades exercidas só pela mãe”, orienta.

No Congresso, um projeto aumenta a licença-paternidade de cinco para quinze dias corridos.
Se o bebê nascer durante as férias do pai, não tem problema: o retorno ao trabalho fica adiado por quinze dias. Quando a licença acaba, o pai tem estabilidade de 30 dias no emprego.

As regras também valem para quem adotar filhos. Veja, em vídeo, a entrevista sobre o assunto com o diretor da Sociedade Brasileira de Pediatria do Distrito Federal, Dr. Deoclécio Campos Júnior e com o vice-presidente do Sindivarejista do Distrito Federal, Edson de Castro.”

E você? O que acha deste projeto de lei?
Dê sua opinião.

Benji e papai no Jornal Hoje

60 pensou em “Benji e papai no Jornal Hoje

  1. The next time I learn a weblog, I hope that it doesnt disappoint me as much as this one. I mean, I do know it was my choice to read, nonetheless I truly thought youd have something attention-grabbing to say. All I hear is actually a bunch of whining about something that you could fix for those who werent too busy in search of attention.

  2. Quite, all we need now is for the Bishops of England and Wales to stop hindering the EF Mass being said and instead encourage priests to learn to say mass in both forms of the One Roman Rite!

  3. Could it be that, due to the topic, there were a fair number of Muslims in the audience? If so, the 1/3rd may not be *quite* as bad as one would think if this was truly a cross section of the English population.

  4. You actually make it seem so easy with your presentation but I find this topic to be really something that I think I would never understand. It seems too complex and extremely broad for me. I am looking forward for your next post, I’ll try to get the hang of it!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo